História Blue strings (Larry Stylinson) - Capítulo 60


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Josh Devine, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry, Larry Stylinson, Niam, Niam Horayne, Ziall, Ziall Horlik
Visualizações 179
Palavras 3.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, amores!
Boa leitura <3

Capítulo 60 - Família


Fanfic / Fanfiction Blue strings (Larry Stylinson) - Capítulo 60 - Família

– Coloque sua mão na cintura dele. – Ouvimos o fotógrafo dizer antes de Zayn descer sua mão pela lateral de meu corpo, fazendo um arrepio involuntário surgir e minhas bochechas corarem involuntariamente enquanto os flashes pipocavam a nossa volta. 

– Está mais nervoso do que eu. – Sussurrou bem próximo ao meu ouvido, o que só piorou a situação. 

– Me sinto desconfortável quando todo mundo percebe que eu sou um garotinho virgem perto de você. – Olhei em seus olhos e ele gargalhou. 

– Perfeito, Zayn! – O fotógrafo vibrou com o momento de espontaneidade. 

– Ele gosta de você. – Murmurei fazendo uma careta enquanto mudávamos de pose. 

No fim, a sessão de fotos acabou sendo muito mais divertida do que imaginei e nós chegamos a realmente gargalhar em muitos momentos, principalmente quando tivemos que tentar poses mais ousadas. 

Não é como se eu não gostasse de tirar fotos, ainda mais estando tão à vontade com o homem que eu amava, só era engraçado demais olhar a nossa volta e ver tantas pessoas focadas em nos deixar perfeitos. 

Foram diversas trocas de roupas, ajeitadas de cabelo e até um tombo que eu cai enquanto tentava executar uma pose, mas eu realmente me sentia feliz demais com o resultado e Zayn parecia igualmente realizado. 

– Essa com certeza é a minha favorita. – Disse enquanto mordia o hambúrguer que ganhamos após a sessão. Apontei para a foto que minha agente passava na tela do notebook, na qual eu e Zayn ríamos espontaneamente um para o outro.

– Eu gostei dessa. – Zayn mostrou outra, na qual o olhar que trocávamos era realmente intenso. Ele segurava minha cintura e eu puxava o cordão que ele tinha no pescoço. Eu podia sentir toda a tensão sexual do momento. 

– Essa é a melhor! – O fotógrafo colocou a foto em que eu estava sorrindo em direção à câmera, enquanto Zayn me olhava terno, com os olhos brilhando em pura admiração. Senti meu ventre revirar e minhas bochechas corarem. – Isso é basicamente o que vocês dois são e a foto não foi planejada, esse é o olhar que ele realmente tem para você. – O homem disse sorrindo. – Fazia tempo que eu não fotografava algo tão genuíno e não via tanta cumplicidade. 

Todos ficaram absortos na tela da televisão e eu arrisquei um olhar para Zayn, que retribuiu sorrindo. 

– Sou um homem muito apaixonado. Jamais negaria isso. – Disse mais para mim do que para qualquer outra pessoa naquela sala e eu senti meu coração palpitar. Sim, eu era realmente um garotinho quando recebia todo o amor que vinha daquele homem.  

– Você é um talento bruto, Zayn Malik. – O homem parecia realmente animado. – Eu adoraria fotografá-lo mais vezes. Tenho contatos excelentes, poderia te fazer estar brilhando nos melhores editorias de revista muito em breve. Gucci, Versace, Calvin Klein... todos irão querer você se eu recomendá-lo para a pessoa certa.

– Jura? – Me senti animado de repente. – Seria incrível! Imagina só se você chegar à Vogue. – Me virei para Zayn que, diferente de nós dois, não parecia nenhum pouco animado com aquilo.

– E ele pode. Ele possui o perfil, é realmente um modelo fotográfico incrível. 

– Desculpe atrapalhar essa conversa super animada sobre o meu futuro, mas eu não estou interessado. – Levantou-se. – Sou psicólogo e amo o que eu faço, de verdade. Aceitei fazer isso porque era importante para o Niall, mas é só isso. 

– Mas, Zee... – Tentei. 

– Não. – Disse firme olhando para mim e senti meus ombros caindo. 

