1. Spirit Fanfics >
  2. Bonenzo: Um amor que cura >
  3. Parabéns Lorenzo

História Bonenzo: Um amor que cura - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Se eu tomasse qualquer espécie de bebida alcoólica diria que sim, eu escrevi isso bêbada, mas por incrível que pareça eu não bebo e estava sóbria.

Eu sou brega e louca. Então eu toquei o foda-se. 🙃

Já disse que se pudesse daria o mundo a um personagem fictício? Sim, eu daria o mundo ao Lorenzo pq sei que se o mundo fosse dele, ele dividiria com a Bonnie.❤

♡ Acompanhe ♡

Capítulo 28 - Parabéns Lorenzo


Fanfic / Fanfiction Bonenzo: Um amor que cura - Capítulo 28 - Parabéns Lorenzo


Uma semana depois ....



PV- Bonnie 


Desde que me acertei com Enzo, que me divido entre a minha casa e a dele, muitas vezes saio da residência direto para a sua casa. Elena e Caroline reclamam da minha jornada, dizem que assim  quem ficará doente sou eu, sei que é preocupação, é cuidado, mas eu não me sinto nada mal, muito pelo contrário, amo me senti ocupada, está desenvolvendo meu trabalho com seriedade já até me adaptei ao jeito do Dr. Andrews, o doutor Parker parou de me  importunar também, acho que ele está se envolvendo com a filha de um magnata dizem que ela tem 18 anos, uma tal de Jade, bom... Boa sorte!


Eu não tenho do me queixar, sempre estou com Caroline e Elena quando saímos do hospital e, os fins de semana e no meio da semana também, estou com meu amor. Falando nele, deve está inquieto a minha espera, ele odeia atrasos. 

O Enzo está se medicando corretamente, essa semana não teve complicações, está aplicado com um projeto de tratamento de crianças Somalianas que sofrem de desnutrição, sinto que trabalhar nisso tem lhe feito muito bem, ainda que à distância. Ele até se apegou ao Ben, um garotinho de 10 anos que ele conheceu durante as vídeos transmissões e chamadas, que anda fazendo com outros médicos da equipe médica dos "borderless doutor" que estão lá. É emocionante vê-lo nutrir um sentimento tão genuíno por uma criança que conhece graças a tela de um computador.

A Mag e o Stefan estão unidos a mim na missão de convencê -lo a aceitar ser o primeiro paciente a participar de um transplante de coração pelo método Shauzer: método desenvolvido pelo médico cirurgião, especializado em transplante de órgãos Dr. Elijah Mikaelson, sim o irmão primogênito do namorado da Care e do meu quase affair Kol, quanto a esse, ele entendeu o toco que lhe dei no nosso último encontro, acredito que ele também se acertou com a ex- namorada, agora atual, pelo que vi em suas redes sociais. Enfim! 

O Enzo é teimoso, diz que não quer ser cobaia de cirurgião, e que não fará de forma alguma, mas algo me diz que depois dessa noite algo mudará, pelo menos é a minha última carta. 


Abrir a porta do quarto após enfim ter terminado de me arrumar. Optei por algo bem formal, jeans preto , scapin nude e blazer branco para sobrepor a blusa verde. 


- Estou pronta. - Disse ao Enzo após bater a porta.

- Até que enfim. -Ele declarou virando- se para mim. - O que é isso? Vai jantar com seu pai, ou com o Bill Gates, por que se for com a segunda opção, eu já ligo cancelando, vai que o velho milionário queria te roubar de mim. 

-Como você é bobo, por que o Bill Gates olharia para mim? 

- Lógico, qualquer homem se encantaria por uma mulher como você, sem falar que ele tem dinheiro, mas não tem uma mulher linda e cheirosa como você - Ele declarou com um sorisso largo no rosto, dando uma fungada no meu pescoço.

- Ata. - revirei os olhos - Vamos né doutor Lorenzo, Dr. Oliver odeia atrasos . - Lhe dei o braço. Aliás nesse aspecto eles são idênticos. 

- Eu bem sei. ‐ Ele bufou, atravessando seu braço no meu.

- Você também está impecável e cheiroso. ‐ lhe filmei da cabeça aos pés.

