História Bloody Desire - Capítulo 30


Escrita por:

Visualizações 26
Palavras 1.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


➕🔞
Aloha galerinha ✌
Novo capítulo, espero que gostem 😈

Capítulo 30 - Don't mean nothing


Fanfic / Fanfiction Bloody Desire - Capítulo 30 - Don't mean nothing

Bill P.O.V

Senti um frio e logo despertei, olhei pro lado e vi Johane nua deitada no chão perto de mim, me lembro de tudo o que houve a noite, toco seu rosto e está frio como sempre, ajeito seu cabelo, agora sei que estava falando a verdade naquele dia que disse ser uma vampira, eu fui um idiota em não ter acreditado nela.
Eu digo baixo sentindo uma forte dor no meu peito:
- Johane?
Depois de alguns segundos ela abre os olhos, aqueles olhos verdes amarelados que eu tanto amo, ela diz me fitando dentro dos olhos:
- Você tá bem?
- Sim, e você?
- Tirando a dor de cabeça maldita eu tô bem, você lembra?
- Sim, eu fui um idiota em não acreditar em você naquele dia.
- Eu que fui uma idiota, agora por minha culpa você é um monstro.
- Hey, você não tem culpa nenhuma.
- Tenho sim, se eu não tivesse me envolvido com você isso tudo não teria acontecido.
- É o destino Jo, e eu sou grato por ter te conhecido, porque eu amo você e nenhuma monstruosidade vai mudar isso.
- Você queria me matar.
- Mas não matei.
- Por que?
- Te vi deitada no chão e consegui sentir meu coração batendo.
Ela se virou para mim e tocou meu peito, encostou sua cabeça nele e disse:
- Ele tá batendo.
- Ele é seu.
Me fitou profundamente, nos aproximamos e toquei seus lábios macios com os meus, me senti completo de novo, esqueci até o frio que eu sentia por estar deitado no chão, envolvi minhas mãos na sua cintura e a puxei para cima de mim, ela continuou movimentando sua língua ao redor da minha.
Ela sentiu meu membro ficando duro e disse parando de me beijar:
- Você tem que dar aula hoje.
- E você tem aula hoje.
- Que horas são?
Olhei pela janela e ainda estava escuro, eu disse:
- Ainda não amanheceu, temos tempo..
Enrosquei meus dedos no seu cabelo e a beijei novamente, com a outra mão deslizando meus dedos no seu corpo, sentindo a pele macia ficar arrepiada.
Ela começou a se esfregar contra o meu pau, e eu senti que estava ficando molhada com isso, usei minha mão livre para massagear seu clitóris, ela gemeu enquanto me beijava, eu sorri e ela começou a se mover ainda mais rápido em cima de mim.
Eu senti um calor emanar de nós dois, parei de beija-la e fitei seus olhos enquanto introduzia meu dedo médio dentro dela, apertada e molhada com os lábios entrebabretos ela subia e descia no meu dedo, me deixando com um puta tesão.
Ela disse depois de limpar a garganta com um pigarro:
- A gente ta brigado.
Eu disse sentindo meu coração bater mais forte:
- Estamos nos reconciliando agora.
Sorriu e me beijou, acariciou meu cabelo e sua outra mão foi para seu ponto sensível, massageou e gemeu nos meus lábios, meu pau já estava pulsando, não me controlei, tirei meu dedo de dentro dela e troquei nossas posições, chupei meu dedo sentindo seu gosto delicioso:
- Tão saboroso..
Ela suspirou, logo depois dei atenção aos seus seios, mordiscando um a um enquanto a provocava deslizando a cabecinha do meu pau por toda sua entrada.
Ela ria e suspirava, abri um pouco mais suas pernas e me encaixei entre elas, ela disse:
- Por que nós dois só ficamos bem quando estamos transando?
- Eu estive pensando nisso, então cheguei a conclusão que quando a gente tá trepando, não precisamos dizer nada, apenas sentimos.
- Eu me sinto uma puta.
- Não deveria, quando a gente tá assim, nu e eu olhando no fundo dos seus olhos.. eu me sinto o único homem no mundo todo, é como se só nós dois existissemos.
