História Boku no Hero: O Caminho do Herói - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens All For One, Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Enji Todoroki (Endeavor), Fumikage Tokoyami, Fuyumi Todoroki, Gran Torino, Hanta Sero, Hitoshi Shinsou, Hizashi Yamada (Present Mic), Ibara Shiozaki, Iida Tenya, Inasa Yoarashi, Inko Midoriya, Itsuka Kendo, Katsuki Bakugou, Kinoko Komori, Kurogiri, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Mei Hatsume, Midoriya Izuku (Deku), Mina Ashido, Minoru Mineta, Mirio Togata (Lemillion), Momo Yaoyorozu, Naomasa Tsukauchi, Neito Monoma, Nejire Hado, Nemuri Kayama, Personagens Originais, Pony Tsunotori, Sen Kaibara, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Stain, Tamaki Amajiki (Sun Eater), Tetsutetsu, Thirteen, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toru Hagakure, Tsuyu Asui, Uraraka Ochako (Uravity), Yagi Toshinori (All Might), Yosetsu Awase, Yu Takeyama (Mount Lady), Yuga Aoyama
Visualizações 66
Palavras 3.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá Olá, eu estou postando este cap por que acredito que amanha não vou ter tempo de postas nenhum, então pra não passar em branco tá? Espero que gostem deste cap, eu gostei então né...

Capítulo 11 - Do Começo


Isamu On

Vamos do Começo...

Isamu- Mãe, eu já falei, eu vou atrás do meu pai, não importa oque diga- Eu já estava na porta com a mochila nas costas

Yoki- Filho espera- A mulher de longos cabelos negros e olhos azuis grita descendo as escadas- Não esqueça isso meu filho- A mulher entrega uma sacola ao garoto, que olha sem acreditar...- Eu sei que você gosta muito disso então leva...

                Naquele dia minha mãe não queria me dizer mas ela estava com medo de eu encontrar meu pai e me magoasse, ela queria que eu ficasse em casa e esquecesse este sonho de ser como ele, de ser um herói... Quando eu era pequeno eu morei por muito tempo com meus pais, que eram um casal bonito na minha frente, mas pela falta de individualidade de minha mãe ele partiu, quem me contou foi meu avó por parte de mãe, eu não aceitei, meu pai disse pra mim que ia ajudar o mundo e voltava um dia, ele foi para outros países ser herói, mas quando voltou eu fiquei sabendo e liguei pra agencia dele, mas ele me contou que não ia voltar, eu me revoltei e fui ao encontro dele

 

Isamu- Você deve desculpas a minha mãe! Ela precisa de você! Sabia? Ela se esforçou todos estes anos pra cuidar de mim e você nunca voltou- Ele se virou, ele que estava no meio da rua enfrentando um homem que tinha um sorriso simpático, outros heróis seguraram a luta pra que ele falasse comigo...

-Filho... Eu não queria te deixar... Foi um pedido da sua mãe- Entrei em choque- Ela tinha medo de você sonhar em ser um herói como eu quando cresce, quando descobrimos que você não tinha individualidade ela me implorou pra me afastar, ela me implorou e me fez prometer, e so por isso te deixei, mas filho- Ele tira o capacete que tapa seu rosto- Eu te amo, mais que tudo, e voltei pra brigar pela sua custodia...

