História Boku no Hero Imagines - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Fumikage Tokoyami, Hanta Sero, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toru Hagakure, Tsuyu Asui, Yuga Aoyama
Tags Boku No Hero, Denki Kaminari, Fumikage Tokoyami, Hanta Sero, Imagine, Imagine Boku No Hero, Imagines, Izuku Midoriya, Katsuki Bakugo, Koda Koji, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Meso Shoji, Mina Ashido, Mineta Minoru, Momo Yaoyorozu, Ochaco Uraraka, One-shot, Rikido Sato, Shoro Todoroki, Tenya Iida, Toru Hagakure, Tsuyu Asui, Yuga Aoyama
Visualizações 454
Palavras 3.737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello gente linda, voltei com mais um capitulo enorme, desculpa eu me empolguei um pouco talvez, certeza na real. Enfim a s/n será uma menina como eu já disse no primeiro capitulo.

Me digam se querer fazer pedidos ou se gostaram da ideia do projeto de ser um historia de cada personagem.

Espero que gostem e vejo vocês nas notas finais.

Capítulo 4 - Momo Yaoyorozu.... Esse é o nome de quem roubou meu coração


Fanfic / Fanfiction Boku no Hero Imagines - Capítulo 4 - Momo Yaoyorozu.... Esse é o nome de quem roubou meu coração

 

Era um lindo dia de primavera, as flores rosas caiam das árvores de acordo com a força do vento proporcionando uma atmosfera romântica ao entrar na escola, e assim que vi aquela silhueta tive certeza que seria ela a me fazer cair de amores, apenas não imaginava que também me faria derrubar lágrimas de tristeza Ter sido aceita na Yuuei foi uma das grandes felicidades da minha vida, essa que me proporcionou conhecer Momo Yaoyorozu, uma jovem rica que diferente de muitos entrou por recomendação, sem precisar fazer o exame de admissão. Ela me encantou desde o primeiro dia de aula, sempre gentil e simpática com todos independente de quem era.

Aos poucos fui me tornando amiga de Momo, na época não sabia ao certo o real motivo dela querer ser amiga de alguém como eu. Achava que era para me esnobar, mas ela se mostrou totalmente diferente do que imaginei, a mesma queria realmente ser minha amiga sem toda a comparação que faziam ou a diferença avassaladora de status que havia entre nossas famílias. As primeiras vezes que a menina dormiu na minha casa mal consegui dormir por culpa da ansiedade de tê-la no mesmo quarto que eu, o mais engraçado de tudo isso foi que no fina contas ela gostou de ficar na minha casa, disse que era aconchegante e que sentia que a distância não era grande entre eu e meus familiares.

As aulas sempre foram muito tranquilas, me sentava na frente da Momo que me ajudava nas lições que eu não entendia ou que tinha dificuldade para compreender. Em pouco tempo nos tornamos inseparáveis, sempre indo na casa uma da outra ou saindo juntas para qualquer lugar que desse na telha; entre idas e vindas acabei por me apaixonar pelo ser tão angelical que ela é, em todos os sentidos da palavra ela é um anjo sendo pela sua beleza ou pela sua coragem e instinto de proteger quem precisa, até mesmo seu modo de andar é angelical. Cada dia que se passava eu me apaixonava mais por ela e aquele sentimento me sufocava, me consumia, precisava falar com alguém sobre o que sentia, não podia ser com ela, e ainda bem que fui falar com Jiro-chan já que ela entendia sobre esse tipo de relação, pois a mesma era bissexual e já havia tido sentimentos por outras meninas na vida. O melhor de tudo isso foi que era uma sexta e havíamos ido a minha casa pois eu precisava daquele tempo lá, naquele dia acabei falando para a Momo que iria para casa pois não estava bem e a Jiro iria me levar embora. Nós duas pedimos algo para comer pelo delivery enquanto isso contei a ela o que me afligia.

- Jiro-chan então…. Eu gosto da Momo-chan…... e não estou sabendo o que fazer….. com todo esse sentimento e intimidade que tenho com ela. Tem alguma dica?

Ela me encarou com os olhos arregalados e a boca aberta, para mim sempre pareceu ser óbvio todo aquele sentimento, mesmo eu tentando esconder me parecia que o mundo já sabia e que estava me iludindo ao tentar ser indiferente a isso. Pelo jeito eu sou uma boa atriz. Quando a menina recobrou os sentidos, piscou várias vezes e encarou um ponto fixo na sala, e passou a pensar sobre o assunto por um tempo, até que eu a trouxe de volta para a realidade estalando os dedos na frente de seus olhos, obrigando ela a me olhar enquanto eu arqueava uma sobrancelha.

