História Blood Tear - Yoonkook - Capítulo 6


Escrita por: e _-LML-_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, TWICE
Personagens G-Dragon, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jungkook, Yoongi, Yoonkook
Visualizações 41
Palavras 2.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii, tudo bom? Voltei para postar mais um capítulo de Blood Tear, e como eu definiria esse capítulo? O momento onde tudo começa a piorar e, pode acreditar a partir daí as coisas vão começar a ficar sérias.

Capítulo 6 - Bad Blood


Você me fez um corte muito profundo, porque agora meu bem nós temos uma rixa. - Bad Blood, Taylor Swift

M.H 7:28

Já era cedo de manhã quando Ji Yong decidiu começar o seu longo trabalho. Um caso de híbrido ali, outro aqui. Os preparativos para o próximo evento, tudo andava perfeitamente bem até aquele momento.

O chefe Kwon estava em sua sala como já era de costume quando ouviu barulhos... barulhos muito estranhos. Primeiro ele oviou o som de um grito e depois vários gritos. Não eram gritos de dor, eram gritos de raiva. E em um instante ele se viu no meio de um caos.

Estavam sendo atacados, como há muito tempo não haviam sido. Não era um ataque qualquer como costumavam ter, monstros revoltados por terem capturados suas famílias e com sede de vingança. Não eram dois ou três eram milhares.

O que você pode fazer em um ataque com milhares de vampiros? Todos lutando lado a lado com sede de vingança pelo seu rei ter sido capturado, o que se pode fazer quando são mais fortes que você? Você luta ou você morre.

Lutar... lutar... lutar.

Tudo que você precisa é lutar. Fugir? Não é uma opção eles vão te pegar.

E foi isso que como chefe, G-Dragon fez. Lutou ao lado de seus homens pela sua honra, pela sua filha, pela sua agência.

Mas estavam perdendo... Apesar de terem matado vários vampiros, muitos conseguiram fugir. E o pior de tudo eles levaram o rei e os seus comandantes. É, estava tudo perdido definitivamente perdido. Ele achava que o possível rei era uma chance de uma vida melhor, mas agora não restava mais nada.

Muitos homens haviam morrido na batalha, mas apesar disso haviam morrido como heróis por terem defendidos sua agência por um bem maior. O bem dos humanos. Era o que Ji Yong achava.

No meio de todo aquele tumulto de homens e vampiros mortos por todos os lados, Ji Yong foi atravessando o corredor, às vezes tropeçando em algum defunto espalhado pelo chão. Mais tarde teria que tira-los dali e seria um longo trabalho.

Conferiu se mais nenhum monstro havia sumido em meio a guerra. Infelizmente alguns escaparam enquanto estavam no horário de intervalo, mas não havia sido uma perda significativa.

Chegando ao pátio se deparou com uma cena mais horrível ainda, diversos mortos e sangue para todos os lados. Não importa para aonde ele olhasse, era sangue e mais sangue.

Mas o que fez seu coração falhar e seu mundo se desmoronar bem diante dos seus pés foi se deparar com sua filha morta na chão, com olhos arregalados como quem não estivesse acreditando no que está vendo. No seu pescoço haviam marcas de mordidas.

Foi quando o chefe Kwon mostrou seu ponto mais fraco, a sua filha. Tudo foi pela sua filha, a chance de dar a ela uma vida melhor em meio a um mundo de tamanha brutalidade. Tudo havia sido em vão, agora Nayeon não estava mais viva. Ele não havia conseguido proteger a sua própria filha.

Caiu de joelhos diante do corpo e começou a chorar como nunca antes haviam o visto. Chorou de dor, chorou de raiva, chorou por ter perdido a única pessoa que ele amou em sua vida.

Abraçou a sua filha como se ela ainda estivesse viva, como se ela ainda fosse acordar para a vida, como se fosse abraça-lo de volta. Mas não o abraçou, e muito menos acordou. Continuou com os olhos arregalados, e fria, fria como o gelo.

