História Boca de sal II: Namjin - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin)
Tags Amor, Idols, Namjin, Sobi, Sope, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 118
Palavras 3.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Irmãos refugiados lgbt quem diria


-...Demorou. - Jin comentou quando eu fechei a porta do meu quarto.

 

Estava deitado na minha cama, com todo o conforto. YoonGi estava sentado na janela fumando quieto, ausente como tinha estado de manhã no muro da escola. Hoseok estava no chão massajando os pés do namorado.

 

-Correu bem. - eu disse jogando a minha mochila para o chão antes de me sentar na minha cama - Está tudo resolvido com o Jimin.

 

-Está? - olhou para mim duvidando daquilo.

 

-...Ele vai falar consigo depois. Tem algo para te dizer. Aliás, se ficarem amigos de novo ele tem muito para te contar.

 

-Mmh... - Jin olhou para mim amuado de não ter passado a tarde com ele.

 

-O que foi? - Passei a mão pelo rosto dele.

 

-Esqueça, esse aí está impossível. Não se calou a tarde inteira. - Hoseok anunciou fazendo Jin reprovar a informação?

 

-Posso mudar isso? - Olhei para Jin com carinho e ele sorriu seduzido.

 

-Não me olhe assim. - Deitou-se de barriga para baixo na minha cama e eu deitei-me com ele dando carinhos na cabeça dele.

 

-Anda Hoseok, não sou empata fodas. - YoonGi saltou da janela e saiu do quarto sendo seguido por Hoseok.

 

Sendo deixado sozinho apenas com Jin eu não me atirei a ele como talvez ele esperasse. Sentei-me de novo na cama e massajei as costas dele o que o deixou relaxado antes de beijar o pescoço dele devagar com cuidado.

 

-Desculpe eu não te estar dando atenção esses últimos dias.

 

-Sinto-me ignorado. - Declarou de olhos fechados - Quero entregar eu todinho a você e você finge que não vê.

 

Eu suspirei sabendo que ele não estava exagerando.

 

-Jin... Você acha que não se vai arrepender? De estar comigo?

 

Jin olhou para mim confuso e enojado.

 

-Você enlouqueceu?

 

Sim, muito provavelmente. Então, Seokjin tinha falado com os seus pais sobre o seu futuro e tinha tido uma grande briga com o seu pai. Agora as coisas estavam calmas pelo que ele dissera. A conclusão de tudo aquilo era: Jin não iria para a faculdade. Ele queria trabalhar e sair de casa dos pais, mas isso não aconteceria da noite para o dia. Ele teria de primeiro terminar a escola, arranjar emprego e depois juntar dinheiro suficiente para se mudar. A questão de se mudar para Ilsan tinha sido rejeitada pelos pais dele a 1000%. Mesmo tendo compreendido que ele fosse sair de casa, Jin mudar-se para tão longe era cruel para eles. Jin no entanto ainda estava criando um plano. Na cabeça dele quando ele tivesse trabalho iria guardar a maioria para ter uma casa dele e outra parte seria para me visitar semana sim semana não. 

 

Mas eu sabia que em pouco tempo as coisas entre nós morreriam. Era só tempo que era preciso e nós teríamos demasiado tempo contra nós.

 

-Só estou perguntando.

 

-Joon, já te disse que vamos ultrapassar isso. - Segurou a minha mão sentando-se na cama - Você não confia em mim?

 

-...Confio.

 

-Então... - Puxou a minha mão - Vem aqui.

 

Por mais que achasse aquilo uma causa perdida não tinha coragem de terminar. Mal Jin me puxava eu ir na direção dele como um íman. Por isso eu acabei aos beijos com ele. Ele era bastante sedutor, bastava dizer ah que eu já não sabia me descolar dele. Ele trocou de lugar comigo ficando em cima de mim já puxando a minha camiseta para cima e tocando onde não devia. Porque Seokjin não só amava o perigo, ele era o próprio perigo. E eu caía sempre. Sentia-sempre que Jin era um oceano e beijá-lo era tanto me afogar como me salvar.

 

Já tinha as mãos querendo despir ele também quando ouvi um clique e separei-me dele.

 

-...A seohyo. - Murmurei.

 

Ele saiu de cima de mim recompondo-se já de pé e eu estava ofegante e lento. Passei os manga pelos lábios limpando a saliva dos lábios levantei-me voltando a mim mesmo.

