1. Spirit Fanfics >
  2. Bluepetals - The Holy Knights >
  3. A Garota Problema

História Bluepetals - The Holy Knights - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Eu deixei a capa do episódio com a planta do colégio, espero que esteja bem visível. Bom... Por fim, boa leitura! E desculpe qualquer erro de escrita.

Capítulo 2 - A Garota Problema


Fanfic / Fanfiction Bluepetals - The Holy Knights - Capítulo 2 - A Garota Problema

....

Não conversamos muito durante a noite, logo o toque de recolher foi ativado e eu não queria correr o risco de ser punida no meu primeiro dia. Na manhã seguinte, acordei duas horas mais cedo, devido a ansiedade não consegui pregar os olhos outra vez. Coloquei um moletom bem confortável (Estava frio) e desci. Quando percebi, estava deslizando até a cúpula que imitava um bosque. Não tenho certeza se tenho ou não permissão para sair do meu dormitório e invadir a cúpula, porém, resolvi não pensar nessa possibilidade. Sorrateiramente entrei e tive o cuidado de trancar o portão. Eram várias árvores de variados frutos, não tinha nem um animal esquisito por perto, apenas um gato arrisco que fugiu assim que me viu. Bom, pelo menos eu achava que não havia nenhum outro animal por perto. Poucos metros na minha frente, lá estava: Um Hipogrifo, enorme e faminto. Ele parecia machucado, a pata esquerda estava sangrando, e ele choramingava sempre que tentava andar. Como convivi minha vida inteira com os estranhos animais de Mia, meu coração se apertou de pena. Fui ajudar. Má idéia. Quando me aproximei, curvei a cabeça como um sinal de respeito, (a forma que deve se abordar um Hipogrifo) me aproximei com clemência e cautela, tentando passar confiança a ele

— HEY! GAROTA! MAS QUE DIABOS VOCÊ ESTÁ FAZENDO? — Droga.

 Uma voz masculina invadiu na minha direção, o bichano se assustou e ficou na pose de ataque para mim. Eu comecei a tremer, não sabia como escapar de virar comida de um animal mágico, comecei a andar para trás, até que tropecei em um galho morto e cai. Droga... Pense Hannah, Pense! Use sua magia, ele está machucado... Só consegui me arrastar para trás, ouvi passos (possivelmente do idiota que havia gritado) e cubri o rosto com o antebraço. Eu consegui sentir o bafo do Hipogrifo assim que ele rosnou, logo em seguida ele bateu as afiadas garras em meu braço. A dor ardente veio logo em seguida. Usei um truque da criocinese para atingir o bicho, ele grunhiu e surpreendentemente fugiu. Finalmente o garoto conseguira abrir o portão, veio correndo até mim com uma cara furiosa, porém, secretamente preocupada. Ele tinha olhos âmbar que me fitavam com adrenalina, pele branca e um cabelo quase totalmente preto, porém ainda com traços castanhos. 

— Mas que diabos você estava pensando? — Ele disse. Seu pomo de Adão subia e descia, consegui perceber por uma marca de seu ombro que era um demônio

— Ele estava machucado... Não achei que teriam animais não domesticados na Academia — Terminei a frase com uma careta e um gemido

— Como abriu a porta? — Fala sério... Ele vai mesmo me interrogar enquanto estou morrendo de hemorragia?

— Ela estava aberta. Tranquei no impulso... De qualquer forma, você vai mesmo me deixar morrendo aqui? — Disse com um tom irritado, ignorando a dor

Ele ia falar algo, mas desistiu antes que pudesse. Me agarrou nos braços e me levou, com cuidado, até uma micro ala de emergência perto da cúpula

— Estamos encrencados.. — Ele disse mordendo os lábios enquanto procurava alguns curativos

— Ele fugiu para mais fundo da cúpula. — Foi só o que eu consegui dizer enquanto ele limpava com algo ardido meu ferimento

— Olha... Eu quero que você fique calada, é o melhor que você pode fazer para si mesma — Revirei os olhos

— Eu só estava caminhando pela escola... E você? — O ferimento nem parecia tão ruim... Bom, talvez levemente fundo.

— Não precisa saber. — Que idiota.

— Tá muito feio? — Eu disse enquanto ele enrolava alguma coisa no meu braço

— Não. Você estava fazendo drama.. De qualquer forma, achei um remédio ótimo e passei...

Me recusei a agradecer, porém, como sou uma garota educada, disse:

— Obrigada. — Ele riu pelo nariz

Ok, da próxima vez irei esquecer que sou uma boa garota

— Temos uma hora até o horário de aula, volte para seu dormitório e não se meta em encrencas.

— Então... Então tchau. Mestre dos idiotas....

Disse essas últimas palavras em um sussurro, mas sinto que ele ouviu. 

.....

