História Blue, the hottest color - Imagine HOT Min Yoongi - BTS - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Blueishotter, Bts, Minyoongi, Suga!bts, Sugasex
Visualizações 1.162
Palavras 3.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou com cap quentinho, eu mesma, amem muito eu, porque estou cansada mas aqui me dedicando para aqui sz

Capítulo 45 - 45- Inspire others today


Pov's S/n

O calor do corpo de Jeongguk me fazia aquecer, meus cabelos parcialmente secos já, de tanto esperar os pais de Taehyung chegar. 

- Princesa você acordou? - disse me enlaçando mais ao seu corpo, Jeon queria cuidar de mim como sempre fez, mas o medo de saber que cada ato que ele tem seria uma maneira de mostrar que me ama. 

Eu ainda não me acostumei com a ideia que ele gosta de mim, além de tudo que já imaginei até hoje.

- sim, mas não quero sair daqui - falei o abraçando mais.

- Sabe que não precisa, tem a mim pra sempre - ele fala essas coisas para minha consciência só ficar cada vez mais pesada, eu não tinha como retribuir. - mas vamos comer algo?

- claro, que tal um pastel com suco?

- vamos a cantina, deve ter coisas melhores para comprar, pensei em um sorvete. 

- mas está frio, nada disso depois você fica doente. - ele sorri, com seu jeito fofo, nem parece que Jeongguk é um Stripper. 

- Ok mamãe. - ele diz debochado.

Me levantei de seu colo, e caminhamos para direção dos refeitórios, onde haviam lojinhas também com doces maravilhosos, aquilo tudo me dava muita fome, eu me sentia realmente como se um buraco negro se formasse em meu estômago. Nós sentamos a frente de um espaço de comidas naturais, não cairia bem comer algo pesado agora, ainda mais que nem encarei Taehyung, que deve estar com os picos de raiva muito elevados, já que tudo isso é graças a mim. 

[....]

Já tinhamos escolhido o que iriamos comer, enquanto eu fitava o menino de cabelos pretos a minha frente, ele parecia estar tão distante de mim, daqui, sua mente voava e eu como o conheço tão bem já imaginava que estava distraído.

- Jeongguk...- o chamo.

- hnm..- ele murmura. 

- o que tanto pensa?...e nem adianta dizer que não estava pensando em nada, que não vai colar. 

- não diria isto, está tão obvio assim pela minha cara?

- sim....pode me contar?- digo sugestiva.

- pensava nas coisas que estão acontecendo, e o que irá acontecer quando Taehyung acordar, e contar aos seus pais e a todos o que Yoongi fez, ele com certeza vai se incomodar, e muito...- o mesmo suspira, mordendo o sanduíche que até então era intocado pelo mesmo.

- eu me preocupo com tanta coisa, Jackson está a minha caçada, e minha omani nem entrou em contato comigo, e você que me mentir sobre Jimin, agora sei lá deus o que está acontecendo com ambos. 

- ele ficará bem, Jackson não fará nada a Jimin, pois assim ele perde a razão que te fará fraquejar. Ninguém mais poderia ser importante pra você, não é? - ele me olha de soslaio, e engulo a própria saliva, nesse momento tinha sim, alguém pela qual eu preciso, Yoongi, mesmo sendo o maior inconsequente do mundo ele ainda é um "bom" rapaz, sei lá como configurar a proteção que eu desejo que ele tenha, se pudesse pediria para Junmyeon cuidar dos passos de Yoongi também. 

- sim, ah...não teria mais ninguém sem ser você daí. - rio sem graça. - mas e agora me conte, desde quando se envolveu com essa gangue?

- isso, não vamos falar disto, não faz bem. - Jeon mudando de assunto é porque a coisa não são fáceis, nem um pouco simples.

- me diz, por favor sem mais mentiras!

- ok, desde o dia que você recebeu a ligação, não percebeu que eu estava distante direto, nem atendia o celular quando você ligava, princesa eu jamais te ignoraria era porque eu não podia, estava em treinamento. - ele coça nuca, ato normal de Jeon se ficar sem jeito e nervoso.

- e como conheceu essa "gangue", e eu não percebi porque você mente bem. 