– Bom, a equipe de Niall tem o meu número, caso mude de ideia, ainda estarei esperando. – O fotógrafo assentiu e despediu-se logo depois.

Terminamos de comer e caminhamos em silêncio até o carro. Eventualmente, eu olhava para ele pelo canto dos olhos, tentando descobrir se estava chateado ou qualquer coisa do tipo, mas quando segurou a minha mão para me conduzir até o carro, assim que fomos clicados por um paparazzi, eu sabia que ele não estava realmente chateado.    

– Foi legal, né? – Comecei a tagarelar assim que entramos no carro. – Quer dizer, no começo foi estranho, mas depois foi bem legal. 

– Na verdade, foi muito bom. 

– Ele gostou de você. – Disse tentando disfarçar minhas intenções. 

– Não começa...

– Eu não disse nada, só disse que ele gostou de você. – Ergui os ombros em rendição. 

– Sim, você disse isso várias vezes hoje. 

– É porque ele gostou, ele viu em você o que eu já sabia, um talento genuíno para as fotos. 

– Niall, você não precisa necessariamente ser talentoso para tirar fotos. – Debochou. 

– Precisa ser bonito e fotogênico e isso eu garanto que você é. 

– Então você quer que eu largue meu consultório, pelo qual eu lutei a vida toda para conseguir, para ser um rostinho bonito vestindo uma roupa legal em uma revista? Me diga, como isso pode ser diferente do que ser o cachorrinho da Yollanda?

– Ah... – Finalmente entendi seu ponto. – Eu acho totalmente diferente. Isso seria mérito seu...

– Por ser bonito o suficiente. – Completou. 

– Por ser bom nisso, Zayn. Por ser bonito e por ter feito um bom trabalho hoje, por ter me feito sentir confortável, pelo fato das fotos terem ficado incríveis, por ser espontâneo na frente da câmera. É totalmente diferente do que fazer sexo com alguém que te explora. Mas se você não quer, tudo bem, só acho que é uma ótima oportunidade e você não precisaria deixar o consultório, daria muito bem para conciliar tudo. 

– Por que quer tanto isso? – Parou o carro e olhou para mim. 

– Porque eu senti alguma coisa vendo aquelas fotos, vendo você lá. 

– Você também estava lá... – Tentou. 

– Mas não como você. Foi incrível ver você naquelas fotos, como se você realmente tivesse ocasionalmente andando pelas ruas e alguém tirou uma foto. Era verdadeiro. – Ele pareceu me estudar por alguns segundos antes de responder. 

– Juro que vou pensar sobre isso, mas não estou tão animado quanto você. Quem sabe depois de ver a revista pronta? Mas definitivamente não agora. – Abriu um sorriso antes e inclinar-se para me beijar. – Agora temos que formar uma família. – Afastou-se e saiu do carro. 

Família? Espera o quê? 

Sai do carro para alcançá-lo e entendi o que ele quis dizer quando paramos em frente a um centro de adoção de animais. 

– Jura? A sua condição para que tirássemos as fotos é que adotemos um cachorro? – Olhei incrédulo. 

– Você irá para os Estados Unidos em breve para fazer shows, vai ficar o tempo todo perto do Shawn Mendes. – Comecei a rir. – E ainda terá Nick Jonas, Joe Jonas, Justin Bieber, Troye Sivan e sei lá mais qual cantor super famoso. – Ri ainda mais. – Só quero que tenha um motivo a mais para voltar para casa. 

– Você fala como se eu já não tivesse o melhor motivo do mundo para voltar para casa. – Enlacei seu pescoço. – Eu tenho um super modelo só para mim. – Ele revirou os olhos e eu ri, beijando-o em seguida. Mas a magia do momento foi quebrada pelo flash do paparazzi, que parecia ter nos seguido. – Nossa, isso é muito chato. – Reclamei.

– Isso que dá sair com um super modelo. Debochou e eu ri, sendo puxado para dentro do centro de adoção.

Zayn enlouqueceu. Ele simplesmente queria todos os filhotes que estavam para doação e eu estava ficando louco em meio a sua indecisão. 

– Olha como esse é lindo e ele gostou de você. – Tentei convencê-lo a escolher depois do que pareciam horas. 

– Mas olha aquele ali. – Apontou para um bulldog ao canto. 

