História Blue - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Hoseok Bottom, Taehyung Dom/top, Vhope
Visualizações 34
Palavras 1.713
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Azul é a cor mais triste. Cap. 2


Hoseok entrou no quarto e encontrou o namorado frente ao computador. Sorriu inconscientemente. Taehyung era lindo, desde o seus fios tingidos e ensebados até o peito pouco definido exposto pela ausência da camisa. Beijou-o na bochecha recebendo um sorriso tímido e fofo do mais novo que não desviou os olhos do jogo.

Hoseok abraçou o mais novo e recostou o queixo na cabeça dele. A cabeça estava cheia. Yoongi tinha mais razão do que gostava de admitir e mentiria se disse que não havia se abalado. Ele sabia o que era o "certo" a se fazer.

–O que foi, Hobi-ah?– Taehyung perguntou estranhando a quietude do outro.

–Taehyung-ah... O que aconteceria se alguém descobrisse sobre nós?– o mais novo engoliu em seco ao ouvir a pergunta, o coração acelerando de um forma ruim apenas em pensar sobre aquela possibilidade.

–V-você não contou pra ninguém não, contou?– Hoseok sentiu o peito se contrair ao ouvir o tom apreensivo na voz de Taehyung.

–Não...– mentiu e ajeitou a postura, desfazendo o contato com o mais novo. –Isso seria tão ruim assim?– Hoseok não pretendia soar acusador, mas foi assim que pareceu para Taehyung que pausou o jogo e se virou na cadeira giratória pra se colocar de frente ao mais velho.

–O que você quer dizer com isso?– Indagou se sentindo ofendido. Hoseok por acaso estava duvidando de seus sentimentos?

–Fale a verdade! Você tem vergonha de mim, não tem?! Você tem vergonha de namorar comigo!– Hoseok cobriu o rosto com as mãos. As palavras doloridas rasgavam sua garganta e comprimiam seu coração. Taehyung fechou os olhos por alguns segundos e respirou fundo. Ele precisava fazer algo.

–Isso não é verdade...– ele falou brando e puxou a cadeira pra mais perto do mais velho e lhe segurou a cintura. –Você sabe bem o quanto eu gosto de você... Eu nunca teria vergonha de você, mas você sabe melhor do que eu o porquê de nós não podermos nos mostrar pro mundo...– Taehyung o puxou para sentar em seu colo e lhe trouxe a cabeça pra recostar na curva de seu pescoço. Ele não era tão bom em consolar os outros como Hoseok e era difícil pensar no quer dizer tendo seus papéis trocados ali. Mas no fim eles estavam sentindo o mesmo. O mesmo medo. –Não se preocupe, hum?!– ele beijou a testa de Hoseok e sorriu bobo ao vê-lo acenar com a cabeça, todo neném, mantendo ainda seus olhos cerrados. –Um dia nós não vamos mais precisar nos esconder de ninguém...– Hoseok acenou outra vez, aproveitando o movimento para se aconchegar melhor no ombro alheio e no momento de silêncio que se seguiu Taehyung usou para admirar a face do namorado.

"Como eu posso amar tanto o rosto de alguém assim?"

Foi o que passou pela mente do mais novo. Aquele rosto, tão singular, ali tão sereno e próximo, lhe trazia uma sensação tão grande de paz e conforto, segurança. Era como se estivesse segurando o próprio sol ali em seus braços.

E seus olhos inevitavelmente se concentraram na boca dele. Ahh... Aquela boca. A única que havia beijado em toda sua vida e a única que não conseguia esconder a ânsia em beijar. Salivou e levou o polegar para acariciá-la. Hoseok, ao sentir o toque, abriu os olhos e tempo de flagrar a língua de Taehyung umedecer os próprios lábios. Uma onda gelada percorreu seu corpo e o coração bateu com mais força e sem dizerem nada, os dois se aproximaram ao mesmo tempo e tomaram os lábios um do outro.

Era um beijo romântico. Mais um carinho do que uma insinuação sexual. Taehyung foi o primeiro a tomar a inciativa de adentrar a língua na boca alheia, mas os dois eram ativos no beijo, tornando pouco a pouco mais quente o clima e o mais novo vez ou outra sentia uma fisgada nas entranhas a medida que Hoseok se mexia sobre seu colo.

E inconscientemente Taehyung pousou as mãos nas coxas sobre as suas, as puxando mais para si e se remexendo também a fim de aliviar o desconforto que surgia entre as pernas. Ele sabia era hora de parar, afinal eles nem nunca tinha conversado sobre o "próximo passo", mas o calor do beijo e excitação eram mais fortes que a sua consciência. E deixou a boca escorregar pela lateral do rosto alheio lhe procurando a orelha e arfou contra ela.

–Eu quero a sua boca no meu pau...– ele falou rouco, a voz embargada de tesão e Hoseok se arrepiou inteiro, foi só então que pode assimilar os fatos. Eles haviam passado dos limites.

Reabriu os olhos, se afastou um pouco e viu que Taehyung estava ofegante, o rosto todo avermelhado. Sentiu seu rosto corar também ao descer os olhos pelo corpo do mais novo e constatou a ereção alheia. Então era aquilo que estava lhe cutucado durante o beijo?

Taehyung comprimiu os lábios, estava envergonhado. Era a primeira vez que ficava duro na frente do hyung e por eles não tocarem no assunto havia uma enorme dúvida sobre o que fazer.

–M-me desculpa...– o mais novo coçou a nuca. –Eu vou no banheiro...

