História Bob - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yaoi
Visualizações 24
Palavras 1.218
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Cap único


Fanfic / Fanfiction Bob - Capítulo 1 - Cap único

Mamãe me trancou aqui no quarto mais uma vez ela diz que não era para as visitas me verem por que eu sou um erro que nunca deveria existir

E o papai apenas obedece ela sem a o menos ligar para minha existência

Eu era muito sozinho, nunca tinha ido para escola sempre estudei em casa, nunca sai de casa pois me disseram que as crianças não querem fazer amizades com alguém como eu.

Mas agora eu tenho ele...

O Bob

"Ele faz dar vida para os meus brinquedos
Que ficam com olhos vermelhos tipo
O senhor caranguejo e o guaxinim"

Ele sempre vem a noite cuidar de mim e o meu melhor amigo

Bob diz que é filho de um anjinho que foi caído
E toda vez que se acende a luz do quarto
Fica espantado
Por isso ele inverte o crucifixo"

Ele é tão legal, ele diz eu pertenço somente a ele mas ninguém, então eu deveria ser fiel somente a ele

Faz um mês que falo o Bob então resolvi apresentar ele a os meus pais

O Bob não queria mas eu disse que os meus pais irão gostar dele.

Meus pais estavam na sala assistindo algum filme estranho que eu nunca entendia o que aconteciam

Eu sei que eles disseram que não era para eu pertubar

Mas eu tenho um amigo e eles disseram que eu nunca teria um amigo por que as crianças não iriam gostar de min

Mas eles estavam errados eu tenho o Bob 

Deci as escadas correndo em direção a sala o Bob ainda não tinha aparecido mas daqui a pouco ele iria chegar

Mamãe, tenho que te apresentar o Bob
Ele vem cuidar de mim enquanto tu dorme
Diz que teu tic tac tem um efeito extra forte
Que tu só levanta no amanhã por pura sorte"

Não sei por que mas ele levantou furiosa e me deu um tapa dizendo para parar de ser estranho e que eu não tinha amigos, ela foi para o seu quarto furiosa dizendo palavras feias

Papai, tenho que te apresentar o Bob
Ele vem cuidar de mim enquanto tu dorme
Diz que eu tenho outras mamães, que tu esconde até da morte
E teu nariz fica branquinho usando algo que não pode"

Ele não teve a mesma reação da mamãe fiquei feliz no começo pensando que ele queria conhecer o Bob

Mas ele apenas levantou e disse

"Vc nunca terá amigos pode criar quantos amigos imaginários vc quiser mas tenho certeza que nenhum deles gostara de vc realmente e sabe o que os amigos fazem? Eles te abandonam quando vc menos espera, agora volta para o seu quarto ou você ficará sem comer"

Comecei a chorar e voltei para o meu quarto o Bob não é imaginário ele existe e não vai me abandonar.

O Bob estava sentando na minha cama olhando para mim com raiva

Os seus olhos vermelhos sangue estavam mas claros mostrando sua raiva.

Ele me pediu para eu sentar no colo dele 

Eu não queria, li em um livro que isso é meio errado

Mas era o Bob que estavam pedindo então sentei

Senti algo estranho em baixo de mim mas ignorei

Bob começou a gritar dizendo que não era para eu fazer aquilo 

Ou ele iria embora.

Bob além de brincar comigo faz coisas estranhas comigo também mas ele diz quem isso que os amigos fazem

Ele me toca em várias partes estranhas do meu corpo

Mas é isso que os amigos fazem então não posso reclamar não quero estragar nossa amizade.

A noite logo se foi e o com ela o bob foi junto mas antes me deu um beijo na minha boquinha

Hoje meus priminhos iriam vim em casa

Eu odeio eles são todos maldosos

E eu sou obrigado a brincar com eles

Para mostrar como meus pais são bonzinhos com o filho

Eles estavam no meu quarto

Quebrando tudo e provavelmente colocariam a culpa em min depois

E eu só podia olhar sentando aquilo acontecer

Eles olharam para min e me perguntaram o que eram os desenhos no meu braço que o Bob fez

Eu disse que foi o Bob 

Ele não quer sair de mim
Já achou sua morada aqui
Ele rabisca o meu braço com desenhos estranhos
Queima a Bíblia e outros santos
E diz que nenhum querubim encostará em mim.

