História Bloodlines-Linhas de Sangue - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Aberforth Dumbledore, Abraxas Malfoy, Alvo Dumbledore, Antíoco Peverell, Ariana Dumbledore, Armando Dippet, Avery (Riddle-era), Barão Sangrento, Cadmo Peverell, Charlus Potter, Dama Cinzenta, Dorea Black, Gellert Grindelwald, Ignoto Peverell, Minerva Mcgonagall, Personagens Originais, Pirraça, Salazar Slytherin, Tom Riddle Jr., Tom Riddle Sr.
Tags Era Riddle, Koldovstoretz, Linhagens, Lord Voldemort, Slytherin, Sonserina, Tom Riddle Jr, Tomaya
Visualizações 185
Palavras 1.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Um novo começo


Fanfic / Fanfiction Bloodlines-Linhas de Sangue - Capítulo 2 - Um novo começo

Amaya havia acordado cedo como de costume e ainda com um pouco de sono caminhou em direção ao banheiro.

Com toda sua higiene feita e já arrumada desceu para a comunal,faltava pouco tempo para o café da manhã e por isso ela resolveu esperar sentanda em um dos sofá já que as poltronas estavam ocupadas. Ela então começou a ler seu livro de onde havia parado na noite anterior,a comunal fora preenchida por conversas váriadas dos Sonserinos,ao seu lado se sentaram um ruivo que ela logo descubriu que se chamava Drayer,um loiro chamado Abraxa e um moreno que era Avery.

Drayer tentou conversa com Amaya mas a garota não deu a miníma para ele e continuo lendo seu livro como se ele ou qualquer um existisse.

Avery e Abraxas observavam a garota com certa curiosidade já que desde que ela havia chegado não havia falado com ninguém e tampouco se esforçava para isso. Eles iriam tentar falar com ela mas o som de passos descendo as escadas chamou a atenção dos três presentes ali,e uma dúvida que Avery tinha esquecido de comentar com os demais retornou.

_Ei Tom você ouviu aqueles uivos de madrugada? Parecia ser algúm gigantesco lobo_

_Não seja tolo não há lobos gigantes em Hogwarts,ao menos não que eu saiba_ -Disse Riddle- 

_Então o que era ? Lobisomem?_ 

_Eu não sei,talvez sim. No entanto não faz a miníma diferença_ -O garoto falou dando por encerrado aquele assunto que já estava começando a irrita-lo.

_______________❰・❉・❱ __________________

 

Após o café da manhã Amaya seguiu para a sua primeira aula de Trato das Criaturas Mágicas e seria com a Grinfinória. 

A professora Catherine havia passado um trabalho para coletar as penas de Lupunixs que ela havia trazido para a aula.

_As penas de um Lupunix são medicinais e são usadas para várias poções desde antidotos até para regenerar um membro perdido,ou seja,caso você perda um braço ou perna se uma poção for feita aparti da pena dessa criatura o membro poderá ser regenerado,no entanto,ê extremamente complexo preparar uma poção assim,e também essas criaturas podem ficar invisiveis para se protegerem de serem caçadas,por isso são muitos valiosos e raros.

_Quero que retirem delicadamente as penas caso não o fação eles poderão ataca-los com suas garras e dentes afiados ou até mesmo lançar um jato poderoso de chamas em defesa_    

Amaya havia ficado sozinha e logo ela se aproximou de um Lupunix de cor azul e roxo muito bonito por sinal. Aquelas criaturas tem o corpo de um lobo mais suas patas são como de águias e não possuem cauda de lobo e sim uma cauda feita de longas e cintilantes penas de váriadas cores,já o que está com Amaya possuia a cor azul e roxo e também possuia grandes penas cintilantes de várias cores nos braços.

Ela acariciou levemente seulongo fochinho ele retribuiu com uma leve cabeçada na sua mão,em sinal de queria ser acariciado novamente.

Passou suas mãos por todo seu pescoço e tocou levemente a trufa(nariz) da sua boca,ele a encarou e se deitou sobre a grama verde,como se desse permissão para que ela pudesse coletar suas penas e assim ela fez,se abaixando logo em seguida e retirando com cuidado cada pena. 

Ela retirou algumas nos seu braços e outras da sua cauda formando 20 penas,Amaya observou os demais e viu que a maioria não havia conseguido retirar nenhuma,havia uma lufana que estava com alguns ferimentos nas mãos por conta das mordidas do Lupunix com que ela estavav,já um grinfinório estava com as pontas das suas vestes em chamas,outro tinha medo de se aproximar por ter quase sido mordido,no entanto haviam três que assim como ela tinham conseguida,e eram Tom,Drayer e Abraxas. 

