História Blowaster - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Selena Gomez
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Selena Gomez
Tags Camren, Semi
Visualizações 2.688
Palavras 4.826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁ CARINHAS!

Primeiramente eu vou me ajoelhar e pedir perdão pela demora, eu fui irresponsável mesmo como venho sendo, mas vocês sabem que inspiração não surge simplesmente do dia para noite.

Segundo; muuuuuuuuito OBRIGADA pelo apoio de vocês e a paciência - quase nula de alguns kkk - enorme comigo. Prometo que farei valer muito a pena dessa vez, e eu os amo muito por não desistirem de mim.

Terceiro que esse capítulo tem amorzinho, sexo, muito camren e claro, um pouco de intriga. Por que quem não ama um draminha básico, né?

Espero que gostem, amores...

Capítulo 32 - Consequences - Parte 1


Lauren estava se sentindo aflita, um pouco agoniada para se dizer no mínimo. O motivo? Ela não sabia, mas seus instintos alertavam que algo muito ruim estava prestes a acontecer.

Com as mãos apoiadas na pia de seu banheiro, encarando seu reflexo através do espelho, os olhos verdes estavam opacos e olheiras enormes tomavam conta de seu rosto. Talvez ela estivesse prestes a ficar doente, isso explicaria as noites mal dormidas e o cansaço excessivo. Seu único alívio era apenas estar de folga por alguns dias, as pausas nas gravações do seriado lhe dariam um tempo para se recuperar totalmente. Suspirou, Lauren odiava ficar doente e com essa constante sensação estranha. Mais uma vez lavou seu rosto, grudando alguns fios soltos de seu cabelo por sua testa. O celular tocou assim que ela chegou ao quarto, caminhando rapidamente na direção do aparelho em meio aos lençóis, ela sorriu ao ler o nome na tela.

— Lauren? Está tudo bem?

Foi como se um enorme peso tivesse saído de seus ombros no mesmo instante em que ouviu aquela, com o tom de precaução tão grande que seu coração pareceu ter se acalmado no mesmo instante.

— Mãe... Que bom ouvir a sua voz.

— Minha filha, aconteceu alguma coisa? Seu pai e eu podemos ir até aí. Tenho andado sonhando com você, percebo em sua voz que você não parece bem.

Instinto de mãe nunca falha, né?

Lauren deitou-se em sua cama outra vez, escondendo-se em seus lençóis. Era sempre bom ter sua família por perto, mesmo estando longe deles, o contato nunca foi deixado de lado.

— Eu acho que estou ficando doente... – Lauren murmurou, encolhendo-se em sua cama. — Estou com muitas saudades, irei visitá-los este final de semana. Preciso dos seus cuidados.

— Venha mesmo, estamos com saudades de você. Dash também. Irei preparar seu prato favorito, não se esqueça de se agasalhar.

— Pode deixar, mamãe. Na sexta estarei aí bem cedo.

— Tudo bem, meu amor. Cuide-se, okay? Qualquer coisa é só ligar para casa.

— Obrigada, mãe. Eu amo você.

— Amo você, pequenina.

Despediu-se sentindo sua alma mais limpa, mesmo tendo falado com sua mãe por poucos segundos, foi como conseguir oxigênio debaixo da água. Ela sentiu milhões de vezes melhor, não existe nada como um pouco de carinho dos pais para curar a alma. Bem...

... Existia apenas outra coisa melhor.

 

[23:59] Estou com saudades, não consigo dormir direito.

 

[00:04] Baby♥: Devo levar comida? Só vou tomar um banho e chego aí bem rápido.

 

[00:05] Quero só você, por favor. Não demore!

 

Enviou e nem esperou resposta, sabia que Camila não demoraria a estar batendo em sua porta. Lauren sentiu-se ainda melhor, iria finalmente conseguir dormir após dias de uma chata insônia. Quando parava para pensar em como as coisas estavam entre elas, lembranças da época em que nunca se suportaram pareciam surreais demais.