                Eu fiquei em choque, ele me deu um sorriso e se virou, ele sumiu em um piscar de olhos como um tiro e so oque me sobrou foi o vento que ficou para trás, eu fiquei ali pra ver o combate, que se tornou violento e a policia começou a evacuar, mas antes que conseguissem me tirar eu vi meu pai ferido, seu capacete quebrado e o homem em pé sobre ele, meu pai morreu com uma espada cravada no pescoço... Eu descobri que o homem que matou meu pai era Black Smoke, um assassino poderoso, mas a morte de meu pai não foi em vão pois em seu ultimo movimento usou um golpe que ele me ensinou, o soco de vidro, dizia que não importava quem fosse, um golpe bem dado venceria qualquer combate, ele foi atingido e capturado... Mas eu fui pesquisar sobre aquele homem, ele já havia sido preso pelo meu pai, mas foi solto por boa conduta e voltou por vingança... O assassino foi preso e levado ao Tartaro com direito a perpetua... Mas... Mas... Se esse homem tivesse recebido pena de morte, meu pai estaria vivo! Eu conheci outros jovens que passaram o mesmo em uma clinica, e todos eles sofrem por pais e mães assassinados, eu so sinto ódio, se os vilões tivessem sido eliminados! Esses não sofreriam nem por um segundo, eles poderiam... Ser felizes, e sonhar mais alto, eu não suporto essa dor... Eu recebo uma mensagem em um grupo dizendo que um vilão esta na casa de um dos jovens que eu conheci, eu não aguentei, eu fui até lá e em um golpe de sorte matei o vilão com uma facada na nuca, a garota me disse que não contaria pra ninguém e levaria a culpa, ela saiu com legitima defesa, e viva... Ela poderia sonhar e viver mais, eu vejo a chance de continuar a fazer isso, será que isso é certo? Isso me levaria a alguma coisa? Por que não me tornar um herói? Mas sem individualidade? Nunca seria aceito, mas se eu fizer isso com minhas próprias mão eu posso conseguir... Eu treino, relembrando tudo que meu pai me ensinou, alguns antigos policiais amigos de meu pai me ensinaram a lutar, engraçado, meu pai serviu como policial antes de herói, ele dizia que isso o fez entender o caminho certo... Queria entender esse caminho um dia... Eu enfrento um vilão cara a cara, eu saio muito ferido mas eu venço, eu o enforco como forma de julgamento, eu então continuo, e todas as vezes eu sinto medo, não importa quem eu enfrente, eu sinto tanto medo... Então um dia enfrento Beserk, ele pretendia derrubar um prédio inteiro com pessoas dentro, eu luto com ele usando tudo que tenho, e no final eu o venço pelo cansaço e com um soco... Eu sentia que fazia o certo depois daquilo, e logo depois eu sou preso, nisso sou levado a um tribunal

 

Juiz- Você não é nada mais que um simples assassino para mim, deveria estar preso, oque a de diferente nesse garoto?- Ele lê o papel- Matar vilões não faze dele especial, mas o faz um vilão... Mas o deixarei falar em sua defesa- Nesse dia havia tantas câmeras a minha volta, não era ao vivo, mas era pra transmissão no dia seguinte, não mostraram meu rosto por segurança 

Jisatsu- Você pode retirar oque disse- Olho para o Juiz que soa frio- Não me compare a vilões, eu defendo sonhos... Eu sou aquele que defende os inocentes... Cada criminoso nesse mundo é um verme que deve pagar com a vida, e se acha que pode me julgar por ajudar os outros esta errado, pois quanto mais eu mato mais eu protejo- O Juiz ficou em silencio, deve ter sido o medo quem sabe

Juiz- Será prisão perpetua, para proteger a sociedade de seus pensamentos insanos...

                Eu já tinha aceitado aquilo, teria que escapar da cadeia, mas então um homem surge, ele cai com um joelho sobre o chão e quando se levanta tenho aquela grande presença diante de mim, nesse dia eu ganhei uma chance em um milhão que eu não quero jogar fora...

                Por que estou relembrando tudo isso? Por que sinto que estou prestes a jogar tudo fora, eu olho pra frente e só vejo aquele garoto, com um sorriso que me destrói por dentro, eu o encaro com um ódio intenso

 

Momo- Temos que fugir, se não vamos morrer, não temos vantagem nenhuma contra a individualidade dele- Eu não consigo se quer responder- Isamu me escura

Isamu- Você foge, eu o seguro aqui, chame ajuda- Momo mão acreditaria

Momo- Você vai matar ele... Não vai?

Atsushi- Fala como se ele conseguisse me enfrentar

Isamu- Momo, escuta, se você for rápida não vou conseguir matar ele, e claro que você vai voltar rápido e me impedir, mas se você ficar e nos perdemos e nos dois morrem... Aposto que muita gente pensaria que é melhor só eu morrer, e se quiser minha opinião... Eu não quero que se arrisque por mim, eu não mereço a sua compaixão...

Momo- Isamu, mesmo depois do que eu falei você ainda vai me protege? Eu... Não pretendo deixar você me salvar!