 

-Desculpa... É melhor eu ir. - Jin disse mas antes que pudesse sair do quarto Seohyo abriu a porta e ficou surpreendida vendo ele ali.

 

-...Jin...?! - Sorriu - Onde está o YoonGi?

 

-No quarto dele. Com o Hoseok. O Jin veio-me perguntar se eu queria ir ver um filme com eles.

 

-Ele é mais velho que você, Namjoon. Devia tratar ele por Hyung.

 

-Isso deixa-me desconfortável, na verdade. Eu vou... - Jin apontou para fora do quarto e saiu.

 

Seohyo fitou-me e encostou a porta para se aproximar de mim.

 

-...Não quero que você fique sozinho com ele.

 

-O quê?

 

-Não se finja de desentendido. Ele não é bom, Namjoon. É um menino muito falso e manipulador. Para não falar do óbvio.

 

-O óbvio?

 

-Ele é uma bicha, Namjoon! Não quero você perto dele. Você é demasiado ingénuo, demasiado passivo para estar com uma aberração como o Jin. Confiaria demasiado naquele sorriso dele, como toda a gente confia. Não seja como o YoonGi. Não confie nele. Não fique próximo dele, ignora ele se ele falar contigo. Você entendeu?!

 

-Não entendo porquê essa preocupação de repente.

 

-Eu vejo como ele olha para si, ele quer fazer mal a você, Namjoon. Deve querer que você fique atrás dele. Que você nem pense em me desobedecer, Namjoon!

 

-Desobedecer o quê?

 

-EU NÃO TE QUERO PERTO DELE. - Ela gritou do nada assustando-me e fez-me encostar à parede - Se eu sei que você deixa ele tocar num cabelo seu que seja, eu estragulo ele.

 

-...P-Porquê que está dizendo isso a mim?

 

-Porque eu sei como você é burro! Você deixa toda a gente usar você como um idiota e eu não quero que ele use você. - Ia passar a mão pela minha cara.

 

-Mãe? - YoonGi chamou na porta do quarto - Está gritando com o Nam porquê?

 

-Não se meta nisso. Isso não te interessa.

 

YoonGi perdeu a paciência.

 

-Nam, anda para o meu quarto vamos ver um filme.

 

-Ele está tendo uma conversa comigo.

 

-Isso não me interessa. - YoonGi respondeu irónico - Vem.

 

-Ele não vai a lado nenhum e você vai dizer aos seus amigos para irem embora. - Seohyo falou séria.

 

-Porque eu faria isso?

 

-...Eu quero o Jin fora dessa casa agora. YoonGi.

 

-O que aconteceu?

 

-Aconteceu que eu conheço o Jin e não o quero mais perto dos meus filhos.

 

-O que quer que você tenha visto...

 

-Hyung - Chamei para ele se calar antes que contasse algo que não devia.

 

-...Faz eles saírem ou eu faço. - Ela ameaçou.

 

YoonGi não se mexeu, ainda confuso e a mãe dele escapou-se por entre a porta do meu quarto e entrou no quarto do YoonGi com raiva.

 

-...Mãe! - YoonGi seguiu-a e eu saí do quarto - Mãe, o que...?!

 

Tudo aconteceu demasiado depressa. A Seohyo saiu do quarto puxando Jin que parecia confuso e assustado antes de YoonGi se meter ao barulho e Hoseok se aproximar ainda dentro do quarto de YoonGi. Jin estava encostado à parede sem saber o que dizer ou que fazer e eu estava à porta do meu quarto com o mesmo sentimento.

 

-...YoonGi, pare de me enervar! - Ela gritou - Eu quero ele fora de minha casa!

 

-O Jin não fez nada de mal mãe!

 

-Não, ainda não, só tem intenções. Mas eu não sou burra, YoonGi. Leve o Jin para fora da minha casa antes que eu o ponha à força.

 

-O que eu fiz? - Jin teve a sua voz falhar.

 

-O que você não faz?! - Ela gritou com ele e ele encolheu-se - Você é tóxico desde criança, sempre se achando melhor que os outros, sempre tentando colocar o YoonGi contra mim porque eu tentava protegê-lo de você! E agora pensa que eu não vejo que também quer se aproximar do Namjoon?! Não o vai converter à sua mania, não tente. Jin, eu nunca mais quero você perto dos meus filhos, ouviu?! Eu quero você longe da minha família! - Seohyo empurrou Jin que foi contra a parede e eu e YoonGi ficámos entre eles os dois - Os meus filhos não são como você florzinha!