- Então s/n-chan, eu não sei o que falar sobre mas acho que você deveria contar para a Momo-chan. Vai que ela também gosta de você, nunca se sabe vai……

- Não Jiro-chan, já tentei descobrir se ela gosta de alguém e ela sempre diz que não e acho que ela não gosta de mulher.

- S/n-chan…. Você acredita em mim certo? - Eu assenti com a cabeça e ela respirou fundo soltando o ar pela boca - Então fale para ela o que você sente, será melhor para todos, de verdade eu sei como você se sente, eu me arrependo de não ter contado para a menina que eu gostava antes, no final das contas podíamos ter namorado.

O silêncio reinou na sala da minha casa, estava apenas eu e Jiro em casa pois meus pais haviam saído em uma viagem de casal, meus pensamentos não paravam e só se cessaram quando a campainha foi tocada e eu imaginei ser a comida e fui atender, o que não esperava era ver Momo na minha porta toda molhada por causa da chuva de outono e com cara de brava, dei passagem para ela entrar não queria que ela ficasse ali na chuva, assim foi entrando indo para sala onde estava Jiro sentada no meu sofá com algumas cobertas, já que devido à chuva o tempo esfriou. A menina intercalava entre olhar a morena no sofá e eu perto da parede próximo a suas costas, ela acabou por apenas me encarar ficando de costas para a Jiro.

- O que está acontecendo s/n-chan? Achei que você estava doente não é mesmo? Por que mentiu para mim? Você e a Jiro-chan estão namorando? Não confia em mim mais s/n-chan? Achei que eu fosse importante para você…

Tanto eu quanto Jiro não entendemos nada do que estava acontecendo ali, a Momo nunca ficava brava com nada, por que agora essa crise de ciúmes? No final das contas ela parou e ficou me encarando enquanto eu tentava colocar os pensamentos no lugar.

- ME RESPONDA S/N!!! - ela ficou vermelha de raiva e de seus olhos parecia que saia fogo de tanta raiva, sentia que a qualquer momento eu poderia simplesmente carbonizar aonde estava.

O susto que eu levei me fez dar um grito junto com um pulinho, a Jiro também estava assustada com as atitudes da Momo.

- Momo não é nada disso, eu só queria conversar as sós com a Jiro, é um assunto muito pessoal - certamente ela ficou mais brava do que antes e mais vermelha ainda, se era possível. A menina viu que iria explodir e se segurou para não surtar - Então me explique o que está acontecendo s/n-chan por favor.

Nesse meio tempo a Jiro sai da sala e foi silenciosamente para a porta indo embora, sorte a dela que não teria que lidar com a fera, mas não podia sair sem causar como sempre.

- Conte para ela s/n, vai ser o melhor a se fazer vai por mim.

Antes que pudesse dizer algo ela sumiu mais rápido que um ninja pela porta, indo embora naquela chuva. Meu desespero era aparente, pois aquela não era a Momo que eu conhecia, parecia mais uma versão do Bakugo só que feminina.

- Agora você vai me contar s/n? - Ela cruzou os braços e começou a bater o pé com impaciência. Tive que fechar os olhos para organizar meus pensamentos e adivinhe só… Eu desmaiei ali mesmo, apaguei legal, lembro de acordar na minha cama e ter uma cabeleira na minha cara e ouvir uma voz pedindo desculpa, e parecia que ela estava muito preocupada, até mesmo poderia ter chorado. Olhei ao redor e vi que estava no meu quarto, ela deve ter me levado lá junto com as cobertas da sala que eram as únicas que estavam naquela casa agora, por causa da viagem dos meus pais.

- Está tudo bem Momo-chan -afagava seus cabelos com o braço livre já que ela deitava por cima do outro,se aconchegando nos meus seios. Ela se levantou e me olhou com tanta preocupação e carinho que eu podia ter derretido de amor ali mesmo.

- Me desculpa s/n-chan por ter te pressionado daquele jeito.

- Relaxa Momo-chan - baguncei levemente seus cabelos e sorri para tentar acalmar o coração da menina - A culpa não foi sua, eu só não comi foi por isso, a minha pressão cai caso eu não coma daí eu acabo desmaiando.

