1. Spirit Fanfics >
  2. Blooming lovely >
  3. Musicalidades

História Blooming lovely - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Ooi, bem-vinde a mais um capítulo!
Hoje (1 de Agosto) é o dia da nossa amada patroa Kyoka, então estou mega feliz kk. Amo ela demais.
Esse capítulo saiu um pouco mais descontraído pra compensar o anterior, espero que gostem!

Boa leitura!

Capítulo 4 - Musicalidades


Negociou com o mentor um momento de descanso, em que teria de começar mais cedo para poder sair mais cedo. Hizashi já imaginava o motivo do pedido, mas cedeu com a frase de efeito: “jovens precisam curtir o melhor da vida a dois”. Como de costume, ignorou o mentor.

 

∘ −−−−−−−−⊰⋅⊱−−−−−−−− ∘

 

- você vai ver, eles são super legais! Daqui a pouco você já vai ‘tar se enturmando com eles. – tentou motiva-la, apoiando as mãos em seus ombros e a guiando pela pequena cidade. Jirou repensava de havia sido uma boa ideia concordar em conhecer os amigos de Kaminari, chamados de ‘bakusquad’ por motivos desconhecidos a ela.

- Denki... não são eles ali na sorveteria? – apontou para uma mulher de cabelo rosa, na qual o loiro disse que era Mina Ashido, acompanha de mais outros três rapazes. Agradeceu aos céus por ser capaz de lembrar os rostos das várias fotos que ele lhe mostrava.

- eles mesmos, vamos! – seguiu empurrando a menor, o que não demonstrou ser a melhor das ideias, já que a mesma ficou com medo de incomodar grupo de amigos e colocou-se por trás dele; usando-o como um escudo. – Kyoka?! – surpreendeu-se com o comportamento da menor, mesmo que no fundo lembrasse como a garota comportou-se timidamente na primeira vez que se viram.

Tomando a mesma ação de quando chegou naquela cidade com Yamada, segurou na mão de Denki e criou coragem para voltar a andar. Apesar de ser meio lerdo ás vezes, o loiro entendeu a atitude da menor e não recusou o aperto singelo.

 - Kami! Quanto tempo! – moça de cabelos rosados exclamou, abraçando-o fortemente. Assim que feito isso, os outros do grupo fizeram o mesmo, com exceção de um loiro que apenas o chamou de ‘merdinha’. – e quem é essa moça bonita aqui?

Toda a atenção que antes estava em seu amigo agora estava sobre si, o que a fez sentir as pernas bambas e o coração acelerado.

- oi, e-eu me chamo Kyoka Jirou e sou a amiga do Denki que ele queria lhes apresentar... – abaixou a cabeça em timidez, porém sentiu um aperto em sua mão e logo tentou se recompor. – é prazer conhecer vocês! – sorriu genuinamente e braços macios a rodearam.

- o prazer é todo nosso, Jirou! – Mina exclamou. O grupo apresentou-se adequadamente e resolveu enfim seguir o passeio pela pacata cidade.

Apresentaram tudo que julgaram interessante no centro da cidade, como: fliperamas, o cinema local, a feira noturna, sorveterias, confeitarias, lanchonetes, etc.

Tentaram tirar o maior proveito de tudo, mas a principal atração realmente ficou para o final: karaokê. Quis esmurrar o loiro ali mesmo por ter escolhido o lugar, mas tentou manter a calma e deixar as brigas para quando chegassem em casa.

- já pensou numa música, ‘Kyo? – ouviu Ashido a chamar pelo mais novo apelido. A voz da rosada já estava levemente embargada pelo álcool, todavia não se importou muito.

- ainda não, tem alguma sugestão? – indagou divertida, afinal, estava achando aquele passeio e o ‘bakusquad’ bem divertidos. Antes que qualquer coisa pudesse ser respondida, uma voz no palco chamou a atenção de todos: Kirishima preparava-se para sua apresentação.

- primeiramente queria agradecer a todos que estão presentes hoje... – uma salva de gritos animados surgiu, fazendo o ruivo rir – segundamente queria dizer que essa música é dedicada a alguém bem especial pra mim: meu namorado, Katsuki Bakugou. – aponto para a mesa onde todos estavam sentados e o loiro citado gritou xingamentos em resposta. – também te amo... – a plateia riu e momentos depois a música começou.

Embora estivesse bêbado, Eijiro conseguia manter firmeza na fala. O ritmo romântico era contagiante, o que a fez sorrir e corar. Num movimento quase inconsciente, moveu a cabeça em direção a um certo loiro. Surpreendeu-se quando seus olhares cruzaram e assim ficaram.

“Ás vezes acho que devia te dizer mais vezes

Que te amo e que te quero mais

Que qualquer coisa

Por essa noite vem morar aqui, aqui”

Ficou chocada em como a voz de Kirishima combinava com a música. As risadas altas de Sero chamavam a atenção de Bakugou, que xingava o moreno e tinha as bochechas coradas. Segundo Denki, não era primeira vez que o ruivo dedicava músicas ao namorado, mas sempre era cômica a reação do Katsuki – que sempre saía xingando os amigos e os amaldiçoando.

