1. Spirit Fanfics >
  2. Blowing up >
  3. Único : I got one night

História Blowing up - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia, tarde, noite ou madrugada.
Primeira fanfic ( de verdade), da conta. Finalmente, ein?

Algumas informações:

× Ravi é maravilhoso, isso é um fato.

× Fic como já afirmei na Sinopse, foi inspirada em Dynamite do VIXX, sugiro inclusive que leiam a tradução ( ia colocar mas preguiça bateu kkk)

× Talvez eu faça mais uma one de outro membro do VIXX, não sei bem, mas não prometo nada.

× Capa temporária pq sim.

Boa leitura cambada!

Capítulo 1 - Único : I got one night



Capítulo Único : I got one night




Em um movimento rápido, o carro luxuoso derrapou sobre o asfalto, pegando a rua rodeada por apartamentos de médio porte, as mãos suavam enquanto manuseava o volante com destreza, estava mais impaciente que qualquer outro dia.


Ao estacionar desajeitadamente o veículo na vaga em frente ao prédio bem cuidado, não se demorou a adentrá-lo, sem nem mesmo se preocupar se havia trancado o carro corretamente, ele podia comprar outro, tinha o suficiente para tal.


Tudo o quê Kim Wonshik se preocupava naquele momento, não era um bem material,  estava bem longe disso. Com os pés batendo insistentemente no chão bem polido, era quase um alívio ouvir o som da porta do elevador se abrir a sua frente, revelando o andar escolhido por si.



Não precisou nem dar muitos passos para se posicionar em frente a uma porta, pintada de branco com uma placa dourada, com o número 504 detalhadamente talhado, algumas batidas pesadas no móvel foram o suficientes para fazer com que, cinco minutos depois, a mesma fosse aberta, revelando uma uma garota com feição preguiçosa e com roupas de dormir pouco decentes.


A visão das coxas expostas em conjunto com a falta de shorts e o corpo coberto apenas com um blusão grande, que por sinal pertencia a ele, misturado aos cabelos lindamente bagunçados o faziam perder o pouco de juízo que ainda possuía na cabeça e não tardou a puxá-la pela cintura e colar seus lábios de forma intensa, os lábios com gosto de chocolate dela eram viciantes e continuaria a prová-los se não fosse distanciado pelas duas delicadas mãos.



— Que porra você pensa que tá' fazendo?— Ela o encarou séria, enquanto cruzava os braços.


— Não consegui resistir, me desculpa, era para eu ter falado primeiro.— Passou as mãos pelo cabelo negro, tentando o colocar no lugar.


— Não temos mais nada para falar, Wonshik. Acabou. — Encarou a figura daquela que há um mês atrás ainda podia chamar de noiva, quando tudo ainda estava bem, sim ele sabia. Mais do que qualquer um, compreendia muito bem a situação em que se encontravam. 


Não havia mais chance pra ele, pra eles. Isso era o motivo de seu estresse e bebedeiras constantes, o Kim passou por quase todos os estágios de um término, a revolta, a tristeza, o vácuo e o refúgio da realidade, mas ele não tinha conseguido uma coisa, a garota que ele amava havia terminado consigo, mas ele não pôde fazer o mesmo, ele não pode lhe dizer o que sentia, não pode apropriadamente finalizar tudo aquilo que por anos eles cultivaram e que acabou tão subitamente pelo afastamento dela devido ao trabalho e pelo ciúme estúpido dele.



— Eu sei, foi o que você disse, você terminou tudo, mas eu ainda não terminei. Eu sei que tá tudo ferrado entre nós mas… —  Só pude ouvi-la bufar em reprovação.



 — Se acha que vai conseguir me convencer a te perdoar, perdeu seu tempo vindo até aqui. — A garota falou cortando qualquer tentativa que o moreno tivesse de reconciliação entre ambos, aquele disco já estava mais que virado, não era a primeira vez que ele tentava continuar o relacionamento quebrado de ambos, e ela por ainda amá-lo acabava por ceder, e todo o ciclo recomeçava novamente.



— Não vim pedir seu perdão, só quero uma coisa: Uma última vez, s/n. É tudo ou nada! — As sobrancelhas arquearam em dúvida, tanto pela fala, como pela postura do Kim.