Ela se levantou da cama às pressas sem dizer nada, sumindo pela porta, apenas se ouvia alguns barulhos vindo da cozinha e após alguns minutos ela voltou ao meu quarto com uma bandeja cheia de comidas, aquelas que havia pedido para comer com a Jiro, e falando nela será que a menina estava bem depois de ter recebido toda aquela chuva. A morena chegou perto da cama e colocou a bandeja ao meu lado me oferecendo a comida na boca, não podia perder a oportunidade de ter minha crush me dando comida. Me sentia uma princesa sendo mimada, felizmente ela não voltou no assunto de antes, e eu não iria voltar tão cedo nele também, mas as palavras da Jiro me faziam querer expor meus sentimentos para Momo, e também parecia o mais certo a fazer, porém eu não vi o momento mais adequado para dizer a ela essas coisas.

Depois de um tempo a comida acabou e continuamos a conversar, a Momo deitou ao meu lado na cama debaixo das cobertas. Sentir o corpo dela tão perto do meu estava me tirando do sério, eu tentava me manter focada no que ela falava, mas eu só conseguia olhar seus lábios se movendo a cada palavra.

- S/n-chan, você está prestando atenção em mim? Me diga o que está te atormentando por favor, eu posso te ajudar amiga - mal sabia ela que aquele “amiga” foi uma facada no meu coração. Sorri tristemente para ela que passou a mão no meu cabelo fazendo um leve carinho e deixando ela na minha bochecha, o que me fez fechar os olhos para ter coragem de contar. Respirei fundo e voltei a encarar aquele rosto angelical, que estava tão tenso e preocupado comigo, passei a minha mão na mão dela segurei e coloquei de volta na cama, entre eu e ela.

- Momo-chan sabe…. Eu estou apaixonada por uma menina, foi por isso que chamei a Jiro- chan para vir em casa…. Ela me disse para contar o que sinto, já que a resposta dela pode ser sim e também pode ser não.

- Quem é a menina s/n-chan? Posso ser seu cupido - ela me dizia sorrindo, mas seus olhos pareciam haver uma certa tristeza com a notícia.

- Momo Yaoyorozu…. Esse é o nome de quem roubou meu coração.

Eu realmente não esperava o que ela fez, a garota simplesmente me beijou, a aproximação dela foi tão rápida que não tive tempo de reação. De início fiquei tensa por causa do choque, entretanto depois que ela me puxou para mais perto acabei por me deixar levar pelo momento. Quando nós separamos e ficamos a uma certa distância, não pude conter minha alegria, tudo em mim vibrava com aquele ato da Momo.

- Eu também estou apaixonada por você s/n-chan

Meu sorriso ficou maior do que antes e desta vez foi ela que se surpreendeu por ser beijada. Parecia que tudo contribuiu para que ficássemos juntas, o universo conspirava a nosso favor assim como Jiro, que depois fui saber que sabia que a Momo sentia o mesmo por mim. Naquela noite dormi com meu amor, que descobriu graças ao Kaminari, o namorado da Jiro, que a Jiro estava em casa ele também avisou a dos fones que a outra estava a caminho da minha casa. Aquela foi a primeira de muitas noites que passamos juntas, dormir sentindo o perfume dela me acalmava e trazia paz ao meu ser tão agitado.

Os meses foram se passando e nosso relacionamento passou a ser levemente visto, já que vez ou outra éramos pegas de mãos dadas ou fazendo coisas de casais. Ambas acreditávamos que não havia necessidade de expormos nossa relacionamento, já que vivíamos num país que ainda não aceitava esse tipo de relação e principalmente os pais da Momo não aceitavam. Tentávamos sempre esconder que tinham algo a mais que amizade, nem sempre conseguimos, pois, o amor transbordava de nós duas e quando estávamos juntas nada mais importava.

Como toda relação a dois, havia brigas e discussões, porém, depois de quase um ano juntas esse tipo de situação passou a ser mais frequente do que deveria, já que a menina não se sentia confortável em mentir para os pais dela e achava que traia a confiança deles, em partes eu concordava com o que ela dizia, mas do que adiantaria ser honesta se, as visões do mundo de cada um são tão diferente. Os senhores Yaoyorozu queria que a filha se casasse logo com um rapaz rico para fortalecer os negócios, não iriam aceitar outra relação sem ser essa e muito menos com uma mulher; já a Momo queria ter uma amizade com quem queria apenas usar dela, queria ser verdadeira com eles. Quando a morena colocava algo na cabeça, fazia e assim foi, os pais dela surtaram e queriam tirar ela da escola e foi tudo justo na semana do nosso aniversário de um ano, ela queria me levar na casa dos pais dela para comemorar como uma família, e como eu alertei a ela os adultos não aprovaram nossa relação.

