1. Spirit Fanfics >
  2. Body n' Soul >
  3. Apaixonado por um rapaz que apenas me usa

História Body n' Soul - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Contém palavras de baixo teor

Capítulo 6 - Apaixonado por um rapaz que apenas me usa


(KEVIN)

Era ótimo no começo, a gente só tinha um casual, nos víamos e conversávamos um pouco, e depois mais sexo.

Sexo toda hora, até não aguentar.

Ele começou a usar o que fazíamos na cama para histórias eróticas, e que acabou dando uma "encorpada" e alguns fãs perceberam isso, mas a repercussão foi positiva.

Mas de uns tempos para cá, comecei a me sentir estranho. Eu gostava de estar com ele, mas desse jeito começou a se repetir o suficiente para eu meio que cansar.

As desculpas foram chegando e o cansaço, provavelmente eu estava me cansando disso, me sentia meio sujo e usado, mas não fui o único a perceber isso. A tempos Caio me rondava junto a Ana, que acabara de voltar da outra faculdade.

.

Eu me sentei com eles na hora com almoço, até Ana me confrontar.

Ana: Fale logo, sua peste! O que se passa nessa cabeça?

Kevin: Nada...

Caio: Fala agora ou a gente corta o seu pescoço com esta faca.

Está tudo certo que ele usava uma faca feita de bambu, mas eu resolvi me abrir para eles.

Dei um suspiro meio alto e uma longa respirada.

Kevin: Estou saindo com um cara já faz um tempo...

Caio me cortou logo na história

Caio: CONTA TUDO!

Ana: Caio, se o senhor não se calar, vou cortar sua língua com essa sua faca.

O silêncio ficou por 5 segundos até eu retomar.

Kevin: Eu gosto dele, mas a gente está só fazendo sexo casual. Eu gostei no começo, mas agora isso me abala.

Ana: Conversa com ele sobre isso, ele deve te entender.

Caio: Sai dessa, isso é cilada. Se vocês estão assim por um tempo, não rolou nenhum sentimento?

Eu forcei um sorriso e comentei.

Kevin: Estou apaixonado por um rapaz que só me usa

Ana: Complicado.

Caio: Mas estamos aqui.

Eu me senti acolhido por não precisar guardar mais isso dentro daqui, estava me matando.

.

Continuamos a conversar até o horário de voltar para a sala de trabalho.

A Ana resolveu me dar o maior tapa na bunda, pelo menos tinha pouca gente no refeitório.

Eu dei um grito baixo para não incomodar ninguém.

Ana: Ele te pega assim. Com as mãos em suas nádegas?

Ela colocou suas delicadas mãos nos meus bolsos traseiros, e apertou.

Eu ri e coloquei a ponta da minha língua entre meus dentes.

Kevin: Ele me pega de jeito em tudo o que você pode imaginar.

Apoiei meus braços nos ombros dela, e logo Caio interviu.

Caio: Acabou essa porra aqui, seus Héteros. Hoje não, Satã!

A gente riu e saímos, mas algo que eu senti não conseguia descrever, resolvi olhar de relance para trás, e o Eddy me fintava com seus olhos meio escuros.Sentia minha alma queimar e logo em seguida meu celular vibra. Era mensagem do próprio abençoado.

Eddy: "Depois do trabalho, preciso que me encontre"

Kevin: "Não sei se hoje dará certo"

Eddy: "Vou buscar você as 20h, e esteja perto daquela rua lateral. Não quero que ninguém atrapalhe nossa conversa".

Kevin: "Okay"

E a conversa não se estendeu depois.

.

Dando as 20h, eu recebo a ligação dele.

Eddy: Pode chegar reto, eu estou vendo você.

Eu desligo e caminho até o carro, em uma rua meio deserta e afastada da entrada da universidade. Ele me espera do lado do carro, e ao me ver chegar, abra a porta do carro e deixa entrar.

Em seguida, ele fica no lado do motorista.

Parece que as coisas vão ficar frenéticas.

.

.

(EDDY)

Estou no campus atrás daquele desgraçado que vive se escondendo de mim, e por destino, consigo achá-lo no refeitório.

Estranho, geralmente ele está apenas com o Caio, mas quem é aquela mulher?

É inevitável, eu não para de olhar para ela, parece que ele são próximos demais.

O jeito que eles se olham, e conversam.

Mas espera, por que eu estou pensando nisso? Afinal, nós nunca tivemos nada

Finjo que está tudo bem para meus colegas, não posso transparecer isso.

Ciúmes do Kevin, não posso me permitir.

Nem vou olhar, mas se bem que...

...

Ela está pegando na bunda dele? Como assim? Mas que audácia!

Não consigo admitir, e ele ainda se apoia nela. Só falta se beijarem e acabou.

Eu vou matar esse desgraçado.

...

Ele ainda tem a cara de pau de olhar para mim e não falar nada? Vou mandar mensagem e mostrar que eu sou o Alfa daqui!

.

Eu liguei agora para ele, ao menos vou fingir ser cavalheiro e depois foder ele como se ele nunca mais se sentar.

Ele está se aproximando de mim, vou abrir e depois eu entro.

Ao entrarmos, fica um pouco de suspense no ar, o suficiente para deixá-lo desconfortável. 

Kevin: Algum problema?

Eu me aproximo, abaixo o banco e fico em cima dele.

Eddy: Vou te foder até você pagar todos os seus pecados.

Kevin: Me explica.

Eu nem deixo ele falar e já elevo o quadril dele e fico esfregando a minha calça.

Eddy: Você gosta? Responde seu safado.

Questionou enquanto pressionava minhas bochechas e eu nem conseguia falar.

Eddy: Responda.

Eu percebi que ele estava ficando pálido de tão assustado.

Eu parei com isso e dei minha cartada final.

Eddy: Deixou de sair comigo para nosso casual, e agora tem um caso com ela?

Ele fez uma cara amarga.

Kevin: Ela?

Ele fez uma cara de espanto.

Eddy: Quem é ela?

Kevin: Está falando da Ana?

Eddy: Agora veio o nome. Parece que você toca uma orquestra quando fala o nome dela "ANA".

Ele ficou me encarando, e eu comecei a ficar nervoso.

Kevin: Mas eu nunca tive nada com ela. Eu sou gay e ela tem namorado.

Eddy: Que?

Ele tirou o celular do bolso e me mostrou uma foto dos 4 juntos.

Eu comecei a me apagar um pouco da situação.

Kevin: Desculpa perguntar, mas você está com ciúmes?

Eu precisava pensar em algo rápido.

Eddy: Você está descumprindo o nosso acordo.

Kevin: Não ouvi sua resposta.

Eddy: Não! EU não gosto, agora calado. Vou te deixar em casa.

Fui levando o caminho todo sem nem dizer nada.

.

Ao chegar em casa, ele nem falou nada e saiu.

Eu encostei a cabeça no voltante. Queria sumir pela burrada que fiz.

Eu sigo até meu prédio. Subo e ao entrar, eu me sento no chão perto do sofá.

Eddy: O que está acontecendo comigo? Perdi a noção?

Eu fiquei olhando do lado para o outro.

A que ponto eu cheguei.

Mesmo assim, vou mandar mensagem e esperar a resposta.

.

.

(KEVIN)

Cheguei em casa abismado com isso, e eu não sei bem o que fazer.

Passo para meu quarto e eu me deito refletindo sobre o que aconteceu.

Será que ele está escondendo os sentimentos ou me vê como uma propriedade?

Preciso saber, mas deste episódio me deixou meio conturbado.

Seria quase recíproco, mas não é tão parecido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...