— Você tá ficando louco, só pode.—  Já se aprontava para fechar a porta, mas foi impedida pelo pé dele que empurrou de leve o móvel e ergueu a mão direita dela, a acariciando.


— Talvez eu esteja. Vamos lá! Já não tenho mais nada a perder, nem mesmo você. — Ele olhou fundo nos olhos da garota que tentou desviar o olhar, pois esse era o ponto forte dele, o olhar penetrante, a qual não conseguia resistir. — Me dê só essa noite, e amanhã, você vai seguir sua vida, e eu vou embora sem olhar para trás. — O conjunto voz sedutora, pele morena, camisa social entreaberta com calça preta, era o motivo da ruína de S/N, por mais séria e firme que quisesse ser, a vontade de arrancar aquela camisa e arranhar aquele abdômen definido, estava se tornando uma idéia possível.


— Se eu fosse cogitar essa possibilidade, seria apenas uma transa, não uma volta,  está ciente disso? — A mulher deu dois passos à frente do Kim, de forma questionadora.


— Totalmente. É a nossa despedida, baby.— Ele deu seu típico sorriso malicioso do tipo que que deixa qualquer peça íntima úmida.


— Ah! Que se dane.— Mandando qualquer postura que ainda possuísse para o inferno, a garota o puxou pelo pescoço, juntando seus lábios aos dele, ato totalmente aprovado pelo mesmo, ele havia conseguido seu objetivo da noite.


Com as mãos na cintura feminina, Wonshik foi a guiando para dentro do apartamento, fechando a porta com um pé. Às cegas, pararam no sofá, onde o Kim se sentou e puxou a garota para o seu colo, enquanto se beijavam com volúpia, ela começou a rebolar em seu colo, o provocando, estava dando certo, visto o volume proeminente que a calça dele tanto marcava.


Sem muita paciência, a garota abriu com pressa a camisa de botões, revelando aquele tronco bem malhado e cheio de tatuagens que ela tanto amava tocar e admirar, o desgraçado era um puta gostoso, além de foder muito bem, claro.


O Kim igualmente tratou de tirar a blusa que cobria o corpo curvilíneo que ele tanto sentia falta de tocar, e sem sutiã para tirar, facilitava muito o trabalho dele, não se demorou a dar a devida atenção aos seios dela, os sugando e mordendo os bicos, a instigando.


— Sabe quanto tempo estou sentindo falta do seu corpo, Hãn? — S/N riu debochada e se levantou do colo do moreno, se abaixando até ficar de joelhos, se aproximando do mesmo que continuava sentado, ela começou a desabotoar a calça masculina, junto da Boxer branca, para dar liberdade ao membro dele.


Com as mãos habilidosas, começou a masturbá-lo desde a base até o fim, sem nunca deixar seus olhos desfocarem dos dele, até abaixar a cabeça próxima ao pênis.


— Menos papo e mais ação.— Deu uma longa lambida na glande fazendo com que o Kim apoiasse a cabeça no encosto enquanto suspirava, maldita boca perfeita que ela tinha. — O tempo está passando, Ravi. — Assim o colocou todo na boca, provando e gravando na memória bem o gosto suculento que ele tinha.



— Ah… Assim mesmo, você têm uma boca tão gostosa, baby! — As mãos dele seguravam os fios do longo cabelo para auxiliá-la, ele adorava tanto quando ela o sugava com maestria, não conhecia alguém fazia melhor, na verdade ninguém estava à altura de sua garota, seja em corpo ou em personalidade, o que mais fazia com que ele se culpasse por tê-la perdido.



Estava quase a beira do próprio ápice, quando a ergueu, e a colocou deitada no sofá. Suas mãos desceram pelo corpo de S/N o dedilhando e beijando, observou a calcinha de ursinhos que ela usava e deu uma pequena risada.


— Nem comece! Eu já estava indo pra cama! — Ela falou revirando os olhos, pois os planos eram dormir suas oito horas merecidas de sono após um longo de dia de trabalho, então não ia se preocupar em usar uma lingerie pra isso.


— Você fica sexy de qualquer jeito, amor.—  Estava tão cheio de tesão, que o velho modo como se referia a ela veio no automático, mas se ele pudesse, ainda faria de tudo para que eles continuassem assim, jogou o pensamento de lado e se concentrou no que veio fazer no apartamento dela, não queria perder nenhum detalhe.


