História Boku no Hero - a Pior Geração - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Personagens Originais
Visualizações 9
Palavras 3.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Harem, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Shounen, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Leiam e se deliciem.

Capítulo 6 - 6: Desafio do Enderman! Alunos VS Alunos!


Fanfic / Fanfiction Boku no Hero - a Pior Geração - Capítulo 6 - 6: Desafio do Enderman! Alunos VS Alunos!

 

Sem que eu ou a turma percebesse, já haviam se passado duas semanas de aula. 
Sinceramente eu nunca esperei que a rotina na Yuuei fosse ser tão costumeira e fácil de se aprender. Ela parecia uma escola normal para nós do departamento de heróis em alguns momentos do dia. 
Como por exemplo, todos os dias nós tínhamos aulas normais de algumas matérias. 
Porém, nem tudo era normal. Apesar disso, hoje era quarta, o que significava que hoje era dia de treinamento básico para heróis! 
Não entendeu? Vou explicar um pouco melhor...
As segundas nós tínhamos aulas normais como inglês com o coordenador Present Mic, matemática com o herói Ectoplasm, e física com o herói Frost, ele era um herói novo na Yuuei (recém-contratado, os alunos gostavam dele). Porém, logo depois de longos tempos delas nós íamos para o treinamento físico com Issei-sensei. 
Nós fazíamos todo tipo de treinamento físico naquela sala nova onde eles chamavam de Sala para Treinamentos Físicos e Rendimentos Satisfatórios (ou S.T.F.R.S). Flexões, abdominais, levantamentos de pesos... Cada treinamento que nós fazíamos para aumentar a resistência e ficarmos melhores com nossos corpos era bem pesado. 
Na terça, nós tínhamos aulas de japonês com a professora/heroína Bad-day, e tínhamos aulas de ciências com Hertz Beater, não parecia mas ele era um homem bem inteligente. E depois aulas de geografia com a professora Creati, a heroína da criação (ela era uma heroína muuuuuuito famosa! Incrível!), logo depois nós tínhamos mais aulas de treinamento físico, porém eram guiados pelo Celofane. 
Hoje nós tivemos algumas aulas complicadas como biologia e química com os professores Hertz Beater, mais uma vez, e o Frost que também lecionava química, ele era adorado pelas alunas da minha classe, até Mia-san que tinha um semblante sério mudava sua expressão com ele perto na aula. 
Nós nos encontrávamos em sala esperando o Issei-sensei voltar. 
- Ei, Dai-kun, acha que o treinamento de hoje vai ser o quê? 
- Não faço ideia, Naki-chan, mas certeza que não vai ser nada fácil – disse olhando para ela que estava em pé ao lado de minha carteira. 
- Na semana passada inteira nós tivemos treinos físicos e preparações para nossos corpos, e segunda e ontem também – Yato virou para nós. – Provavelmente, segundo as estatísticas e o padrão, ultimamente, vai ser isso também hoje. 
- Cala a boca aí! – disse Ichirou na minha frente por cima do ombro. Vendo isso, Yato disse:
- Ei, porque você fala assim com el... 
- Tá tudo bem, Yato - cortei-o rapidamente colocando a mão na frente dele em sinal para se calar. 
- Mas, Daisuke-kun... 
- Sério, tá tudo bem... – disse com um sorriso frouxo para ele. 
- Ichirou-kun, você ultimamente tem sido muito desagradável conosco, seus colegas – Momoku se levantou e se dirigiu a Ichirou. 
- Eh? E o quê que você vai fazer a respeito, hã? – disse Ichirou com deboche olhando para Blind-Guy a sua frente. Ele se levantou e encarou Momoku de perto. – O que você vai fazer, mermão? 
- Você tem que aprender o seu lugar, isso é uma escola, não a sua casa – disse ele sério. – Ao menos lembre da educação que os seus pais te deram.
- E quem é você pra falar dos meus pais, hum? – ele tinha um olhar sinistro na direção de Momoku. 
- Ichirou-kun – falei – abaixe as chamas.
Ele parou um momento e percebeu que suas mãos estavam brilhando em fogo, então abaixou-as por um instante. Então disse: 
- Daichi, controla o seu amigo – disse ele se sentando. - Ele fede a inseto. 