Ele fez menção de levantar, mas Hoseok o impediu.

–Tudo bem... Eu resolvo isso...– Ele sorriu amarelo. Estava tão envergonhado quanto Taehyung e levantou, foi até a porta e a trancou. O coração batia feito louco e ao retornar se ajoelhou entre as pernas alheias, evitando contato visual. Acariciou a ereção sob o tecido fino do calção, antes de arrastá-la para fora. Apesar de saber que namorava outro homem, Hoseok nunca se tinha imaginado naquela situação. Respirou fundo ao se deparar com o pênis ereto, não era tão diferente do seu próprio corpo, não havia nada de tão estranho naquilo, havia? Ele pensava enquanto masturbava o órgão. Era uma sensação legal, a pele era quente, molhada e macia. As veias que latejavam contra suas palmas eram eróticas e o faziam salivar e a adrenalina que lhe passava pelo corpo lhe dizia para abocanha-lo de uma vez. Levantou os olhos e o contato visual imediato com um Taehyung de faces coradas e respiração irregular lhe deu o impulso que faltava.

E o mais novo pôs uma das mãos sobre a boca contendo um gemido quando o mais velho passou desajeitadamente a língua por sua extensão peniana e agarrou-lhe os cabelos quando este pressionou sua glande entre os lábios e fez um movimento de sucção.

Outra vez, Hoseok ergueu os olhos para o mais novo e se aprazerou com sua expressão. Voltou-se novamente para o pênis alheio e pôs para dentro tudo o que conseguiu. Taehyung, em êxtase de prazer, levou também a outra mão para se emaranhar nos cabelos do parceiro e não tardou a tomar o ritmo do movimento, estocando fundo na garganta alheia. A adrenalina aumentava incomparavelmente a sensação de prazer e quando Taehyung sentiu que o ápice se aproximava puxou Hoseok para sentar novamente em seu colo. Uniu seu pênis a ereção que também havia surgido no mais velho, os masturbando juntos, enquanto voltavam a se beijar. A boca dele tinha o gosto salgado do pré-gozo e ele estava ofegante a ponto de não conseguir manter o ritmo do beijo e deixou que ele apenas recostasse a cabeça em seu ombro aproveitando pra explorar-lhe com a boca a pele do pescoço.

–Você trabalha bem com boca, baby...– Taehyung sussurrou contra a audição alheia. Hoseok se arrepiou e estremeceu, aquele tom grave era tão excitante e levou as mãos para ajudar o mais novo na masturbação. –Mais um pouco e eu teria gozado na sua garganta...– ele deixou a massagem a cargo do mais velho e deixou as mãos passearem pelo corpo alheio. Adentrou a camisa e brincou com os mamilos durinhos ouvindo Hoseok arfar contra seu ouvido. –Você gostou também? De chupar meu pau?– Taehyung desceu mais as mãos e lhe apertou a cintura fina. A cada palavra dita por si próprio, uma onda gelada enchia suas entranhas. Cada pensamento sujo que lhe passava naquele momento fazia todos os seus pelos se eriçarem. Aquilo era realmente bom.

–Eu gostei...– Hoseok sussurrou como resposta e mordeu o lóbulo da orelha alheia, sentindo o gosto metálico do brincos. –Eu gostei quando você fodeu minha boca com força...– Ele usou um tom de voz provocativo, safado e gemeu. Seu corpo compartilhava as mesmas sensações que o mais novo experenciava. Era um prazer completamente diferente, de qualquer coisa.

–Eu posso foder com força outras lugares quando você quiser...– Taehyung respondeu e apertou a a bunda nua de Hoseok entre as palmas. O puxando mais para si, já sentindo os espasmos do orgasmo lhe ameaçarem.

E Hoseok intensificou a masturbação, sentindo as veias dilatarem. O coração estava acelerado e o corpo se cortocia por conta própria e bastou apenas mais um pouco para que os dois chegassem ao ápice na mesma hora que ouviram uma batida na porta.

–Ei, Taehyung-ah! Abre logo a porra dessa porta!– os dois se entreolharam assustados, era Jimin quem chutava a porta com violência pelo lado de fora. Taehyung e Hoseok se apressaram a se recomporem o mais rápido que podiam. O mais velho se jogou na cama e fingiu dormir enquanto o mais novo se apressou em descantrar a porta antes que Jimin a quebrasse. –O que diabos você estava fazendo?! Se você quer ver pornô pegue essa droga de celular e vá pro banheiro!

Taehyung revirou os olhos, ele nem tinha demorado tanto pra abrir a porta, Jimin não estava sendo dramático demais? Ele sabia bem o motivo daquela raiva toda. Ela tinha nome, endereço e o posto de maknae do grupo. Será que Jimin não se cansava de levar fora, não?! Bem, ele ainda podia se valer da desculpa de que só insistia por que era engraçado. Mas era de se convir que aquilo já havia perdido a graça a muito tempo, mas Taehyung sabia que no fundo Jungkook também gostava do Jimin e torcia internamente pra que um dia o sofrimento deles acabasse e eles se acertassem.

Jimin franziu o pouco o cenho ao notar Hoseok no quarto e uma leve desconfiança lhe bateu. O que os dois estavam fazendo trancados no quarto aquela hora? Se perguntou, mas deu de ombros, não dava a mínima para o que eles faziam. Se eles estavam se pegando, ótimo! Quanto menos gente mal amada no mundo melhor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...