1. Spirit Fanfics >
  2. Boku no Hero: One Punch Man >
  3. Começo

História Boku no Hero: One Punch Man - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sei lá, tô com vontade de fazer uma fanfic disso à bastante tempo ,-,

Fiquei com preguiça de contar o início do anime, já que eu acho que todo mundo que tá lendo isso já sabe como é...

Capítulo 1 - Começo


Midoriya era apenas mais um garoto que vivia seus 11 anos de idade, mas ele sofria diariamente por não ter uma individualidade em um mundo onde cerca de 80% da população possuía uma.

Midoriya sofria bullying e agressões por seus "amigos" que sempre o diziam que sem uma individualidade, ele não passava de um inútil, principalmente seu amigo de infância, Katsuki Bakugo, ou como o Midoriya o chamava, Kacchan.

Certo dia, Midoriya estava indo para a escola, mas como sempre, Bakugo ia perturba-lo e o jogava em algum beco, podendo assim, bater em Izuku sem que ninguém veja.

— Eu vou te ensinar uma lição, Deku! — Bakugo dizia, um pouco antes de começar a espancar Izuku.

Depois que Bakugo "deu uma lição" em Midoriya, ele sai de lá e vai para sua escola, deixando seu amigo todo machucado no chão, mas algo estava diferente em Midoriya, ele não se apavorava mais ou sentia medo de seu amigo, ele tinha se acostumado com aquilo, depois de 7 longos anos sofrendo a mesma coisa, ele já não ligava mais.

Quando Midoriya entrou na escola, ele rapidamente foi para o banheiro se limpar, mesmo que ninguém se importasse, ele não queria permanecer naquele estado. Após ir para a sala, Midoriya se sentou em seu assento que ficava no fundo da sala e permaneceu calado até o final da aula.


Agora que Midoriya estava saindo da escola, Bakugo aparece com seus capangas e novamente, começa a levar Izuku para um beco e espanca-lo. 

Depois de mais um dia de dor, Midoriya que agora estava no chão outra vez, olhava para o céu e começava a cerrar seus punhos. — Eu vou provar que posso ser um herói mesmo sem individualidade. —  Foram as únicas coisas que passaram na mente dele, sem se importar em onde ou como estava, ele apenas levantou-se, e à partir daquele dia, Midoriya iniciou seu treinamento.


Midoriya começou fazendo 100 flexões, 100 abdominais, 100 agachamentos e corria 10 quilômetros todos os dias, mas à cada dia, ele aumentava 1 flexão, 1 abdominal , 1 agachamento e com o tempo, 1 quilômetro.


Após vivenciar um inferno durante 1 ano, Midoriya já tinha um corpo totalmemte atlético, mas ele queria ser mais forte, mais forte do que já era, para se provar de que mesmo um inútil sem individualidade, poderia se tornar uma grande pessoa na sociedade. Midoriya fazia agora 465 flexões, 465 abdominais, 465 agachamentos e corria 46 quilômetros todos os dias, e por estar mais forte, passou a aumentar 2 vezes mais seu treinamento.


No segundo ano, Midoriya já não estava conseguindo sentir quase mais nenhum sentimento. Ele estava totalmente inexpressivo e já não se importava com mais nada, mas em troca disso, ele continuou cada vez mais forte, sentindo como se quase nada pudesse machuca-lo agora, mas ele sentiu que poderia ficar ainda mais forte, então decidiu treinar mais. Ele agora conseguia fazer 1.195 flexões, 1.195 abdominais, 1.195 agachamentos e corria 119 quilômetros todos os dias.


