1. Spirit Fanfics >
  2. Boku no Hero: Eternas Diferenças >
  3. Três Estranhos

História Boku no Hero: Eternas Diferenças - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá Olá, a quanto tempo, foi mau ter sumido pra quem me conhecia, pra quem não conhece prazer, eu to lançando outra fic de Boku depois de ter apagado duas kkk Mas espero que gostem dessa, que não faço ideia de até onde vai, mas espero que aproveitem a leitura

Capítulo 1 - Três Estranhos


                Os três jovens andavam juntos, era engraçado a diferença de altura para cada um, e não era só isso que era diferente, a altura, o jeito, e se os conhecer melhor vai ficar obvio que eles nem tem muito haver no final das contas, eles nem mesmo eram do mesmo lugar, mas por algum motivo pareciam estar rindo juntos enquanto entravam dentro do mesmo mercadinho

                Yuri Dimitri, um rapaz alto andava pelos corredores esbanjando aquele moicano liso bagunçado junto aos seus olhos vermelhos e pele albina, e com aquele blusa sem manga não ligava de mostrar seu corpo robusto para um garoto de 15 anos, ali ele procurava alguma bebida forte para si, uma coisa que o deixasse mais “alto” por assim dizer, tinha apenas 15 anos e já gostava de bebidas alcoólicas, sua favorita? Vodka, e pode parecer até um pouco engraçado pois o garoto tinha uma dupla origem, sendo japonês por lado de mãe e russo por parte de pai, seu pai o deixou provar cedo a bebida. Não só tinha a origem como foi criado parte da infância lá, mas isso não quer dizer que sentia falta de casa, na verdade gostava muito mais do Japão, o problema era que não era o tipo de garoto exemplar, ele na verdade era o típico vagabundo desocupado que fazia questão de matar aulas e fumar escondido, faria isso o tempo todo se não fosse por ela

Yuri- Hyuna! Eu vou te matar – Falou depois de levar um tapa na nuca da garota que passa saltitante, ela que já tinha achado seu salgadinho, a pele de Yuri parecia ficar transparente com um tom de vermelho que corria por dentro de seu corpo mostrando seus ossos o deixando com uma aparência assustadora
Hyuna-  Vai nada ursinho – Falou saltitante entrando no corredor esbarrando numa criança na mesma hora, a criança que começa a chorar, a mãe da criança surge olhando feio para a garota que faz uma cara de pânico, olhou pra criança e sem pensou duas vezes usou seu dom apenas de tocar em sua testa – Calma – Falou como um pedido educado, e acriança na hora para de chorar

                Hyuna Sayia era uma típica garota japonesa, pena que seu visual tinha sofrido um baque depois de conhecer Yuri, seu cabelos que um dia foram longos agora curtos chegavam ao ponto de quase não chegar ao seu ombro, e graças a Yuri agora tinha uma mexa vermelha que se destaca em sua cabeça, seus olhos tem um tom azul vivo que vivia mudando de cor, e quanto a sua altura era um pouco mais baixa que Yuri, usava roupas largas que escondiam seu corpo com belos curvas mesmo para uma garota de 15 anos, junto a uma saia  e uma meia calça, ela sempre foi de andar e falar muito então parecia estar rodando no mercado mesmo depois de achar o que queria, o que a faz dar de cara com uma televisão onde o noticiário exibia a luta de um herói, mas não de qualquer herói, o seu irmão Seiken, que havia acabado de se formar, e a garota olhava maravilhada vendo ele usando golpes incríveis, até que ela entra em choque ao ver que a câmera focou nele, o garoto estava com uma mecha vermelha igual a dela, a vergonha da garota foi ao auge
 

Kazumi- Nossa... Como ele tá ridículo – Hyuna na hora muda de vermelho vergonha para vermelho ódio ao ouvir o amigo falar aquilo risonho
Hyuna- Vou te matar seu tampinha cabelo de charuto gigante – As veias saltaram da testa do rapaz que na mesma hora segura a blusa da garota que arregala os olhos em pânico

