História Bons Amigos ... - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Lemon, Narusasu, Sasunaru, Whiteraven, Yaoi
Visualizações 120
Palavras 1.628
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Postei e sai correndo!
Capitulo não revisado.
Aceito criticas construtivas.

Capítulo 5 - Cinco - Decisão


Fui a minha primeira consulta pré-natal na quinta-feira. O obstetra me chamou a atenção pois eu não estava alimentando-me direito. E ele estava certo.

Aquele fim e início de semana não foi dos mais felizes. Sonhei com a noite da boate que me atormentou por algumas semanas posteriores ao dia mas que resolvi ignorar para manter meu equilíbrio mental. Me afastei de Sasuke justamente porque não queria reviver a memória e sabia que lembraria se o visse, dito e feito. Vê-lo reviveu a minha memória apesar de não me lembrar na hora, meu subconsciente se lembrou. Aquela criança foi concebida em uma situação que talvez me marque pra sempre e isso me fez passar aquele tempo a base de água, segurar o choro fazia minha garganta secar, e café para me manter acordado já que não dormia a noite pois a cena sempre voltava.

Contei a ele o que aconteceu e ele me falou sobre as possíveis chances de depressão pós-parto se eu não começasse a tratar minha mente antes de realmente encarar a maternidade (ele preferiu esse termo porque segundo ele a maternidade é mais profunda devido a todo período de gestação). Assim minha primeira consulta com a psicóloga foi marcada para o dia seguinte e apesar de ter se passado só uma sessão e ser um tratamento que eu faria toda semana, já senti um pequeno alívio. Primeiro ela me ajudou a perceber que aquilo não era culpa do bebê. E quanto a Sasuke, ela falou que pela história que eu contei, apesar de ser algo errado e que foi sim um problema ela disse que a mistura da saudade com bebidas alcoólicas que não nos deixaram bebidos mas altos o suficiente e o tesão nos levaram a aquilo. Que ele podia ter visto como uma transa rápida e forte como era de costume entre nós e que isso teria que ser tratado com o próprio Sasuke e fazê-lo perceber que de fato aquilo não foi só mais uma transa e minha aceitação inicial não foi pra autossatisfação.

Naquela mesma semana comecei uma dieta balanceada que incluía fruta e legumes e só me foi permitido comer meu amado lámen uma vez na semana, sim aquele cara queria me matar estava óbvio. Mas apesar disso, eu cuidava da minha surpresinha (resolvi chamar assim até saber o sexo e o nome) com muito amor. No decorrer daquelas duas semanas fui chamado pra outra social entre meus antigos amigos só que dessa vez uma festa na piscina na casa de Kiba e Hinata para comemorar uma pequena promoção que o cachorro teve mas que nem por isso deveria passar batida. Queria negar mas sabia que isso geraria perguntas e eu não estava pronto para elas.

Então naquele domingo coloquei minha bermuda e camiseta mais fresca e fui para casa deles.

– Até que enfim a sumida deu as caras! – Falou Kiba assim que cheguei na parte de trás da casa média mas com um enorme quintal.

Sasuke e sua turma estava lá também com seus devidos parceiros e Sakura estava lá também. Cumprimentei a todos e assim que meus olhos viram a mesa de guloseimas eu não resisti. Esqueci que todos estavam ali e me dirigi para aquela delicia e comecei a comer aqueles doces maravilhosos feitos pelas mãos de fada da minha princesa Hyuuga. Só sei que Hinata teve que me afastar da mesa se não ia sobrar pra mais ninguém.

Depois desse episódio de saída da dieta que eu ia esquecer de falar para o médico só para evitar o esporro, tirei a camisa e dei um mergulho na piscina e fui tomar um solzinho nas cadeiras que beiravam a mesma. Eu olhava para todo o ambiente e quando meus olhos cruzaram com os de Sasuke percebi-me que ainda o amava profundamente. Como você sabe disso, Naruto? Pois eram as mesmas reações de antes. Minha boca secava como se ele fosse a última água do planeta, minhas mãos suavam, meu corpo aquecia, meu coração acelerava e eu não conseguia desviar o olhar do dele, era como hipnose. Ele foi o primeiro a quebrar o contato para responder algo que Sakura falava e ele sorriu pra ela apaixonado. E mais uma vez me vi quebrando. Logo depois Sakura e tirou a saia de praia e assim que olhei seu corpo me senti gordo. Devida a minha semana sem alimentação adequada eu dei uma secada mas ainda estava definido, era assim pelo menos, até que a definição foi sumindo aos poucos, agora ela era quase imperceptível. Minha barriga ainda estava chapada mas não como era antes e ver o corpo de Sakura todo magro, definido e empinado me fez sentir certa inveja, pois enquanto eu vomitava toda manhã e perdia meu corpo carregando o filho daquele cretino, ele ainda tinha tudo do “bom e do melhor”. Me levantei e fui para dentro da casa com a desculpa de que o Sol estava me trazendo uma leve vertigem.