Depois de seu último ano de treinamento, Midoriya agora conseguia alcançar uma força surreal, ele podia fazer qualquer coisa, mas em troca disso, ele não sentia mais nenhum tipo de sentimento, ele agora só buscava por algo que lhe entretesse, mas falhou miseravelmente, pois ele nunca encontrou ninguém que fosse mais forte que ele. Nesse último ano, Midoriya havia dobrado novamente seu treinamento, tornando tudo agora um treino matinal diário. Agora ele fazia 2.655 flexões, 2.655 abdominais, 2.655 agachamentos e corria 265 quilômetros todos os dias, mas ele deicidiu parar de aumentar esses números, tornando-os apenas um treino diário normal, já que agora, não importasse o quanto ele treinasse, ele já não conseguia ficar mais forte.


Midoriya agora tinha 14 anos de idade, ele tinha seu corpo muito mais musculoso do que antes. Agora, mais nenhum dos amigos de Midoriya batia nele, pelo simples fato de que ninguém conseguia sequer fazer Midoriya sair do lugar, ou quando tentavam acertar ele com socos, pareciam que estava socando uma espécie de aço.

Agora, ele estava indo em direção à escola, não tinha mais nada para fazer, já que não sentia mais atração por nada. Quando estava indo lara escola, ele viu um vilão em cima de uma ponte. Por causa disso, ele chegou mais perto do local e começou a observar o vilão, até que um herói chamado Kamui Woods aparece na ponte e tenta deter aquele vilão.

— Você prática atos ilegais contra a sociedade, e chegou a roubar a bolsa de uma mulher! Você é o mal encarnado! — O herói gritava.

— Um pouco exagerado. — Pensou com sua cara inexpressiva de sempre.

Depois de algum tempo lutando, Kamui Woods resolve usar sua habilidade especial, mas quando estava prestes a desferi-la no vilão, todos escutaram um voz feminia que dizia "Canyon Cannon", e que seguia acompanhada de uma mulher incrivelmente alta, que dava um chute no vilão e o derrubava da ponte, ganhando assim todos os créditos.

Enquanto aquela mulher se levantava, ela fazia uma pose sexy, que chamava a atenção de todas as câmeras. Izuku voltou a andar novamente para a escola, mas quando chegou na entrada, ele viu Bakugo o encarando com um olhar mortal.

— Deku! Seu nerd de merda, eu vou te matar! — Ele rugia para Midoriya

Midoriya apenas o olhou com cara de Poker Face. — Ah, tá. — Respondeu para Bakugo, fazendo o mesmo soltar um explosão em Midoriya, mas depois que a fumaça abaixou, eles viram Midoriya sair dalí sem nenhum arranhão com cara de Poker.

Já na aula, o professor chegou com alguns papéis em suas mãos. — Agora, escrevam aqui o que vocês querem se tornar... A quem estou enganando? Todos querem ser heróis! — Disse enquanto jogava os papéis para o alto, fazendo todos os alunos usarem suas individualidades no meio do nada.

— Okay, já chega. Não temos permissão para usar nossas individualidades. — Ele dizia e voltava a segurar alguns papéis. — Pelo que estou vendo, o Bakugo quer entrar na U.A, não é mesmo? — Ele perguntou.

Bakugou deu um sorriso sádico. — Claro! Eu não quero ficar na mesma escola que esses extras! — Ele disse com a perna na cadeira.

Todos olharam para Bakugo enquanto falavam mal dele. — Bom, pelo que eu vejo, outra pessoa quer ir pra U.A. Deixe-me ver... Izuku Midoriya. — Depois dessas palavras, todos olharam para Midoriya e começaram a rir incontrolávelmente, enquanto Midoriya apenas fica com sua expressão vazia.

— Deku! Como ousa querer entrar na mesma escola que eu?! — Bakugo se levanta e anda em direção à Midoriya, que apenas o encara com um expressão vazia.

Bakugo fica frente à frente com Midoriya e então bate na mesa do mesmo enquanto criava uma explosão, na intenção de derruba-lo, mas Midoriya nem saiu do lugar.

— Bakugo, sente-se — Disse o professor sem nem ligar. — Tsc — Foi o que Bakugo disse antes de se sentar.