Lauren não conseguia mais imaginar sua vida sem Camila estar presente nela. Todas às vezes que pensava no futuro, sua latina estava incluída nos planos. Era impossível sonhar com um casamento e filhos sem imaginar ser ao lado dela. Nada faria sentido se não fosse dessa forma. Tem sido seu maior desejo: dar certo com ela.

Como era de esperar, Camila não demorou muito a chegar ao apartamento de Lauren. Pacientemente esperando que fosse atendida, a latina tinha suas duas mãos dentro dos bolsos da jaqueta e olhava para o chão. Quando a porta foi aberta, ela mal teve tempo de levantar a cabeça antes que um corpo colidisse com o seu.

— Hmm! – gemeu com o impacto, abrindo um enorme sorriso ao abraçar a cintura da morena. — Como eu senti falta desse abraço.

— Parece que estou sem te ver faz meses.

— Tão cheirosa. – Camila murmurou, enfiando seu rosto entre os cabelos de Lauren e inalando com força. Ela não se importava por estar no corredor, onde qualquer um poderia vê-las e as reconhecer. Só queria poder abraçar sua garota o mais apertado possível. — Estava com muita saudade. Confesso que fiquei esperando seu convite para vir até aqui.

— Podia ter me feito uma surpresa. – manhosa ela resmungou, fazendo Camila sorrir. — Iria amar.

— Não queria ser intrometida, acho que já fui desrespeitosa o bastante com você.

Lauren afastou-se de Camila, não perdendo tempo ao colar seus lábios em um beijo que revelava bastante sobre a saudade mutua que as duas estavam sentindo. Sua mão agarrou os cabelos pretos, pressionando bem seus lábios aos carnudos da latina. Era uma sensação de estar em casa, como se nada pudesse dar errado.

Ah... se ela soubesse.

— Você tem passe livre agora, Camila. – murmurou sem descolar seus lábios. — Na próxima me surpreenda, eu vou adorar.

Camila não disse nada, voltou a beijá-la e com cuidado foi a empurrando para dentro. Fechou a porta da melhor forma que deu com os pés, aproveitou a chance para largar as chaves de seu carro em qualquer canto do chão. Com as duas mãos finalmente livres, ela pôde segurar a cintura da morena e puxá-la contra si, colidindo seus quadris. Lauren deixou-se ser guiada, não se importando para onde estava sendo levada, desde que os beijos continuassem ela toparia tudo.

— Eu amo sua boca. – Camila disse ao quebrar o beijo, observando o belo rosto rente ao seu. Lauren abriu seus olhos e eles brilhavam, a latina podia jurar que aquela era a melhor imagem que já vira: os lábios vermelhos, as bochechas coradas e aquele verde intenso. Nada podia ser tão lindo. — Vai me contar o motivo desse seu jeitinho estranho?

— O que?

Camila sorriu, levando Lauren consigo até o sofá.

— Eu acho que conheço você o suficiente para saber quando você não está se sentindo bem. – Lauren abriu a boca para responder, mas ao não encontrar o que falar, apenas voltou a fechá-la. Camila retirou seus chinelos antes de deitar com as pernas afastadas e puxar a morena para o meio delas. — Se não quiser falar tudo bem, mas estou aqui para você.

— Muito obrigada. Não sabe como estou me sentindo melhor com a sua presença. – se aconchegou melhor nos braços dela, nem se preocupando com o clima frio, Camila iria lhe aquecer. — Não tenho conseguido dormir direito. Estou com uma sensação estranha.

Camila apertou seus braços em volta de Lauren, querendo assim passar para ela uma sensação de segurança. E estava conseguindo.

— Estou com você, nada de ruim vai te acontecer. Pode ter certeza.

Camila garantiu, sendo o mais protetora possível para ela sentisse toda a segurança do mundo. E Lauren acreditou.

Bem, ela preferiu acreditar.

**********

 

Lauren acordou cedo no dia seguinte, tendo como primeira impressão os braços firmes de Camila em volta de seu corpo. Ela sorriu, amando a sensação que aquele abraço lhe trazia. Era um misto de segurança e paz, como se de alguma forma, somente aquilo a fizesse ter uma quase certeza de que tudo ficaria bem. Ficou durante minutos aproveitando o calor da latina sem pretensão alguma de levantar, mas o som de seu estômago resmungando a lembrou que precisava se alimentar.

