1. Spirit Fanfics >
  2. Boa Memória >
  3. Capítulo Único

História Boa Memória - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores,fiz minha primeira songfic 🖤 Ela é uma mistura de 3 músicas do Luan Santana (sim,eu usei músicas do Luan e também me surpreendi), as músicas são:
Asas
Boa Memória
Choque Térmico
Beijos,aproveitem 🖤

Capítulo 1 - Capítulo Único


Bakugo e Uraraka haviam terminado seu namoro secreto a cerca de 4 meses, ele tentou seguir em frente, tentou não sofrer e se afastar da garota, mas estava sendo um verdadeiro inferno. Parece que tudo naquela merda de dia conspirava contra a ele, primeiro Aizawa o coloca de dupla com ela, segundo a garota acabou torcendo o tornozelo graças ao idiota do Todoroki e ele teve que carrega-la até a Recovery Girl e por último, ele estava tendo que assistir Deku treinar com sua garota.  

“Se controle, Katsuki — respirou fundo — Ela não é mais sua garota, você abriu mão disso”  

Cansado de toda aquela palhaçada, resolveu explodir algumas coisas para desestressar. Tinha mais algumas pessoas na arena, uma dela estava ouvindo uma música insuportável que retratava a vida do garoto agora, ele tentava não ouvir, mas parecia impossível.  

“Pedi pra Deus abençoar sua vida 

Não pense que eu te quero mal 

To aqui na torcida” 

Sua mente vagou para o dia em que ele terminou com a castanha, ela perguntava o porquê de tudo aquilo agora, já tinham passado por tanta coisa e estavam bem, bom, era o que ela achava. Katsuki sabia que tinha um motivo para aquilo, a popularidade da menina havia caído depois que eles começaram a treinar juntos e ele sabia o quanto aquilo era importante para o futuro dela.  

“Que vocês viagem o mundo 

Conheçam um pouco de tudo 

Que tenha pôr do sol 

Banho de chuva e vento na cara 

Faz amor no meio da estrada 

Eu te desejo tudo isso e muito mais 

Muito mais” 

Ele desejava a felicidade dela, mas não estava pronto para vê-la feliz ao lado de outro, ainda mais com o idiota do Izuku. Podia sentir suas mãos mais quentes, o poder das explosões havia aumentado. Não estava pronto para reivindicar aquilo que era seu por direito, Uraraka o domesticou como um gatinho e ele não podia negar.  

“Amar é deixar ir 

É saber sair de cena 

É ficar longe 

Pra não te causar 

Nenhum problema” 

Seus olhos buscaram por Ochaco, a encontrou o encarando, realmente é hora de sair de cena? É hora de deixa-la ir? Ele não podia mais causar nenhum problema a ela, seu futuro dependia disso e ele nunca iria se perdoar por isso.  

“Amar é deixar ir 

Te desejo o bem e só 

Ah, e que tenha uma boa memória 

Só pra você lembrar 

Que comigo ia ser bem melhor” 

Os olhares ainda se conectavam, ela estava só a 5 metros de distância dele, tão longe e tão perto ao mesmo tempo — “Eu não quero te deixar ir, Ochaco, mas eu preciso.” — aquilo estava lhe corroendo por dentro, que sentimento horrível de impotência. Desviou o olhar dela e voltou a se concentrar nas explosões.  

“Que você lembre dos momentos que tivemos juntos e possa guardar em sua memória eternamente, eu nunca irei te esquecer, minha lua” 

...♥... 

5 anos se passaram e Bakugo ainda sentia falta de algo, não importava se tivesse uma mulher incrível ao seu lado, não era a mulher, não era sua lua, não era sua Ochaco 

Olhava o pequeno convite em suas mãos, era o convite do casamento de Todoroki e Deku, ele não tinha muito contato com sua antiga turma, mas sempre acabava encontrando com alguém, menos com quem realmente queria. Mesmo depois do término, Bakugo acompanhou a vida de Uraraka de longe, viu a distância ela abrir sua própria agência de resgate e entrar para o top10, estava orgulhoso.  