- Dr. Oliver disse que só me aceitaria como genro se eu fosse ao seu encontro, de social, então aqui estou, só não coloquei gravata porque ando me sentido sufocado ultimamente.

- Por que não me disse antes Enzo? - Parei nossa caminhada até o elevador zangada, pois essas coisas me preocupam, ele não pode omitir informações assim de mim, sou sua namorada e médica.

- Hey, não precisa ficar assim, eu estou bem, eu juro. - ele acariciou minha bochecha.

- Eu não acredito em você, por que será? Estou muito chateada, você prometeu Enzo, ser claro quanto aos seus sintomas. 

- E estou. Eu não sinto nada, amor. Estou bem. Não se preocupe. - Ele me puxou para um beijo antes de continuarmos. 

- Jura? - Indaguei com um olhar ameaçador.

- Sim eu juro. - ele cruzou os dedos.


......

Algumas horas até o restaurante marcado, chegamos, fomos muito bem recepcionados e conduzidos até a mesa onde papai já nos aguardava, nossa relação ainda é rodeada de atritos, mas ultimamente ele anda pisando em ovos, sabe que eu o amo e sabe também que sou teimosa demais para desistir de qualquer coisa que considero importante, por isso ele prometeu me ajudar quanto a dura missão de convencer o Enzo a ser transplantado. 


- Boa noite queridos. - ele disse ao chegarmos em sua mesa. 

Cumprimentou o Enzo com um abraço e, a mim também.

- Oi. - Disse me sentando na cadeira que Enzo puxou para mim.

- Assim que eu gosto, trate ela como a rainha que ela é. - Falou Oliver, enquanto eu revirava os olhos.

- Bonnie Bennett, é maior que Elizabeth para mim. - Enzo outro bobo, respondeu.

- Chega né? - Finalizei.

- Tudo bem. - Papai se rendeu.

- Você quer comer o que amor? - Enzo perguntou olhando o cardápio.

- O que você comer. - Respondi 

- Sabe que minha dieta é mais restrita. 

- Já lhe disse, peça para ambos - Apertei sua mão que segurava o cardápio, ele me deu um sorisso tímido em retribuição.

.....

Enquanto comíamos, papai e Enzo falavam do passado, das situações que passaram, alguns casos engraçadas, outros aflituosos, tava gostoso o nosso momento de descontração, até que assunto que nos levou até lá foi abordado.


- Então... tem uma chance de me dá netos e descarta, Lorenzo? - Papai falou. Enzo que bebia água engole com dificuldade, vi sua glote movimentar com dificuldade.

- Se fala de um método cirúrgico nunca antes experimentado na prática, apenas em ensaios de inteligência superficial. A resposta é N- Ã - O, não tenho interesse.

- Como não tem interesse?! Até pouco tempo você mesmo queria inventar formas de continuar a viver, agora simplesmente descarta uma chance real.

- Oliver, essa cirurgia exige que meu coração ainda esteja 'saudável', uma cirugia que requer que à artéria subclabvia que bombeia sangue circular, esteja em pleno funcionamento para sofrer incisão é no mínimo suicida, sou clínico não leigo, sem contar que devido a ansiedade que sentirei, minha pressão irá se elevar . E nem vou comentar o quanto é exorbitante o valor. Meu dinheiro pode ser melhor aplicado.

- Lorenzo, essa é a sua oportunidade. Olha a mulher linda que está ao seu lado, ela passou dias estudando e conversando por Skype com o cirurgião, ela analisou, estudou e até assistiu conferências onde o Elijah apresenta seu método exclusivo. Ela fez um portfólio descritivo e me entregou, eu analisei Lorenzo, eu: o homem mais incrédulo da face da terra, acredito que há chances reais de dá certo, se você a fazer imediatamente. - Papai o olhou nos olhos. Eu apenas observava tudo em silêncio.

- Eu a amo - Enzo disse segurando minha mão direita - E por amá- la, que eu não quero adiantar a minha partida, não quero deitar naquela maca amanhã ou depois e partir, sendo que eu posso...

- Sendo que você pode partir agora por exemplo - Papai lhe interrompeu de forma incisiva e direta. Foram duras suas palavras, mas realmente era verdade. 