A expressão de Momoku se mudou em fúria, então ele pegou a gola da blusa de Ichirou e puxou-a para perto então disse: 
- Tenha mais respeito para com o seu representante, escutou, seu fedelho!? – perguntou ele cuspindo na cara de Ichirou. 
- Vamos ver se esse título vale alguma coisa numa luta, cego-man, hum? – Ichirou ergueu a mão perto do rosto de Momoku. 
- Eu posso mostrar pra você...! – as luzes nos óculos-escuros de Momoku estavam brilhando vermelho para Ichirou. 
“Ei!”, eu e o sensei, que acabara de entrar na sala, gritamos para os dois, mas eu me calei para a fala seguinte, apenas olhei para eles apreensivo. 
- Huh, esperava mais de vocês dois, garotos - riu-se ele se dirigindo para a mesa. 
- O quê que cê quer dizer com isso, seu maluco? – perguntou Ichirou com raiva. 
- Se os dois não tem disciplina o suficiente para se comportar em um sala de aula, como esperam se tornar heróis reconhecidos por um monte de gente? 
- Primeiro, eu não quero ser reconhecido por um monte de gente – disse Momoku. – Meu objetivo é evitar a mídia ao máximo então não ligo muito para o que... 
- Calem a boca e sentem-se, imprestáveis – ele cortou-os antes que um deles pudesse falar; todos nós sentamos e ficamos em silêncio observando o sensei. – Hoje nós praticaremos... Treinamento básico de heróis. 
- UUUUUHHUUUUUUULLLL! – A turma deu um grande pulo de felicidade quando ele falou isso. Um monte de gente ergueu os braços para cima com força e vontade. 
- Vamos fazer que tipo de treinamento, sensei? – Hisoka perguntou entusiasmado. 
- Naose apresse, Hiroshi- disse ele com um sorrisinho de canto. – Mas o diferencial de hoje irá ser que... Vocês usarão seus uniformes de heróis. 
- Sério?! IIIUUUPIIIIIII! – A turma deu outro pulo de alegria, eu também estava bufando com um sorriso no rosto. 
- Vocês fizeram seus modelos próprios e enviaram a escola para nós construirmos, agora vocês os pegarão em malas numeradas no vestiário, cada um. Vistam-se e sigam para onde nós aplicaremos nosso exercício de hoje. Vão! – quando disse isso, o sensei saiu pela porta andando para longe, enquanto a turma se dirigiu para os vestiários. 
Não acredito! Finalmente usaríamos nossos próprios uniformes! Era um sonho finalmente poder usá-los! Eu estava querendo ter um gostinho de como seria há muito tempo, não creio q seria agora! Incrível, hehehehe! 
- Todos prontos? – Momoku perguntou dentro do vestiário masculino. 
- Sim! 
- Então vamos! 
Áquela altura nós já estávamos andando quase chegando às portas do Ground Beta todos vestindo seus uniformes de heróis e empolgados, porém tensos. Eu olhava para os uniformes dos outros, eles eram muito maneiros eu sentia um pouco de constrangimento quando olhava para o meu, apesar de eu ficar exatamente como queria nele. 
Meu uniforme constava em uma blusa de mangas normais de cor laranja com detalhes pretos e quadrados nas laterais do tronco, e com um fecho (o qual estava fechado) até o meio do meu queixo tampando um parte do meu rosto com um capuz preto. Uma bermuda negra com alguns detalhes na vertical em laranja; porém, embaixo disso tudo, eu usava uma roupa adequada para o vapor não ficar voando na minha cara e ardendo os meus olhos, ou seja, impedia o vapor de se espalhar descontroladamente para todos os lados, e sim para lugares predeterminados, com algumas proteções nos braços e nas pernas. Havia pequenos detalhes em laranja nessa roupa colada negra que eu usava por baixo junto com duas listras da mesma cor nos pulsos e nas canelas, já ia me esquecendo, um cinto com bolsos também. Eu usava tênis completamente negros; e utilizava luvas que cobriam toda a minha mão com alguns detalhes laranjas. 
- Ei, Daisuke-kun! – Yato cutucou meu ombro aparecendo ao meu lado. –O seu uniforme combina perfeitamente com você! É bem a sua cara! 