A garota caminhou até a professora que brigava com alguns Sonserinos e Grinfinórios por estarem discutindo em vez de fazerem o trabalho. 

Após retirar alguns pontos das duas casas a professara se virou em direção a Amaya e quando viu a quantidade de penas que ela havia coletado ficou surpresa.

_Vejo que conseguiu não somente  cinco e sim vinte isso é um milagre não só pela quantidade mas sim vindo daquele Lupunix,já que ele é muito orgulhoso e só permite retirarem no máximo 2 penas,por que ele acha são bonitas e preciosas demais para qualquer um te-las.

Excelente vinte pontos para a Sonserina_

Amaya caminhou de volta para onde o Lupunix estava e se sentou ao seu lado observando os demais terminarem. 

o Lupunix fez o mesmo e se sentou ao lado de Amaya e colocou sua cabeça no seu colo,Amaya começou a acariciar levemente as pequenas penas em sua cabeça,e notou que as penas que ela havia retirado haviam crescido novamente mais bonitas e brilhantes. 

 

O tempo passou e eles foram liberados,com muito custo a professora Catherine teve que prende-lo em uma corrente enfeitiçada,pois ele queria seguir Amaya para dentro do castelo.

 

Ela caminhou lentamente até as estufas de Hogwarts para sua próxima aula que seria de Herbológia com a professora Arlene e para sua decepção era em dupla e todos da Corvinal já estavam lá.

 

Ela se sentou no centro sozinha e observou a professora entrar,após alguns minutos sentiu que alguém havia sentado ao seu lado e quando se virou para ver quem era viu que se tratava do garoto ruivo chamado Drayer,ele sorriu minimamente para ela mas fors ignorado por ela que tratou de voltar a prestar atenção ao que a professora estava falando. 

 

_A planta que iremos estudar hoje se chama Lírio de Fogo Africana. 

Uma Planta que cospe esferas de geléias de magma quando se sente ameaçada, sem se queimar. Não se trata de magma propriamente dito, mas sim de uma substância que arde e queima tão profundamente como se fosse magma. 

O Lírio de Fogo é idêntico a um Lírio normal com uma coloração vermelha. 

Ele tem uma espécie de casulo no meio da planta, onde joga as geléias de magma.

 O seu muco é extraído e, geralmente, depois de passar por um grande processo de verificação, pode ser utilizado na poção Derretedora.

 A missão de vocês é exatamente essa,extrair esse muco,tomem cuidado para não se queimarem,usem as luvas de escama de dragão,além do mais, o bom trabalho em dupla renderá pontos para sua casa,podem começar_ 

 

Após dizer isso todos começaram a tentar manusear a flor sem serem atingidos pela geléia de magma,Drayer havia conseguido pegar mais foi atingido na mão e o locál começou a ficar bem vermelho.por conta que sua de sua pele ser bem branca,pela sua expressão estava ardendo e havia queimado. 

Amaya então retirou de sua mochila um pequeno frasco de poção para queimaduras e colocou sobre sua mão e instantâneamente a queimadura

cicatrizou,eles receberam 20 pontos pelo bom trabalho em equipe e a aula terminou,todos caminhavam para fora da estufa uns comentando como a aula foi arriscada já outros diziam que gostaram.

 

 ━━━━━━◆❃◆━━━━━━

 

_Um Inferius é um corpo morto, reanimado por um Bruxo das Trevas,semelhante, mas intrinsecamente diferente de um zumbi. Elas são criados através da sucursal mágico das Artes das Trevas chamada de Necromancia_ 

-A professora Agatha falava enquanto caminhava pela sala observando os alunos-

_Como são criaturas da escuridão, eles não gostam de luz e de calor. O mais eficaz feitiço contra eles é, portanto, uma magia de convocação de fogo, tais como Firestorm. Devido a isso, os Inferi são encantados pelo seu mestre para evitar chamas. Outras magias podem funcionar contra alguns Inferi, mas podem não ser úteis contra um exército inteiro deles. Deve-se notar que Inferi são resistentes a maioria das magias:. eles não podem sentir dor e, portanto, não são afetados por muitos ataques cujo efeito principal é a dor como a Maldição Cruciatus. 