Kazumi- Vai me matar é? – Falou sarcástico pegando o salgadinho da garota – Se você chegar no caixa eu deixo até me chutar

                Kazumi Endo falou já pegando seu óculos de sol e botando só pra exibir a marra e a maldade, ele sabia que ele nunca conseguiria andar com uma roupa que fica paralizada, era um garoto um tanto animado e brincalhão, com seus cabelos dresds castanhos e olhar largado, ele andava sempre com um estilo mais largado por assim dizer, a coisa mais chamativa era ele ser mais baixo que os outros dois, mesmo tendo os mesmos 15 anos que eles. E mesmo que tivesse todo aquele estilo largado não era tanto quanto parecido , usava no pescoço uma identificação militar, com a numeração de seu pai já falecido em trabalho, ele olhava para heróis com certo rancor por isso, heróis que ficaram ocupados de mais enfrentando vilões esqueceram de salvar os bombeiros que estavam no meio da crise toda, mas disso ele não falava muito pois sua amiga era irmã de um herói atualmente, olhou para

                Os três se encontram no meio do mercado, Yuri levanta a vodka e o refrigerante, Yuumi os salgadinhos, Kazumi os molhos, e nisso eles tinham o combo perfeito para o lanche da tarde na casa de Yuri, e hoje era o dia do evento esportivo da U.A, estavam loucos para ver os novos alunos da U.A, até Kazumi se divertia assistindo

 

Hyumi – É incrível que eles ainda vão fazer o Evento esportivo depois do ataque gente, eu tó até curiosa pra ver qual é a daqueles garotos, fiquei sabendo que tem o filho do Endevor – Yuri olhou surpreso

Yuri – Kralho que incrível – Hyumi ficou feliz de alguma coisa animar o amigo – É incrível como a U.A se tornou uma escola elitista, tem até vaga por recomendação né? – A cara da garota quebrou na hora

Kazumi – Ele ta certo – Kamuzi fala entrando na fila para pagar as coisas – E pensando bem acho que o mais importante é ver os caras do terceiro ano, é a galera que ta indo sair pras ruas ano que vem

Hyumi – Verdade, ano passado quase surtei quando vi o oni-chan – Falou toda feliz lembrando, era apaixonada no irmão secretamente – Mas por que não vamos assistir lá em... – A garota para de falar ao notar homens entrando, eles todos usavam moletons pretos que escondiam bem eles – Kazuuu, amigos seus – O baixinho se irrita mais uma vez

Yuri – Claro que não, ele não tem amigos – A raiva dele só subia – Mas já parecem mesmo amigos seus – Notou todos se espalhando e fingindo olhar baixo, mas para Hyuna estava obvio que estavam nervosos, pra ela era fácil sentir as emoções alheias

Kazumi – Se ferrar, eles tem jeito de marginal tipo o seu Yuri – O que mais frustrava o menor era que o russo parecia não se irritar – Mas por que tocou no assunto em Hyumi, acho que não é problema....
- Parado! – Um deles não só puxou uma arma como tirou o casaco revelando que usava uma mascara, as roupas pretas largas eram para esconder as armas claro – Queremos toda a grana e carteiras!
Kazumi – Nosso... – Terminou a fala no meio de um suspiro vendo a situação – Qual é Hyumi, não me mete nessa

Hyumi – Meto sim, me ajuda, você também Yuri – Falou o cutucando

Yuri – Me recuso – Colocou as garrafas no balcão da atendente assutada, e Hyumi olhava em choque pela resposta – Você sempre pede ajuda e nunca ganhamos nada com isso

- EI! – Um dos homens se aproxima apontando a arma pra eles – Parem de conversar ou vou meter bala em vocês – Notou aquela conversa toda e se irritou

Hyumi – Eu pago– Yuri e Kazumi tinham os olhos desinteressados – TUDO! EU PAGO TUDO – Os olhos deles chega brilharam

                O homem encosta a arma na cabeça de Yuri e logo em seguida a pele dele fica brilhando, deixando a vista seu esqueleto como se fosse um raio x, a arma encostada em sua cabeça começa a esquentar junto e o homem tem que largar a arma, Yuri imediatamente segura o rosto do homem que grita de dor ao sentir o corpo queimando, Yuri suspira ainda calmo olhando para os homens que apontavam a armas pra ele