Com muito cuidado e sem tanta vontade assim, conseguiu sair dos braços da latina e arrastar-se até a ponta da cama. Seu coração apertar ao ver Camila resmungando e tateando o colchão em busca dela, ficou preocupada que ela pudesse acordar e pegou seu travesseiro, substituindo assim sua presença na cama. Lauren calçou seus chinelos, iria tomar um banho longo e fazer sua higiene pessoal antes de sair para preparar o café das duas.

Parecia que tudo finalmente estava se encaminhando.

Sentada em um dos bancos de sua cozinha, tinha um livro aberto sobre o balcão a sua frente para distraí-la enquanto esperava tudo ficar no ponto. Estava conhecendo aos poucos o gosto da latina, mas já sabia que ela ama doce e qualquer coisa que contenha banana. Quando a cafeteira apitou, Lauren levantou-se para terminar de arrumar as coisas na bandeja. Iria servir o café da manhã na cama, e pretendia continuar ali com Camila logo depois. Pegou tudo e foi com cuidado para o quarto, caminhando a passos lentos. Não queria de forma alguma acordar sua mulher, iria fazer uma surpresa.

— Camz? – chamou assim que fechou a porta atrás de si com o pé. Lauren caminhou até a cama e deixou a bandeja no colchão, um pouco distante da latina. — Acorda, meu bem. Eu preparei nosso café da manhã.

Inclinou-se sobre ela, dando inicio a beijos carinhosos por todo o seu rosto. Demorou apenas alguns segundos para que a latina fosse voltando à realidade, os beijos e o cheiro da morena tinham despertado seus sentidos. Camila abriu os olhos, sendo contemplada com a bela visão de uma Lauren com os cabelos presos e algumas mechas soltas caindo por sua face, e seus lindos olhos verdes fixos em seu rosto.

Hmmm...

— Bom dia, preguicinha. – Lauren sorriu, afastando os longos cabelos pretos da latina para beijar aquele pescoço extremamente cheiroso e macio. — Levante-se, preparei nosso café da manhã. Tem bastante coisa, espero que esteja com fome. – sem resistir, encheu os lábios dela com selinhos. Camila sorriu, com o coração acelerado em seu peito. — Tem uma escova de dente nova sobre a pia e toalhas limpas dentro do armário.

Camila sentou-se na cama, espreguiçando-se. Sua noite tinha sido espetacular, e ela nem ao menos teve sexo com Lauren. Mas dormir com a morena sempre seria bom, principalmente podendo abraçá-la com tanto carinho e sentir seu perfume durante uma noite inteira, sem preocupações de serem interrompidas ou correndo o risco de ser expulsa a pontapés do apartamento dela.

Era ótimo estar bem com Lauren.

— Já volto.

— Não demore. – Lauren a observou se levantar da cama, e foi impossível não olhar na direção daquela bunda empinada, grande e atraente. Lambeu os lábios, não sendo discreta ao encarar as belas pernas da latina. Camila estava usando apenas um de seus blusões e por baixo a morena sabia que só existia uma bela e minúscula calcinha de renda vermelha. — Gostosa!

Camila virou-se sorridente ao ouvir a animação na voz de Lauren ao elogiá-la.

— Toda sua. – e piscou, antes de entrar no banheiro.

— Toda minha.

Lauren repetiu para si mesma, não freando o enorme sorriso que tomou conta de seu rosto, iluminando-o. Era bom demais saber que a latina finalmente poderia ser chamada de sua, ainda não de forma oficial, mas era apenas questão de tempo. O que realmente importava era o que as duas sentiam uma pela outra.

Camila não demorou tanto no banheiro, tomou um banho e vestiu o mesmo blusão de antes. Voltou para o quarto e sentou-se no meio das pernas de Lauren, com as costas recostadas no peito dela. Dessa forma as duas tomaram seu delicioso café da manhã, com direito a comida na boca e muitos beijos. Além, é claro, dos sorrisos enormes em suas faces.

