História Bonequinha de Luxo. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Tags Amor, Bonequinha, Marichat, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Literatura Feminina, Luta, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 1 - O começo


                 Na cidade de Los Angeles, aonde viviam os ricos e famosos , que trabalhavam para Hollywood , estava tendo um dos seus típicos dias de normalidade.

 

 

  O trânsito estava caótico como sempre, sendo que vários carros buzinavam muito alto, pedindo por passagem , para passar pelas ruas lotadas , em um destes carros, estavam dois empresários rivais , conversando sobre algo , olhando para a mini televisão que estava no carro de um deles.

 

 

  Um dos empresários tinham o nome de Valentim , dono de uma rede de lanchonetes , chamada Dream Lunch, vendo com atenção ao notíciario do dia , que estava passando a matéria da bolsa de negócios em Nova Iorque , ficando atento a tudo que a âncora do jornal da manhã falava sobre a matéria .

 

 

 

  Ao seu lado, estava a sua rival Maribel, que parecia mais calma que o seu rival, olhando para a mesma televisão, que o seu colega.

 

 

 

( ... )

 

 

 

  ___ Que droga, eu nem devia ter investido o meu dinheiro , neste negócio na Venezuela , eu perdi milhares de doláres, eu odeio isso ! - o empresário disse ao ver que tinha perdido uma boa quantidade de dinheiro, ficando muito bravo com aquilo.

 

 

 

  __ Sem sorte, meu amigo, eu estou vendo que o negócio que tinha depositado o seu dinheiro, foi por água abaixo, eu estou realmente com pena de você ! - a empresária olhando para o rival irritado, olhando educadamente para ele.

 

 

 

 

  __ Fica quieta Maribel , não estou afim de ouvir sobre as suas asneiras de sempre, se continuar assim, eu vou pedir ao Raimundo para estacionar na parada mais próxima , assim vai andando para o seu trabalho ! - o empresário falou muito irritado, olhando de lado para a rival ao seu lado com agressividade.

 

 

 

 

  ___ Ah, meu caro amigo, deveria ser um pouco mais relaxado, já perdeu milhares de doláres na Venezuela , eu sei que pode investir o seu dinheiro em outro país, eu tenho a certeza que vai lucrar mais com isso ! - a empresária falou com calma, sugerindo para que o seu rival investia o seu dinheiro em outro país.

 

 

 

 

  __ Ah, você quer dizer , investir o meu dinheiro em alguma empresa do Brasil, ou da Argentina , ou do Paraguai ?! - o empresário disse com agressividade , olhando mortalmente para a amiga.

 

 

 

 

  __ Não vou responder a sua pergunta, Valentim, porque eu já sei a resposta de sempre, é que muito preconceitosa !- a mulher respondeu séria ao rival, olhando com raiva para ele.

 

 

 

 

  __ Isso mesmo, agora, fique quieta, eu quero ouvir o que a âncora está dizendo ! - o empresário confirmou sério para a rival, pedindo por seu silêncio, dando um bom motivo.

 

 

 

 

  __ Está bem, eu também quero saber sobre o dinheiro que eu investir em uma empresa argentina , diferente de você, eu tenho a mente mais aberta do que a sua ! - a empresária aceitou o pedido do rival, falou para ele que tinha a mente mais aberta do que ele.

 

 

 

 

  __ Tomara que perca mais dinheiro do que eu, assim você cala a boca ! - o empresário disse para a rival, começando a ignorar ela, olhando com atenção para a televisão.

 

 

 

 

 

  ~ Na televisão.

 

 

 

 

  __ Agora que falamos sobre as empresas que estão em baixa , fazendo com o que seus investidores percam muito dinheiro, vamos falar sobre as empresas que estão em alta hoje, mas antes, vamos ter o nosso comentarista , falando sobre as empresas que estão em baixa no mercado, com vocês, senhor Henrique Toledo ! - a apresentadora falando para todos, olhando para as câmeras do canal que trabalha, apresentando o comentarista de negócios ao seu lado da bancada.

 

 

 

 

  __ Bom dia, Melissa, eu vou falar sobre a minha opinião sobre o assunto financeiro ! - o comentarista saudando a apresentadora, anuncionado sobre o seu próprio comentário.