– Então vamos levar aquele, né?

– Mas e deixar esse? – Fez um biquinho fofo e eu revirei os olhos. 

– Zayn, eu não entendo nada sobre pets, um só já vai me dar um trabalhão, imagina dois de uma vez só? – Expliquei como se faz a uma criança.

– Louis e Harry vão ter três crianças e eu não posso ter dois cachorros? – Apelou.

– Louis e Harry têm décadas de relacionamento. – Fez um biquinho fofo. – Que tal assim, vamos adotar um e mais para frente, quando estivermos adaptados, adotamos mais um, tudo bem? 

– Você é o melhor! – Me beijou em meio aos latinos agudos dos filhotes. 

– Ai meu Deus... – Interrompi o beijo e ele me olhou assustado. 

– O que foi? 

– Alguém acabou de fazer xixi no meu colo. – Olhei para baixo, onde o bulldog havia acabado de deixar uma mancha enorme em minha calça jeans.

– É esse! – Zayn disse gargalhando. – É o escolhido. Ele já marcou território, não há mais volta, você é totalmente dele agora, Niall. 

– Você está se divertindo com isso, né? – Dei um tapa em seu braço, mas isso só o fez rir mais. 

Após formalizar a doação, fomos até um pet shop comprar tudo o que o novo integrante precisava e eu tentei não ficar incomodado com o fato de ter xixi de cachorro em minha calça. 

– Temos que dar um nome a ele. – Zayn disse todo feliz com o cachorro no colo enquanto eu dirigia porque ele simplesmente não queria largá-lo. 

– Não consigo pensar em nada a não ser em xixi, mas creio que não seria um bom nome. – Brinquei, fazendo-o ir. 

– Vamos chamá-lo de Stitch. – Disse olhando bem para o cachorro. 

– Nossa, você é tão adulto! – Debochei. 

– Stitch veio para nos transformar de um casal para uma família e ohana quer dizer família. 

– Sim, adultíssimo. – Ri de sua belíssima explicação. 

Zayn estava muito ocupado arrumando tudo o que Stitch precisava e eu tinha que tomar um banho urgentemente e tirar a calça suja, graças ao novo integrante da casa. Quando sai do banheiro, nos encontramos no closet

– Estou me sentindo um pouco mal. 

– Por quê? – Perguntou curioso enquanto pegava algo de sua gaveta. 

– Imaginei que a sua recompensa pelas fotos seria algo terrivelmente pervertido e, na verdade, foi muito fofo. – Ri de mim mesmo. – Me sinto muito sujo. 

– Droga! – Resmungou. 

– O que foi? – Me virei para ele que tinha uma caixa em mãos. 

– Péssimo momento para querer te entregar isso... – Olhou para a caixa. – Podia ter deixado você pensar que sou um homem romântico...

– O que tem aí? – Estiquei a mão para pegá-la, mas ele a protegeu. – Zayn!

– Vamos deixar esse clima bom e familiar por aqui. – Tentou guardá-la, mas eu estava curioso demais para deixar isso acontecer. 

– Me entregue isso agora. Vamos! – Peguei a caixa de suas mãos. 

– Ok, eu vou tomar banho, se você odiar muito, a ideia nem foi minha. – Abriu um sorriso amarelo e correu em direção ao banheiro. Minha curiosidade triplicou.

Abri a caixa e comecei a rir. Não conseguia acreditar que cheguei realmente a pensar que Zayn não faria algo terrivelmente pervertido e aquilo me deixava perigosamente excitado. 

Retirei o plug anal em forma de rabo de coelho e as orelhas que estavam ali e as analisei por alguns segundos, encontrando um bilhete escrito por ele. 

 

"Querido coelho favorito, se você não se sentir confortável, devolva para o armário.

Eu te amo, 

Zayn" 

 

Olhei novamente para os objetos em minhas mãos e cogitei todas as hipóteses. E por que não? Um pouco constrangedor, talvez, mas poderia ser sexy também e se ele gostasse, eu não me sentiria com vergonha. 

Fui até o quarto e coloquei as orelhas, mas assim que ia tirar a calça, Stitch entrou no quarto e eu travei, para ajudar, Zayn saiu do banheiro usando apenas uma toalha. 

