História Boku no Hero Academia v2 - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Midoriya Izuku (Deku), Personagens Originais
Tags Ação, Boku No Hero, Luta, Shounen
Visualizações 5
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Saga, Shounen, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Só pra deixar bem claro que o começo do capítulo se passa um pouco antes da derrota de Tatsuya. Obrigado e boa leitura.

Capítulo 4 - O Dia Chegou II


Takeda corria pelo campo de batalha procurando alguém que não estivesse ocupado. Ele havia passado os primeiros minutos apenas observando as individualidades oponentes. Ryota estava em cima de casas não muito altas o que aumentava bem pouco a chance dele ser visto. De repente, uma mão tocou seu ombro.

- Agora! - gritou a voz que estava atrás de Takeda.

Duas pessoas saltaram de um alto prédio. Takeda sentiu suas articulações doerem e sua pele estava ressecando, o que o impediu de fugir. Quando as duas pessoas chegaram, uma delas soprou os pés dele, fazendo-os congelarem e prendendo-o ao telhado da casa. A temperatura começou a subir aos poucos, fazendo Ryota se sentir enjoado por falta de água. A água parou de ser drenada do seu corpo e ele ouviu alguém vomitar.

- Que nojenta você, Aki! - falou o menino do sopro gelado.

- Era de se imaginar que isso aconteceria, não é? - respondeu a voz atrás de Takeda.

Takeda estava quase desmaiando e a temperatura continuava aumentando.

- Todos nós ganhamos pontos pela derrota, certo? - falou o outro garoto.

- Provavelmente. -disse a garota que havia vomitado.

De repente, alguém desceu de um prédio e aterrissou onde estava Takeda. A pessoa era um garota com os olhos azuis que carregava consigo uma garrafa d'água que possuía cerca  de 3 litros. A menina acertou a barriga de todas as três pessoas que estavam prestes a derrotar Ryota com movimentos rápidos e fez com que ele bebesse a água, salvando-o de desmaiar e derrubando os oponentes dele. A salvadora de Takeda quebrou o gelo que o prendia, pegou-o de forma que ele ficasse apoiado no seu ombro e saltou para outra casa que ficava a uns 100 metros de distância da casa onde o ataque aconteceu.

- É agora ou nunca! - disse a menina.

Takeda entendeu o recado e lembrou-se de uma vez que Deku derrotou vilões usando apenas a pressão do ar. Ele preparou seu braço e lançou seu ataque.

- Smash!!! - gritou Takeda enquanto socava o ar.

Pela primeira vez em sua vida, ele sentiu a energia do One for All correr pelo seu corpo. A sensação era eletrizante e deixava Takeda animado. O braço esquerdo dele quebrou e a pressão do ar arremessou as pessoas que antes haviam encurralado ele contra a parede, derrotando-as. Ao mesmo tempo, Kimura derrubava Tatsuya em outra parte do terreno. Os professores olhavam os acontecimentos pela câmera e avaliavam os alunos. Deku viu o ataque do novo portador de sua individualidade e se orgulhou do seu "discípulo", que havia vencido sua primeira luta. Para o herói, qualquer vitória era uma vitória; não importava se era solitária ou em grupo.

- Bela individualidade. Você vai ter que ver a Recovery Girl depois disso. - falou a menina que salvara Takeda.

- A-Ai. O-Obrigado. - agradeceu Takeda.

Em outro lugar, não muito distante, Kimura estava diante de dois competidores, que pretendiam eliminá-lo. Ele segurava um cacto como de fosse uma espada e se preparava para enfrentar os garotos. O garoto mais baixo deu um salto que atingiu uma altura altíssima, o que devia se justificar pela sua individualidade. O outro garoto correu na direção de seu oponente e tentou tocá-lo, provavelmente para ativar o efeito de sua individualidade. Kimura desviou da mão do garoto e acertou-o com o cacto.

- Ai! Isso doi! Ai! Ai! Ai! Ai! Ai! Ai! - gritou o menino que Kimura havia acertado.

O garoto caiu no chão e o outro havia sumido de vista, provavelmente em cima de um prédio. Kimura procurava-o com medo de que ele realizasse um ataque surpresa, mas quem atacou-o foi o garoto que havia sido acertado com o cacto. O menino tocou-o fazendo com que a sua visão ficasse embaçada. O outro garoto - que havia sumido - desceu de um prédio com um cano de ferro e acertou Yuudai, derrubando-o no chão. O cacto de Kimura caiu com força no chão e se quebrou, despejando a água acumulada dentro da planta.

- Perfeito! Nós derrotamos o favorito! - falou o menino do salto.

- Sim! Vamos procurar nossa próxima vítima. - falou o menino que havia embaçado a visão de Kimura.

A dupla saiu correndo, mas os dois escorregaram e caíram no chão. Kimura - que havia recuperado a visão - acertou a cabeça dos dois com a mão, fazendo-os desmaiar e derrotando-os. Quando Yuudai ouvir o cacto se partir, ele espalhou musgo pelo chão, para derrubar os oponentes. Ele sentiu o seu braço direito se recuperando um pouco da paralisia, o que mostrava que se um membro ficasse paralisado por causa da sua individualidade, ele se recuperaria aos poucos.

- Quarenta minutos restantes! A arena vai se modificar um pouco! Gero! - avisou Froppy.

Na mesma hora, muito prédios começaram a tremer, como se estivesse ocorrendo um terremoto. Kimura olhou para cima e viu o tronco de "Mamica de Porca", que estava entre os prédios. O tronco começou a cair devido ao terremoto e iria cair em Yuudai. O medo era paralisante, ele não conseguia se mexer para fugir, até que, de repente, o tronco parou no ar.