                Momo não percebe o golpe em nossa direção, eu a jogo longe mas levo um leve corte na barriga, eu olho pra momo que me encara meio assustada, misturado com surpresa, ela não devia esperar isso de mim... Mas eu tenho que me preocupar com os golpes do Black Smoke, eu desvio ao máximo mas seus golpes estão mais violentos, eu estou sem vantagem, sem equipamentos nem nada... Eu recuo quando vejo o cara dando um passo pra trás... vejo vindo de trás de mim por cima de meus ombros duas tufas negras semelhantes a que eu uso, que eu pego no susto... Olho pra Momo que corre olhando pra trás, eu dou a ela um grande sorriso, e ela o devolve de forma sincera, eu seguro pelos lados e já giro em direção a mão do Smoke, que leva o golpe na parte de trás da mão e acaba largando a katana, ele com o pé tenta pega-la de volta mas eu a rebato quando esta quase na mão dele pra parede, ele saca a outra katana e uma submetralhadora, eu chuto sua mão apontando a arma pro outro lado, largo a tonfa da esquerda e pego a outra submetralhadora, ele segura minha mão e eu a dele, eu tento forçar a arma até sua perna e ele até minha cabeça, quando achei que estava perto eu começo a atirar e ele faz o mesmo, ficamos parados gastando munição, que logo acaba, eu largo a minha e giro meu punho contra sua cabeça, ele se desfaz em fumaça e tenta quase imediatamente me atacar, ele pega as duas katanas e eu pego minha outra tunfa, ele some e fico cercado de fumaça, eu levo um corte nas costas e depois no peito, ele começa a surgir e desaparecer sem parar, e eu tento ir me defendendo cada vez mais, e logo eu entendo, onde tem acumulo de fumaça ele surge, e eu logo prevejo seu movimento, eu sei onde ele vai surgir, vai me atacar pelas costas de novo, eu me preparo, o pulo  pra frente evita o golpe nas minhas costas, o giro arrisca que seja direto no pescoço, mas consigo evitar por pouco, agora o giro de cintura e ombro rápidos seguidos por um movimento direto do punho que encontra o queixo , quando toco seu queixo eu uso a força que o faz deslocar pro lado, ele gira o suficiente e logo em seguida cai no chão apagado... Eu subo em cima dele e penso em soca-lo sem parar... Mas... Não é isso que um herói faria...

 

Policial- SAIA DE CIMA DELE AGORA- Vejo que estou cercado por uma tropa inteira- MÃO NA CABEÇA E SAIA ANDANDO

                Eu encaro uma ultima vez o garoto que já acordava, eu me levanto e ando pra fora da loja, estou no meio do shopping, eu estava prestes a falar quando colocam uma coleira mais pesada e junto com os bastões que me seguram, os choques são imediatos, eu não tive tempo nem de falar, eu começo a ser puxado, um idiota começa a ler meus direitos

 Isamu Off

 

                Midnight havia derrotado os vilões facilmente, ela estava quase cercada pelos repórteres quando começou a correr, mas viu que chegou tarde, Isamu havia feito uma grande loucura, ela o vê sendo puxado e a coleira que usava caída, ao lado um alicate, de onde ele tirou isso? Não estava com ele, e oque havia acontecido ali foi apenas por desejo de fugir? Duvidava muito se não teria tentado antes... Os alunos da U.A estavam reunidos comemorando que tinham ajudado o máximo de pessoas, mas logo a alegria some e seus olhos se viram para os vários policiais, um grupo que levava Isamu e um que apontava armas para ele, aqueles menos próximos so encaravam sérios, mas havia os que possuíam alguma tristeza... Logo uma aluna da um passo a frente e corre, tentam segura-la mas ela não aceitou a cena...

 

Momo- ESPEREM! NÃO É CULPA DELE!- Os policiais a embarreiram- EU ESTAVA EM PERIGO E ELE ME AJUDOU, POR FAVOR

Policial- Não importa, ele retirou a coleira e não temos permissão pra intervir de qualquer jeito, apenas leva-lo a prisão provisória até o julgamento dele, se quiser defender ele vai ter que ir protestar ou sei lá, vira testemunha dele então... Como se adiantasse de alguma coisa

                A turma foi levada até a delegacia onde deram seus depoimentos, seguido de um fim de semana em vigilância, quando o primeiro dia de aula voltou havia um local na sala vazia, todos sentiam uma coisa estranha, logo os professores entram e anuncia que teriam aula normal...

 

Jiro- Professores- Vlad e Aizawa se viram para a garota que parecia aflita- Em que cadeia jogaram Isamu?- Os professores abaixaram os olhos

Vlad- Vou falar em respeito a você, Isamu é considerado um criminoso de alto nível, so a um lugar pra pessoas como ele no japão

Midoriya- Tartaro- O garoto fala cerrando os punhos

Jiro- Não é justo- Ela bate forte em sua mesa

Aizawa- Não venha se revelar aqui- O professor a interrompeu ali mesmo- Não adianta gritar pra gente, terá que esperar assim como todos nós, e vocês tem que se preocupar com outra coisa como a festa...Fizemos o orçamento e decidimos quem serão responsáveis por liderar a turma

Kendo- Não serei eu e Lida? Já que somos representantes?