– Definitivamente não farei isso com ele me olhando. – Continuei a encarar o pequeno filhote que me olhava animado. – Ele está me julgando. – Ele gargalhou. 

– Niall, é só um filhote. – Pegou o cachorro no colo. 

– Exatamente, um filhote. Não posso fazer sexo sujo e cheio de fetiches com um filhote me olhando. É vergonhoso. Ele é inocente, olha para ele. – Continuei a olhar para o pequeno cachorro, que latiu. 

– Venha, Stitch, vamos te deixar na sala, enquanto o papai se diverte. – Revirei os olhos, vendo-os sair, mas antes de fechar a porta do quarto, voltou-se para mim. – A propósito, eu amei as orelhas. – Mordeu o lábio inferior e eu corei, sentindo meu ventre formigar em antecipação. 

Terminei de tirar minha roupa e me preparei o melhor que pude, gemendo quando o plug encaixou-se. Levantei-me e caminhei até o espelho e diferente do que eu pensei, eu me sentia mais sexy do que qualquer outra coisa. 

– Oh, sim. – Zayn gemeu assim que entrou no quarto. – É disso que eu estou falando. 

Me virei para olhá-lo, colocando a expressão mais inocente possível no rosto. Ele mordeu os lábios e levou a mão até o pau, apertado-o só para me mostrar o quanto estava excitado. Também tinha uma caixa de trufas de chocolate em mãos e eu mordi os lábios em antecipação. 

– Você está lindo, meu pequeno coelho. – Jogou os chocolates sobre a cama e aproximou-se. Agarrei a toalha que estava em sua cintura e a joguei ao chão. 

– Parece que a páscoa chegou mais cedo esse ano. – Provoquei e ele me agarrou, suas mãos espalmadas em minha bunda, deixando-a vermelha pelos apertões fortes. 

– Isso é para você ter uma ideia de como você me enlouquece quando diz que gosta de sexo como um coelho. – Me puxou para seu colo e eu enlacei minhas pernas em sua cintura, sentindo seu pau roçar no plug, me fazendo gemer.

Zayn me colocou delicadamente sobre a cama, mordendo os lábios ao ter a visão pecaminosa de meu corpo fantasiado totalmente entregue. Tremi diante de seu olhar.

Ele segurou um de meus pés e lambeu, subindo até minhas coxas, me fazendo contorcer de excitação. Passou a língua por toda a extensão de meu pau, deixando-me totalmente duro e me fazendo rebolar, gemendo pela pressão que o plug fez contra minha próstata. Eu definitivamente havia gostado muito dessa novidade.

Sua língua subiu até meus mamilos e ele os castigou com os lábios, enquanto sua mão fazia pressão sobre o plug, surrando minha próstata.

Afastou-se brevemente e pegou uma das trufas, passando-a sobre meus lábios, me fazendo umedecê-los em busca do gosto doce, acompanhando com os lábios o caminho que o chocolate fazia enquanto ele me provocava com um lindo sorriso malicioso no rosto.

– É maldade me provocar assim. Já estou morrendo de vontade de você, não me faça ter vontade de chocolate também.

– Na verdade, acho que deve matar suas vontades de uma só vez. – Ergueu a sobrancelha sugestivo e eu gargalhei, mudando nossas posições e pairando acima dele.

Ele encostou-se na cabeceira da cama e eu peguei um dos chocolates da caixa. Mordi o chocolate e deixei o recheio escorrer, despejando o doce sobre seu pau. Ele sorriu divertido.

Arrebitei a bunda e comecei a chupá-lo, gemendo pornograficamente e me lambuzando com o doce.

– Nem em minhas melhores fantasias eu poderia imaginar que teria você, com orelhas de coelho, chupando meu pau sujo de chocolate, com a bunda branca toda marcada e arrebitada em direção ao espelho, me fazendo ver o seu lindo rabo de coelho. – Sorri malicioso. – É a coisa mais fodidamente excitante que eu já vi.

Virei meu rosto em direção ao espelho e pude ver minha bunda empinava para cima, com o plug perfeitamente encaixado. Me senti mais sexy do que nunca. Voltei meu olhar para ele, mordi o lábio e rebolei, provocando.

– Puta que pariu! – Gemeu em resposta. – Você realmente não deveria ter feito isso.