- Ou não, ou eu posso viver mais tempo,ao seu lado. - Enzo beijou minha mão, agora gelada. Isso tudo me deixa tão ansiosa que as vezes sinto ânsia de vômito.

- Pare de se enganar Lorenzo. - Papai vira o Uísque na boca. Ultimamente ele tem apreciado bastante uísque eu sei que só fica assim quando tenta reprimir algum sentimento, foi assim quando mamãe adoeceu.

- Tá, vamos supor que eu aceite fazer, pela Bonnie... pelo nosso relacionamento. O valor... 

- Lógico que você acha um absurdo o valor - Papai lhe interrompeu -Porque desde que eu te conheço, que seu salário é para aquelas ONGs e projetos, e blá-blá- blá

- Papai ... - O repreendi. 

- Tá,desculpa. É altruísta? É, mas é burrice também. Mas eu sei, quem além de mim e da Bonnie está disposto a incentivá - lo. 

- Ele disse no exato momento em que o pai do Enzo chegou.

- O que? - Exprimiu Enzo perplexo. Confesso que temi ele infartar pela sua reação.

-Hey, tá tudo bem ? - perguntei preocupada.

- Sim. Ele, o que ele faz aqui? - Enzo disse encarando o senhor que aparentava ter uns 65 anos de idade, elegante, charmoso, parecia um urso gordinho com seus cabelos brancos e olhos verdes. 

- Se Lorenzo não vai a Veneza, Veneza vem a Lorenzo. Como vai meu filho? - Ele estendeu a mão.




PV- Enzo 


Eu não gosto que a Bonnie fique se iludindo quanto ao sucesso dessa tal cirugia, porque eu mesmo não acredito nela, mas ela faz tanta questão, está tão esperançosa. Bom... sinceramente eu queria está também, mas não consigo. 

Pensei que esse jantar era apenas para selar um acordo de paz com o Oliver mas... foi além, parece uma reunião de pais 


- O que faz aqui? - disse de sobrancelha adequada. Encarando sua mão estendida a mim.

-Se Lorenzo não vai a Veneza, Veneza vem a Lorenzo. Como vai meu filho? -  Lhe encarei sem reação.

- Vim visitá-lo meu filho.- ele puxou a cadeira se sentando. Quando viu que eu não iria estender a minha mão.

- Nunca se importou comigo, agora que estou mor... - engoli a palavra em consideração a Bonnie.

- Filho... não é bem assim ok?! Mas vamos às apresentações. Essa certamente a Bonnie. A Mag fala muito dela, disse que ela era uma linda mulher, e realmente não foi exagero. - Ele beijou a mão da Bonnie. 

- Oliver dispensamos apresentações, não é verdade? - Ele sacudiu o padastro da Bonnie.

- Com certeza, meu caro.- Respondeu. Dois velhos ambiciosos, dois pais problemáticos trocaram sorissos.


"Alguém me tira daqui?" 


- Eu só quero saber o que faz aqui? - perguntei nervoso.

- Vim para ficar, estava enjoado de Londres quando fui para Veneza, agora enjoei de Veneza, vim para Nova York. - ele disse sorridente.

- Ata. - revirei os olhos. - Vamos amor acho que esse jantar, já deu o que tinha que dá. - entrelacei minha mão com a da Bonnie. 

- Por favor fiquem, preciso dizer algo. - solicitou papai. 

- Tudo que vai dizer eu já sei, que sou um louco, por ter desperdiçado a chance de fazer carreira em Londres, que sou um irresponsável por doar seu dinheiro, e blá blá blá. Me poupe. 

- Eu mudei meu filho... - ele começou, estava impaciente quanto ao rumo que aquela conversa tomaria.

- Vamos amor.- Encarei Bonnie. - Escute seu pai Enzo. - ela suplicou.

- Tá, fala. - Declarei revirando os olhos novamente.

- A velhice tem muito a ensinar Enzo, ela nos ensina a ser menos avarentos e, nos ensina que quanto mais dinheiro temos menos amigos verdadeiros possuímos.Eu passei anos tentando me satisfazer com carros, mansões, conta recheada e mulheres... mas a noite quando eu deitava sozinho, só restava eu e os fantasmas da vida que não tive ao lado do meu único filho. Me deixe consertar isso, Enzo. Preciso que viva para que eu possa morrer em paz. - Ele declarou, nunca o vi se emocionar assim, sempre foi um homem frio, irônico e cafajeste.