- A gente esquece as brigas e mal entendidos.
Fui me aproximar mas ela segurou meu peito me impedindo de me aproximar mais:
- Não sei se quero transar com o cara que tentou me matar.
Eu ri:
- Me perdoa, não vou tentar te matar de novo.
Ela tirou suas mãos do meu peito e se movimentou fazendo meu pau entrar, movi meu quadril contra o seu e a penetrei por completo, vi seus lábios serem mordidos por ela mesma e seus olhos se fechando, senti ela apertar meu parceiro, tão bom.. eu disse:
- Olha pra mim.
Ela o fez, fiquei por alguns segundos profundo dentro dela, suas mãos desceram para o seu clitóris mas não a deixei brincar com ele, segurei suas mãos a cima de sua cabeça ela grunhiu e disse:
- Tá doendo Bill.
- Não ouvi, repete..
Me segurei ainda mais fundo e ela disse fechando os olhos:
- É muito..
- Não aguenta?.
- Não..
- Dane-se, vou te foder como eu quiser!
- Bill, pare!
- Me pede com jeitinho meu anjo.
- Por favor..
Comecei a me movimentar:
- Por favor o que?
- Por favor.. me.. me fode gostoso..
Eu ri, comecei a entrar e sair devagar, é incrível como eu a preencho completamente, segurei seu queixo e a beijei, soltei suas mãos e elas foram pras minhas costas e lá começou o mix de carícias e arranhões, fui para o seu pescoço e deixei chupões por ele todo.
Seu perfume é como um afrodisíaco pra mim, ela aperta minha bunda e eu a penetro ainda mais fundo e rápido, sinto que a qualquer momento posso gozar então mudo de posição, ficando de lado frente a frente um pro outro.
Ela envolve suas pernas em meu quadril, eu tento controlar minha respiração mas não consigo, sugo o ar entredentes vendo ela sorrir pra mim, ela se movimenta o que deixa a penetração muito mais intensa e gostosa.
Aperto sua cintura contra a minha a deixando mais perto, sinto sua respiração quente no meu rosto, deposito um beijo na sua testa e sorrio pra ela, ela beija meu pescoço o mordendo e chupando de uma forma gostosa me deixando ainda mais duro.
Aceleramos o ritmo, eu já não aguentaria segurar por mais tempo, tão profundo e quente.. acabei me derramando dentro dela, logo após senti ela se contrair ao meu redor e gemer gostoso, fui jogado numa onda de êxtase, sentia meu corpo todo faiscar de puro prazer.
Me beijou até parar de se contorcer, me tirou de dentro dela e se deitou no meu peito, acariciando meu rosto e o fitando, seus olhos não deixavam os meus, ela disse:
- Quando você estava naquela mesa, sem o coração.. eu.. era como se eu tivesse perdido tudo.
- Esqueça isso Johane, estamos aqui, eu e você, nada vai nos separar.
- Promete?
Sorri:
- Prometo.
Beijou meu rosto e disse se sentando:
- Temos que ir, tenho prova de física hoje.
Também me sentei e disse me lembrando:
- Se prestou bastante atenção na aula que te dei.. vai tirar um dez.
Ela disse ficando em pé e sorrindo maliciosamente:
- Não tem como esquecer aquela aula.
Ela me estende sua mão e me ajuda a ficar em pé, dou um forte abraço nela e a mesma diz:
- Como vai embora pelado desse jeito?
- Bem.. não deve ter ninguém na rua uma hora dessas.
Ela ri e diz se afastando:
- Então até daqui a pouco, e à propósito... eu ainda não te perdoei.
A seguro pelo braço e digo:
- Mas a gente acabou de transar!
Ela disse se soltando e rindo de mim:
- Eu sei, mas isso não significa absolutamente nada!
Saiu andando e eu fiquei como se tivesse um ponto de interrogação no meu rosto, o que devo fazer pra ter seu perdão?, eu não sei, normalmente um bom sexo resolve mas agora.. Ela parece mais decidida, talvez o que houve a noite a deixou com medo de mim.


Notas Finais


E aí o que acharam?
Bom final de semana 🌻
Xoxo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...