Elas estavam em sua própria bolha de felicidade, e parecia que nada podia atravessá-la. Era como se o mundo não pudesse separá-las, mais. Sentiam-se imbatíveis, prontas para tudo e qualquer coisa.

Mas uma coisa era viver um romance cinemático dentro de um lugar fechado, e outra completamente diferente era viver aquele mesmo romance em público, com o mundo todo com os olhos voltados para elas. Será que a relação será tão inabalável assim quando tudo vier à tona?

— Eu lavo a louça depois. – Camila disse assim que elas terminaram o café da manhã, recolhendo tudo e organizando na bandeja. — Mas só depois, porque agora só quero deitar com você e ficar bem agarradinha.

— Eu apoio.

— Claro que apoia. – Lauren separou suas pernas e deitou-se na cama para que Camila pudesse deitar por cima de seu corpo. — Você me adora demais.

— Culpada.

Lauren respondeu antes de erguer sua cabeça e tomar os lábios de Camila em um beijo apaixonado. Não existia nada melhor que beijá-la, eram sempre sensações inéditas e muito fortes. Como se a cada beijo os sentimentos fossem renovados. Beijar Camila era como renascer, evoluir espiritualmente e crescer emocionalmente.

— Eu adoro esses cremes que você usa, são tão cheirosos.

Camila murmurou ao beijar o pescoço da morena, aproveitando os intervalos entre os beijos para cheirar sua pele. O cheiro de Lauren era o melhor do mundo, a latina desconfiava que a morena devesse ser a mulher mais cheirosa de todo o mundo. [a/n: mentira porque sou eu]

Lauren deslizou suas mãos pelas costas de Camila, descendo até as coxas expostas e subindo na direção da bunda dela. Teve uma deliciosa surpresa ao invadir o blusão que a latina usava.

— Sem calcinha? Eu amei. – Camila sorriu, mordendo seu lábio inferior quando Lauren agarrou sua bunda com força. — Eu amo essa bunda, tão... Gostosa!

A ultima fala veio acompanhada de um estalado tapa, que provavelmente deixaria marcas de dedos na pele bronzeada. Mas quem se importava? Camila não. Inclusive ela incentivou Lauren a repetir a ação, com uma voz extremamente sedutora:

— Bate outra vez. – pediu, usando suas próprias mãos para erguer o blusão até a altura de suas costelas. — Faz...

Empinou sua bunda, enlouquecendo a mulher abaixo de si. Camila sempre amou dominar durante qualquer tipo de relação sexual, nunca foi de forma diferente. Ela não podia negar que adorava como Lauren correspondia bem a todas as suas expectativas na cama, era bom demais foder ou ser fodida por ela.

Lauren não esperou mais um pedido e fez o que as duas desejavam, espalmando bem forte suas mãos em ambos os lados daquela bunda majestosa. O estalo tomou conta do quarto, aumentando de forma significativa à áurea sexual presente. Ela puxou-a para baixo, esfregando-a em sua barriga. Diferente de Camila, a morena não usava nada além de uma calcinha de algodão de cor preta.

Não era a intenção delas que o sexo fosse incluído nas atividades matinais, mas era inevitável. E muito bem vindo.

Camila ergueu seu tronco, ficando sentada sobre a morena para que pudesse retirar aquele incômodo blusão. Totalmente nua dessa vez, olhou para baixo, fazendo assim com que seus cabelos caíssem em forma de cascata sobre seu rosto. Era uma imagem fodidamente sexy para Lauren, ela poderia foder aquela mulher sobre si para sempre.

E ela o faria.

— Tira a minha calcinha... – ordenou, dando dois tapinhas na bunda da latina. — E esfrega sua boceta na minha, eu quero gozar com você.

Camila não precisava de uma segunda ordem, em questão de segundos tinha retirado àquela peça desnecessária e se ajustado entre as grossas coxas de Lauren. O primeiro contato de suas bocetas molhadas foi como se as duas tivessem sido transportadas para outra dimensão. Camila segurou uma das pernas de Lauren e a colocou sobre seu ombro esquerdo, usando-a como apoio para rebolar sobre ela. O som daquelas roçadas era delicioso, o barulho de coisa molhada em atrito com outra era a sinfonia mais bela que poderia ter sido criada no mundo.

