História Bonenzo: Uma canção p'ra ela - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Emilly Bennett, Enzo, Jeremy Gilbert, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lilian "Lily" Salvatore, Lucy Bennett, Mary Louise, Sheila Bennett
Tags Delena, Klaroline, Sobrenatural, Stelena, Thevampirediaries, Tvd
Visualizações 21
Palavras 829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


☆ Vem ver ☆

Capítulo 6 - A lei é não se apegar!


Fanfic / Fanfiction Bonenzo: Uma canção p'ra ela - Capítulo 6 - A lei é não se apegar!

               PV -Bonnie 



Eu não sei se essa falácia  de que quando a gente pensa muito na pessoa, a gente atraí ela, é verdade,  mas foi justamente isso que acabou de acontecer, eu estava relendo uns processos e a campanhia toca, o interfone havia tocado e eu não atendi pois não quero receber visitas. E quando abro a porta lá estava ele, plantado com sua jaqueta preta e sua calça jeans escura  e um buquê  imenso de rosas verdes,  agora eu me pergunto quem disse para ele que eu gosto de flores? Eu acho tão brega. E involuntariamente eu exprimo- 

-O que tá fazendo aqui?

-Vim saber o que aconteceu para você ter saido na madrugada?

- Eu vim para casa dormir- Exprimo franzino a sobrancelha 

-Você poderia ter dormido comigo amor- Ele fala me dando as flores e entrando em casa.

- Não. Você só veio saber disso ?

-Bom, não, vim te dizer que aquela foi a melhor noite da minha vida - Meu coração se apertou de alegria ao ouvir aquilo mas não poderia ser sincera com ele pois ele tinha que voltar para casa e nunca mais me procurar, então eu lhe digo-

 - Pra mim foi normal -E vejo o brilho dos seus olhos se apagarem e ele pergunta-

- Normal?

 -É normal! -Lhe respondo com cara de óbvio  

-Ta bom então... Você gostou do buquê? Comprei pensando no seus olhos.

- Não, não gosto de flores.

-Qual foi? Eu fiz algo de errado? Você tá tão  fria.

-É que ... - Eu buscava uma forma de manda-ló ir  embora, sem ser agressiva e continuo-

 -Como eu  ia dizendo eu não sei você, mas eu queria transar ontem e transamos, foi legal, mas foi só aquilo, não precisamos manter contato tá, nem nada de compromissos. -Exprimi sem fixar olhar nele 

-Então para você foi só isso?

 -Sim, para você foi o que? - Ele fica reflexivo e exprime - Nada! Desculpa te incomodar tá, vou indo- Ele fala caminhando  em direção a porta, queria beija-ló e senti suas mãos na minha cintura e ver meu corpo incendiar como só ele conseguia fazer mas me contive. Preciso ser forte, não posso dar chances a um roqueiro romântico bonitão, que deve pegar todas suas fãs, e acabar me apegando a ele e sofrer novamente.

Eu sei que foi a melhor coisa  a fazer.


8 dias depois..  


  

Tô no meu carro dirigindo em direção à uma arena de shows que a Elena disse que seria o festival regional de rock, no Brooklyn , são exatamente 22 horas e o Enzo deve tocar daqui a pouco, eu sei que não deveria está aqui, eu mesma o dispensei e não atendi nenhuma das suas ligações, eu estava tentando me desintoxicar dele, mas algo me atraí para ele, eu sinto sua falta, queria vê-lo nem que seja de longe. Não é uma festa a fantasia mas eu estou disfarçada de Rip coloquei até um óculos escuro, para ele não me reconhecer, enfim cheguei caminho pedindo licença aos grandões, muitos  homens estranhos vestido de preto e cheios de tatuagens, e com cara de trogloditas, caminho em direção à um  lugar onde tem umas meninas bem empolgadas especificamente agora  estou do lado de duas adolescentes que estão gritando incansávelmente o nome do Enzo já que ele pisou no palco  e  logo uma exprime-

- Ele é muito lindo 

-Sim Haley muito, muito gostoso, só imagino eu quicando nele.  -Fala a outra mordendo os lábios. E eu olho atravessado para ambas.

Elas passaram o show todo falando o quanto  deveria ser excitante transar com o Enzo, e o quanto deveria ser gostoso  ouvir ele sussurrando com sua voz rouca nos seus ouvidos e o quanto  deveria ser grande sua parte íntima pelo volume da calça, eu estava muito  desconfortável ouvindo aquilo  e não entendia porque, aliás eu não entendo nem o que estou fazendo aqui.

Após o término do show elas se desesperam,  e eu me aproximo e lhes pergunto-

-Oi meninas tudo bem ? -Vocês parecem aflitas.

- É estamos mesmo, é que eu e a Jess precisamos de um responsável para entrar conosco no camarim do Enzo pois ele não permite menores de idade sem acompanhantes no camarim, e nós temos 16 anos.

-Sim! -Exprime a Jess triste e eu involuntariamente digo -

- Eu acho que posso ajuda-lás posso me apresentar como responsável de vocês  e aproveitar e conhecer o cantor  também! - Falo lixando os dentes.

-Sim ótima ideia, você faria isso pela gente? -Exprime a mais assanhada 

- Sim, faria.

Caminhamos em direção ao camarim e uma fila mediana estava formada e enquanto aguardávamos na fila para entrar eu ouvir de tudo daqueles meninas, inclusive de uma que pretendia mostrar a tatuagem no seio que fez em homenagem a ele, além de tosco era desrespeitoso fazer aquilo, eu não sabia que ele tinha tantas fãs inclusive algumas muito sem noção.

Enfim chegou a nossa vez de entrar, espero que ele não descubra meu disfarce.


Notas Finais


O próximo capítulo tá surpreendente!
Aguardem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...