Cheguei no dormitório, porém não encontrei Beth ainda lá, creio que já havia saído para tomar o café da manhã. Coloquei o ridículo uniforme e passei no corredor dos armários, (vazios) e já consegui escutar o alvoroço do Refeitório. Deslizei pelos corredores e entrei no ambiente. Se ontem estava extraordinariamente vazio, hoje estava extraordinariamente cheio. Uau. As mesas estavam divididas certamente por seus grupos, cada um com uma quantia de atenção. Não demorei muito para perceber, que o mais "amontoado" era um que tinha uma garota como centro das atenções, era uma Demonia de cabelos negros e olhos perfeitamente verdes, deixava, como se quisesse exibir, suas características Demoníacas (Chifres e cauda). Em volta da mesa, ela dava olhares sarcásticos para os estudantes da mesa, e ao seu lado, pude perceber que, surpreendentemente, o meu "herói babaca" de hoje cedo, estava ao seu lado, e parecia levemente com a morena. 

Me virei para trás e consegui ver finalmente Beth, em uma mesa não muito grande, com um casal de kitsunes (no sentido de gêmeos). Acenei para ela, dei sinal que iria pegar o café e logo me juntaria ao grupo.

Peguei um sanduíche de frango e um capuccino gelado, andei sob alguns olhares curiosos, porém ignorei e me sentei.

— Hannah, esses são Jack e Lua. — Assim que me sentei, Beth me apresentou os gêmeos. 

Lua parecia doce e tímida, disse um sereno "Olá" e se virou para o irmão. Jack era engraçado e confiante, ergueu a mão como forma de cumprimento e voltou a comer.

Eles tentaram diversas vezes me puxar para o assunto, porém, eu estava ocupada demais olhando a Morena Demoníaca do outro lado do refeitório.

— Lilith? Sério? — Lua disse me encarando.

— Lilith? O nome dela tem ligação com a atenção que recebe? — Mudei minha atenção para Lua, soltando uma risada pelo nariz

— Ela tem grande ligação com o rei de Underworld... E talvez com o do inferno também.. — Lua disse continuando o assunto. Beth e Jack conversavam freneticamente da outra ponta.

— O que isso significa? — Perguntei, me virando discretamente para Lilith

— Ela é uma Demônio de Elite. Aquele moreno lá também, o Nathaniel. — Então o babaca era importante

— Lilith é chamada de garota problema.. Além disso, os garotos morrem por um par de seios dela. — Ri pelo nariz, e continuei interessada:

— Porquê garota problema? — Lua balançou a cabeleira mel, preocupada se não havia espiões

— Não sei ao certo... Ela bota muito medo em todo mundo, principalmente os calouros... Falaram que esse é o terceiro ano dela aqui, porém continua no segundo ano... Pelo que sei ela é extremamente inteligente

— Então porque... — Como forma para mudar de assunto, Lua me cortou, fazendo eu me virar rapidamente

— Beth disse que você é aluna nova, mas já está na segunda fase.. 

— Eu estudava em casa com minha irmã, me saí bem no teste e pulei de fase. 

Assim que a sirene tocou, fui acompanhada por Jack e Lua até o prédio central, e de lá fomos para a Sala 2°A História.

Tinham no total de três mesas duplas na sala, estranhei a pouca quantidade, porém me sentei, logo depois uma fada loira se sentou calada ao meu lado. Até que vi. Os últimos alunos a entrar. Nathaniel e Lilith. Droga. De todas as várias turmas dois tive de cair justo na da garota problema? Que ano.

Cinco minutos depois, um elfo franzino e baixinho entrou, trazendo consigo uma maleta e uma prancheta. Colocando a mala na mesa, ele estralou os dedos, pondo início a um bordão:

— Como todos vocês... Sabem... Vocês... Tem... Apenas... Três anos... Para se... Tornarem.. Cavaleiros Sagrados.. — Caraca. A voz dele era de um velho que passara a vida inteira fumando, além de ser arrastada e tediante. 

— Quero... Que vocês... Como a turma A — Turma dos renegados que são bons demais para ser verdade. Basicamente é o que o artigo dizia, só que em uma escrita proficional.

— Tenham... Um... Bom... Empenho. — Ele limpou a garganta

— Sei... Que... Já... Devem... Estar... Cansados... De... Estudar.. Sobre os dez deuses... E a história... Da criação... — Limpou a garganta de novo... Pelo amor de deus, alguém de uma pastilha para ele.

— Porém... Vocês... Farão um trabalho... Em dupla... Fazendo... Um último... Resumo sobre isso... Para debaterem.. Sobre... O conhecimento. — Ótimo. Eu nunca estudei em uma Escola preparatória, sempre tive aulas em casa, não sei se sou a melhor pessoa para trabalhar em equipe.

— Eu escolherei as duplas.. E vocês... Trocarão... De lugar... Para... O debate... Em.. Silêncio... — Que eu não caia com a Lilith....

— Sra Walter... E Sr Moringstar — Ele se referiu a Lua e o Mestre dos Idiotas.

Cruzei os dedos por debaixo da mesa, com medo do resultado...

— Sra Moringstar... — Por favor... Por favor...

— E Sra Swan. — Meu estômago despencou. 

Continua









Notas Finais


Eu espero que tenham gostado desse capítulo... Eu tive que reescrever ele duas vezes por ter pedido :")


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...