Não existia nada mais harmônico que o encontro de duas bocetas molhadas se esfregando.

Camila soltou a perna de Lauren e inclinou-se sobre ela para poder beijá-la, sem parar de rebolar um segundo sequer. Estava bom demais para que alguma das duas pudesse cogitar a terrível hipótese de parar aquele contato. Lauren segurou o quadril da latina, auxiliando-a em seus movimentos para acelerar o ritmo e chegar logo ao orgasmo.

Não demorou muito para que as duas gozassem, gemendo uma na boca da outra.

— Que delicia... – Camila murmurou, sua voz estava ofegante e ela soltava lufadas de ar contra o rosto suado e corado de Lauren. — Carajo de mujer! Vas a me matar.

— É recíproco. Você faz o mesmo comigo.

Camila sorriu, dando-lhe um rápido beijo.

— Vamos descansar um pouco, mais tarde iremos sair.

— Temos outro encontro?

— Sim, temos outro encontro.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

— Que cara pálida é essa? — Camila comentou rindo ao entrar no carro, sentou-se no banco e fechou a porta. — Pensando bem a sua cara já é assim normalmente.

— Você continua péssima em piadinhas.

— Não é como se você não gostasse. – Lauren apenas revirou os olhos. — Eu realmente gostei do seu cabelo assim, está muito linda.

Lauren corou em suas bochechas.

— Eu não fiz nada de mais, e você já disse isso.

— Sim... – Camila inclinou-se para o lado, roubando um beijo de Lauren. — Mas é sempre válido lembrar a sua beleza.

— Pare...

Lauren sussurrou, sentindo-se muito tímida sobre aquele olhar intenso e as palavras que soavam de forma tão sincera. Camila sorriu, beijando-a mais uma vez antes de se afastar para colocar seu cinto de segurança.

— Pronta pra diversão?

— Já nasci pronta.

Lauren respondeu com sarcasmo e Camila riu.

— Realmente, seus pais te planejaram muito bem. Devem ter demorado dias para fazê-la.

Ew! Camila, não fale dos meus pais fazendo essas coisas.

— Eles transam. Todo mundo transa.

— Isso não significa que eu preciso imaginar eles fazendo isso... É nojento.

— Você não veio da cegonha, meu bem. Seus pais foderam, e deve ter sido a foda mais gostosa do mundo para ter nascido você.

— Camila!

Lauren gritou e estapeou a latina, estava horrorizada. Camila apenas gargalhou, não dizendo mais nada para não correr o risco de levar outros tapas.

xxxxx

 

O destino delas não era um lugar secreto, não era discreto e definitivamente não teria como as duas usarem um disfarce. Pela primeira vez desde que tudo entre elas começou, estavam em um encontro real e em público. Camila queria fazer algo divertido e decidiu que o píer de Santa Mônica seria o local perfeito. Elas não estavam realmente preocupadas em serem reconhecidas ali no Píer, o que provavelmente aconteceria, e se caso acontecesse e a mídia ficasse sabendo elas poderiam dar uma desculpa de que estão se dando melhor e resolveram ir ao parque. Na cabeça delas era a desculpa perfeita a ser usada por enquanto.

Na cabeça delas.

Camila andava de forma despreocupada ao lado da morena, como se fosse uma pessoal “normal” e não tivessem alguns olhares curiosos sobre si. Lauren invejava a forma que a latina sempre pareceu lidar com tudo sobre a fama e o que vem junto com ela, apesar de suas muitas manchetes sobre seu caráter duvidoso por nunca parar com uma mulher só, ela nunca pareceu se importar realmente. Camila sempre deixava claro como era, do que gostava e nunca escondeu as coisas que fazia. Lauren gostaria de ser assim, mas sabia que sua situação era um pouco mais delicada e as coisas não seriam tão fáceis para ela.