- ou você que estava distraída com outras coisas, que não conseguiu perceber né- finjo não entender a indireta que ele me dá. - eu conheci através de um amigo da boate, nome dele é Minhyuk. 

- acha certo, se por em risco por nada? por favor por mim, largue isso Jeon, vamos juntos ajeitar as coisas.

- juntos? ficou doida....por favor digo eu s/n, não diga besteira, eu que cuido de você aqui, e não ao contrário - seria agora a hora de contar sobre Junmyeon, e que terei proteção que ele não precisava fazer nada. - eu sei, desculpa se fui rude, mas eu tô cansado desse cara. 

- eu tô cansada de te ver fazendo tudo pra mim, eu só quero que você entenda...eu gosto demais de você pra te perder....eu só...- assim que iria completar o que dizia, fomos interrompidos por uma enfermeira.

- Olá, vocês estavam aguardando a autorização para ver o paciente Kim Taehyung? - assinto várias vezes com a cabeça. - bom, os pais dele autorizaram a entrada de vocês. 

- muito obrigado.

A moça se retira, e assim que vejo os pais dele na ponta da cantina, como se nos esperassem, tomei meu suco o resto dele pelo menos, em um jato me levantando, terminaria essa conversa com Jeon depois, agora a prioridade era Taehyung. 

- S/n, não fale nada, apenas vamos escutar a versão do Tae. - disse Jeon quando nos aproximavámos dos pais dele.

- Olá senhor e senhora Kim. - digo me curvando, e eles retribuem. 

- olá s/n, vocês poderiam me explicar quem agrediu meu filho daquela maneira? - nos entreolhamos, sem graça, não falaria de Yoongi, nem acusaria alguém inocente. 

- não sabemos de nada senhora Kim, realmente fomos pegos de surpresa, viemos para cá, pois fui procurar Taehyung e o encontrei assim.  - Jeon disse interrompendo o que eu poderia ter dito, e realmente piorado a situação. 

- Vamos por a polícia no caso, isso não ficará assim! - foi a vez do senhor Kim dizer algo, apenas engolimos em seco, indo para quarto 12, onde ele estava. Nós afastamos dos pais dele, e entramos no quarto. 

Notei que as persianas do quarto estavam abaixadas, e o escuro era bem evidente, nada de claridade entrava ali, sem ser meras frestas claras de luz, o mesmo estava com rosto muito cortado e machucado mal posso acreditar que Yoongi fez isso com ele, foi covardia demais, o mesmo estava deitado com as mãos sobre as costelas, seus cortes eram profundos, e um olho roxo imenso.

- Nossa...Yoongi pegou pesado mesmo! - comentário de Jeon tinha um tom irônico, e sarcástico, um leve sorrisinho brotava nos lábios dele, Jeon realmente estava feliz com o que aconteceu?

- porque parece que você está com semblante de sorriso?

- eu? sorrindo? capaz! claro que não, só achei...

- achou nada, esta feliz com o que aconteceu?

- aigo, ele mereceu! ok, essa é a verdade, tenho pena porque foi a surra, mas ele dormiu com você, e isso me deixa bravo. 

- pois é, mas foi porque eu quis ele não obrigou ninguém, então fique bravo comigo também, não ria mais dele assim!- Jeon fechou seu rosto em uma carranca brava, e se sentou na poltrona no canto do quarto. 

Caminhei até Taehyung, acariciando seu rosto, vi seus olhinhos inchados se abrirem, e ele sorrir quando me viu.

- s/n? que surpresa....você sumiu lá de casa. Me preocupei.

- caladinho, eu que estou preocupado com você, o que te aconteceu?

- Yoongi doente mental, foi na minha casa, e me bateu do nada, tentei me defender mais eu estava caindo de sono, ele vai me pagar... mas agora..estou dolorido demais para me vingar. - ele tenta se ajeitar para se sentar - Oi Jeon. 

- e ai! - o moreno respondeu, desviando olhar de mim para o Tae. 

- Como descobriram que eu estava aqui, na verdade nem lembro de nada quase - diz o mesmo, pondo as mãos sobre a cabeça. 

- eu te encontrei desmaiado - Jeon menti, ele so descobriu isso porque Yoongi contou. 

- o que foi fazer no meu apartamento?