 

Yuri Dimitri
Individualidade: THERMAL BLOOD!
                Alguns sangue frios outro quente! Mas Yuri leva isso a sério de mais, seu sangue consegue subir ou diminuir de temperatura muito rápido quase que a controle do rapaz, se concentrem no quase, por que quando irritado mais quente o sangue fica, quando calmo mais frio fica, o sangue quente trás alguns benefícios como maior circulação de sangue que trás junto uma super força falsa, mais forte mas não resistente, enquanto o sangue reduz o circularmente, mais resistência, mas fica mais devagar então nada de força! (Yuri jura ter mais algum efeito mas nunca conseguiu realmente faze-los acontecer)

 

Yuri – Okay, e agora? – Perguntou olhando pra Hyuna que nem deu tempo para as pessoas pensarem, puxou todos para um corredor, a garota realmente já pensava como um herói tentando salvar ao máximo de inocentes

Hyumi – Se irrite! – Gritou para Yuri que imediatamente começa a ficar mais vermelho, e ao mesmo tempo Hyumi nota as pessoas ali com certo pânico e a criança chorando – Ei, calma, vai dar tudo certo – E na mesma hora é como se elas obedecessem sem pensar duas vezes – Agora que estão calmos me sigam

 

Hyumi Sayia!

Individualidade: EMOTIONAL CONTROL

                A capacidade de comandar emoções com ordens simples, conseguindo desde alegrar as pessoas até as fazer entra em choro do nada, quanto mais simples a ordem mais possível da pessoa atender o comando, mas a garota possui limites morais claro, o que a impede de usar isso para acabar com o dia de alguém por mais que queira, ainda assim é possível fazer uma pessoa em pânico manter a calma mesmo na pior situação, ela também controla as próprias emoções mas por um limite de tempo reduzido, mas não só isso como emoções acumuladas servem como uma espécie de bateria que se transforma em feixes de luz, o perigoso é cegar um ou destruir alguém

 

Hyuna – Venham – Falou levando todos rumo ao gigantesco frízer do mercado onde deveria ter uma saída de fundo, mas ao chegar no ultimo corredor um dos homens surge em um feixe de luz como um teleporte, o que bem devia ser sua individualidade – Fique triste! – Falou desesperada vendo o homem a encarando que começa a deixar lagrimas sair – Fique mais triste! – As lagrimas não paravam de cair e mesmo assim ele não abaixava a arma

- E... eu não vou deixar vocês escaparem! – Falou choroso sem entender exatamente o por que – EU PRECISO DAQUELE DINHEIRO TÁ!? NÃO POSSO SER PRESO! – Hyuna imediatamente fecha o punho onde estava pronta para atacar, mas logo vem a sombra de Kazumi que tirou seu moletom e o segurava no braço

                O homem descarrega o pente da arma, mas estava atordoado pela tristeza e lagrimas que não parava, e enquanto tentava se recompor nota o garoto a sua frente, e na sua frente servindo como escudo estava sua jaqueta que parou todas as balas como se não fossem nada, e Kazumi atrás do casaco suava frio como se esperasse ver as balas atravessando o casaco, Hyumi lembra que não deu a ordem ao rapaz

Hyumi – Fique calmo! – Já usou tanto aquela mesma palavra que sentia que o efeito abaixaria, mas funcionou bem

Kazumi – Certo – Falou respirando fundo, e graças a calma conseguia pensar bem, não funcionava bem sobre preção, então sua amiga o dava a melhor funcionalidade ao usar essa palavra