- Tá, tudo bem. Era isso? - Indaguei rispidamente.

- Não acredita em mim, né? Você sempre valorizou mais atitudes do que palavras. Nisso nos parecemos. Ok, te provarei que te amo, meu filho. E que mudei.

- Se estiver vivo verei. - Disse me colocando de pé. - Mestre, é sempre um prazer revê- lo.- Me despedi do Oliver.

- Pense no que conversamos. - Ele declarou. 

Assenti em confirmação.

- Pai, não lhe convido para uma estadia na minha casa, porque meu apartamento não tem estrutura física para um grande empreendedor como Garcia St John. Mas nos veremos novamente, se você não achar o ar poluído de Nova York insuportável demais de respirar. - Lhe entendi a mão, mas ele levantou e me abraçou, um abraço forte e aconchegante. Um abraço assim ele só me deu quando perdi a mamãe. Mas rapidamente me afastei, não queria demonstrar vulnerabilidade.

- Amanhã levarei um bolo para você, do super-man como os dos seus cinco anos. - ele brincou arrancando de mim um sorriso tímido.

- Se o recheio for de goiabada... - finalizei partindo de braços dados com Bonnie.






PV- Bonnie 



Whatsapp-On


~ Caroline tem certeza que está tudo ok? Todos estão aí? - Enviei uma mensagem para Caroline que se propôs junto com Elena a organizar o aniversário surpresa do Enzo. 

~Sim está. Estão todos aqui também. Tá tudo padrão Caroline Forbes de excelência, só aguardando vocês. ~ - Ela respondeu.

~ Ok. Estamos próximos. -Enviei a última mensagem.


Whatsapp - Off


- O que você tanto fofoca com suas amigas? - Ele disse antento no volante.

- Dispensando um convite para a noite do travesseiro, lhes disse que estou indo para um motel com meu namorado, para comemorarmos seu aniversário de uma forma quente. Pareceu muito provocador? - Gargalhaei

- Invejável, eu diria. - Ele sorriu de volta. 

- Mas ainda acho que era possível encontrar bons motéis com uma localização mais próxima.- ele murmurou 

- Lorenzo St John, você poderia por favor dirigir sem reclamar, eu sei que é o seu aniversário, mas eu continuo sendo a senhora dessa relação.

- Ok, ok, não está aqui mais quem falou. - disse em tom de redinção.

- E o seu pai falou com você? - Indaguei, para estabelecer um diálogo natural, ele não pode desconfiar de nada.

- Sim, mandou uma mensagem apenas, ele é assim amor. Já deixei de me importar e acreditar em uma mudança. - era notável a mágoa em seu olhar.

- Eu acho que todos merecem uma, duas ou até mais chances... 

- Se tratando do Garcia, eu não sei se é válido entende? 

- O tempo dirá. - Respondi. 

- Chegamos é esse. - Lhe disse quando ele estacionou no local.

- Uau, padrão Bonnie Bennett de qualidade. - Ele encarou o ambiente, e realmente era um motel sofisticado, Caroline passou uma tarde pesquisando um bom ambiente. Acertou em cheio.

Escolhemos um lugar inusitado, como um motel de local para a festa, para realmente ser surpreendente. Ser algo que lhe emocione. 

Caroline fechou o local por três horas, e no salão ela organizou tudo. 


- Nunca estive em um motel antes - entrelacei nossas mãos nos dirigindo a recepção.

- Eu já - Ele mordiscou o lábio, segurando um sorisso. Em resposta lhe atravessei um rabo de olho.

- Hey, eu tinha uns 16 anos e o lugar parecia mais um cabaré, e a moça não era tão importante, nem lembro do seu nome - ele brincou.

- Sei como é. - Torci um biquinho 

- Não tem ninguém nesse lugar? Isso tá parecendo uma mansão abandonada. 

- Enzo para... - Dei tapas em seu braço

- Vamos perguntar aquela recepcionista . - caminhamos até a recepção que ficava distante da entrada de espaço natural, arejado.

- Boa noite, gostaríamos de um quarto. - Pisquei para a moça.

