1. Spirit Fanfics >
  2. Bloom Into You (moonsun) >
  3. A história de uma garota se encontrando - PARTE TRÊS

História Bloom Into You (moonsun) - Capítulo 31


Escrita por:


Capítulo 31 - A história de uma garota se encontrando - PARTE TRÊS


A segunda parte da peça começa. O que vai acontecer com a garota que perdeu suas memórias?

 

MOONBYUL: Então eu não deveria esperar que minhas memórias voltem… Eu estava preparada pra isso, mas ainda dói. - a garota interrompe a conversa que estava tendo consigo mesma quando percebe a presença de enfermeira.

YONGSUN: Por favor, não fique pessimista. Eu trouxe alguns livros, você tinha gostado de outro livro desse autor, então por favor, dê uma olhadinha,

MOONBYUL: Obrigada… - a enfermeira entrega os livros para a garota e sai lentamente do quarto. - Eu provavelmente nunca saberei quem eu era antes. Quem eu era na escola. Quem eu era em casa. E quem eu era na frente da minha namorada. Tenho que me decidir qual é real. Eu preciso me tornar alguém…

 

TOC

TOC

 

MOONBYUL: Entre.

HYUKWOO: Ei! Whoa, está estudando? Você está no hospital! Você deveria pegar leve!

MOONBYUL: Eu preciso me apressar e chegar na matéria da escola antes de voltar.

HYUKWOO: Isso nem me surpreende mais, é algo normal vindo de você. Isso é exatamente como você era antes.

 

TOC

TOC

 

KYUNGSOO: Ei, irmã.

MOONBYUL: Ei…

KYUNGSOO: Uhm… posso me sentar?

MOONBYUL: Vá em frente. - a garota não tirou os olhos do celular um segundo enquanto conversava com o irmão.

KYUNGSOO: É… o tempo está muito bonito, né? Acha que consegue dar uma volta? - silêncio. - Eu sei que isso é estranho, mas… eu me sinto um pouco aliviado quando me trata friamente assim. É parecido com o que você era antes. Eu fico feliz que eu consiga passar um tempo assim com você.

 

TOC

TOC

 

DAHEE: Olá! Como você está se sentindo?

MOONBYUL: Você veio! Rápido, sente-se! - a garota agarrou rapidamente a mão de sua namorada.

DAHEE: Qual o problema? Você está bem pegajosa hoje.

MOONBYUL: Isso é ruim?

DAHEE: De jeito nenhum, fico feliz com isso!

MOONBYUL: Isso é bom, porque você foi a única que disse que me amava, mesmo quando eu tentava parecer forte.

DAHEE: É claro! Eu não quero que você mude também, por favor, seja minha pra sempre.

 

Todos estavam felizes.

 

MOONBYUL: Eu consegui atuar como eu era antes de sofrer o acidente. Agora eu só preciso escolher um…

 

TOC

TOC

 

YONGSUN: Com licença. Você está com problemas pra dormir?

MOONBYUL: Ah, não…

YONGSUN: Se você precisar conversar, eu estarei aqui.

MOONBYUL: Eu estou bem, de verdade… - a enfermeira viu a expressão triste da garota enquanto mexia no cabelo, fazendo com que ela pisasse em passos forte em direção a garota.

YONGSUN: Hiyah! - a enfermeira bateu com a mão na vertical na cabeça da garota, um golpe de karatê.

MOONBYUL: Aaai! - ela olhava apavorada para a enfermeira em sua frente.

YONGSUN: Sua mentirosa! Eu consigo ver que você está preocupada com alguma coisa. Quando você está preocupada ou irritada, você tem o hábito de enrolar o cabelo. Sabia disso? - a garota se pegou fazendo o exato movimento que a enfermeira havia falado. - Qual o problema?

MOONBYUL:  Quem… quem você acha que eu deveria me tornar?

YONGSUN: Ouça. - ela colocou os mãos nos ombros da garota. - As pessoa não podem se tornar outras pessoas. Você só pode ser você mesma. Não abandone a si mesma para ser outra pessoa.

MOONBYUL:  Mas é por isso que eu quero me tornar alguém, nesse momento, eu não sou ninguém. - a enfermeira sacudiu a cabeça.

YONGSUN: Eu te conheci depois que perdeu a memória e veio pra cá, mas eu ainda conheço você. Eu sei um de seus hábitos. Eu sei que você gosta de flores brancas, e eu sei qual o seu autor favorito… Eu ficaria triste se te perdesse. É normal querer ser parecida com alguém. É muito bom admirar os outros. Mas o que você quer ser, é algo que você deveria decidir por contra própria.


 

//

 

MOONBYUL:  Eu achei que todos queriam que eu me tornasse como era antigamente. Eu nunca considerei que alguém sentiria falta de como eu sou agora. Então eu deveria decidir. Quem eu quero ser?

 

DIA SEGUINTE

 

MOONBYUL:  Ei… o que eu tenho fazer aqui?

HYUKWOO: Ah, isso? Você esqueceu como que faz?

MOONBYUL:  Parece que eu não posso voltar a ser quem eu era. Eu quero me tornar alguém em que todos tenham orgulho de novo, mas eu não tenho certeza se vou conseguir, mesmo me esforçando. Se eu não conseguir… você ainda…

HYUKWOO: Nesse caso… nós vamos te ajudar! Deixa eu ver. - ele pegou o caderno das mãos da garota. - Eu lembro que você me ajudou com isso antes. Essa parte aqui, é igual a esse exercício que você fez aqui.

MOONBYUL:  Por que você está fazendo isso por mim? Nós somos estranhos agora…

HYUKWOO: Mesmo que seja diferente agora, você era uma amiga muito importante. Eu to fazendo isso agora, porque nós éramos amigos. E também… isso só significa que eu serei seu amigo de novo! Não é legal?