— Nos viram! – Lauren exclamou de repente, atraindo para si a atenção da latina. Camila olhou em volta, tentando entender ao que exatamente a morena estava se referindo. — Alguns adolescentes, estão vindo em nossa direção.

— Ah, sim... Estou vendo.

— Eu vou até ali comprar algodão-doce.

Lauren informou e fez menção de sair dali, Camila a olhou completamente séria e segurou em seu pulso, impedindo-a de sair. 
 

— Você não vai à lugar nenhum, não acha que eles vão estranhar não? — Lauren parou para pensar e concluiu que Camila tinha mesmo razão. — Além do mais não vou deixar você por aí sozinha.

Lauren franziu o cenho e olhou confusa para ela, tendo que segurar o riso ao vê-la com a expressão completamente séria. Camila tinha um enorme bico em seus lábios, deixando claro assim o motivo daquela expressão fechada: ciúme.

— Não é como se alguém fosse me agarrar. – provocou.

— Nunca se sabe.

Rebateu, quase rosnando. Dessa vez, Lauren não pôde evitar a gargalhada e começou a rir consideravelmente alto. Sempre seria surpreendente ver Camila tendo crises de ciúme, parecia algo surreal demais para acreditar.

— Você com ciúmes é adorável.

Sua voz saiu um tanto fina, como se ela estivesse falando com uma criança e Lauren teve que resistir a tentação de apertar as bochechas da latina e lhe beijar os lábios. Camila  por sua vez apenas revirou os olhos e cruzou os braços, tentando ignorar aquelas provocações. Não cairia naquele jogo.

— Oh, Deus! Eu não acredito que encontrei vocês aqui.

Uma das adolescentes falou assim que estavam perto de Camila e Lauren. As duas atrizes trocaram um breve olhar e sorriram, para logo depois irem dar atenção aquele grupo. Sempre foram simpáticas com fãs. Lauren estava insegura sobre tirar fotos com aqueles adolescentes tendo Camila ao seu lado, mas a latina fez questão de tranquilizá-la, dizendo que não era grande coisa.

Elas poderiam dizer que as gravações da série as fizeram se tornarem amigas, certo?

Depois de se despedirem do grupo de adolescentes, tiveram que atender mais algumas pessoas que queriam fotos e autógrafos. Outros apenas elogiavam seus trabalhos, e até brincaram sobre o fato das duas parecerem estar se dando bem. Isso soou como um alerta para Lauren, mas ela tentou não pensar tão negativamente. Camila por outro lado estava incomodada, e isso era dado ao fato de que ela gostaria de poder estar andando de mãos dadas com a morena, mas sabia que isso seria abusar demais da pouca sorte que elas tinham. Porém, estar ali com Lauren e caminhar ao seu lado já estavam sendo o suficiente.

— Aonde vamos primeiro?

Lauren perguntou, dando uma mordida em seu algodão doce em seguida. Camila tinha ido até uma das barracas que vendiam para comprar um, pois a morena estava insistindo em dizer que queria algodão doce. Era como sair com uma criança birrenta.

— Não sei... Vamos à Pacific Wheel?

— Hm... — Lauren fez uma careta, entortando a boca. — Nós podemos fazer outra coisa, não? — olhou em volta, buscando por alguma outra atividade que elas poderiam fazer. — Tiro ao alvo?

Camila abriu um enorme sorriso.

— Isso me parece um dos episódios de Blowaster, lembra? O primeiro encontro da Karma e da Amy foi aqui. E elas foram ao tiro ao alvo.

— Claro que me lembro. — Lauren sorria agora, só que mais timidamente. Óbvio que ela se lembrava daquele dia, afinal não teria como esquecer o beijo que Camila lhe dera ao finalizarem as gravações. — Então... Vamos?

Elas caminharam animadas em direção ao lugar onde ficava o tiro ao alvo, e diferente de como foi na série, Camila não conseguiu acertar em nenhum alvo. Lauren gargalhou da carinha triste que a latina fez e se empenhou para conseguir acertar em alguma coisa, e conseguiu, ganhando assim um enorme cão de pelúcia.

— Para você.

