História Boku no Hero Brasil - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens All For One, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Iida Tenya, Katsuki Bakugou, Midoriya Izuku (Deku), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tsuyu Asui, Uraraka Ochako (Uravity), Yagi Toshinori (All Might)
Visualizações 15
Palavras 1.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


•Não é uma FanFic Zueira em galera!

•Isso se passa no mesmo universo de Boku no Hero, só que no Brasil

•(Possívelmente o Deku aparecerá Hihihi)

Boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


Levantei em um pulo, ouvia tiros de todos os lados.

- Mamãe! - Gritei, precisava do conforto das palavras da melhor pessoa do mundo

- Filho! Você está bem? - Minha mãe perguntou, certamente estava preocupada comigo

- Um tiroteio mãe! - Falei, indo para o colo dela

- Hahahaha, calma filho, é só o seu irmão jogando VideoGame! - Ela riu, olhei de canto pela porta, e realmente ele estava lá, deitado no sofá com os pés para cima, jogando algum jogo pirata do PS2

Me levantei e caminhei até a sala, sentei ao lado dele e logo ele se ajeitou, sem parar de jogar.

- Que foi pirralho? - Dizia com sua voz rouca e grossa

- Ei! Eu não sou pirralho! - Gritei dando leves tapas nele

Ele se virou e estendeu sua mão, usando sua Quirk, como era popularmente chamada, me impulsionando para trás com força, me fazendo cair para fora do sofá.

- Aí! - Gritei forte

Nessa hora minha mãe chegou batendo na cabeça do meu irmão, brigando com ele enquanto me pegava no colo, e eu chorava.

- Já disse para não usar isso aqui! A polícia pode te prender filho… - Minha mãe disse desapontada, ele só abaixou a cabeça e murmurou um pequeno "Gomen" enquanto desligava o VideoGame e guardava o controle

•4 ANOS DEPOIS•

- Bom dia! Bom dia! - Eu disse animado, depois de 4 anos o nosso país abriu as portas para as Quirks, dando liberdade as pessoas para usa-las devidamente, e criando um novo emprego, Super-Heroes

- Mãe, hoje começa a introdução da minha vida de Super-Hero! - Falei animado, as únicas escolas que tinham sido abertas eram pagas, e com a economia da mamãe, ela conseguiu pagar a escola, a melhor de todas

- Uoya lá vou eu! - Gritei animado, enquanto estendia meus braços para o alto

- Quem é seu Super-Hero favorito? - Perguntou o meu irmão, aparecendo atrás de mim, e acariciando meus cabelos

- Aqui no Brasil não existem muitos, por isso eu gosto de me inspirar no All Might lá para os lados orientais - Falei rindo, e fazendo gestos estranhos

Ele riu abertamente, meu irmão era irritante, mas era um bom herói, desde que ser Herói se tornou um emprego, ele começou a trabalhar com isso, mamãe dizia que ele vivia enfiado no quarto com vários HQs e Mangás, todos de luta, com muito sangue. E hoje ele virou um Super-Hero, o Herói número 17 do Brasil.

Coloquei a mochila nas costas e peguei o pedaço de pão, meu irmão iria me levar somente hoje, pois seu trabalho era corrido. Saímos correndo e zuando, adoravamos isso. Você deve estar se perguntando, qual será a Quirk dele? Bom, eu ainda não despertei a minha Quirk, porém sei que terei!

Chegamos no portão e me despedi, ele saiu correndo e fechando sua armadura, enquanto isso eu andava à passos lentos até a escola dos meus sonhos, a Uoya!

Vi várias pessoas, porém sentei em um canto e junto com um monte de gente, esperei o portão abrir. Peguei meu livro de Quirks e comecei a estuda-lo atentamente, vendo quais Quirks eu queria ter, e tentando adivinhar qual seria a minha.

•FlashBack•

- Olha, realmente seu filho ainda não despertou os poderes, porém posso confirmar à senhora que futuramente ele despertarará, ele possuí genes diferentes dos normais, apesar da senhora e de seu marido não possuirem tais poderes - Dizia o médico, enquanto eu me recolhia no colo de minha mãe

•FlashBack OFF•

- Desde aquele dia eu comecei a procurar todo tipo de informação sobre Quirks… - Falei baixo

- Falando sozinho loirinho? - Alguém com uma voz forte falou, neste momento levantei a cabeça, olhando diretamente para o ser de cabelo pontudo e avermelhado - Kiniki Nohama, não? - Ele perguntou mais calmo

- Sim - Respondi nervoso, me segurei para não gaguejar diante da presença de um ser aindecifrável

- Jeffrey, prazer - Falou bem formalmente, qual é a desse cara? - Você me parece bem nerd, é? -

- Eu… não, seu nome é em inglês... - Falei assustado

- Sim, minha familia é brasileira, mas eu nasci nos estados unidos, daí queriam colocar um nome em inglês, seu nome é japonês… - Devolveu na mesma moeda

- Vim do Japão, mas minha família é do Japão mesmo, aprender a falar português aqui... Quer sentar? - Perguntei

- Pode ser… - Disse se sentando - O que está lendo? -

- Um livro sobre Quirks… veio do Japão - Falei virando uma página

- Você é Otaku? Agora sim parece nerd, vou te chamar de Otaku - Ele falou rapidamente, acho que vou socar ele

- Não sou Otaku, só veio do Japão porque aqui no Brasil não fazem esse tipo de qualidade! - Eu disse apontando para a capa do livro

- Você… sabe falar japonês? - Ele perguntou, acho que se referia às milhões de palavras japonesas que estavam presentes no livro, que cara irritante

- Não muito, mas só quero ver os nomes e os jeitos de utilizar as Quirks - Falei, virando outra página

- Falando nisso, qual sua Quirk? - Ele me parecia sério

- Oh… eu não tenho… - Falei cabisbaixo

- O quê? - Ele até se engasgou - Como pode querer se tornar um SuperHero sem uma Quirk? - Ele gritou, vou definitivamente bater nele

- Eu só não despertei ainda, para com esse escândalo! - Gritei

Nós sentamos no muro novamente e todos se acalmaram.

- Como tem tanta certeza? - Ele me perguntou, olha, eu não tenho certeza nenhuma

- O médico disse - É, realmente a única esperança

- Hum - Ele soltou um resmungo indecifrável

- Você tem uma? - Perguntei

- Tenho, meu pai podia criar uma camada de proteção, tipo armadura… - Fez uma pausa - E a minha mãe podia afiar os braços, transformando-os em espadas… - Outra pausa, acha que isso é anime? - Então eu tenho tipo de uma super proteção que veio do meu pai, mas minha verdadeira Quirk é tornar partes do meu corpo afiadas, fazendo tipo de uma espada -

- Legal! Queria ter uma Quirk assim… - Falei parecendo uma criança

- Atenção todos! O portão abrirá, e vocês poderão entrar para fazer a prova de admissão! - Alguém falou, com uma voz forte

- Vai ser agora! - Gritamos juntos


Notas Finais


•Qual será que vai ser a Quirk (Poder) do Kiniki?

•Esse Jeff aí... Será que é mesmo maneiro? Será que se tornará amigo do Kiniki?

Mandem sugestões! E obrigado por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...