Levou dois dedos a boca, os deixando úmidos, e os penetrou na entrada rosada, de forma firme, assim os primeiros suspiros de S/N começaram, a fazendo abrir mais as pernas ao redor do do Kim.


— Sempre molhadinha pra mim. — Ele sussurra próximo ao ouvido dela, enquanto marcava seu pescoço.


Retirou os dedos, colocando seu membro no lugar, dando uma forte estocada, fazendo a garota dar um gemido alto.


— A noite vai ser longa. — Com investida lentas porém intensas,o moreno ocupou a boca da garota com a sua, pois ela já não conseguia controlar seus gemidos e não estava afim de que os vizinhos os interrompessem.


S/N começou a descontar todo o seu tesão nas costas do Kim, as arranhando com vontade, para que ficasse em destaque no dia seguinte, se ele a queria marcar, a situação seria recíproca.


De repente o moreno trocou as posições se sentando no sofá e colocando s/n sentada em cima de si.


— Cavalga em mim gostoso, vai. — A garota se encaixou e iniciou os movimentos, tendo o moreno a auxiliando com as mãos em sua cintura.


Se havia algo que Wonshik gostaria de manter intacto para sempre, era a visão excitante e tentadora que era s/n cavalgando intensamente sobre si, o seios subindo conforme se movimentava, os olhos revirados em puro prazer somando aos cabelos molhados pelo suor que os consumia.


— Ravi… Eu vou… Ah!— A garota gemia totalmente nublada de desejo, as frases já não saiam correntes.


— Isso, deixa vir baby, goza pra mim.—  Ravi puxou mais a cintura, a fim de aumentar o atrito entre ambos.


— Ah porra!— Ele grunhiu, e junto a mulher seu colo, alcançou seu ápice de forma intensa, seus corpos tremiam pelo recente orgasmo.


Desabaram no sofá, exaustos, bagunçados, remexidos, e completamente satisfeitos, da forma que mais gostavam, através de uma foda bem feita.


— Seu cabelo tá todo bagunçado.— Ele lhe passou os dedos por alguns fios que teimavam em ficar para o alto.


— Você também não está diferente, galã.— Ela lhe sorriu debochado.


— Obrigada. — Suspirou enquanto acariciava o rosto feminino.


— Pelo o quê? — A bela face da garota continha um misto de dúvida e confusão.


— Por te me deixado me despedir de forma decente, não vou mentir, não estou preparado pra te deixar, isso me dói S/N.— Era duro ter admitir aquele fato, mais duro ainda ter de dizer aquelas palavras olhando nos olhos daquela que ele ainda amava.


— Ravi, o que tivemos foi bom, mas sabemos muito bem que já acabou, não dava mais certo e não adianta continuar, por mais que a gente ainda sinta algo um pelo outro.— S/N disse com uma voz suave e calma.


— Bem… Eu acho que vou andando… — O Kim ameaçou se levantar, entretanto teve o pulso segurado pela mão delicada e macia.


— Hey! Fique mais um pouco, você ainda têm algumas horas.— Ele olhou para a garota e viu o olhar sincero dela, ela queria ter um pouco mais da sua companhia. — Por Favor. Você já teve o seu jeito de se despedir, agora vamos fazer do meu jeito.— Wonshik entendia perfeitamente aquelas palavras e com um sorriso de lado, se ajeitou no sofá, a puxando para o seu peito, assim compartilhando o calor do corpo de ambos.


E foi assim, de forma muda, porém sincera que passaram o final daquela noite, que provará que por mais triste destino que história deles havia rumado, aquele fogo que os consumia talvez jamais fosse apagado, queimando tudo ao redor, não pode ter tido melhor forma de despedida para ambos que o sexo explosivo que praticavam.


Foi com tal pensamento que Ravi, então pôde partir com tal certeza no dia seguinte e antes de fechar a porta do apartamento,observou a figura sonolenta deitada coberta com um fino lençol e falou de forma baixa.


— Te vejo por aí, S/n.



Notas Finais


Gostaram? Dúvidas, críticas ou ofensas? Vou procurar trazer estórias com grupos fora do eixo B3, fiquem ligados.

Até mais ✌️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...