 

 

 

 

  __ Bom dia, Henrique, então, o que o senhor tem a dizer á respeito de tudo isso ? - a apresentadora devolvendo a apresentação , olhando calma para o comentarista.

 

 

 

 

  ___ Bem, Melissa, hoje eu estou aqui para comentar sobre as empresas estão em baixa no mercado mundial , que estão fazendo que vários empresários percam dinheiro ! - o comentarista respondeu para a apresentadora, olhando de volta para a colega.

 

 

 

 

  __ Ah sim , eu estou vendo que os números das empresas em queda, estão muito negativas , então, o que os empresários devem fazer com isso ? - a apresentadora disse ao comentarista, olhando para ele.

 

 

 

 

  __ Sim, eles devem investir em outras empresas, assim não perderam mais dinheiro, fazendo o seu dinheiro render ! - o comentarista respondeu a pergunta, mirando fixamente para a colega.

 

 

 

 

  __ Muito obrigada mesmo, senhor Toledo , agora irei falar sobre as empresas em alta no mercado, depois vamos falar a respeito delas ! - a apresentadora agradeceu ao amigo, dando seguimento a matéria.

 

 

 

 

  __ As empresas em alta são.... ! - a apresentadora desviando o seu olhar rapidamente do comentarista ao seu lado da bancada, dando continuação a notícia.

 

 

 

 

 

( ... )

 

 

 

 

  ~ Alguns minutos depois.

 

 

 

 

 

  A jornalista continuou com a sua matéria financeira a respeito das empresas em alta , assim que a mesma mencionou sobre a empresa que Maribel investiu o seu dinheiro , estava indo muito bem, causando uma grande raiva em Valentim.

 

 

 

 

( ... )

 

 

 

 

  ______ O QUE , COMO PODE A SUA EMPRESA TER LUCRADO TÃO RÁPIDO ASSIM, ISSO É UMA TORTURA PARA MIM ! - o empresário gritou de raiva, olhando pasmo para os números positivos da empresa da rival , ficando com raiva.

 

 

 

  __ Não quero me gabar , mas eu sabia que ia dar certo, eu vi uma grande potencial, agora, eu estou recompensada ! - a empresária disse paciente ao amigo, ficando feliz com os bons resultados que estava tendo em investir o seu dinheiro.

 

 

  __ Está trapeacendo , sua nojenta, está roubado todo o meu dinheiro, quero ele de volta ! - o empresário disse para a rival, estendendo a mão para pedir pela devolução do seu dinheiro.

 

 

 

 

  __ Sinceramente ,meu amigo, não estou roubando nada do que é seu, está com raiva , porque a sua empresa não rendeu o que queria ! - a empresária dando uma resposta digna para as acusações do rival, olhando paciente para ele.

 

 

 

 

 __ Sua mentirosa, está escondendo o meu dinheiro em algum lugar, eu quero ver aonde ele está agora mesmo ! - o empresário continuou a acusar a rival de roubo, exigindo pela devolução do seu dinheiro , aproximando agressivamente da rival.

 

 

 

 

  __ Se vier perto de mim, eu chamo a polícia, eu também tenho um spray de pimenta , dentro da minha bolsa, não vou hesistar em usar em você ! - a empresária disse ao rival, olhando com raiva para ele, afastando-se dele.

 

 

 

 

  __ Se esqueceu que está em meu carro, não tem para aonde fugir, então devolve o meu dinheiro, ou vai ver só ! - o empresário ignorando o aviso da rival, lembrando que ela estava em seu carro, fazendo uma ameaça grave a sua rival.

 

 

 

 

 

  __ Obrigada por me lembrar, Raimundo ! - a empresária agradeceu a lembrança, decidindo que estava na hora de ir embora.

 

 

 

 

 

  __ Sim, madame, do que precisa ? - o motorista atendeu rapidamente o pedido da empresária, continuando a dirigir o carro do patrão.

 

 

 

 

 

 

  __ Quero que pare na parada mais perto daqui, eu quero ficar longe do lunático do seu patrão, que está me acusando injustamente por ter roubado o seu dinheiro ! - a empresária fez o pedido ao motorista, começando a abrir a bolsa para pegar o seu spray de pimenta para a sua auto - defesa.