E foi ali caído no chão com lágrimas nos olhos, abraçando a sua própria filha, que Ji Yong perdeu a sua vida e qualquer emoção que um dia ainda teve. Pois tudo que restou dentro dele foi raiva, e escuridão. Agora ele já não era mais tão diferente dos monstros que aprisionava naquela prisão. Agora ele podia ser comparado com um deles, porque já não tinha mais emoção nenhuma.

Jurou vingança a aquele que tivesse matado a filha dele, jurou encontrar aonde quer que estivesse, jurou mata-lo. Jurou matar todo vampiro existente nem que para isso ele tivesse que morrer. Mas a verdade é que para ele não importava mais viver ou morrer, pois ele já tinha perdido o sentido da sua vida.

Chamou seus homens, pelo menos os que restavam.

Descobriu que Jungkook tinha sido capturado também. E agora ele tinha mais um motivo para acha-los. Trazer seu braço direito de volta.

Então era isso? Eles acabam com a sua vida inteira, anos de trabalho e levam o que tem de mais precioso, achando que iriam sair impunes? Pois bem, agora eles haviam acabado de anunciar uma guerra, uma guerra que não iria acabar tão cedo.

E todos que olhavam nos olhos de Ji Yong podiam ver que neles só havia escuridão, raiva e uma sede de vingança implacável, em que único jeito de ser saciada, era a morte de todos os vampiros.

Mas felizmente haviam capturado um vampiro no ataque, e essa era a chance de Ji Yong para a vitória. Ji Yong sorriu sarcástico e falou:

- Eles vão pagar caro por isso.

Point of View, Jeon Jungkook

Mais um dia havia se passado em Abysse des ténèbres, mas não vou mentir não, até que aqui é bem legal. Também eles me tratam feito um rei por ser um dos protegidos do rei, vocês devem pensar: "nossa ele é tratado feito um rei já deve estar se sentindo o rei da porra toda e mandando em todo mundo, nem deve mais querer voltar pra vidinha chata dele".

E bom, eu não quero ser o estraga prazeres nem nada, estragando o sonho de vocês. Okay nem tanto, mas sim eu quero voltar pra minha vidinha chata lá aonde os vampiros chamam de inferno, pois é, descobri isso ontem. Mas não me entendam mal eu super adorei toda a hospitalidade do Yoongi ops... quer dizer Rei Yoongi agora.

Eu devia saber que receber tanto mimo teria um preço. E teve, Yoongi... Rei Yoongi literalmente me obrigou a chama-lo de Rei Yoongi e sempre que o via eu tinha que se curvar diante dele. Que vampirozinho mais convencido.

Mas bem voltando ao foco principal... onde estávamos mesmo? Ah sim sobre o porquê de eu querer voltar para a minha vidinha chata no inferno. Bom como eu estava falando, não me entenda mal, mas só que eu tenho uma vida okay? Tá certo talvez seja um pouquinho -muito- difícil

Sabe matar e caçar monstros não é uma tarefa muito fácil. Se discordar de mim se torne um caçador de monstros e veja você mesmo.

Não podemos esquecer do bom e velho alarme, aquela coisa ainda me atormenta. Já perdi quantas das vezes acordei assustado no meio da noite pelo simples fato de ter um pesadelo com aquele maldito alarme. Sim, eu tenho pesadelos com alarmes.

Mas apesar disso tudo ainda tenho coisas pra fazer lá. Eu simplesmente desapareci no meio de um caos. Tipo eu não sei como tá a M.H, meus amigos e a Nayeon. Será que ela tá bem agora? Será que está chorando nesse momento pelo marido ter sido sequestrado?

Foram esses e outros motivos que me trouxeram pra esse momento que estou agora. E você deve estar pensando "que momento Jungkook?"... Eu queria explicar para vocês essa história louca mas levaria mais tempo do que contar o porquê de eu ter me metido nessa coisa toda.

Mas resumidamente falando eu tive um ideia bem louca pra fugir desse castelo. Estava eu, Jungkook, de boas passando pelo corredor do castelo pensando "como vou fugir sem que ninguém me veja? Eles simplesmente não vão me deixar sair. Tenho informações muito importantes sobre eles e o seu reino."