- ia te buscar para irmos a faculdade, queria conversar outras coisas contigo, mas né, no final foi bom eu ter ido. estava atirado no chão. 

- pode deixar que me vingarei, isso não ficará assim.

eu só ouvi atentamente a conversa deles, teria que intervir de alguma forma. 

- nem pense, você vai ficar aqui, e se recuperar, nada de se envolver em mais brigas e confusões, depois iremos ver o que vamos fazer a respeito de Yoongi.

- sabe o que é mais estranho, não me lembro de ter feito nada a ele, mas mesmo assim s/n, não se meta isso é entre os homens.

- seus pais vão querer se interferir, o que vai dizer?- perguntou Jeongguk.

- isso deixem comigo, sei como me vingar e como fazer. - agora estava bem arranjada além dessa confusão teria que aguentar ainda, a vingança de Taehyung contra Yoongi, e pior, os dois eram amigos, e que motivo alegar a agressão para Tae, não posso dizer que foi uma crise de ciúmes de Yoongi, eu teria que resolver isto hoje. 

No meio de nossa conversa, meu celular tocou. 

.....Número desconhecido. ... 

estranhei a primeira vista, mas logo atendo o celular.

- Alô, quem fala?

- s/n, sou eu suho. 

- porque me ligou de número desconhecido?

- não posso correr o risco, do seu celular estar grampeado, você me enviou dizendo que mudou de casa, para os seguranças irem para outro local, mas a casa do seu amigo Taehyung foi arrombada a poucos minutos. 

- o quê? -  como isso era sem sentido, só se foi a invasão que Yoongi provocou, mas como explicar está situação embaraçosa ao delegado. 

- s/n, o apartamento que o rapaz que estava te abrigando mora, foi invadido, está tudo quebrado e destruído e a uma carta, eu encontrei e diz, para entregar você ao chefe, você sabe o que isso significa, Jackson sabe que você conhece esse menino, sabe do seu paradeiro, não demorara para ele ir atrás de você, precisa se esconder urgente, continue no endereço que você me passou essa manhã, fique onde ele não tenha ninguém para ameaçar.

- Precisamos nos encontrar, vou a delegacia mais tarde, você faz 2º turno a noite/madrugada?

-sim, te aguardarei até.  

As palavras do Delegado Suho, me matavam, ele estava correto demais quando disse que ponho todos ao meu redor em perigo, precisava mesmo recomeçar mas por agora seria impossível, eu tinha Taehyung no hospital, e além de tudo sofrendo as consequencias da minha vida, coitado na mira de Yoongi e Jackson de graça, eu não poderia permitir isto, são pessoas demais envolvidas, precisava cortas relações com todos, melhor ser odiada por eles, do que amada com todos mortos depois. 

- S/n, obrigado por ter me visitado, eu só queria saber quando você voltará para minha casa. - disse tae me olhando.

- agora que eu sei, que ela estava escondida na sua casa, não precisa jogar na cara - Jeongguk ciumento, sempre fofo. 

- como vemos ele sabe né, já que está com você, não precisa mais, já entendi.

- Tae obrigado por tudo, por ter me acolhido por um dia e meio, mas agora não posso, você fica melhor sem mim, somos amigos e morar com você vai fazer sua liberdade ser tirada, tenho muitos problemas.

- você sabe que eu disse, você não atrapalha mas a escolha é sua - o mesmo diz se recostando na cama, sim, ele fecha seus olhos como se fosse dormir. 

- se vocês não se importam estou com muita dor, preciso dormir. 

- Tudo bem cara, nos vemos, em breve - disse Jeon. 

Saímos do quarto e eu tinha como respirar agora, porque me sentia sufocada com estes dois ali, eu não sou a melhor menina do mundo, nem a mais linda, mas eu realmente vivia sem me importar se os outros criariam sentimentos por mim, não era nem aos pés do jeito que o Min é, mas eu também de todo santa não era. 

- Preciso ir, te encontro depois - foi o que Jeongguk disse, antes de pegar telefone e começar a falar, algo se afastando de mim, eu agora nem iria me intrometer no que ele faz, o mesmo já é adulto, não me deve nada absolutamente, eu tinha que falar a noite com Suho, mas eu ainda tinha algo travado em minha garganta, vi que Jeon estava muito irritado, e ligado na conversa, essa é minha deixa para fugir novamente, ele nem estaria notando a minha ausência por agora, saí pé por pé do hospital, eu tinha uma rota traçada na minha mente, e perguntas a serem resolvidas, eu iria sim, atrás dele. 