                Kazumi gira a blusa que volta a parecer tecido e a veste novamente enquanto vê o homem puxando um facão do balcão do açougue que era ali ao lado, a faca ainda suja vai contudo contra o rosto do garoto, que num momento como esse estaria surtando, mas graças a calma agiu sem medo, a faca chega a tocar seu rosto, mas assim que o faz para sem nem arranhar sua pele, o assaltante olha confuso ficando completamente travado também, enquanto Kazumi estrala os dedos e se alonga para então acertar alguns socos e joga o joelho com tudo no rosto do homem que sente como senão tivesse nada ali, mas então Kazumi estrala os dedos e vem uma dor repentina seguida de impactos exatamente onde ele acertou os socos, o que faz o bandido cair desacordado, Kazume para e suspira, para ele sua grande vantagem era saber lutar de verdade, e sua desvantagem era não saber agir nas horas certas

 

Kazumi Endo

Individualidade: TIME ZONE

                Kazumi pode criar zonas de tempo que ele controle, algumas imperceptíveis, como parar uma blusa no tempo, ela não envelhece nem estraga, mas também não se move, pessoas que ficam na zona ou são a zona ficam travadas mas vem tudo que acontece, as zonas costumam não ser grandes, quanto maior menos tempo duram, mas ele tem pleno controle de como o tempo de move ali, sendo bem mais fácil parar e avançar, voltar é extremamente difícil pra ele! Uma individualidade poderosíssima, nas mão de um preguiçoso, que gosta de pregar peças como parar uma bola no ar e todos os carros terem que desviar

Yuri! – EI! VEM ME AJUDA VOCÊS NÃO VEM?! – Falou furioso se escondendo atrás do balcão que servia de proteção contra as balas – AINDA TEM 3 AQUI!
Hyuna – Não! Tem dois! – Falou correndo até ele e – Coragem garota – Falou pra si mesma, e imediatamente a sua adrenalina sobe, o homem a nota chegando mas não gira a tempo de se defender da voadora que o joga por cima do balcão o fazendo bater a cabeça no caixa – Kazume os outros!
Kazume – Me deixa guria – Falou chegando por trás de um dos homens e o desarmando com um movimento rápido de mãos, o homem tenta o dar golpes com socos desajeitados que ele girava da esquerda pra direita, enquanto Kazume em sua completa calma os defendia e recuava um passo, até que segura o homem pela nuca e o puxa na direção de seu cotovelo o fazendo quebrar o nariz e cair em seguida, sorriu do homem e colocou seu capuz – Troxa

                O que Kazume não viu foi o homem de trás apontando uma arma pra ele e atirando, o garoto perde a calma completamente, sentiu a bala batendo na roupa que por sorte estava com a estrutura de um colete a prova de balar, e só de revolta criou uma esfera em volta dele e do homem que parou e não sabia o que estava acontecendo, Kazumi anda pra frente saindo de perto da bala e o encara feio dando um chute entre as penas dele, pega a abala e desfaz a zona, e Yuri vem andando apenas pondo a mão na roupa do homem que queima e o faz entrar em desespero

                E enquanto Kazumi retomava folego e Yuri se acalmava Hyumi dava pulos de alegria já voltando para o caixa, e todos do mercado logo voltam para ver a situação que acabou, os três estavam ali esperando alguma atendente que encara eles enquanto ligava para a polícia

 

Hyuna – Eiii, alguém me atende? – Se sentiu ignorada, teve de esperar uma viatura da polícia chegar pra atendente parar ali, Yuri desesperado bota sua bebida em outro caixa e finge que não é dele

Ibara- Vocês de novo? – A policial de olhos platinados fala olhando pros três que agiam de forma calma – É a 4 vez esse mês gente

Kazumi – Policial Ibara? – Falou confuso – Achei que você não fazia ronda nesse horário, não devia ser o Kankuro?

Kazumi – Ele pegou um resfriado, agora me conta, o que foi dessa vez? Brincando de vigilantes? – Kazumi e Yuri apontam pra HyuMI que não viu pois eles estavam atrás dela, fazendo a cara de inocente dela não servir de nada – Hyumi, sabe que não pode agir assim, é perigoso como civil

Hyumi- Mas você sabe que não consigo me segurar – Essa não era nem a primeira vez que elas tinham essa conversa – Assim que eu vejo o perigo eu...