Como o desastrado que sou acabei esbarrando em alguém. Eu já ia pedir desculpas pro ser em que havia esbarrado quando eu vi quem era. Um dos guardas vampiros do Rei Yoongi. E o melhor de tudo ele usava capacete o capacete cobria a cabeça ou seja. Ninguém via o rosto dele. E aqui estou eu vestido de guarda tentando passar pelo castelo e chegar até a porta sem ser visto. O que poderia dar errado?

Era o que eu pensava até ser parado por Jimin, o comandante dos vampiros e ainda por cima, o braço direito do rei.

- Hey você!

Tentei fingir que não tinha ouvido e continuei andando pelo corredor. Mas pelo meu azar não adiantou muito.

- Eu to' falando com você. Por acaso tá' se fingindo de surdo?

- Eu? - Apontei pra mim. - Ata!

Nesse momento comecei a suar de nervosismo. Aonde eu fui me meter Deus?

- Por acaso tá vendo outro vampiro por este corredor? Enfim, você se esqueceu que toda semana nos reunimos para tomar sangue na casa de um soldado?

O que? Tinha que ser justo hoje? Mas que tradição estranha essa, depois falam que humanos são estranhos. Se bem que deve ser pra tipo um churrasco ou um jantar.

- Não claro que não. Como eu poderia me esquecer, eu tava indo pra lá agora mesmo.

- Sério? Então você já sabe na casa de quem vamos ir não é?

Merda, merda.

- Uhum.

- Parece que você foi o último. Então eu vou com você até lá.

Por que eu?

- Vamos sim, é claro.

--Por mais que eu tente me lembrar, não sei quem você é. Quer dizer... sua voz. Na verdade me lembra de alguém, mas é meio impossivel dele ser você. Como é seu nome mesmo?

Inventa algum nome Jungkook.

- Jung...Jungyeon.

- Você é novo por aqui?

- Comecei hoje.

- Ah... entendi.

Depois dessa conversa com o Jimin eu queria ter dado um jeito de fugir daquela situação. Mas como o ser azarado que sou não consegui. Na verdade depois disso seguimos até a casa do tal vampiro para beber sangue que descobri depois que o nome era SeungYoo. Como se não tivesse como essa situação ficar pior, pois é meu amigo ficou pior.

Começando pela entrada na casa, me pediram pra tirar o capecete. Como não sou idiota nem nada sabendo que se eu tirasse o capacete seria descoberto, recusei alegando que estava como um alergia terrível no rosto. Pois é que desculpa terrível Jungkook, mas vejamos não tinha nada melhor pra inventar na minha situação. A esse ponto cheguei a pensar se não seria melhor que eu tivesse ficado no meu quarto dormindo em vez de ter tido essa idéia estúpida.

Parece que a minha desculpa convenceu um pouco já que eles não perguntaram mais nada e seguimos então pra dentro da casa que mais parecia ser uma boate. Não que eu já tenha entrado em uma boate antes, mas eu já havia visto com era um em filmes.

O que foi? Eu sou muito ocupado pra ir em uma boate.

Tudo estava indo bem até o meio da noite, estavam conversando sobre coisas aleatórias até que começaram a falar de mim!! Isso, de mim, Jeon Jungkook, o humano fraco e estúpido do rei. Qual é gente? Tentei me concentrar ao máximo em outra coisa que não fosse aquela conversa até que Jimin decidiu me colocar no meio também.

- Jungyeon o que você acha do humano do rei? - Humano do rei, humano do rei nada eu não pertenço a ninguém.

- Eu acho... Eu acho... -- Eu nem sabia o que dizer, e em certo momento todo mundo começou a olhar pra mim esperando o que eu ia dizer. De certo esperando algum xingamento. Fiquei nervoso e falei a primeira coisa que veio na minha mente. - Eu acho ele legal.

- Legal? Você acha aquele humano nojento legal? Você sequer conhece ele, e a única coisa para que os humanos deviam servir era ser o nosso almoço.