- Valeu, Yato, o seu... – eu observei o uniforme dele. Era incrível. – Incríveeeeeeel! 
- Haha, valeu... – disse ele com um sorriso. 
O uniforme dele era perfeito pra ele. Combinava perfeitamente com um velocista. Era simples, porém bem feito. A parte de cima era uma blusa aparentemente bem confortável pelo jeito que ele se movia de cor verde ciano com proteções duras e maleáveis, e tinha alguns detalhes em cinza-claro no uniforme nos antebraços e nos ombros com detalhes circulares e umas linhas de ligação para os braços com luvas de cor cinza-claro também; nas calças ele utilizava a mesma cor verde-ciano e apenas um par de botas da mesma cor das luvas. E também utilizava óculos de corrida circulares no rosto bagunçando um pouco mais seus cabelos, eram para não arderem com o vento batendo contra eles. 
- O seu uniforme é incrível, Yato-san! – eu repeti para ele. – Incrível! 
- Muito bem, misérias, já que já estão vestidos – Enderman-sensei chegou andando com a prancheta ao lado do corpo e com as mãos nos bolsos -, sigam-me. 
Nós todos seguimos ele até uma sala de visualização com várias telas de vídeo gravando diversos locais dentro de prédios, aquele local filmado era o Ground Beta. E ao lado havia uma pequena televisão na qual havia um “X” branco no meio. Issei-sensei se posicionou ao lado dela e disse olhando-nos entediado: 
- Hoje iremos fazer um treinamento de combate – a sobrancelha dele levantaram um pouco. 
- Combate? Legal! – Hisoka e Kato bateram as mãos em um hi-five entusiasmado, eles haviam ficado bem amigos de um tempo para cá. – Ei, Ichirou, não acha maneiro? 
- Sim... – ele se virou para onde nós estávamos e levantou a mão com um pouco de fogo saindo dos dedos e disse: - PODE VIR!!! – eu engoli em seco um pouco nervoso para ele.
- Ele só não perde por esperar, Daisuke-kun – disse Momoku chegando na minha frente ao lado de Naki e Isuyu-chan. – Justo hoje temos a chance de resolver esse impasse de uma vez. Eu acabo com ele sem problema. 
Olhei para o sensei, que curiosamente estava olhando para a turma com o que parecia ser um sorriso sarcástico. Não me diga que ele escolheu o treinamento de combate justo hoje para resolverem as intrigas?! Se for isso, eu poderia esperar o pior hoje... 
- Vocês batalharão em duplas! – disse ele para a turma, eu ouvi Ichirou fazer um “tsch!” bem raivoso. – Uma dupla será os heróis, responsáveis por pegar a bandeira, que seriam os reféns, dos vilões, enquanto os vilões tem que impedir os reféns de serem resgatados. Entenderam?! 
- Sim! – todos gritaram com força. 
- Muito bem, as regras serão as seguintes: a luta vai até os dois vilões estarem fora de combate, ou o tempo acabar, ou até vocês, heróis, conseguirem pegar a bandeira. 
- Os vilões também nocauteiam os heróis, certo? – perguntou Naki-chan levantando a mão. 
- Ótima conclusão sobre o mundo, Akira – disse ele se virando. – Ou acaba quando eu quiser que acabe – ele olhou sobre o ombro para nós, mas eu senti o brilho no olho negro dele com alguma intenção para mim. – Entenderam? 
- Sim, senhor!
- Muito bem, a dupla de heróis da primeira rodada será... – Enderman foi para trás da televisão e apertou um botão com um braço e então dois nomes apareceram no telão acima do “X” no meio da tela. – Tsurugi e Kato. Os dois ao meu lado. – os dois foram para o lado dele normalmente. – Agora a dupla de vilões... – mais uma vez o botão foi apertado e... – Mia e Akeno. Vão logo para o prédio e montem sua estratégia de combate. – as duas foram andando juntas e conversando para o prédio. – Daqui a quatro minutos nós começamos.
Eu sei, eu sei! Vocês possivelmente queriam ver a minha luta, mas acontece que esta luta que está para acontecer me mostrou realmente em que nível eu estava, então eu quero contá-la a vocês. 