Ibara- Eu tenho que ir com tudo e proteger os mais fracos, eu sei, sua família de heróis tem um jeito bem louco de criar vocês... E quanto a você Kazumi? – O garoto chega arregala os olhos e começa a soar frio enquanto tremia –Sua mãe vai amar saber que se meteu em mais uma dessas
Kazumi – Pelo amor de deus não conta! – Disse travado – E acabei de sair do castigo por causa da ultima vez

Ibara – Seu pai iria ficar feliz mas ele não esta aqui – Odiou a mulher por citar ele tão do nada – Mas sua mãe mesmo sendo uma bombeira vai surtar sabendo disso, eu vou falar pra ela sim – O garoto apenas deu um positivo pra ela e virou o rosto chateado, ela na hora percebe que vacilou, então mudou de assunto – E quanto a você em Yuri – O garoto nem deu atenção, estava passando as coisas no caixa

Yuri – Hyumi vem pagar – Puxou a garota que chorava com os olhinhos brancos por ter que pagar tudo

Ibara – Falei com você garotão – Yuri sentia que a policial ficava de marcação com ele por ele não ser completamente japonês – Você já tem até passagem pela policia....

Yuri – Me prende por ajudar as pessoas então dona – Ser chamada de dona a deixou bem ofendida

Ibara – Olha aqui garoto, tenho idade para ser sua irmã okay?! – Falou bem irritada, fazendo os cabelos dela mudarem de pretos para vermelhos na mesma hora

Yuri – Ou minha namorada – Ibara ficou de cabelos rosa na mesma hora, na verdade tinha uma quedinha pelo garoto mas não deixaria na cara fácil, sabia por fontes confiáveis que o garoto era um tanto galanteador mesmo

Ibara – Me respeita! – Falou empurrando o garoto que apenas ri, enquanto Hyumi e Kazuno encaravam a cena um pouco afastados com cara sem graça vendo a situação da mulher – Olha, vou anotar o que fizeram, mas não achem que isso vai sair barato, vou notificar os pais de todos

- Hayyy – Falaram pegando as coisas e então dando as costas pra mulher, mas chegou o momento mais importante da compra

- Aqui seu troco – A atendente fala gentil estendendo todo o dinheiro de volta, e os três em conjunto empurram gentilmente a mão da mulher de volta – Que?

- Nos queremos o troco em CandyMight – Esse doce era um vicio que os três compartilhavam, a atendente acha até insano pois aquilo daria 3 caixas para os três...
- Tem certeza? Uma caixa dá pra 3 pessoas – Na hora Hyumi suspira sabendo que daria confusão

Kazumi – EU SEMPRE FALO ISSO PRA ELES! – Gritou feliz em ter razão

Yuri – Para seu idiota – Disse rindo sarcástico – Você come sem parar feito um ogro, e ai acabamos sem, e da ultima vez que tentamos dividir uma caixa sobrou uma balinha

- E qual o problema disso? – Falava segurando a caixa e sem graça pela confusão, enquanto Hyumi perdia mais ainda a paciência com as perguntas da mulher

Yuri – Por que somos 3, e esse gnomo de jardim não pensa nos outros – Falou botando a mão com tudo no balcão assuntando amulher

Kazume – Esse gangster de araque cheirado de sal como devagar, e ai ele acha que é culpa minha – Fez o mesmo que Yuri, e a mulher já ia fugir

Hyumi – Chega! Eu to pagando e vamos levar 3 – A mulher pega e passa de uma vez aqueles doces, queria se livrar logo daqueles 3

                Os três saíram com as sacolas na mão, excerto Yuri que não pegou sua vodka para evitar Ibara o puxando pela orelha, e no caminho já abriram um dos sacos de doce para ir comendo, a embalagem era temática do All Might, o doce tinha três sabores, e cada um comia um sabor só, o que dava bem certo pra eles que andavam lado a lado conversando, na verdade os três se davam tão bem assim em poucos momentos.


Notas Finais


Caso tenha muitos erros ou partes confusas quero muito que me avisem pois vou sair corrigindo depois, sou preguiçoso na hora de digitar então foi mau, mas comentem o que acharam e o que esperam dessa fic, então obrigado por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...