Tentamos ficar juntas depois do episódio e sermos felizes, mas a pressão dos pais dela foi maior do que mesma pode suportar e acabamos por terminar, ouvir daquela boca que não queria mais ficar comigo e que desejava a aprovação dos pais doeu em todo meu ser. O mundo se tornou azul e chuvoso, a minha maior fonte de apoio se foi, sendo essa como namorada ou amiga, ela apenas me deixou. Continuamos convivendo na escola, porém agora mau conversávamos ou nós olhávamos, ver ela com outros me machucava muito e o que piorou foi ver o dia que ela chegou noiva do Todoroki, esse que também não estava feliz com a notícia. Naquele momento não me sobrava ninguém para chorar minhas amarguras. Mesmo depois de meses separadas eu ainda amava ela da mesma forma, e tentava interiorizar que se ela estivesse feliz estava tudo bem.

Na classe sempre existiu outros casais e um desses foi o Todoroki com o Midoriya que tiveram uma experiência parecida com a nossa, os pais não aprovaram e queria casar o filho para deixar os negócios e os herdeiros mais fortes. Depois de tudo aquilo acabei por me tornar amiga do Midoriya, sempre estávamos juntos e sentia que o Todoroki iria me queimar viva, assim como o meu amigo dizia que parecia que a Momo iria criar uma arma e atirar nele. Aquele seria um ótimo plano se não fosse uma completa furada, nós dois fingimos namorar para causar ciúmes nos mais velhos. No início não surtiu tanto efeito, mas quanto mais tempo passávamos juntos mais tensão se formava, até o lindo dia de um pleno verãozão eu e Midoriya estávamos no meu quarto assistindo alguma coisa, nunca havia visto problema já que o mesmo era gay e eu lésbica assim a intimidade corria solta e não nos importávamos em estra apenas de roupa íntima, quando não fingíamos ser um casal bem viado ficávamos assistindo RuPaul's Drag Race ou Orange is the new black.

- Está muito calor não é mesmo s/n-chan?

- Está mesmo Midoriya.

Ficávamos nós abanando com as janelas do quarto abertas, arregaçadas, nossas concentrações estavam na TV e em tentar parar de sentir tanto calor, quando fomos surpreendidos por Todoroki entrando com tudo no quarto e logo atrás vinha Momo. Nenhum dele parecia muito feliz e ali soube que nosso plano havia dado certo, os dois pombinhos só repararam nas roupas depois de um tempo e olhando para o estado do quarto parecia que havíamos feito algo além do que tínhamos feito.

- Que bom você chegou Todo-kun, está muito calor aqui será que poderia ajudar? - Sorri inocente para ele que ficou vermelho, até o Midoriya que se virou para mim corado e surpreso com aquilo - o que foi gente? Não me digam que pensaram outras coisas? Inacreditável, realmente está calor queria um gelo.

Bufei com eles voltei a olhar para a TV que estava num comercial de comida que vendia perto da escola. Ouvi a porta fechar e alguém pigarreando, não queria conversar com eles, e ignorei eles o que fez o Midoriya desligar o aparelho eletrônico, revirei os olhos e joguei a cabeça para cima cansada de toda aquela situação, a mão gelada do esverdeado foi para minha coxa nua me fazendo prestar atenção nele, arqueei a sobrancelha perguntando o que ele queria.

- Vamos ouvir o que eles querem s/n-chan, não vamos ser mal-educados - apenas concordei com ele e voltei a minha atenção para os dois que estavam perto da porta vendo toda a situação. Gesticulei para se sentarem na cadeira e puff que havia no cômodo.

- Assim…. S/n-chan você poderia colocar roupa?

- Porque Todo-kun? Gosta do que vê? Deve gostar já que está com a Yaoyorozu-chan - bufei e fui pegar uma blusa no pendurador que ficava ao lado de onde a Momo estava sentada, no puff, coloquei uma blusa comprida do meu “namorado” e voltei ao lado do Izuku que também colocou uma roupa.

- Melhor Todo-kun? - Desafiava o menino com o olhar, não queria olhar para a noiva dele já que me dava raiva vê-la.

- Poderia ser melhor, mas enfim….

- Olha só, por que vocês estão fazendo isso conosco?! Nenhum de vocês tem respeito ou compaixão por nós dois???? - A Momo se exaltou e interrompeu o parceiro quando ele ia explicar o motivo da ida deles aos meus aposentos. Todos se viraram para a morena que ficava vermelha de raiva.

- O que te incomoda Yaoyorozu-chan? - Perguntei cínica.

- Tudo isso me incomoda, vocês dois para lá e para cá rindo e se pegando. Namorando e sendo feliz, isso me dá raiva. VOCÊ ACHA QUE EU QUERIA TUDO ISSO PARA NÓS?????