Não sabia se deveria ir ou não ao casamento, na realidade, ele tinha medo do que poderia encontra lá. Nunca saiu na mídia se a castanha vivia um romance, nem mesmo uma foto dela acompanhada, esse era seu medo, ser pego desprevenido. Rondou Kirishima e até mesmo Denki para ver se eles sabiam de algo, mas foi em vão, nem mesmo Mina, a mulher do ruivo sabia de algo. 

“Só vai ter sua resposta se comparecer, Katsuki — suspirou — Na pior hipótese você enche a cara e dar trabalho para os seus amigos” — disse para si mesmo ao confirmar sua presença no evento.  

...♥... 

Lá estava ele, revendo seus amigos depois de 5 anos sem contato, alguns não mudaram muito, já outros ... Como previsto para o loiro, Kirishima e Mina haviam se casado e já tinham um filho, ficou feliz pelos amigos, mas não estava nenhum pouco interessado na vida deles, procurava por outra pessoa.  

— Cara, dá uma segurada — o ruivo riu do desespero do amigo em busca da mulher — Já já ela aparece, Uraraka sempre chega um pouco atrasada.  

— Cala a boca, cabelo de merda — o fuzilou com os olhos — Eu não estou à procura dela, estou apenas observando o pessoal.  

— Puta que pariu — Denki exclamou — Poderia ter inventado algo melhor.  

— Eu vou até o bar para não explodir vocês aqui agora mesmo — se levantou calmamente e caminhou até o bar.  

Com certeza ele atraia vários olhares por onde passava, Katsuki com certeza era um pedaço de mau caminho, mas nenhum olhar lhe interessava. Se sentou solitário no bar e pediu um copo de whisky ao bartender, estava distraído quando sentiu um olhar sobre suas costas, seu corpo se arrepiou por inteiro, ele sabia a quem era a dona daquele olhar, era ela, sua lua.  

Sentiu o cheiro de morango atrás dele, cinco anos se passaram e ela ainda tinha o mesmo cheiro, pode ver o vulto dela se sentando ao seu lado.  

— Katsuki — ela o chamou — Tudo bem? — perguntou sorrindo.  

— Uraraka — ele se virou para ela — Caralho — a mulher estava ainda mais linda, agora seus cabelos iam até a cintura e seu corpo estava ainda mais desenvolvido.  

— Vejo que ainda continua boca suja — riu — Como está? — perguntou de novo.  

Aquela risada o desarmava completamente, como era maravilhoso a ouvir depois de tanto tempo — Estou bem e você? — não conseguia desviar o olhar dela, linda não conseguia a descrever.  

— Estou ótima — sorriu.  

Eles passaram um bom tempo conversando, sem interrupções e sem ninguém olhando estranho. Uraraka o contou sobre sua agência e como estava conseguindo ajudar muitas pessoas e principalmente seus pais, o contou sobre suas viagens, expectativas e alguns sonhos que conseguiu realizar. Ele a ouvir atentamente, era maravilhoso a ter ali, se sentia completo e seu coração ficou ainda mais aliviado quando viu que ela estava sozinha na festa.  

— Alias, parabéns por sua nova classificação no top10 — sorriu — Finalmente conseguiu o que tanto almejou na vida, se tornar o n°1. Está se sentindo realizado?  

Se qualquer outra pessoa tivesse lhe feito essa pergunta, ele conseguiria mentir perfeitamente, mas a maldita pessoa que estava lhe questionando o conhecia bem o suficiente para saber que estava mentindo. A encarou por alguns segundos e tomou fôlego.  

— Se eu respondesse que sim, estaria mentindo — olhou para ela — Não, não me sinto realizado.  

— Oh — ela o encarou — Por que? — queria entender o motivo.  

— Falta algo — olhou nervoso para suas mãos — Na verdade, falta alguém — levantou seu olhou tímido para ela.  

— Qual é, Katsuki — ela riu — Você pode ter qualquer mulher que quiser, impossível não ter achado alguém até hoje — deu um gole no drink em sua mão.  

— Você achou? — foi direto ao ponto.  