Midoriya permaneceu calado, sem fazer nada e com cara de Poker enquanto observava Bakugo voltar para o lugar dele.


Depois que todos já haviam saído, só sobraram Midoriya, Bakugo e mais dois de seus capangas. Bakugo pega um livro de Midoriya que ele sempre levava consigo, mas à mais de dois anos que não escrevia nada nele.

— O que é isso? "Individualidades para o futuro 12"? Não me faça rir! — Disse enquanto explodia o caderno e o jogava pela janela.

Midoriya olhou para o caderno enquanto caía, mas não mudou nada em seu rosto, ele apenas ignora todos e começa a sair de sua sala.

Bakugo ficou com bastante raiva por Midoriya tê-lo ignorado. — Por que não pula de um prédio? Assim você seria meu heroi. — Disse enquanto soltava risadas junto com seus capangas.

Midoriya apenas seguiu seu caminho, indo atrás da escola somente para pegar seu caderno que estava em um pequeno recipiente onde tinha peixes que tentavam comer as folhas do pequeno caderno.


Quando Midoriya estava voltando, ele decidiu passar por um atalho, já que ele queria poupar menos tempo para chegar em casa. Quando estava na metade do beco, ele escutou um barulho vindo de um boeiro que estava perto dele, e de lá ele vê saindo uma espécie de monstro de lodo.

— Uma capa de carne perfeita para me esconder daquele herói... — Ele disse enquanto rastejava na direção de Midoriya.

Midoriya puxou seu braço levemente para trás, e quando estava prestes a socar o vilão, eles escuta uma voz que vinha da mesma direção de onde o vilão saiu.

— Texas Smash! — 

Uma incrível pressão de ar passou por Midoriya, e o vilão que estava em sua frente acabou por se desfazer graças à pressão do vento, mas Midoriya nem sequer se mexeu.


— Incrível que nem sequer tenha saído do lugar. Deve ser bastante forte! — Midoriya olhou para aquele homem e logo o reconheceu, ele era All Might.

— Oh... All Might! — Dizia calmamente.

— Isso mesmo! Agora, poderia me ajudar a pegar os pedaços do vilão? — Perguntou o herói.

Midoriya apenas assentiu com a cabeça, e depois de um breve tempo eles reuniram todos os pedaços em uma garrafa de refrigerante.

— All Might, eu posso fazer uma pergunta? — Disse calmo.

— Claro meu jovem! — Respondeu

Midoriya então o olhou por um pequeno instante antes de perguntar. — Será que alguém sem individualidade pode se tornar um herói? — Perguntou ainda muito calmo.

All Might demorou um pouco a responder, mas logo veio a resposta. — Sinceramente não. Alguém sem individualidade apenas atrapalharia os heróis. Mas se quer mesmo se tornar um herói, deveria ser um policial ou um bombeiro, mesmo não sendo devidamente reconhecidos, ainda são profissões muito nobres. — Essa resposta não mudou nada na expressão de Midoriya, ele apenas olhou o herói e lhe deu um pequena resposta. — Entendo. — Foi tudo o que ele disse.

Depois disso, All Might deu um grande salto, o que o fez sumir em apenas alguns segundos. Midoriya apenas continuou andando em direção à sua casa como se nada tivesse acontecido.

Enquanto caminhava, ele olhou para o céu e pensou. — O teste da U.A começa daqui à 10 meses, acho que devo me "preparar" até lá. —


Continua...


Notas Finais


Algumas explicações sobre o capítulo.

O livro dele só tem 12 volumes, já que ele ficou "entediado" e resolveu parar de escrever

Não teve incidente do vilão capturar o Bakugo, já que não teve Midoriya pra fazer a garrafa cair ,_,

Eu acho que só, qualquer outra dúvida pode perguntar aí. Mals pelo capítulo muito pouco contado sobre a história dele, é que eu tava com preguiça. Desculpa qualquer erro ortográfico e espero que tenham gostado ,-,


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...