Agarrou meus braços e me jogou sobre o colchão. Logo em seguida ergueu minhas pernas, colocando-as sobre seus ombros e passou a brincar com o plug em meu interior, forçando-o contra a minha próstata por diversas vezes, me levando a loucura, e me deixando descontar todo o tesão em seu corpo, arranhando suas costas.

– Você. – Gemi. – Preciso de você. – Puxei seus cabelos para que me beijasse.

– Nada como provar do próprio veneno. – Retirou o plug do meu interior e eu gemi frustrado pela falta de contato. Para piorar, ele o chupou pornograficamente, fazendo um barulho alto de sucção. Maldito provocador.

O empurrei contra o colchão, sentei sobre seu corpo e rebolei uma vez, ele agarrou minhas coxas e eu alinhei seu pau a minha entrada, afundando-me em seu colo. Quicava com fervor em seu colo, sendo auxiliado por ele, que agarrava minha cintura.

– Quero ver sua bunda. – Soou mandão. – Vire-se.

Obedeci, virando-me para o espelho e voltando a cavalgar em seu colo. Empinei minha bunda ainda mais, deixando ele ter a melhor visão, enquanto alternava entre quicar e rebolar, conforme as necessidades de meu desejo.

No fim, eu estava usando seu pau para o meu prazer e ele parecia deliciar-se com isso, pois agarrava e dava tapas cada vez mais fortes em minha bunda, que afundava em seu pau.

– Você é a droga do coelho mais safado do mundo. – Gemeu em um rosnado e agarrou minha cintura, sentando-se na cama e me puxando pelos cabelos para me aproximar, fazendo minhas costas encostarem ao seu peito. Ri vitorioso pelo seu descontrole e sua vontade de me ter mais perto.

– Então goze para esse coelho. – Provoquei rebolando ainda mais rápido, colocando um chocolate na boca só para provocá-lo.

Ele gozou em meu interior, apertando forte a minha cintura e mordendo minhas costas, deixando uma marca forte. Em seguida, me jogou contra o colchão e me tomou em sua boca, me chupando com fervor, arrancando de mim o orgasmo mais intenso de toda a minha vida.

As ondas elétricas, lotadas de endorfina e adrenalina se espalhavam por meu corpo com tanta intensidade que as lágrimas rolavam por meus olhos e os tremores deixavam meu corpo dormente.

Ainda estava sob o efeito letárgico do orgasmo quando ouvimos um choro canino e a porta sendo arranhada.

– Seu filho está chorando, levante para salvá-lo. – Brinquei e ele fez uma careta antes de levantar e abrir a porta do quarto, que foi invadido pelo filhote.

– O papai precisava de um pouco de diversão, bebê. Me desculpe. – Disse pegando o cachorro no colo, após vestir uma calça de moletom.

– Mentira, Stitch, ele te trocou por um coelho. – Brinquei enquanto vestia a boxer que Zayn havia me entregado.

– Pare de colocá-lo contra mim. – Fez bico e deitou na cama, trazendo o filhote junto. Abracei seu corpo, dividindo o espaço com Stitch que deitou sobre sua barriga.

– Eu gostei dessas orelhas. – Comentei após perceber que não as tinha tirado. – Me sinto Dangerous Woman. – Ele gargalhou.

– Ah, meu amor, eu realmente não estou pronto para ficar longe de você por tanto tempo. – Comentou em meio aos risos, deixando um beijo em minha testa.

– Vou voltar para você. – Deixei um selinho em seus lábios. – Vou voltar para nossa família. – Voltei a me aconchegar em seu peito e acariciei os pelos curtos de Stitch.


Notas Finais


Normalmente, eu não escrevo smut com brinquedos, mas eu fiquei muito tempo pensando sobre o que o Zayn poderia pedir para o Niall como condição para as fotos, então eu resolvi dar uma pirada hahahahaha'
Espero que tenha ficado satisfatório.
No mais, eu deixei uma ponta para o futuro do Zayn, vocês já sacaram, né?
Além disso, o capítulo foi muito bom para mostrar a diferença entre os relacionamentos dos Larry, que vão ter bebês, e Ziall, que adotou um cachorro hahahaha'
Espero que tenham gostado <3
XO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...