Vlad- Não aprenderiam nada com isso já que os dois já tem espirito de liderança, demos a oportunidade a dois alunos que vimos que precisavam disso... Bakugo e Akami

Akemi- YES!

Bakugo- NÃO! POR QUE JUSTO ELA?!

Aizawa- Pela difícil relação de vocês que só não é pior que você e o Midoriya

                As aulas terminou e logo em seguida Akami pegou papeis com o professor, ela percebeu que Bakugou nem se importou em ir atrás das coisas, ela imediatamente corre para fora da escola e o encontra saindo da escola, ela corre atrás dele mas ele some de sua visão, ela continua correndo, e então o vê entrando em um metro, ela entra no vagão e percebe que ele não esta naquele vagão, ela desce quando vê o seu cabelo arrepiado, ela corre desesperada procurando e o vê entrando em uma esquina distante, ela corre como se não tivesse amanha, mas logo perde o garoto de vista, ela repara em uma casa onde vê o cabelo do garoto pela janela... Ela corre e aperta a campainha... A porta se abre e ela já vê o garoto

 

Akami- Você deveria andar mais deva...- Ela olha bem e percebe não ser o garoto, ela cora- Eita... Desculpa, confundi a casa, e a pessoa, minhas sinceras desculpas

Mitsuki- Você é da U.A!- A mulher parece animada

Akami- Sim, eu sinto muito, já vou indo

Mitsuki- Meu filho Bakugo estuda lá

Akami- Você é a mãe do Kachan?!- A garota fica surpresa, mas logo vê as semelhanças- Eu precisava falar com ele ai tentei seguir ele pelo metro...

Mitsuki- A não, devia ser eu, eu estava no metro, mas ele deve ter descido em outra parada, pedi pra ele compra algumas coisas para o jantar... Falando nele- Ao olhar pra trás a garota se depara com o garoto que tinha um olhar confuso e ao mesmo tempo revoltado- BAKUGO MALDITO- Akami entra em pânico por alguns segundos já que a mulher grita em seu ouvido- DEVIA AVISAR QUE TERIAMOS VISITA!!

Bakugo- EU NÃO CHAMEI ELA PRA ESSA MERDA, MANDA ELA EMBORA- Uma veia salta da testa da Akami

Akami- EI SEU PALHAÇO, EU VIM TE MOSTRAR OS PAPEIS DO TRABALHO E VOCÊ ME VEM COM UMA PORRA DESSAS KACHAN SEU MALDITO

Mitsuki- SEU MAU EDUCADO, EU NÃO TE CRIEI COM ESSA FALTA DE EDUCAÇÃO! AGORA ENTRA E CONVIDA SUA AMIGA PRO JANTAR!

Akami- É ISSO AI...- A garota parou pra pensar- Oque? Serio? Não precisa, eu so vim entregar esses papeis

Mitsuki- Eu insisto! Você se deu ao trabalho de vim aqui entregar isso pra ele, acho que te devo uma refeição, e você parece que veio correndo...

Bakugo- PARA DE SER OFERECIDA SUA BRUXA MALDITA- Bakugo ainda não tinha aceitado aquela visita inesperada

Mitsuki- Apenas vamos ignorar ele e entre, vou te servindo um chã e logo faço a janta, e quero que me conte quem pintou seu cabelo desta cor, roxo é a sua cara

Akami- Você vai ficar surpresa viu, e eu amaria um chá

                As duas foram entrando e conversando indiscriminadamente, ignoraram Bakugo que foi forçado a fazer o chá, e logo mais o pai de Bakugo surge

Mitsuki- Olha, uma amiga do Bakugo, a primeira garota da escola dela que ele trás...

Masaru- Ooohh Fico surpreso em ver que Kaminari não é a única pessoa que você trouxe aqui...

Bakugo- EU TAMBÉM NÃO TROUXE ELE, ELE SIMPLESMENTE ME SEGUIU, AQUELE BASTARDO!