- Sim, mas é que eu estou trocando de plantão agora. A minha substituta chega em instante. Podem ficar a vontade, aproveitem para conhecer o local.

- Como assim um lugar como esses só tem você de recepcionista? - ele murmurou, e eu lhe belisquei. 

- O que? - ele fez careta.

- Ela chega em instante senhor, fiquem a vontade enquanto aguardam.

- Que conhecer local, que nada. Eu quero é encher o corpo nu dessa mulher de beijo - Enzo murmurou baixo no meu ouvido, passando sua mão na minha bunda.

- Pare. - Lhe adverti.

-Vamos conhecer sim. - Puxei Enzo para à área verde, grande, cercada pelo belíssimo prédio arquitetônico. E um florido Jardim.

- Eu quero subir com você... - ele cochichou no meu ouvido.

- Apressadinho... Vamos ver o que há ali. - apontei para o salão.

- É um salão, não há nada de interessante... a não ser... - ele começou. - A não ser o que seu libertino? - perguntei 

- Se estiver aberto e vazio ai gente pode ficar por lá mesmo. - Ele propôs.

- Enzo... Você está impossível - Bati no seu braço pela milionésima vez naquela noite.

- Eu vou na frente, qualquer coisa você já me encontra pelado, ai não tem como você fugir. - Ele brincou alargando os passos. 


Enviei a mensagem de confirmação para Caroline. 


As luzes se acenderam, quando ele abriu o salão, confetes e balões em forma de letras que formavam seu nome saíram do ambiente.


- Porra, não acredito. Que é isso? - Ele disse encarando todos com os olhos brilhando. Eu não sei quem estava mais feliz, se ele, ou eu, por vê- lo tão emocionado.

 Ele merece.

- Vocês foram longe demais em organizar uma festa surpresa para mim em um motel.- Disse negando com a cabeça.

- Murmure com sua namorada. - Stefan apontou para mim enquanto se aproximava. - Parabéns, meu grande amigo e companheiro. - Ele o abraçou fortemente.

- Então você não foi me acordar como faz todos os anos porque estava armando né ? - Enzo declarou.

- Prioridades! - O loiro respondeu.

- E você doutor Salvatore? - ele disse sorrindo, fixando os olhos no Damon. 

- Você me conhece sabe que eu não rejeito um bom motel. - Damon lhe entendeu a mão- Parabéns dr. Ranzinza. - Dr. Salvatore o abraçou batendo em suas costas.

- Obrigado meu amigo. 


Muitos outros funcionários do hospital desejaram felicitações ao Enzo. Nunca o vi tão sorridente como essa noite.

Sarah e Doutor Julian mandaram vídeos, que foram exposto no telão. Ele ficou lisonjeado com as felicitações do chefe e contente em rever a ex- namorada que estava na Argentina a trabalho. 


Seu pai lhe deu um grande presente eu tenho certeza, estava em um envolope, acho que ele seguiu o meu conselho e escreveu o que não consiguia expressar de forma audível.


Agora era a minha vez de homenagê- lo após Care, Damon e Mag terem feito seus discursos icônicos, o da Mag foi emocionante, ela é uma mãe para ele.


Nervosa subi no mini-palco, sentindo um frio na barriga desesperador.


- Isso é muito difícil... - Disse ao pegar o microfone vendo todos me encarando. 


"Discurso, discurso, discurso" Caroline puxou o coro

- Ok . Eu vou falar. - os interrompi - Venha cá por gentileza, Dr. Lorenzo. - Convidei ele para subir no patente improvisado como palco.

- Você é toda diferenciada - Elena gritou próximo do Damon. "Ah cara de pau."

- Calada Gilbert. - Retruquei.

- Fique frente à mim - Posicionei ele cara a cara comigo. Tadinho... estava mais corado que camarão. Eu também estava trêmula, mas respirei fundo.


- Foi me me perdendo nos seus olhos que encontrei o amor, então assim... quero declarar para o mundo o quanto você é importante para mim. Lorenzo St John desde que você entrou na minha vida que eu não durmo direito, quer quando tirou o meu sono porque te odiei por ser tão ranzinza, quer porque cuidei da sua febre, quer quando eu conheci um lado seu que me surpreendeu a ponto de eu suspirar de encanto, ou quando nos beijamos pela primeira e eu entendi que seu colo era o lugar mais aconchegante do universo, ou até quando tinha sonhos inoportunos com você - Todos riram nessa parte, ainda bem que meu supervisor Dr. Andrews não estava lá, nem o Alaric. Céus... me concentrei após aquela súbita e desnecessária exposição.

