História Blow your mind - Capítulo 27


Escrita por:

Visualizações 906
Palavras 1.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ola pessoas

hoje não tem nada para dizer, apenas boa leitura!

Capítulo 27 - Karma's got a kiss for you


Manoela Point Of View

 

    Já se passaram quatro dias desde o incidente no set de malhação com Giovanna. Quatro dias que tenho fugido um pouco dela. Não a vi e desconversei todas as vezes que ela quis me encontrar. Não é que eu não queira estar ao lado dela, muito pelo contrário, queria ter sua companhia sempre que possível, mas no momento existiam duas coisas me atormentavam.

 

    A primeira é o resultado da ida a farmácia. O twitter ficou uma loucura por dois dias inteiros, várias teorias criadas, montagens, críticas, elogios e coisas do tipo. Alguns sites de fofoca divulgaram as fotos mas os três que vi não se referiam a nós como um casal ou com ar malicioso, menos ruim, porém ainda sim era um incômodo pois estava sucinto a isso. Mas essa era a parte que menos me assustava agora.

 

A segunda é a pior. Algo que não consegui digerir e nem falar em voz alta por medo de soar real demais. Não tive coragem de encarar e preferi permanecer em dúvida. Isso começou no dia após meu enjôo, acordei sozinha no sofá, coberta com uma manta e com um bilhete na mesa de centro da sala

 

“Fui para casa, não quis te acordar com medo de você perder o sono. Me liga amanhã, xx sua Gi”

 

Fiquei sorrindo feito boba analisando a caligrafia perfeita de Giovanna. Mas senti meu corpo inteiro doer quando Gabi apareceu na sala e conversou inocentemente comigo antes de sair

 

*FLASHBACK ON*

 

- Você acordou! Bom dia! Já ia te chamar pra você não perder a hora, são 7 horas agora. Fiz sua vitamina preferida, sou a melhor amiga do mundo eu sei, não precisa agradecer - Ela disse num tom de deboche

- Laranja, banana e maçã? - Perguntei animada e senti meu estômago roncar

- Sim! Tá guardada na geladeira. Já to saindo porque tenho uma reunião sobre a nova peça, me deseje sorte! - Ela lançou um beijo no ar

- Boa sorte e obrigada pela vitamina amiga - Me levantei do sofá em direção a geladeira, enchendo um copo e tomando um grande gole

- Eita, antes que eu esqueça, roubei seu último pacote de absorvente porque o meu acabou, põe na lista do mercado, tchauzinho - Ela nem esperou minha resposta e saiu apressada

 

    Senti um choque e meu cérebro começou a fazer cálculos malucos para lembrar a data, até que me toquei que já era dia 14. O copo que eu estava segurando foi direto no chão e se espatifou em milhares de pedaços. Eu devia ter menstruado dia 29 do mês passado.

 

*FLASHBACK OFF*

 

    Isso nos traz a hoje, a esse exato momento em que eu estou dentro do carro estacionada perto de uma farmácia do outro lado da cidade num bairro relativamente vazio, na esperança de ser o mais discreta possível para comprar aquilo que vocês estão imaginando.

 

Um teste de gravidez. Admitir isso foi quase como um soco no estômago.

 

Eu quis conversar com Gabi diversas vezes mas não consegui. Só de me imaginar proferindo palavras como “grávida” ou “gravidez” sentia um arrepio percorrer minha espinha. Aquilo ia ser péssimo para mim. Ok, é o milagre da vida. Mas aquilo seria o maior erro da minha história. Eu grávida do Gabriel. Apenas não. O que seria dessa criança?

 

Nunca tinha me imaginado como mãe, gravidez não era algo que eu cogitava em nenhum cenário futuro. Uma das coisas que também me atormentava absurdamente nessa história era Giovanna. Como eu ia chegar na minha quase namorada e dar uma notícia dessas? Seria mais do que justo ela não querer ficar comigo. Tanta enrolação pra finalmente ficarmos juntas para tudo ser desfeito em 1 minuto.