Entrei na casa e me deitei um pouco no sofá, não demorou muito e logo me senti na presença de mais alguém e assim que tirei o braço do rosto tive o vislumbre do rosto de Sasuke que mesmo debaixo do Sol só adquirira um leve tom avermelhado na as palidez.

– Pensei que tivéssemos nos acertado. – Ele disse sentando do outro lado do sofá colocando minhas pernas em seu colo.

– E nos acertamos. Por que? – Perguntei como quem não ligava apesar de aquilo não ser exatamente a verdade já que eu ainda tinha um leve medo de me ver naquela situação de novo. Onde eu dava permissão pra ele me possuir mas ele apenas descontava seu prazer esquecendo totalmente de que meu ânus não era de borracha.

– Porque você não tem falado comigo.

– Você também não tem falado comigo. – Rebati falando dessa vez a verdade. Não falava com ele, mas se ele falasse comigo eu tentaria agir como seu amigo.

– Culpado. – Disse soltando uma leve gargalhada que beirava o sem graça. – O que tem feito?

– Nada demais. Maratonando minhas séries atrasadas, trabalhando e dormindo pra caralho porque não aguentaria meu chefe com o sono desregulado. – Não me contive na piada e ele riu junto comigo.

– Que bom. Conseguir finalmente me firmar como diretor-geral na empresa do papai.

– E como se sente?

– Como se tivesse finalmente o reconhecimento que mereço. Parece que tudo na minha vida está finalmente se acertando, só falta uma coisa.

– Ah é? E o que é? – Ele disse aquilo com tanta seriedade que fiquei realmente curioso.

– Você. – E lá estava, a atitude que me fez me apaixonar por ele. Aquela mesma atitude que era meu céu e meu inferno pessoal. A atitude que parecia que eu era o mundo dele e que me inebriava, mas que assim que nossa bolha de paixão era rompida eu voltava ao mundo real onde era só um amigo que o tinha por poucas horas do dia na cama. – Sinto sua falta.

– Você está com a Sakura. – Disse depois de uma forte respirada.

– Eu sei. Mas eu e você sabemos que sem você eu não sou mais eu mesmo, não me sinto completo.

– Sasuke, você é completo, é o único que não percebe isso. Quando notar que é completo você só terá que focar nos seus sentimentos e ai finalmente você vai se sentir totalmente satisfeito consigo mesmo.

– É filósofo agora? – Ironizou.

– Não, sou seu amigo e companheiro. – Aquelas palavras me doíam, mas mesmo que estivéssemos juntos ainda seria seu seu amigo e companheiro, seria tudo e mais um pouco.

– Qual é, Naruto. Sei que também quer.

Ele levantou de seu lugar, se apoiou o braço no braço do sofá e foi se aproximando com aqueles olhos hipnotizantes. Não desviei e me entreguei de corpo e alma a aquele beijo. Era sempre assim, eu sempre cederia a Sasuke, não importa quanto tempo passe, não importa o que ele faça. Nada importa nesses momentos. Somente ele e eu.

O beijo foi quente e sedento. Sua língua era ágil contra a minha, a dele dominava e a minha apenas aceitava aquela presença forte que ele fazia no beijo. Sua mãos subiam e desciam por meu rosto, costas, cintura e coxa. Onde elas passavam eu sentia que queimava. Seus beijos passaram para meu pescoço onde recebiam forte chupões que eu sabia que deixariam marcas vermelhas que posteriormente ficariam roxas. Suas mãos entraram em seus shorts e apertaram forte os glúteos e levando seu quadril para roçar as ereções e foi o gemido de ambos que o fez se dar conta situação.

Levantou estabanado, pegou a camisa que deixou esquecida nas costas do sofá e vestiu-a.

– Avisa pra eles que eu não estava me sentindo bem e resolvi ir pra casa e não queria fazer alarde.

– Ah para, Naruto. Você é assim. O que aconteceu? Para que esse cu doce todo? – Ele veio andando comigo até a porta da frente enquanto disparava suas palavras ríspidas e incrédulas em bom som.

– Porque, Sasuke, cansei de ser usado! – Gritei de volta e não me importava se alguém ouviu. Sai de lá batendo os pés.

Estava fulo da vida, principalmente comigo mesmo. Assim que cheguei ao meu apartamento peguei meu telefone que deixei em casa porque não vi uso e liguei para Gaara.

– Oi! – Ele disse todo contente e só consegui responder choroso.

– Gaara.

– O que aconteceu? – Ele perguntou e seu tom mudou deixando clara a sua preocupação.

– Aquela oferta de emprego ainda está de pé?

– Sim, por que?

– Não aguento mais. Vou me mudar. – Despejei sobre ele sem mais nem menos, porque eu confiava tanto em Garra que não me via contendo palavras para falar com ele.

– O que aquele filho da puta fez dessa vez?

Logo notei, ele estava furioso. Então fiz o que tinha que fazer, contei a verdade.


Notas Finais


I love you!
See ya! <3
*Fugindo das pedras arremessadas*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...