Abram na página 327 e copiem e respondam todas as questões do quadro,não quero respostas com menos de 10 linhas!!_ -Ouve alguns protestos por partes dos alunos- 

_Silêncio! Ou vou tirar pontos de todos!_ 

-Falou firme e todos se calaram- 

Amaya abriu o seu pergaminho e começou a copiar as perguntas do quadro sem prestar atenção as lamentações de seus colegas de casa,quando ela acabou de escrever começou a responder todas as perguntas,elaborando pequenos textos que surgiam em sua mente. 

Amaya enquanto escrevia sentiu olhares sobre si e quando virou de lado para ver quem era e viu que se tratavam de Tom e Drayer que logo desviaram o olhar abaixando a cabeça. 

Ignorou e terminou sua tarefa entregando o pergaminho e quando a professora Agatha foi verificar viu que ela havia escrevido até o último pedaço do pergaminho. Uma expressão de surpresa tomou conta da sua face,ela logo começou a enche-la de elogios,mais a garota apenas assentiu levemente sem sorrir e se sentou ignorando todo aquela atenção indesejada.

_Quero 2 rolos de pergaminhos falando sobre os Inferis,as mágias que são eficazes e as que não são,as mágias que podem ser usadas para invoca-los,seus pontos fortes e fracos. Estão liberados_

Amaya demorou a sair pois estava esperando a multidão se dispensar,olhou ao seu aredor e notou que Riddle e sua turma haviam pensado o mesmo que ela,quando o último aluno saiu,eles então sairam. Apesar de serem da mesma casa ela não queria se enturmar ou fazer amigos,mesmo caminhando rápido podia ouvir eles conversando entre si sobre Amaya,as conversas variavam como

"Não sabemos nada sobre ela" "Ela é calada e séria","Parecer que não quer fazer amizades" e "Ela estar sempre sozinha " Não se importou com essas opiniões sobre si e continuo seu trajeto como se não tivesse acontecido nada. 

A garota se afastou ainda mais e rápidamente adentrou o salão principal,se sentando afastada como sempre dos demais. 

Começou a comer lentamente sua comida e olhou rápidamente para a mesa dos professores e viu que Dumbledore olhava fixamente para ela com um sorriso nos lábios,Amaya não sorriu apenas voltou a comer em silêncio.

 Quando terminou ela terminou pegou uma maçã de cor verde e deu uma pequena mordida e fixou seu olhar para a porta do grande salão. Riddle encontrava-se observando cada movimento da garota,era fato que ela havia lhe chamado atenção e lá no fundo sabia que a conhecia de algúm lugar. 

 

        ═━━━━✥◈✥━━━━══

 

A jovem garota caminhava pelos corredores de Hogwarts que no momento estavam vazios,assim que ela não teve problema em se locomovr. 

Como teria 2 hora para descansar até o ínicio da próxima aula,ela decidiu que iria caminhar pelos jardins do castelo que não estava longe de onde ela estava.

 

Ao sair do castelo sentiu gotas finas de água cairem sobre seu rosto e rápidamente o clima havia mudado drásticamente de gotas finas para grossas gotas de água que começavam a molhar seu uniforme. Ela

retirou sua varinha e uma luz transparente saiu dela formando um guarda-chuva,mesmo o tempo estando ruim não iria voltar atrás e por isso seguiu em frente e logo pode ver um enorme jardim com todos os tipos de plantas mágicas,viu uma grande árvore com folhas de cor rosa,e pelo que pode identificar pela aparência e o aroma doce que se tratava de uma árvore de sakura ou de cerejeira,uma árvore que é natural do Japão e é sua preferida. 

Se sentou embaixo dela e observou o céu chuvoso o cheiro da árvore e da grama,viu uma pequena petala cair ergue-o sua mão em direção a petala e a pegou logo em seguida a soltou.

Uma hora havia se passado e a chuva já havia parado,ela se levantou e resolveu retorna para a comunal da Sonserina para tentar dormi um pouco. 

 

O trajeto todo foi em silêncio e Amaya estranhou que desde que se afastou do jardim não ouviu o som de nenhum inseto,estava tudo estranhamente quieto. 

Ela teve a sensação de está sendo observada e logo olhou para os lado e nada,ela sabia que havia alguém escondido em algum canto,por conta de um cheiro diferente ao de um jardim mas que não conseguiu identificar. 

Ignorou e seguiu caminhando,

derrepente Amaya sentiu alguém atrás de si e logo desviou para a esquerda desviando de um ataque surpresa que poderia ter sido fatal...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...