Nós estávamos observando pelos visores. Mia-san e Akeno-san já estavam dentro do prédio na frente de um objeto bem grande de metal e preto que seria o refém, e Tsurugi e Kato-kun estavam lá fora lado a lado, eles possivelmente já haviam discutido sua estratégia de batalha, estavam todos serenos. Issei apertou no botão a sua frente com a prancheta na mão e disse: 
“Comecem”. 
Lá dentro do Ground Beta alguns minutos antes de começar o treinamento, fora do prédio...
Tsurugi e Kato estavam quietos observando o prédio já haviam dois minutos, e já tinham terminado de passar o plano. 
- Tsurugi, você não tem nenhuma curiosidade por esse exercício? – perguntou Kato olhando-o. 
Kato estava vestido com sua roupa de herói muuuuito maneira. Na cabeça ele possuía uma espécie de bandana nos olhos de cor vermelha bem clara mesmo, seus olhos por algum motivo ficavam brancos com aquela bandana, parecia uma proteção do próprio tecido feito no departamento de suporte – foram lá que a escola fez todos os nossos trajes. Atrás, nas costas ele tinha uma espécie de casca de tartaruga com uma espada ninjato atrás de uma mão, tinha um tecido largado no pescoço que cobria também parte do peitoral, usava ombreiras negras e luvas da mesma cor das ombreiras, que mostravam os dedos agora verdes por causa da casca que ele encobria a si próprio com sua individualidade; tinha uma proteção dura no tronco marrom-claro e bem resistente que combinava com seu uniforme, uma calça negra com uma faixa vermelha amarrada junto ao casco nas costas dele, botas especiais de ninja e chinelas. 
- Digo – continuou ele vendo que Tsurugi olhou para ele. – O sensei deve querer que mostremos nosso potencial total nesse exercício, não? Já que, bem... Ele passou uma semana nos treinando fisicamente. Ele deve achar que estamos preparados para tal exercício, não? 
- É, você tá certo – disse ele olhando para frente sem muita expressão. 
O uniforme heróico de Tsurugi era o mais legal que eu havia percebido até agora! Ele usava uma blusa cinza-escuro abotoada, por cima da gola dela havia uma espécie de acessório de pescoço muuito maneiro de cor preta, ele usava um colete negro amarrado com pequenas fivelas por cima da blusa; e um grande casaco negro com as golas desdobradas que ia até seus joelhos, e utilizava uma máscara negra até em cima do nariz. Um chapéu que parecia de pirata em cima da cabeça e de cor preta também, porém um pouco rasgado nas pontas que ficavam atrás. Calças pretas para dentro das botas negras que usava também, e não se esquecendo obviamente das luvas que utilizava também. 
- Quer revisar o plano para quando começarmos daqui a... – Kato parou de falar quando Issei-sensei disse “comecem”. – Tsurugi deu um pequeno passo a frente e encarou o prédio com muita seriedade, Kato logo atrás apertando sua pequena espada ninjato. 
- Kato... – disse ele sério sob a máscara. - Só faz o que eu te disse...! 
Dois minutos antes de começar o treinamento, dentro do prédio... 
- Mia-san, por onde acha que eles vão atacar? – perguntava Akeno-san. 
Mia-san estava vestida com um super traje de heroína bem bolado. Seus cabelos jogados para trás como eu sempre vi. Usava uma máscara no rosto de cor violeta com uma conexão na cabeça como um arco; usava uma espécie de cropped preto em cima dos seios e uma jaqueta curta acima da cintura com mangas longas de cor azul; um short curto bem confortável da mesma cor da jaqueta, e botas vermelhas; porém nos antebraços dela ela tinha suas correntes enroladas em cada um fazendo volume, isso era muito legaaaal! 

- Provavelmente por baixo – disse Mia agachada olhando para frente, ao lado delaa. – Se eu bem conheço o Tsurugi ele vai usar e abusar da individualidade de longa distância dele, é um poder destrutivo altíssimo. 
- O que acha que deveríamos fazer contra ele? 
- Deixe-o comigo – disse Mia se levantando e olhando confiante para Akeno. – Ele pode ter uma individualidade daquelas, mas eu também tenho uma, heh! No exame de admissão dos recomendados eu lembro... De como ele usou a individualidade dele... Foi sinistro... Eu quero poder enfrentá-lo pra ver se eu sou mesmo boa! 