— Sério? – Lauren assentiu, estendendo o cãozinho preto e branco para ela. Camila sorriu, aceitando o presente e aproveitando a pouca distância para beijar a bochecha da morena. — Obrigada.

Com muita insistência e toda uma lábia convincente, Camila conseguiu convencer Lauren de acompanhá-la na Pacific Wheel. Elas compraram seus bilhetes e foram para a fila, esperando por sua vez. Camila parecia mais como uma criança animada, ansiosa para subir logo na montanha-russa e sentir a sensação que ela causava. Por outro lado, Lauren estava simplesmente apavorada olhando a altura daquele brinquedo. Ela sentia que poderia morrer a qualquer segundo.

— Céus!

Lauren exclamou assustada ao ver como os carrinhos iam rápidos naquele brinquedo. Ela só queria sair correndo dali e fugir o bastante. Camila abriu um enorme sorriso, quase saltitando de animação e virou-se para a morena, ficando confusa ao vê-la com uma expressão de pavor no rosto.

— Está tudo bem?

— Sim, sim... – mentiu, não querendo estragar a diversão dela. — Só estou um pouco nervosa.

— Certeza? – Lauren assentiu, abrindo um belo sorriso. — Então vamos, é nossa vez.

— Vamos.

Lauren engoliu a seco sua saliva, acompanhando a latina com passos pequenos e temerosos. Por que ela tinha aceitado aquilo afinal? Aquele brinquedo era alto demais, e não parecia nem um pouco seguro. Camila sentou-se e deu espaço para a morena sentar ao seu lado, esperou que o garoto da segurança fechasse as travas e colocou o cão de pelúcia entre suas pernas. Sorridente ela olhou para o lado, e mais uma vez encontrou a morena com uma expressão de pavor e suas mãos agarrando firmemente as barras de segurança.

— Lauren, tem certeza que está mesmo tudo bem? Você parece prestes a vomitar.

 

— Oh, meu Deus! – Lauren murmurou apavorada quando o brinquedo começou a andar. Camila esticou sua mão e buscou pela dela, entrelaçando seus dedos. — Eu nunca fui muito fã de altura.

Finalmente confessou, expondo assim seu medo. Camila arregalou os olhos, olhando para o lado para tentar pedir que parassem antes que começasse a subir mais. Sentiu-se horrível por ter colocado Lauren naquela situação.

— Por que não me disse antes? Eu não teria insistido para que você viesse comigo. Céus, Lauren! Perdoe-me.

Estava sentindo-se realmente culpada, querendo de alguma forma poder tirá-la dali para que não a visse apavorada da forma em que estava. Lauren sorriu, apertando a mão da latina que segurava firmemente a sua.

— Está tudo bem. Você faz eu me sentir segura.

— Estou aqui com você, não vou deixar nada de ruim te acontecer.

Prometeu, fazendo assim com que Lauren se sentisse realmente mais segura. De alguma forma ela sabia que as coisas ficariam bem, e se não ficasse, Camila faria ficar.

Como já era esperado; Lauren apavorou-se o tempo todo. Não gritou, mas suas expressões diziam tudo. Camila estava o tempo dizendo coisas reconfortantes para ela, lembrando-a que estava ali para deixá-la mais segura. E isso funcionou, a morena até mesmo conseguia abrir os olhos em alguns momentos.

— Eu não sinto muito as minhas pernas.

Lauren disse assim que tudo finalmente acabou, podendo então respirar aliviada. Camila saiu do brinquedo primeiro, estendendo a mão para a morena segurá-la e sair dali.

— Você não vomitou e nem gritou, estou orgulhosa.

— Vontade não faltou, mas eu me controlei. – confessou.

— Desculpe-me por isso, não teria a trago na montanha russa se soubesse desse seu medo. Você está bem? Quer uma água?

Lauren sorriu, amando ver aquele lado protetor e carinhoso de Camila. Fazia-a se sentir especial.

— Eu estou bem, mas eu aceito uma água.

— Vem, vamos comprar.