Min Yoongi

[...]

Mesmo longe da faculdade, eu ainda caminhava com a mesma velocidade que no início, eu não estava cansada, eu estava furiosa, mesmo eu mandando ele se afastar de mim, de maneira alguma iria deixar a situação com Taehyung assim, não é só por ele, é pela mania do Min achar que manda no mundo, que pode sair surtando assim, como se pudesse ser o rei de tudo, o que manda e desmanda na vida alheia, ele tem que saber a palavra limite, e entender  o que é respeito, culpar Taehyung sozinho ou o espancar não mudaria os fatos, de forma alguma. 

Minhas pernas queimavam a medida que eu avistava o grande prédio, que um dia foi minha residência também, eu andava me arriscando tanto saindo as ruas, como se eu sozinha pudesse me defender de Jackson e seus capangas, a turminha baba ovo do chefe, entrei correndo pela portaria, notando o porteiro que já me conhecia relaxar na cadeira, coitado devia pensar que era uma invasão até identificar sua queria ex moradora, pela qual passava por transtornos mentais em sua visão, subia para seu apartamento, com os cabelos totalmente desalinhados, e uma roupa toda errada no corpo,  já que corria muito, pois dinheiro eu não tinha para o transporte, mal posso imaginar a reação de Jeongguk quando descobrir que o abandonei la, mas para mim fazer isso, precisava ser sem a intromissão de alguém, lembrei-me que em meu chaveiro, continha a chave de porta, suspirei alivia em conseguir isto. E ainda mantê-lo comigo. 

Destravei a porta da casa, me deparando com a pior cena que já pude ver, a casa estava uma zona, totalmente bagunçada, tinha roupas para todos os lados, um verdadeiro caos dos piores que eu podia imaginar, tudo estava sujo, eram copos de bebidas, garrafas de bebidas alcoolicas, pela casa toda, eu diria que essa era casa dele antes de mim, mas não ele era até mais organizado antes, isso me soa tanto com Yoongi e suas crises existenciais. 

Notei algumas peças de roupas femininas pelo chão, e não eram um sutiã, mas sim dois, e se formavam um amontoado de roupas femininas no caminho para quarto dele, trilhei já sentindo meu corpo esquentar de novo, e não pela adrenalina de correr, mas sim de raiva, muita raiva do que eu estava imaginando, girei a maçaneta da porta do quarto do Min, tendo uma facada em meu coração, ele dormia no centro da cama, com duas garotas, acariciando seu peito, enquanto ele estava de olhos fechados, e as duas garotas nuas, com ele, que se encontrava da mesma maneira, somente com um lençol em sua cintura, eu queria chorar, aquilo era um golpe em mim, uma dor intensa se formou, o nó na garganta, apenas fiz algo que nem eu esperava. 

- YOONGI SEU DESGRAÇADO ACORDA!!!!- comecei atirar tudo que eu vi pela frente, sobre aqueles corpos nus na cama, que com certeza havia uma penca de doenças proliferando por ali. 

- HEY SUA IDIOTA, O QUE É ISSO SUGA? - aquelas malditas, tampam os seios com as mãos fazendo cara de desentendida, o vejo coçar os olhos, como se nada tivesse acontecido,  e me olhar, seu sorriso aberto se fechou.

- o que faz aqui s/n?

- quem é essa suga? - uma delas pergunta.

- essa é a ....IRMÃ DELE - vingança uma vez ele disse que eu era sua namorada, agora mentirei que ele é meu irmão. 

- por favor, vá embora - a petulância de Yoongi é tanta, que ele se levanta nu da cama, enquanto o olhar de nós três o fuzila, elas como se fossem apaixonadas e eu só com ódio mesmo, o mesmo vestiu sua cueca, e caminhou até a mim na porta, que me encontrava anestesiada com o que vi, eu estava tão mal por dentro, mas não daria este gostinho a ele, eu estava super certa, quando eu disse aquelas coisas para ele, eu sei que Yoongi não me ama, e não serei a trouxa a ama-lo de graça, sem motivo, me expor dessa maneira e acabar com tudo de bom que ainda existe dentro de mim. O mesmo me agarra pelos braços me arrastando dali mas me debato contra ele. 