- Só nos exames físicos que o professor passou durante a semana passada eu vi que ele era realmente um monstro... – disse Akeno se estremecendo. 
Akeno-san vestia um uniforme que lembrava exatamente da individualidade dela. Utilizava um capacete completamente transparente na cabeça, pequeno e preso em uma alça bem atrás da cabeça, a parte de cima ela usava uma blusa de astronautas um pouco colada, o casaco amarrado a cintura com uma luva preta nas mãos. Calças no mesmo estilo da jaqueta em sua cintura, branca e larga e botas da mesma cor das luvas.
- Pode deixar, Igawa-chan – ela estava com um pequeno sorrisinho -, é só deixar ele para mim! Você sabe como neutralizar o Kato, não? 
- Sim, fazer ele se desgastar ao máximo com aquela casca dele! 
- Beleza, então... vamo nessa! – ela bateu os punhos ouvindo que o treinamento estava começando. 
Na entrada do prédio...
- Kato, certifique-se de tomar cuidado com qualquer passo aqui dentro – disse Tsurugi pisando dentro. – Não quero ter dores de cabeças com tendo que salvar você ou algo do tipo. 
- Pode deixar...! – disse ele tirando o ninjato das costas. 
Segundo andar...
A essa altura eles já estavam andando pelo segundo andar, juntos e esperando algo acontecer. Tsurugi realmente tinha uma aura e presença inigualáveis como qualquer outra de ninguém da turma. A sua aura era mais serena que a do sensei, e isso era perfeitamente difícil de ser feito já que ele não era um herói muito moralista nem sorridente. 
- Tsurugi, agora? 
Nenhuma fala, então... 
- Sim! – quando Tsurugi disse isso alto, ele se abaixou  jogando uma pequena bola de escuridão no ar, Kato fez um giro com um movimento de corte no ar na direção da bola de escuridão que Tsurugi fez. Kato mandou a bola muito rápido e forte na direção frontal a eles, então um buraco sugou a bola. – Acho que... Nós encontramos vocês, garotas... 
- É, eu sabia que isso não ia funcionar muito com eles – a voz de Mia saiu de trás do buraco, então ela surgiu através de um no ar. Aparentemente Akeno-san também transportava pessoas, uma individualidade de portal... – Fica tranquila, Akeno, só deixa ele comigo... – ela olhou para Tsurugi e Kato. – E então? Qual dos dois vai fazer o favor e desferir o primeiro golpe contra mim...? 
- Hah, pode deixa... – Tsurugi pôs a mão na frente dele e disse: 
- Deixa isso comigo, Kato – ele encarava ela como sempre fazia com todo mundo. – Só sobe e busca os reféns. 
Na sala onde estávamos...
O sensei deu um sorriso de canto para Tsurugi dizendo baixinho: muito bom, garoto, percebeu, hum... 
- Ei, Dai-kun, o que acha dessa luta? 
- Vai ter estrago, pra qualquer lado, os dois vão cair dentro sem se importar, disso eu tenho certeza – Naki-chan arregalou os olhos preocupada. – Os dois são alunos de recomendação, eles estão muito longe de serem normais igual a nós...
De volta ao prédio...
- Mas... – o olhar de Tsurugi já dizia tudo. – Ok... – e foi correndo na outra direção do andar para subir. 
- Não vai tentar impedi-lo, Mia? 
- A gente tem outra estratégia pra lidar com ele, Tsurugi – disse ela flexionando os joelhos. – Agora, acho que você devia se preocupar com você mesmo. 
- Preocupar? Acho que você não me entendeu – disse Tsurugi estalando um dedo apenas mexendo a mão. – Quando eu disse para ele deixar isso comigo, eu quis dizer que eu ia acabar com você se não saísse da frente. 
- Acha que eu vou deixar, garotão? 
- Eu sei muito bem que você não é alguém muito persuasiva, Mia – disse ele levantando uma mão na direção dela ao mesmo tempo em que ela segurava correntes nas mãos. – Então... Podemos? 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Por favor comentem e favoritem, digam o que acharam, até. Esse demorou um pouco pois não tinha tempo disponível, agora tenho e mais virão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...