- Você tirou o meu sono, quando eu tentei te odiar, porque não queria amá- lo. Você tira o meu sono quando me deito ao seu lado sorrindo feito boba por está planejando um futuro contigo, e quando choro ao vê- lo dormir morrendo de medo de você não acordar - Respirei fundo engolindo o soluço que veio junto com o choro. - Eu não preciso sonhar ao me deitar, Enzo, porque eu já vivo um sonho real ao seu lado, sou amada, cuidada, protegida e valorizada pelo homem que admiro. Você é um exemplo de líder e homem e se tivesse que escolher você, te escolheria outras mil vezes, porque nunca me sentir tão viva e completa como me sinto ao seu lado. Encerro dizendo que te amo e se existe reencarnação, eu quero me apaixonar por você nas outras vidas que virão, meu eterno amor. - Declarei para ele que soletrou um " Eu amo você " ao abrir os braços me envolvendo neles em um abraço quente. Enquanto ouvíamos  aplausos e assobios. 

Estávamos nos amando naquela troca de afeto que nossos corpos transmitiam um para outro, em um mundo só nosso.


- Bom ... - Pigarreou Klaus em alto e bom tom. -Já que o momento é oportuno gostaria de aproveitar também. - a voz do dele ecoou. 

Enzo então fincou meus pés no chão para prestarmos atenção no que o loiro gostaria de dizer. 

Caroline corou automaticamente, tadinha! Quando uma roda se formou dando visibilidade apenas a eles

- Então esse clima de romance é contagiante. Serei sucinto, prometo. - Ele ajoelhou diante dela.

- Caroline Forbes, a verdade é que eu só consigo imaginar a minha vida ao seu lado desde que te conheci, eu pensei que isso nunca seria possível, mas é. Eu te amo a ponto de querer está com você até que a morte nos separe. A pergunta é simples e uma só. Você quer casar comigo Caroline Forbes? Eu prometo amá- la até o fim, principalmente mediante aos seus surtos perfeccionista. Você aceita ser minha esposa? - o loiro declarou diante de todos. 


Até eu fiquei atônita com a tamanha ousadia do Klaus. Eles tem pouco meses de namoro. Mas quem pode julgar ou mensurar o tamanho do amor que sentem?


Caroline ficou em silêncio, nada respondeu, já estávamos nervosos, ela não esboçava nenhuma reação com Klaus ajoelhado em frente à si, nem um grito, ela deu, todo mundo esperou Caroline ser Caroline. 

 Foi então que ela pulou apontando para voz, que não saia, ela perdeu a voz, céus... Caroline realmente estava sendo Caroline. 

Seu pulo de contentamento, dizia que sim, ela aceitou. Klaus colocou a aliança na mão dela, que exibida mostrou o anel a todos que aplaudiam. 

Sim, ela merece ser feliz. Eles merecem. 

Eu estava risonha observando eles,  foi então  que  Enzo acariciou meu rosto, eu lhe encarei profundamente, se um dia tivemos um filho quero que tenha olhos brilhantes como os do pai.

- Depois que eu acordar da cirurgia promete casar comigo também? - Enzo cochichou no meu ouvido, eu me arrepiei, ele estava confirmando que fará a cirugia? Estava me pedindo em casamento?

Afastei meu rosto com os olhos lacrimejados para olhá- lo nos olhos, não podia acreditar.

- Você vai fazer a ciru ...?

- Vou, por você, pela Mag, Stefan, papai, Sarah, por nós e pelos muitos filhos que pretendo ter e adotar com você. - Ele me puxou para um beijo salgado, pois as minhas lágrimas marcaram meus lábios quando o correspondi aos dele. 


Notas Finais


Será o último aniversário do Enzo?
Quem vai chorar sou eu.
Eu tentei fazer um declaração bonita. Mas ...
Ain gente.
Faltam três capítulos para darmos adeus a essa história.🤧😭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...