- Você realmente pretendia morrer assim, Kimura? - disse uma voz do outro lado da rua.

Kimura olhou para o lugar de onde vinha a voz e viu uma silhueta familiar. 

- Tomoko!

Tomoko e Kimura estudavam no mesmo colégio. A individualidade de Tomoko fazia com que a pressão do ar aumentasse, criando "estruturas" invisíveis. O amigo fez um gesto com a mão, como se pedisse para que Kimura o seguisse, que foi o que ele fez.

- Ei, Tomoko, quantas pessoas você já derrotou?

- Eu derrotei uma só, e você, Kimura?

- Eu derrotei três.

- Acho que é o minimo que podemos esperar do favorito, não é?

- Acho que sim. - disse Kimura enquanto ria baixo.

Cinco minutos antes

Takeda estava sendo carregado pela garota que havia o ajudado a derrotar as pessoas que haviam o encurralado. 

- Ei, como você sabia que eu precisaria de água?

- Aquelas pessoas eram meus irmãos, eu conheço a estratégia deles.

- Ah, esqueci de perguntar, qual o seu nome?

- Meu nome é Haru.

- Ah, entendi. Quer saber o meu?

- Seu nome é Takeda Ryota.

- E-E-Espera! Como você sabe?!

- Eu ouvi você conversando com o Kimura no caminho.

- Ah, enten-

Uma  enorme pedra de gelo atingiu Takeda e Haru, fazendo com que eles caíssem no chão. Os dois olharam para o lugar de onde o ataque havia sido lançado e viram o irmão de Haru que soprava gelo. Ele estava furioso, provavelmente por perder uma presa tão fácil por culpa de sua irmã.

- Haru, você devia me respeitar. - disse o irmão com a voz séria.

- Fuyu, eu respeito quem eu quiser! - disse Haru, enquanto se levantava.

- Você deveria trabalhar conosco ao invés de se aliar com esse fracassado.

- Ele não é fracassado, possui espírito de herói que você!

- Ele mal aguenta usar a individualidade, é um frangote.

Takeda se levantou, e olhou com raiva para Fuyu, que soprou gelo nos pés de Haru. 

- Dessa vez, você não irá intervir, Haru.

- Eu não preciso intervir! O Takeda consegue acabar com você em apenas alguns segundos!

Deku viu nas câmera que Takeda enfrentaria alguém e se preparou para assistir ao combate. Haru estava nervosa, mas ao mesmo tempo acreditava que Takeda era capaz de vencer. Fuyu estava olhando para Takeda com um olhar de desprezo. Takeda estava nervoso por ser sua primeira luta solo.

- Está com frio? Você está tremendo muito. - provocou Fuyu.

Takeda lançou um olhar firme na direção de Fuyu e desferiu um soco em seu rosto. Em resposta, ele soprou com força a mão de Ryota, fazendo com que ela ficasse com bastante gelo e começasse a queimar. O garoto que soprava gelo riu da mão congelada.

- Vamos lá, quebre esse gelo, Takeda! - encorajou Haru.

Takeda bateu sua mão contra a parede, mas o gelo não quebrou. Ele repetiu isso várias vezes,mas o gelo não quebrava.endo assim, ele percebeu que precisaria do seu último recurso para quebrar o gele: ele precisaria usar o One for All. Fuyu começou a juntar ar para congelar o corpo do oponente e vencer a luta. Haru olhava para Ryota com medo de que ele perdesse. Ela começou a puxar suas manga da camisa mas foi parada por seu irmão, que congelou quase todo o seu corpo, poupando apenas a cabeça. 

- Vamos lá, eu sei que você pode mais. - Fuyu provocou mais.

Takeda tentou acertar mais um soco em Fuyu, mas sua mão ficou mais lenta devido ao gelo. Fuyu ria da cara de Ryota, até que esteve teve uma ideia. Ele olhou pra sua mão, que estava congelada e respirou fundo.

- Takeda!! Não faça isso! É seu último braço! - alertou Haru.

Takeda sorriu para Haru e olhou confiante para Fuyu.

- Sfmash! - Takeda gritou mas falou tudo errado, o que foi bem estranho.

Ele mordeu sua mão, usando apenas um lado da boca. Tanto o seu canino quanto o seu incisivo lateral direitos quebraram. O gelo que envolvia o punho de Takeda agora tinha uma grande rachadura. O garoto bateu a mão contra a parede, fazendo o gelo se dividir em dois. Fuyu não se preocupou muito, apenas aproveitou que Takeda havia de virado e soprou seu ataque final. Takeda se virou para o ataque e preparou um golpe, ele juntou o One for All no seu dedo anelar e encarou o oponente.

- Smash! - ele gritou novamente, desta vez pronunciando a palavra corretamente.

O vento gelado se desfez e Fuyu foi acertado em cheio. Ao cair no chão, o competidor invernal olhou com ódio para seu oponente e desmaiou em seguida. Takeda pegou um tijolo que havia caído devido ao seu ataque e quebrou o gelo que prendia Haru.

- Quarenta minutos restantes! A arena vai se modificar um pouco! Gero! - avisou Froppy.

Terremotos começaram a acontecer por toda a arena. Takeda e Haru viram algumas pessoas serem derrubadas e aproveitaram para fugir, já que o Smash havia chamado a atenção de muitas pessoas.

Em um outro lugar do terreno, um jovem estava em cima de um prédio disparando dardos sonífero em pessoas que baixavam a guarda. Ele já havia feito cinco vítimas apenas nesse joguinho. Tudo corria bem para ele, até que..


Notas Finais


ihhh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...