 

-Você não está pensando bem, o Jin não fez nada de errado, mãe!

 

-YoonGi...

 

-Eu vou embora. - Jin falou fraco - Eu não tenho de ser insultado...

 

-Vá e não volte!

 

Jin virou costas para ir embora e antes que YoonGi pudesse se mexer a mãe dele agarrou no braço dele.

 

-Você não vai a lado nenhum, nunca mais vai falar com ele ouviu?!

 

-Você não pode proibir isso. O Jin é o meu melhor amigo. - YoonGi disse e Jin ficou olhando para ele

 

-Você faz isso e eu... - Seohyo pegou YoonGi pela camiseta mas ele próprio agarrou nas mãos delas.

 

-E você o quê?! Vai bater em mim? Não me interessa, eu vou sai dessa casa.

 

-Vai o quê?!

 

-Você ouviu. - YoonGi declarou e levou um tapa no segundo o que o fez suspirar - Bate o que você quiser, eu já não tenho paciência para te aturar.

 

-Desculpa?! Eu sou sua mãe você não fala assim comigo!

 

YoonGi cruzou os braços e respirou fundo.

 

-Hobi, é melhor você e o Jin irem embora.

 

Eles obdeceram e eu só vi o olhar triste de Jin antes de ser arrastado por Hoseok para fora da nossa casa. A Seohyo foi para a cozinha e YoonGi puxou-me para o quarto dele à força embora eu nem resistisse.

 

-...Eu... Namjoon, eu acho que vou embora hoje. - Esfregou as mãos na cara - Eu já te tinha dito que ia sair de casa, esse é o momento. - Suspirou tirando uma saco grande debaixo da cama - Eu só... Tenho medo por você, eu não quero pressionar você a sair comigo, mas eu tenho medo que você fique aqui sozinho.

 

-...Para onde você vai? - Observei ele tirar roupa do armário e arrumar no seu saco.

 

-O Jin falou de uma organização LGBT+ aqui em Seoul que arranja quartos a jovens que não têm casa. É temporário. Eles não pedem renda no primeiro mês para as pessoas terem tempo de arranjar emprego.

 

-Eu quero ir consigo. Eu nem preciso dum mês, eu vou embora para Ilsan logo. 

 

YoonGi olhou para mim e suspirou.

 

-O seu pai está quase chegando. Nós não queremos lidar com ele. Vá ao seu quarto e faça as malas. Pegue em dinheiro se tiver, ou nas coisas de valor e faça isso rápido.

 

Eu obdeci e arrumei tudo o que consegui. Tinha de levar apenas o importante e era isso que eu estava tentando encontrar. Arrumei a pouca roupa que tinha e os sapatos numa mochila. Depois peguei em dois cadernos e nos meus livros favoritos. Era onde escondia dinheiro e fotografias da minhas mãe por isso levei-os também juntamente com o computador.

 

Depois YoonGi entrou no meu quarto e jogou as mochilas dele no chão.

 

-Tarde demais. - Ele disse - O seu pai já chegou. Nós não podemos sair pela porta.

 

-Quê?!

 

-Vamos ter de sair pela janela.

 

-Hum... - Olhei para a janela e acenei.

 

-Ok deixa eu pensar. - Pediu impaciente - Nós não vamos conseguir sair daqui com as malas pela porta da frente.

 

-Então, não saímos com as malas. - Falei baixo.

 

Ele abriu a janela e atirámos as mochilas para a relva a uns metros da janela. Felizmente haviam uns arbustos ali e escondia as malas de quem passasse na rua. Não que estivesse lá a minha grana. Tinha escondido isso nas meias e nos bolsos.

 

-E agora?

 

-Veste uma jaqueta, e... Vamos fingir que vamos jantar fora. Você tem tudo certo?

 

Eu acenei obdecendo de novo e ele bateu no meu braço:

 

-Está bem, vamos embora.

 

Ele abriu a porta e eu saí do quarto sentindo o peito pesado por medo do que iríamos fazer. YoonGi foi buscar a jaqueta dele e respirou fundo colocando uma caixinha dentro da jaqueta antes de sair do quarto e fechar a porta.

 

-Vem.

 

Segui ele até à sala onde eles estavam e tive logo a confirmação que estava um ambiente pesado ali.