- me solta, tira essas mãos imundas de mim. 

- quem te mandou vir aqui, se suma vá para Taehyung ou Jeongguk, mas me deixa em paz garota - ele fala, me soltando na sala. O mesmo trancou a porta com aquelas duas biscates do outro lado o chamando. 

- aliás eu vim aqui por isso mesmo, você foi agredir taehyung pelo que? você poderia cuidar mais da sua vida, ou dessas putas aidéticas que você pega, mas teve que fazer algo contra meu amigo. 

- aquele merdinha teve o que mereceu, Jeongguk receberia o mesmo se eu não tivesse segredos com ele - na mesma hora paro, e minha raiva se reverbera, corro até ele e começo a estapea-lo. 

- eu odeio ter te conhecido, odeio a sua existência. - eu dizia enquanto o batia na verdade enquanto eu tentava. 

- conta a novidade s/n, já sei disso. Pode ir agora, e deixar eu continuar a minha festinha?

- é isso que pra você é? uma curtição, porque se fez de ofendido então, quando eu disse aquelas coisas pra você,porque agrediu covardemente Taehyung? tudo por ciúmes, transa com elas é para me esquecer! - cuspo a verdade em sua face deslavada. 

- acha que é tão importante na minha vida, mas não é nada, somente te usei para ter sexo fácil, e nem isso você serviu, tive que me satisfazer com outras, para ter o que eu queria de verdade, que era sexo de qualidade. - ele disse, e eu começo a sentir as lágrimas teimosas e insistentes em meu rosto, eu fiz tantas escolhas erradas, como vir aqui agora. 

- eu vim aqui pelo tae não por mim, tô nem ai pra você, e sua vida mediocre, so me arrependo de ter deixado você me tocar, seu nojento. - saio correndo da sala, para porta, tentando a abrir, mas o mesmo empurra porta com força a fechando, colando seu corpo no meu, fazendo sua respiração alta bater contra minha boca.

- VocÊ fez isso, eu tentei ser legal, eu fiz de tudo, e você disse que não foi amor, que não foi nada, eu não vou mais me rebaixar. 

- Yoongi quando você se rebaixou por mim? NUNCA, você muda as palavras e o sentido das coisas, sabe que quem sempre correu atrás fui eu, mesmo sendo a maior durona, eu tô aqui assumindo isso.

- MAS EU JÁ ASSUMI MILHÕES DE VEZES PORRA, EU TE AMO TÁ. POR PENSAR EM VOCÊ QUE NÃO CONSEGUI FODER OUTRA NESSA NOITE, ELAS ESTÃO AQUI PORQUE EU NÃO ACEITO, VOCÊ CHEGAR NA MINHA VIDA ASSIM, E MUDAR OS CONCEITOS DA MINHA VIDA. 

- NÃO IMPORTA SE VOCÊ ME AMASSE, NÃO FARIA O QUE FEZ, AGORA VOLTA PARA AQUELAS VAGABUNDAS.

Me distanciei dele, e agora o mesmo me deixou abrir a porta e ir. Eu vou me afastar dele, e vou resolver isso agora, não tenho mais pelo que lutar, não tenho mais o que fazer, irei me entregar a Jackson e sim, vou fazer tudo voltar ao normal, Yoongi com sua vida cercada de vadias, Jeongguk de volta com Jimin, e tudo na santa paz, eu era a pedra no caminho de todos, então farei questão de me retirar de tudo isso, ver ele com aquelas duas, me revirou estômago, eu não podia mudar quem ele era, mas eu podia mudar a mim, se eu tiver que ser pra sempre escrava dos desejos de Jackson para viver longe de Yoongi, é melhor do que ver ele com outras, por tanto tempo prendi meu amor por ele, que agora é avassalador, é doloroso, forte demais pra um coração tão frágil como o meu. 

Me desculpe se não sou perfeita, se não fiz o certo por nós dois, nunca foi fácil, nunca fui fácil, mas seu jeito só dificultou as coisas. 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...