Guiou-a em meio àquelas pessoas, nem se importando com o fato de estarem com as mãos entrelaçadas, com um enorme sorriso no rosto e aquele cão de pelúcia em seu outro braço. Quem via de longe estranhava, e alguns até mesmo registraram aquele momento. Ficaram no píer até que o sol começasse a se pôr, sendo assim, decidiram caminhar um pouco na praia antes de irem embora.

— Me diverti muito hoje.

Lauren comentou, chutando um pouco de areia sem parar de caminhar ao lado da latina. Camila sorriu, ela tinha feito aquilo durante o dia todo, pois estava feliz que as coisas tinham dado certo. Era bom ter momentos como aqueles com a morena, ela poderia definitivamente repetir sempre que elas pudessem.

— Eu também me diverti muito. Foi o melhor encontro que já tive.

A confissão de Camila fez Lauren paralisar no lugar, o coração disparou no peito e ela engoliu a saliva em sua boca. Estava realmente apaixonada por aquela mulher, não tinha como negar. Era nítido de longe, para qualquer um que quisesse ver.

— Você é incrível. – Camila não respondeu nada, olhando para Lauren. Elas sorriram, e a morena se aproximou devagar. Como se estivesse calculando seus passos. Uma leve brisa batia contra elas, fazendo os fios de seus cabelos ficarem voando pelo ar. — E eu quero muito te beijar.

Camila engoliu á seco, mirando os lábios de Lauren.

— Vamos embora...

Sussurrou, e não foi preciso repetir, logo Lauren tinha a segurado pela mão e caminhou para sair dali. Camila apenas a acompanhou, hipnotizada demais por aquela mulher para ter qualquer outra reação a não ser agir como um cachorrinho. Quando estavam dentro do carro da latina, palavras não precisaram ser ditas e em questão de segundos estavam se beijando com sofreguidão. Um dia inteiro sem aquele contato tinha sido tortura, e agora era o momento de matar as saudades. Camila agarrou os cabelos de Lauren, lambendo os lábios suculentos e os chupando.

— Você é uma ótima beijadora.

Lauren disse em meio a selinhos, não querendo quebrar o contato com os lábios de Camila.

— Eu sou ótima com a boca, fazendo tudo. 

Camila rebateu, sorrindo de maneira cafajeste. Lauren revirou os olhos e a empurrou, ajeitando-se no banco do carro.

— Seu ego me sufoca.

— Eu gosto quando as suas coxas me sufocam.

Lauren arregalou os olhos, sendo pega de surpresa com aquela insinuação. Não demorou muito para que seu rosto fosse tomado por uma forte coloração vermelha. Camila não perdoou, gargalhando da expressão chocada que a morena fazia.

— Cale a boca e apenas dirija.

— Eu adoro como você é mandona.

Camila provocou, finalmente ligando o carro para que as duas saíssem dali. Lauren nem se deu ao trabalho de responder, estava constrangida demais. Era difícil lidar com o jeito direto da latina, sem filtro algum e definitivamente com uma boca suja e pervertida. Não que ela não gostasse disso, afinal, ela amava. O silêncio dentro do carro não era desconfortável, pelo contrário, era aconchegante.

Elas duas nem percebiam a cumplicidade que tinham; como se fossem um casal de anos, unidas com um forte laço inquebrável. Lauren colocou uma mão sobre a coxa direita da latina, em um gesto intimo e natural. Camila cobriu a mão dela com a sua, e assim seguiram o caminho.

Era a imagem perfeita de um casal apaixonado. Uma pena que a imagem entre elas, era completamente diferente da imagem que seria exposta para o mundo pela mídia.


Notas Finais


Como estamos????

Oh... Uau! Relacionamentos entre famosos é sempre algo complicado, né? Principalmente vindo de duas mulheres que se odiavam e de repente serão expostas para todo o mundo quando uma delas namora um cara super famoso de uma boyband e a outra tem fama de vadia sem coração.

Que belo casal, hein?

Espero que tenham gostado, no próximo tem toda a treta da exposição e eu vou fazer melhor, e maior do que fiz na primeira versão dessa fic.

É isto, carinhas. Nos vemos em breve, love y'all♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...