Ela ficou vermelha como um pimentão e mudou sua postura — Não estamos falando de mim, Kats — infelizmente para ela, o homem que estava em sua frente sabia a ler perfeitamente e já sabia a resposta.  

Ele sorriu, como obra do destino começou a tocar uma música lenta e vários casais começaram a ir para a pista de dança. Percebeu que a garota olhava com vontade de ir dançar e não hesitou em convida-la.  

— Vamos lá dançar, cara de lua — se levantou estendendo a mão para ela — Só não acabe com meus pés  

— Sempre de bom humor — segurou sua mão sorrindo. 

No momento em que suas mãos se tocaram, os dois sentiram um choque em seus corpos lhe causando arrepios, se entre olharam de lado e tiveram a certeza de que os dois sentiram. Os corpos dançavam no ritmo lendo da música, estavam perto o suficiente para suas respirações se misturarem.  

Bakugo colocou as mãos na cintura da castanha e afundou seu nariz em seu pescoço, inalando seu doce cheiro de morango. A menor estava com os braços entrelaçados no pescoço do loiro, sua respiração estava lhe causando arrepios.  

— Uraraka — o loiro sussurrou. 

— Katsuki  

— Eu nunca deixei de te amar — confessou ali mesmo, em um sussurro, em meio tantas pessoas.  

— Eu também não, sempre te amei e sempre vou te amar — ela o apertou mais forte.  

— Você sempre foi a pessoa que faltava em meu lado, não posso mais te deixar partir — ele olhou em seus olhos — Eu te amo e não quero viver sem você.  

Não deixou nem a menor responder, em um movimento ágil juntou seus lábios iniciando um beijo com amor, saudades e desejo. Todos da pista voltaram a atenção para os dois, afinal Ground Zero estava aos beijos com Uravity, puderam sentir vários flashs sobre eles, com certeza isso estaria nos tabloides no dia seguinte.  

Encerram o beijo entre selinhos, a castanha estava vermelha como pimentão ao notar que todos a olhavam, não era acostumada a ser o centro das atenções fora do trabalho. Suas amigas de longe faziam joinhas e os homens gritavam e batiam palmas.  

— FINALMENTE — pode ouvir o ruivo gritando.  

— Vamos fugir um pouco? Prometo que vamos voltar.  

— Vou para qualquer lugar desde que esteja com você — sorriu o desmontando inteiro.  

Eles caminharam alegremente para o jardim, queriam ficar em um lugar mais reservado, Katsuki não conseguia esconder o sorriso, não se sentia feliz assim há tempos.  

— Ochaco — ele a olhou nos olhos — Esse meu coração frio e o seu beijo quente tá dando um choque térmico na gente, com tanto esquenta e esfria, nosso clima varia e já já eu fico doente — sorriu segurando as pequenas mãos da mulher — Você se lembra que sempre que um soltava o outro prendia? Se um tá de boa, o outro quer briga? E um sempre saia da frente ... Eu quis estar presente, mas sabia que não podia. Não sei se tem amor que aguente — essa era sua dúvida, será que o amor tinha aguentado?  

— Katsuki — ela estava emocionada com as palavras do loiro — Claro que eu me lembro, seu bobo — sorriu entre lágrimas — Desde que eu te conheci, desenho você na cabeça. Como eu poderia deixar escapar minha chance? Ainda mais agora que eu te reencontrei.  

“É como se morasse um céu dentro dum beijo seu 

É como se jorrasse mel dentro das suas palavras 

É como se existisse um mundo só pra você e eu 

É como se esse amor me desse asas 

Pra viajar em paz 

Pra viajar sem mais” 

E naquela noite, a lua e as estrelas viram a chama de um amor se reacender, presenciaram juras de amor mais sinceras e puras  jamais vistas em toda eternidade. Se Katsuki tinha uma certeza na vida, é de que ele amava Uraraka desde o primeiro dia que a viu e amaria até seu último suspiro. Ela era sua lua e iria lhe dar estrelas, sua vida finalmente estava completa com ela.  


Notas Finais


Espero que tenham gostado 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...