- QUEM TERMINOU FOI VOCÊ- me levantei assim como ela e apontei o dedo na cara dela - Quem quis acabar com o que tínhamos foi você, quem quis contar aos pais foi você. Eu NUNCA quis tudo isso, mas sinceramente em que momento não foi pensando em si mesma que não tomou a decisão de contar?? Me diga qual era a necessidade? Ser aceita? Queria congratulações? Parabéns você vai conseguir várias no casamento - as veias do meu pescoço saltavam.

- Sinceramente é isso que pensa? A culpa é toda minha? Você foi um anjo durante todo esse tempo, a vítima de toda situação? Me poupe s/n nós duas temos culpa nisso - a indignação era clara no rosto dela, os meninos se encolheram ao nosso lado e apenas assistiam toda nossa discussão.

- Eu posso ter errado em várias coisas mas SE você não tivesse contado aos seus pais quem sabe ainda estivéssemos juntas - respirei fundo e me sentei voltando a postura - então o que você quer? Te incomoda eu seguir em frente não é mesmo? Faz meses que terminamos e quem terminou foi VOCÊ - apontei para ela com toda a raiva que acumulei - Acha que não doeu te ver chegando na sala, noiva do Todo-kun? Me poupe por favor, eu te amei muito, com todo meu ser e você estragou isso e sabe disso.

O silêncio e tensão começaram a se acumular no quarto, a morena abaixou a cabeça por vergonha, imaginei que ela podia estar chorando, mas meu orgulho era maior e não iria consolar ela.

- Enfim, o que eu ia falar antes da Momo-chan me interromper era que, estamos incomodados com a relação de vocês - ele respirou fundo e olhou para o Midoriya assim como o mesmo o olhava intensamente, o clima ainda era pesado, mas foi amenizado graças aos meninos - Izuku…..

- Shoto… quer saber vou falar a verdade aqui, eu e a s/n-chan não namoramos de verdade e queríamos causar ciúmes em vocês. No início éramos muito tímidos só que acabamos virando grande amigos, por causa da situação do tempo e tudo mais, ficamos de roupa íntima mesmo sem nenhum problema isso é normal…. Shoto eu não estou feliz com o seu relacionamento com a Yaoyorozu-chan mas se isso te deixa feliz, tudo bem e eu sei que é isso que a s/n-chan pensa também…. Queríamos ver se surtia algum efeito o ciúme em vocês e ele funcionou.

- Izuku eu vou desistir de casar com a Momo-chan por sua causa, ela nunca me fez feliz como você fazia. Era isso que iria contar, meu pai não aprova, mas eu não ligo para isso se tem uma coisa que eu aprendi com você é que o amor vale a pena.

O Midoriya tinha os olhos cheios de lágrimas como o Shoto, eles não se importaram com a nossa presença no quarto e se beijaram ali mesmo. O amor e saudade deles era visível, quase palpável. A Momo me olhava com os olhos cheios de lágrimas, se levantou e neste momento não pude me conter, mesmo com a raiva que sentia o amor da minha vida e para a minha vida estava ali, pedindo desculpas apenas com o olhar. Não houve beijo apenas um abraço necessitado de início, o choro era audível, sorte que ao entrarem trancaram a porta, não era apenas Momo que colocava para fora o que sentia, todos ali expressavam seus sentimentos do próprio jeito. Quando tudo se acalmou Momo estava no meu colo assim como Midoriya com Todo-kun, rimos juntos pela situação.

- Desculpa por tudo isso gente, a culpa é minha se eu…..- não deixei ela terminar de falar e a calei com a minha boca, ouvi o Midoriya torcer do outro lado do cômodo.

- Fica quieta amor, já passou o importante é que estamos juntos - ela sorriu com a minha frase, ver o sorriso dela me deixava tão feliz que tive que sorrir também.

- Agora vamos terminar de assistir aquele filme meus queridos e Todo-kun por favor gela esse lugar, não tanto só um pouco…. E obrigada - sorri e fui ligar a Tv, cada um se ajeitou na cama e ficamos ali, namorando e vendo um filme qualquer em um clima ameno graças ao Todo-kun.

Depois de muitos tropeços no meu relacionamento com a Momo-chan, conseguimos acertar os problemas, o amor supera tudo e vale a pena lutar por ele, independente de quem seja contra da nossa relação, contanto que eu esteja com quem eu amo poderei continuar de pé e lutando pelo meu direito de amar.


Notas Finais


O que acharam desse capitulo?

Assim eu não curto muito escrever hot, pretendo fazer isso depois por isso as historias são mais fofas, tem algumas que pretendo fazer mais sad e dramática então aguardem elas.

Vejo vocês no próximo capitulo na terça meus amores.
Bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...