Mitsuki- OLHA COMO FALA COM SEU PAI GAROTO! Akami, se quiser esperar um pouco vou fazer a janta, BAKUGO! MOSTRA SEU QUARTO PRA GAROTA

Bakugo- ESTA LOUCA BRUXA, EU NÃO VOU LEVAR JUSTO ELA PRO MEU QUARTO, EU NEM CONHEÇO ESSA AI DIREITO PORRA- A mãe de Bakugo o encara revoltada, Akami não percebe por que na verdade a verdadeira revolta vem em um olhar calmo, Bakugo entende e sente o suor de nitroglicerina cair frio, a mulher saiu por um segundo mas logo voltou

Mitsuki- Sente-se aqui Akami- A mulher tinha um álbum na mão- Vou te mostrar nossas fotos favoritas, tem uma bem especial aqui dele ainda garotinho...

BAKUGO- Akami, vem comigo- Ele falou com veias e mais veias saltando e com o tom baixo

Akami- Pra onde?- A garota pergunto animada com o álbum de fotos, mas Bakugo a segurou pelo pulso, a mãe de Bakugo tinha um grande sorriso- Aaaa não...

                Eles entram no quarto e Akami se depara com um quarto organizado com alguns livros, não era nada diferente de um quarto de garoto comum, mas a garota reparou em um pequeno lenço amarelo rasgado que ficava em um frasco, ela insinuou pegar quando Bakugo segurou sua mão

 

Akami- Oque é isso?- A garota abaixou a mão

Bakugo- É um presente que ganhei do meu tio, em uma cidadezinha no interior

Akami- Um lenço amarelo rasgado? Que presente legal em...

Bakugo se virou de costas- É... Um pedaço rasgado da capa do All Might- A garota se assusto- Ele enfrentou um vilão na cidade e o cara so conseguiu fazer isso- O garoto tinha um sorriso- Disseram que o vilão era forte e tudo mais, só que tudo que ele fez foi isso de estrago... – Akami esta impressionada com o objeto

Akami- Eu acho que isso é coisa de fanático, mas é tão legal...- O garoto se jogou na cama e desviou o olhar- Para de bancar o durão vai, não tem ninguém aqui pra você impressionar

Bakugo- Eu não banco o durão- O rapaz abre um sorriso- Eu sou durão de verdade, e fique sabendo que  eu não preciso fingir nada pra ninguém

Akami- Esta me dizendo que você ta sempre irritado com tudo então? Eu grito por que é divertido, tipo agorinha, ou por que você é um idiota

Bakugo-Claro que não, eu não to sempre irritado, eu so não sei agir desse jeitinho de vocês...

Akami- Agir como uma pessoa normal?

Bakugo- Para de ser idiota! Eu não sei ser essa galerinha passiva, odeio essas coisas, e quando falo algo eu so sei falar oque acho de verdade

Akami- Tipo com o Deku?- Bakugo já mostra um olhar irritado- Ai viu, não tinha que ficar irritado nem nada, mas ficou

Bakugo- Com ele é diferente, ele é um desgraçado que me enganou, ele sempre se fingiu de fraco e agora ele esta ficando forte...

Akami- E isso te irrita? Ele ser forte?

Bakugo- Não, me irrito de ter me preocupado com aquele idiota! Ele sempre fingiu ser um...- Bakugo não queria se abrir assim de repente para Akami, mas ele se sentia enganado por Midoriya, desde criança ele pisava o garoto, que se mostrava sem individualidade, e por mais que negasse de alguma forma aquele era o jeito de mostrar que não queria que Deku entrasse em uma confusão de verdade  

                Akami se surpreende com a resposta, mesmo que incompleta, eles são interrompidos pela janta que a mãe de Bakugou serve animada, o garoto age normalmente depois tudo, Akami olhava estranho pro garoto que parecia nem perceber, depois da janta Akami se lembra de que tem que ir pra casa, ela pensa em como o Bakugo era um cara complicado, por traz de toda aquelas explosões tem um garoto com o coração grande, era estranho ver assim... Mas passou o caminho todo com o loiro de olhos avermelhados na cabeça...

                Isamu é levado a uma cela acorrentado e preso em uma cadeira forte feita de titânio puro e possuía poucos guardas o cercando, mas pro garoto aquilo seria desnecessário, ele nem se esforçava, ele aceitou calmo a situação dele, sabia que teria que esperar o julgamento daqui 1 mês e talvez, só talvez com chances mínimas poderia sair dali, e isso com uma pena de 10 anos, ele estava calmo por que sabia que teria que se acostumar, então ele é jogado na cela e é solto, ele olha pro seu parceiro de cela e os dois trocam olhares...

 

Isamu- Stein, o Assasino de Herois

Stein- Jisatsu, o Justiceiro

Isamu- Eu vou ter que dizer, eu te odeio...


Notas Finais


Obrigado por ler viu?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...