 

Respiro fundo tomando coragem para descer do carro, ponho meus óculos escuros e vou de uma vez. Pego o teste e mais alguns remédios aleatórios para tentar disfarçar aquilo que não queria que ninguém soubesse que eu estava levando.

 

Volto correndo para o carro e logo dou partida. Chego em casa rapidamente, agradeço a todos os santos pelo trânsito estar tranquilo, minha ansiedade não ia aguentar mais tempo. Entro em casa como um furacão, jogo minha bolsa em cima do balcão de qualquer jeito junto com a sacola da farmácia e tiro apenas o teste de dentro. Sinto um nó se formar em minha garganta quando vou em direção ao meu quarto.

 

Sento no chão do banheiro segurando as lágrimas que insistiam em cair. Só conseguia sentir raiva de mim. Uma noite que resolvi não me preocupar com nada talvez me desse uma preocupação pro resto da vida. Passo a mão em meu ventre e falo comigo mesma  

 

- Se tiver alguém aqui dentro, me desculpa o nervoso, juro que vou tentar me esforçar

 

Desisto de segurar as lágrimas e me permito chorar para tirar o peso que sinto por dentro. Fico imaginando as possíveis reações de Giovanna, consigo até imaginá-la indo embora. Que mania chata essa minha de sofrer por antecedência. Por um segundo me arrependo de não ter contado a ninguém e ter que passar por isso sozinha.

 

Paro de chorar, me levanto do chão e vou em direção a minha cama, sento lá e fico encarando a caixa do teste em minha mão. Se a Gabi tivesse comigo já teria me dado uns belos gritos pra depois dizer que tudo ia ficar bem independente do resultado, talvez ela já tivesse até escolhido nomes. Com certeza ela iria sugerir Enzo ou Valentina, ela é super brega pra essas coisas. Dou uma risada fraca. Abro o teste e jogo a caixa pro lado.

 

Ok, agora é a hora. Volto pro banheiro e sento no sanitário. É só mijar nesse maldito palitinho e ver o que vai ser da minha vida. Antes que eu faça o que devia fazer levanto o olhar e vejo Gabi parada com a caixa do teste nas mãos me olhando estática

 

- Você tá grávida Manu? - Ela fala tão rápido que se enrola nas palavras.

- NÃO! Quer dizer... - Seguro o palito mais alto e mostro a ela - Não sei - Não consigo mais conter as lágrimas.

- Calma, calma - Ela vem em minha direção, me abraça e fica passando a mão pelos meus cabelos - Vai ficar tudo bem, eu to aqui com você    

- Eu to com medo - Falo entre soluços

- Não precisa ter medo, você não ta sozinha e nem sabe ainda o resultado

- Vai ser um desastre, eu não faço ideia de como ser mãe

- O Gabriel ta sabendo disso? Se você tiver mesmo, é dele né? Vocês não usaram camisinha? Ai Manu, to tão nervosa quanto você, desculpa tantas perguntas

- Sim, claro que seria dele… Eu não sei Gabi! Não me orgulho da quantidade de álcool que tinha na minha cabeça naquele dia, nem me preocupei com isso, supus que ele usou, nunca perguntei nada - Falei afoita

- Respira, não sabemos se tem mesmo um Enzo ou uma Valentina ai, faz o teste logo e acaba com a agonia - Rio fraco com seu comentário sobre os possíveis nomes

 

    Não respondo a garota, apenas vou e faço o que manda as instruções, me visto logo e vou sentar ao lado de minha amiga na cama

 

- E aí? - Ela pergunta

- Não vou conseguir ver, toma - Entrego o palitinho maligno pra ela

 

    Fecho os olhos esperando para ouvir o que destino tem para mim.

 


Notas Finais


será que vai ter um baby calamidade? hahahah

espero conseguir atualizar em breve! até o próximo

comentem o que acharam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...