Meus primos ficaram espantados e correram para os seus pais

Não me perguntaram Mais depois mas quando foram embora meus pais me deram uma surra dizendo que meus primos e suas famílias não iriam mais vir aqui por culpa minha e minhas estranhezas

"Pq não vai falar indiotices com seus Amigo Bob"

Mamãe, tenho que te apresentar o Bob
Ele vem cuidar de mim enquanto tu dorme
Diz que tu é uma vagabunda de uma esnobe
E que o próprio Asmodeus te esperará com mil chicotes.

Ela ficou espantada e me deu um chute,eu cuspi um pouco de sangue

Papai, tenho que te apresentar o Bob
Ele vem cuidar de mim enquanto tu dorme
Diz que tu vai pro inferno e de la você não foge
Meus irmãos eram fetos que tu ordenou que aborte.


Eles saíram dali com preça dizendo a criatura ficou louco vamos ligar para o Samuel

Eu me levantei e voltei pro quarto

Bob estava me esperando dessa vez em pé no canto da parede sempre nos cantos mas escuros

Eu contei tudo pro Bob o que aconteceu

Ficamos conversando enquanto ele cuidava dos meus machucados

A porta do quarto foi aberta por um homen alta

Ele dizia se chamar padre Samuel

Bob ficou bravo e sussurrou uma coisa no meu ouvido para mandar o padre embora

Samuel me perguntou quem era Bob e pq não mandava ele embora ou parava de falar com ele

Ele não quer sair de mim, mim, mim, mim
Já achou sua morada aqui
Ele quer que você vá embora
Bate a porta do meu quarto
E nunca mais tente essa porta abrir.

O padre não mostrou nenhuma expressão

Ele iria ligar a luz mas o impedi

Não pode, não
Não pode, não
Não pode, não
Meu amigo Bob diz
Que é um menininho corrompido
E toda vez que se acende a luz do quarto
Fica espantado, por isso todo esse caco de vidro
Bob diz que é filho de um anjinho que foi caído
E toda vez que se acende a luz do quarto
Fica espantado
Por isso ele inverte o crucifixo.

O padre foi arremessado para longe e a porta se fechou

Ele não quer sair de mim
Já achou sua morada aqui
Ele pega a espingarda do papai
Que ele guarda no armário
Mira pra porta do quarto e diz: Ninguém vai entrar aqui!.

As vezes tenho mede do Bob mas somos amigos e amigos não podem julga o outro

Nessa mesma noite Bob disse que queria fazer algo diferente comigo

Ele me deitou na cama subiu em cima de min

Tirou minha roba e enfiou algo grande em meu bumbum

Doia muito muito mesmo pedi para ele parar

Mas ele continuava cada vez mais rápido

Sem ligar pro meu choro

Quando ele terminou

Me deu um doce

E disse que passaria logo

Eu ainda sentia muita Dor

Quando terminei o doce

Ele me perguntou se eu queria ir morar com ele

Eu aceitei 

Os amigos sempre tem que aceitar os outros

Ele disse que eu precisaria pegar a arma do papai entrar no quarto dos meus pais e atirar

Como um jogo

Eu não queria fazer isso mas Bob perguntou se eu não queria mas ser o amigo dele

E eu não queria deixar o Bob triste então eu fiz o que ele pediu

O Bob apareceu e me abraçou

Ele disse disse que agora começaria a segunda etapa

Eu precisaria atirar em min mesmo para viver com Bob

O Bob é meu único amigo não posso decepcionalo

ELE É MEU AMIGO E EU FAREI TUDO POR ELE







Notas Finais


https://youtu.be/Q5SNSMJwias

Desculpa se ficou ruim estava melhor na minha cabeça


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...