 

//

 

MOONBYUL:  Obrigada por vir. Ei… por favor, relaxe e sente-se.

KYUNGSOO: Você está diferente hoje, irmã. Como a primeira vez que eu vim te ver.

MOONBYUL:  Sim, eu sinto muito. É difícil pra mim te tratar assim. Você se importou comigo e veio me ver várias vezes… Como eu poderia ser fria com você? Me dói tratar você assim. Eu quero ser uma boa irmã.

KYUNGSOO: Você está muito mais legal agora.

MOONBYUL:  Talvez meu eu antigo, queria ser mais gentil. Parte da senha do meu celular, era o seu aniversário, afinal.

KYUNGSOO: Irmã…

MOONBYUL:  Mas o motivo de querer me aproximar de você agora, não tem nada a ver com o passado. Eu só quero fazer isso.

KYUNGSOO: Tudo bem. - o garoto abriu um sorriso genuíno. 

 

DING

 

KYUNGSOO: É uma mensagem do pai, ele disse que amanhã virá com a mamãe pra te ver. Ele prometeu.

MOONBYUL:  Mal posso esperar!

 

//

 

MOONBYUL:  Meu amigo e meu irmão entenderam… mas…

 

TOC

TOC

 

DAHEE: Não vai demorar muito para você sair do hospital. Depois disso, você gostaria de ir morar comigo?

MOONBYUL:  Huh?

DAHEE: Você não parecia se dar bem com a sua família… e você consegue acompanhar a escola aos pouco. Eu não faria nada para te irritar. Então… que tal? Quer ir morar comigo?

MOONBYUL:  Obrigada. Mas eu não posso.

DAHEE: Por que não? Você não precisa se preocupar. Eu ficaria muito feliz se ficássemos juntas o tempo todo. Você não me disse que só conseguia ser você mesma quando estava perto de mim?

MOONBYUL:  Você é importante para mim. Mas minha família e meus amigos são tão importantes quanto você. Eu sou diferente agora! Eu não quero ser só sua! - a garota não gritava com raiva, mas mesmo assim, deixou sua namorada apavorada com as palavras que disse.

DAHEE: O seu antigo eu… não vai voltar? Mas eu… eu era especial pra você!

MOONBYUL:  Por favor, me desculpe por mudar. Sabe… eu fico feliz de ter te encontrado. - a garota envolve a mão de sua namorada com as suas mãos. - Você foi tão aconchegante e gentil. Tudo o que eu conheço é esse hospital, mas eu sentia que não precisava ter medo de nada quando estava perto de você. Até mesmo agora, eu quero ficar com você. Então… você quer sair comigo? E fazermos tudo do zero?

DAHEE: Essa é a primeira vez… que vejo você tão decidida. Eu nunca imaginei que seria tão gananciosa… irritante, desajeitada… mas honesta. Eu consigo me imaginar apaixonando por você tudo de novo.

 

As duas garotas se abraçam.

 

//

 

MOONBYUL:  Desde que acordei, eu estive com medo de ser ninguém. Eu achei que já que eu não tinha nada, eu poderia fazer algo e me tornar alguém, como se tomasse o lugar de outra pessoa. Mas agora eu vi que estava errada.

 

//

 

YONGSUN: Fico feliz que consiga ir embora agora! - a enfermeira entregou uma gérbera branca para a garota.

MOONBYUL:  Obrigada! - a garota colocou as muletas, que até aquele ponto havia lhe ajudado a caminhar, no chão. - Obrigada, meu antigo eu. Eu vou ficar bem. Porque eu vou me tornar eu mesma.

 

As cortinas se fecham pela última vez.


 

//--//

 

Enquanto eram ovacionados por aplausos ao fim da peça, Moonbyul olha surpresa para Yongsun, que lhe dá um pequeno sorriso.

 

- São pra você, unnie.

 

Na platéia, as lágrimas correm soltas pelo rosto da mãe de Moonbyul.

 

- Vamos. - o pai de Moonbyul fala, entregando um lenço para sua esposa. - Quando Moonbyul chegar em casa, precisamos falar como estamos orgulhoso do que ela fez. Nós dissemos pouco demais, para tempo demais.

- É verdade.

 

Agora com as cortinas fechadas após a sessão de aplausos, os participantes da peça conversam.

 

- Certo, pessoal! - Dahee bate palma para chamar a atenção de todos. - Eu sei que todos estão aproveitando o momento, mas tem outro grupo esperando pra usar o palco.

- Essa não! - Moonbyul grita atrás de Dahee. - N-Nós não decidimos como vamos desmontar o cenário!

- A parte de limpeza com certeza não estava nos seus planos, mas não se preocupe, eu tomei conta disso.

- Eu sinto muito!!

- É melhor sentir mesmo, você pega as coisas menores.

- Tá!

 

Todos correram para ajudar a deixar tudo organizado para outro grupo que iria usar o palco.

 

- Tem muitas pessoas ajudando, você pode descansar um pouco, Moonbyul. Deve estar cansada. - Yongsun fala.

- Não, eu estou bem. É… tudo o que eu conseguia pensar, era em fazer a peça. Ela acabou, mas isso não significa que tudo chegou ao fim.

 

Yongsun sorriu ao ouvir essas palavras.


 

//--//

 

YONGSUN

 

“Eu era especial pra você.”

 

Moonbyul vai ficar bem agora. Mesmo sem mim.

 

Eu acho que isso é muito bom.

 

É muito bom mesmo...

 


Notas Finais


enfim, a última parte da peça

twitter: @moonbyuie :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...