 

 

 

 

 

  __ Claro, madame , estamos chegando perto da loja de roupas, Empório Floral , quer eu te deixe em frente a ela ? - o motorista perguntou calmo para a empresária, olhando para o trânsito .

 

 

 

 

  __ Sim, eu acho uma boa ideia, agora... ! - a empresária respondeu de bom agrado, retirando o spray de pimenta da bolsa, mirando para os olhos do seu agressor.

 

 

 

 

 

  __ Toma isso, seu maluco ! - a empresária disse ao atirar um spray de pimenta nos olhos do seu agressor, olhando séria ao jogar o spray nos olhos de Valentim.

 

 

 

 

 

 

  ___ AH...., VAI PAGAR POR ISSO, SUA VADIA ! - o empresário disse ao sentir que o spray o atingiu em cheio, sentindo uma forte ardência em seus olhos, xingando a rival.

 

 

 

 

  __ Não tenho medo de você, mas um passo em minha direção, vai ter o que realmente merece ! - a empresária avisando para o rival, apontando o spray de pimenta ao agressor.

 

 

 

  __ Ah, que dor, vai me pagar muito caro com isso, sua vadia ! - o empresário reclamou da ardência que sentia em seus olhos por causa do efeito do spray de pimenta , repetindo o mesmo xingamento de antes.

 

 

 

 

  __ Pode me xingar a vontade, eu estou nem ai, você é um completo maluco , acreditando que eu o roubei ,nunca fiz isso na minha vida, porque eu sou honesta ! - a empresária disse com coragem para o rival, vendo ele sentindo dores por causa de sua auto- defesa.

 

 

 

 

  __ Raimundo, pare este carro, eu não vou mais aturar essa ladra da minha rival ! - o empresário disse ao motorista, exigindo para que o empregado pare o carro.

 

 

 

 

 

  __ A senhorita Maribel ja tinha me pedido , senhor, não escutou ? - o motorista disse com calma para o patrão, chegando nas proximidades do Empório Floral, olhando para os dois rivais através do retrivisor.

 

 

 

 

 

  __ Não, seu imbecil, não vê que essa imbecil me atirou um spray de pimenta em mim ? - o empresário respondeu zangado ao empregado, mantendo os seus olhos fechados .

 

 

 

 

  __ Sim, senhor, eu vi tudo, mas eu estava mais atento com o trânsito na cidade ! - o motorista respondeu ao patrão zangado, dando um bom motivo para ele.

 

 

 

 

  __ Está bem, desta vez, eu passo, assim que essa ladra de dinheiro sair daqui, eu quero que passe na farmácia mais próxima , para que alguém de lá me ajude ! - o empresário disse ao empregado, ordenando para que ele passe em uma farmácia mais próxima.

 

 

 

 

  __ Sim, senhor ! - o motorista aceitou o pedido do patrão, olhando para os dois rivais pelo retrivisor e continou na direção do local .


 


 

_ Isso doeu muito , sua puta . Por que tinha que bater tão forte no meu nariz. Está sangando muito. - Valentim estacando o sangramento do nariz com o lenço.


 

_ Porque você ia me agredir por uma coisa completamente idiota . Porque não aceita, que venço sempre as nossas apostas de maneira justa. - Maribel com raiva do amigo e olhou agressiva.


 


 

_ Senhores, não acham que já tivemos confusões demais para um só dia ? - Raimundo maduro com os dois senhores e continuando a dirigir.


 


 

_ Fica na sua , Raimundo. Ou senão, te demito aqui e agora. Não estou de bom humor . - Valentim ameaçou o motorista .


 

_ Sim,senhor. Depois que deixamos a senhora Maribel no ponto de descida. Quer o leve para o hospital ? - Raimundo dirigindo cuidadoso.


 


 

_ Sim, e … - Valentim disse ao motorista, depois voltou-se para ver a amiga.


 


 

_ E vai ser você quem vai pagar a conta médica. Porque foi você quem provocou isso em mim. - Valentim olhou sério para a amiga.


 


 

_ Não nego em pagar nada. Pelo menos, sou uma mulher de palavra. Ao contrário de você. - Maribel aceitou o aviso do amigo ao olhar de volta para ele.


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...