Nojento? Ser o almoço de vocês? Caramba agora pegou pesado. Alguém me segura que eu quero bater nesse vampirinho cretino de uma figa.

- Se ele é protegido do rei significa que o rei confia nele, ou seja ele deve ser legal.

- Protegido do rei? - Ele começou a rir. -- Tenho certeza que na primeira oportunidade o rei irá matar ele e beber do seu sangue, assim como eu fiz com ele.

Todo mundo fez cara de surpresa, creio eu que ninguém sabia que ele havia me mordido e bebido do meu sangue. Aquela mordida que ele fez dói até hoje!

- Isso mesmo, eu bebi o sangue daquele humano idiota. Ou melhor verme idiota. - Todos começaram a rir. - Não vou mentir não, até que o sangue não era tão ruim mas ainda prefiro o da vaca.

ARRRRRG! Eu já estava me segurando para não partir pra cima dele. O meu sangue já estava fervendo até o último centímetro da minha pele. Como ele ousa? Filho da mãe.

- Como ousa falar isso? - Elevei minha voz. - O único verme que eu to vendo aqui é você. Tenho certeza que as vacas valem mais que você. Seu verme do capeta.

Eu já tinha perdido totalmente a noção da saniedade. Eu queria ter me controlado, mas pelo amor de Deus eu não tenho sangue de barata.

- Quem é você pra falar assim comigo? - Ele se levantou da mesa me encarando sério. - Tenho certeza que por trás desse capacete e armadura só resto um tolo idiota.

- Alguém que tem mais dignidade que você.

- Tirem o capacete dele. - Ele olhou pros outros. - Andem!! Quero ver quem é o idiota que ousou me desrespeitar. Vamos ver se agora é tão corajoso assim.

Dois vampiros vieram por trás e me prenderem enquanto outro arrancou o capacete da minha cabeça e assim que eles tiraram puderam ver que o grande corajoso era nada mais nada menos que eu, Jeon Jungkook. Ou seja eu estava mais que ferrado.

[...]

- Mas meu rei ele me chamou de verme do capeta. - Apontou pra mim. -- Como pode deixar ele impune? Devemos executa-lo agora mesmo. Deve servir de exemplo para os outros vampiros. MATEM ESSE VERME HUMANO!!

Ele gritava visivelmente alterado por toda raiva contida naquele coração que eu nem sei se tem. Eu não sabia que vampiros podiam ser tão cabeças quentes, eu sempre pensei que eles possuíssem sangue frio. A cada dia nesse reino eu descubro uma nova coisa.

- SE ACALME PARK JIMIN. - Gritou o Rei Yoongi. - Olha o seu estado. Eu já falei e vou repetir: NÃO PODEMOS MATA-LO.

- Por que não podemos matar o humano? Se ele tentou fugir agora é provável que tente fugir mais cedo ou mais tarde. Aliás eu nem sei por que trouxe ele pra cá.

- Jimin já conversamos sobre isso, não quero ter essa conversa de novo.

- Como o terrível Rei Min Yoongi que matava qualquer um que atravessasse seu caminho ficou assim? Como pode ficar assim por um humano? Será que o rei dos vampiros é tão forte assim como pensam? Foi capturado por humanos, nem conseguiu fugir. E agora está apaixonado por um humano.

- JÁ CHEGA PARK JIMIN. SAIA DAQUI AGORA.

- Mas...

- GUARDAS!

Jimin saiu contrariado do sala do trono batendo forte a grande porta. Olhei pro Yoongi assustado.

- Me desculpe, Jimin sabe ser nervosinho quando quer... é melhor você ir para seu quarto.

Assenti sem contestar ou falar uma palavra me dirigindo para meu quarto.

Naquela noite me deitei na cama com milhares de pensamentos rondando minha cabeça. Como eu iria fugir daqui agora? Mas o que mais me atormentou naquela foi uma única frase que tinha surtido um efeito enorme em mim "E agora está apaixonado por um humano." 


Notas Finais


Betado por @Jhennistar. Obrigada por me informar que o capítulo tava grande d+, por mim era só preguiça de corrigir hein.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...