 

-Eu e o Nam vamos comer fora.

 

-Não, não vão. Vocês estão de castigo.

 

Olhei para YoonGi.

 

-Não temos idade de sermos castigados.

 

O meu pai riu.

 

-Não têm idade? Enquanto viverem aqui e formos nós sustentando vocês, vocês têm idade para serem castigados.

 

-Ótimo que você fala isso. Eu vou sair de casa.

 

-Que conversa ridicula é essa?

 

-Chame o que quiser, é a verdade.

 

-Namjoon, vá para o quarto precisamos de falar com o seu irmão.

 

Eu engoli a saliva que tinha na boca. Estava tremendo e nervoso ao contrário de YoonGi, mas aquilo era o momento por que tanto tinha esperado. Era o final daquele capítulo horrível da minha vida com eles. Eu estava a um passo da liberdade.

 

-Eu também vou embora.

 

-Ah sim, - Seohyo falou irónica. Como sempre, você não pensa por si mesmo e segue cegamente o YoonGi. Não vê que o seu irmão é um irresponsável?!

 

-Também eu o sou, segundo você.

 

-Namjoon, não abuse...! - o meu pai ia fazer-me algo mas o YoonGi se colocou na frente.

 

-Ou o quê? Vai bater nele?

 

-YoonGi sai da frente do seu pai.

 

-Ele não é meu pai. Nunca foi, nunca será e você é a única que o chama disso. Ele nem gosta de mim.

 

-YoonGi...

 

-Não o estou dizendo com pena, eu odeio você. Desprezo você. Bastante. - Yoon falou olhando nos olhos do meu pai.

 

O meu pai ia socar YoonGi mas ambos eu e YoonGi segurámos no braço dele.

 

-Namjoon, não o defenda!

 

-Porque não? No último mês ele tem sido mais meu irmão do que você foi meu pai os últimos anos. Eu nunca pedi nada demais e tudo o que você fez foi tornar-me um alvo fraco. Sempre deixou essa mulher aterrorizar-me e sempre descarregou em mim quando estava bravo. Sem razão. Eu vou sair daqui sim e você nunca mais me vai ver. Deviam estar felizes, não precisam de lidar mais comigo.

 

-Você é tão dramático...! - o meu pai revirou os olhos afastando-se irritado e impaciente com as mãos na cintura.

 

-Ah sabe. As bichas são assim. - saiu-me e YoonGi cruzou os braços calado esperando as reações.

 

-Quê? O que você disse?

 

-Que somos assim. As bichas são assim, dramáticas. - falei trêmulo desejando que Jin estivesse ali comigo segurando na minha mão quase como um dedo do meio aos dois ali à frente.

 

-É bom que você não esteja dizendo o que eu penso que você está dizendo, Namjoon. - O meu pai falou com um sorriso assustador e bastante ameaçador de quem parecia poder enlouquecer e matar-me ali mesmo.

 

-...Eu sou gay mesmo. - Declarei e nem tive tempo de piscar os olhos porque o meu pai lançou o corpo ao meu empurrando-me contra a parede à força.

 

-VOCÊ É O QUÊ? - Deu um soco na minha boca com tanta força que o meu lábio inferior ficou dormente - É BOM QUE VOCÊ REPENSE O QUE ESTÁ DIZENDO, EU MATO VOCÊ NAMJOON!

 

-LARGUE ELE! - YoonGi puxou o meu pai com tanta força que o meu pai caiu no chão e YoonGi empurrou-me para nos irmos embora mas a verdade é que eu tinha de lhe dizer antes que aquele nó me ficasse preso para sempre na garganta.

 

O meu pai ia nos atacar mas Seohyo segurou ele pedindo para ele não se machucar. 

 

-...Você estava certo, a mãe encontrava-se com a vizinha às escondidas. - limpei o sangue da boca ofegante - Sempre me disseram que eu era mais parecido com ela mesmo. 

 

Deixei YoonGi me empurrar para o corredor mas a mãe dele puxou ele pelo pulso:

 

-Você não sai daqui YoonGi, você vai resolver isso! - Ela exigiu chorando.

 

-Resolva você. - Ele jogou as chaves de casa dele no chão - Você já mostrou que não precisa de mim. Aliás, você sempre mostrou isso. Eu é que fui burro e fiquei consigo porque você era minha mãe.