- sua cara ‘tá impagável, sério... – Kaminari batia no ombro do maior, sem medo de morrer. Antes que Bakugou pudesse responder, seu namorado chegou ao refrão e um coro foi ouvido por todo o bar.

“O nosso santo bateu

O amor da sua vida sou eu

Tudo que é meu hoje é seu

E o fim nem precisa rimar”

Quando se deu por si, estava de braços dados entre Hanta e Mina e cantando desengonçadamente o refrão. Provavelmente tomaria bronca por ter bebido demais, mas isso ficava para depois. Agora, tudo que queria era curtir com os mais novos amigos.

Por ainda ter um pouco de vergonha, obrigou Kaminari a cantar consigo. Sero os havia convencido a cantarem “Bad Romance”, sob a desculpa de que a música combinaria com a voz deles. Nem sequer sabia se o moreno estava plenamente consciente quando sugeriu aquilo, porém não deu importância. 

- coragem, minha filha, coragem... – repetia Denki desengonçadamente, não tinha ideia se o rapaz estava consciente do que estava falando. O loiro era realmente fraco para bebidas.

Subiram no pequeno palco, já preparando a música no computador que ficava logo atrás. O rapaz pegou o segundo microfone e ligou, começando a testar o aparelho de forma cômica.

- vamos, Denki? Chega de testar esse negócio, ele tá funcionando... – avisou assim que deu play no vídeo, esperando a música começar.

- esse é o problema... – sorriu torto, mas Kyoka não pôde responder, pois a melodia já começava.

Mantendo a animação de antes, a plateia começou a cantar junto e curtir a música. A sensação que teve naquele momento foi incrível; não havia coisa alguma para se preocupar, o mundo afora e todas as inseguranças pareciam ter sumido, tudo que existia ali era apenas ela e Denki cantando animados, numa perfeita sintonia.

Os corpos de ambos estavam agitados, sincronizados numa dança alegre e levemente desajeitada por conta do álcool. E mesmo que não estivessem totalmente conscientes, tinham plena noção que não conseguiriam desviar os olhos por nem sequer um segundo.

“I want your love and all your lover's revenge

You and me could write a bad romance

Oh-oh-oh-oh-oh

Oh-oh-oh-oh-oh-oh-oh

(Want your bad romance)”

Kaminari deixou a parte final apenas para Jirou, já que a voz da garota era inegavelmente espetacular. E sob uma salva de palmas, desceram do palco e voltaram à mesa dos amigos.

- arrasou, ‘Kyo! Não sabia que cantava tão bem! – Sero a elogiou assim que esta se sentou a seu lado, degustando um copo duma bebida que nem ao menos tinha ideia a quem pertencia.

 

∘ −−−−−−−−⊰⋅⊱−−−−−−−− ∘

 

- viu? Eu falei que seria legal... – gabou-se Denki enquanto caminhavam lado a lado de volta para casa, num ritmo relativamente lento. O loiro encontrava-se com um braço sobre os ombros de Jirou, enquanto esta estava o agarrando pela cintura.

- é mesmo, mas... – deu uma pausa dramática, o que chamou a atenção do maior. Pararam no meio da estrada, encarando um ao outro. – algumas pessoas aqui deviam ter chegado em casa antes de meia-noite porque tem treino amanhã cedo. – riu da própria desgraça, tentando não transmitir nenhum receio em sua voz.

- ah, isso é tranquilo... – começou, fazendo-a revirar os olhos e criando uma desculpa esfarrapada em sua cabeça de vento. – só dizer assim: “sabe como é, p-professor... Eu não consegui resistir ao pedido do gato do Kaminari e fiquei no karaokê” – tentou afinar a voz e imitar as feições de Kyoka, o que resultou numa cena cômica e uma enxurrada de pancadas por parte da menor.

- teu cu que eu falo assim, idiota. – sentia-se sortuda pela escuridão da noite a ajudasse a esconder o rubor da face. – e tem que ser realmente muito narcisista para se autoproclamar um gato... – criticou, vendo ele apenas rir e negar de forma enrolada. – bom, mas vamos logo senão nem vamos ter tempo ‘pra dormir direito... – num impulso rápido, puxou a mão quente do garoto e começou a correr.

Não sabia se era apenas pela adrenalina da corrida que seu coração acelerou, mas preferiu ignorar aquela sensação estranha e aproveitar o pequeno contato das mãos que estavam tendo. Deram a sorte grande de já estarem relativamente perto de casa, assim não tiveram que correr muito.

Assim que chegaram em casa, tentando fazer o mínimo barulho possível, adentraram a seus respectivos quartos e foram dormir. Esperava sonhar com todos os bons momentos que tivera naquele dia; mas toda vez que cerrava os olhos, a única coisa que vinha a sua mente era aquele loiro irritante. Como ele conseguiu um espaço tão especial em seu coração em tão pouco tempo? O que aquele garoto tinha que mexia tanto consigo? Teria sido drogada ou algo assim? 


Notas Finais


Bom, foi isso!
A música que o Kiri cantou foi uma sugestão do ícone atemporal @biaandbayya kk; já a música que os dois cantaram, escolhi ela por causa de um vídeo maravilhoso. Caso queiram ver: https://youtu.be/5-wB5mKPRcs
Muito obrigade por ter chegado até aqui e nos vemos semana que vem!
Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...