 

A mãe dele deu-lhe um tapa. E depois outro e depois perdeu o controlo arranhando ele e gritando antes de o meu pai a puxar para trás.

 

-Bata o que quiser, é a última vez mesmo. - YoonGi fungou antes de me empurrar apenas para criar distância e basicamente corrermos para a porta de casa para sairmos - Namjoon, você tem a sua chave?

 

Eu procurei a minha chave à pressa tremendo porque ele estar puxando a maçaneta para o nosso lado enquanto a mãe dele tentava abrir a porta do lado de dentro. Consegui achar a chave e coloquei na porta rodando e trancando eles dentro de casa.

 

Corremos para fora do prédio agarrámos as mochilas e corremos. Não percebi bem para onde e até o fim da rua YoonGi desistiu de correr e só tínhamos o passo apressado.

 

-...Vamos para onde agora? Aonde fica a organização?

 

-Não sei.

 

-Como assim não sabe? Onde estamos indo?

 

-A casa do Jin. Ele é que sabe para onde temos de ir. - Pegou no celular e deve ter mandado mensagem.

 

//

 

-...Eu estava morrendo de preocupação quando saí da vossa casa. - Jin encostou gelo ao meu lábio.

 

O olhar do pai dele sobre mim não era tão severo dessa vez. Ele e a mãe de Jin estavam encostados à banca da cozinha observando eu e YoonGi sendo cuidados por Jin. Taehyung também estava ali. Comendo e bastante satisfeitos com os arranhões no rosto de YoonGi.

 

-Nem acredito que eles vos trataram assim. - Jin suspirou.

 

-Eu acredito. - olhei para ele que torceu os lábios - Até nem foi mau. Tendo em conta as surras que já levei deles os dois.

 

Jin passou a mão pela minha nuca em carinho sem saber o que me dizer.

 

-YoonGi, foi preciso muita coragem para você fazer frente à sua mãe. - A mãe de Jin falou de braços cruzados.

 

-...Coragem? Mais da parte do Namjoon que da minha. Eu simplesmente acordei e percebi que a minha mãe não gosta mesmo de mim.

 

-Eles batiam muito em você? - O pai de Jin perguntou-me diretamente e eu olhei para ele receoso.

 

-Sim. Mais a mãe do YoonGi durante esses anos. Mas nos últimos meses era o meu pai que era pior. - Segurei o gelo.

 

-Você não tem mãe?

 

-Já morreu.

 

-E outra família?

 

-Sim, estão em Ilsan. É para onde vou viver tendo em conta tudo isso.

 

Pensei que seria impossível fazer os olhos de Jin perder ainda mais luz. Ele estava muito triste naquele dia e tocar naquele assunto foi o pior.

 

-...Por isso a conversa de Ilsan. - O pai de Jin olhou para Jin decifrando-o e Jin simplesmente fechou os olhos à beira de chorar.

 

-Meu Deus, você pode parar?! Por um dia?! Apenas um dia?! Pode parar?! Apenas por um dia?! Por favor?! Apenas hoje?! Eu não tenho paciência, não é o momento! Pode parar?! - Jin olhou para o pai que relaxou os ombros.

 

A mãe dele foi até atrás dele e abraçou o filho com força.

 

-Calma. Não foi você que levou porrada, não seja dramático. Os seus amigos precisam é de comer, vamos jantar.

 

-Dona Kim, muito obrigado mas nós só viemos aqui pedir um favor ao Jin. Ele é que fez questão de cuidar de nós, não é preciso. Já temos o que queremos, podemos ir. Não queremos incomodar.

 

-Por amor de Deus, Yoon, vocês não incomodam nada! - A mulher disse - Você é basicamente meu sobrinho. E o Namjoon é meu genro, jantem aqui.

 

-Muito obrigada, dona Kim, mas eu não tenho fome. - tentei sorrir.

 

-Não tem fome porque está nervoso, não interessa, tem de comer. - O pai dele falou surpreendendo-me - Tae, encomenda pizza para a gente.

 

Taehyung suspirou e saiu da cozinha. A mãe de Jin ficou falando com o marido sobre algo deles e eu notei o jeito como ela falava. Jin era mais parecido com ela e Taehyung era muito parecido com o pai deles. E não era só na aparência, a mãe de Jin era linda e o jeito como falava com o marido, como sorria e como tocava nos braços dele e mesmo segurava a mão dele era sedutora. Tal e qual Jin agia comigo.


Notas Finais


uwu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...