1. Spirit Fanfics >
  2. Bordeland in Love - Você x Niragi e Chishiya >
  3. A cúmplice

História Bordeland in Love - Você x Niragi e Chishiya - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Oi amores💓

Capítulo 18 - A cúmplice


Eu estava perdida diante daquela situação, o que eu devo fazer? Todos eles viram aquela cena e mesmo que negasse era initido o que tinha acontecido. Levantei do chão ainda bem envergonhada com aquilo enquanto Chishiya só dava risada de minha cara, tem vezes que dá vontade de jogar esse loiro na piscina e afogar, só soltar quando ele estiver sem ar.


- Parece que alguém estava se divertindo muito por aqui - disse Karube num tom de voz bem malicioso.

- Eu acho que depois disso irei orar pela pureza de meus olhos - disse Chota bem envergonhado.

- Não sei vocês mas deve ser bem legal receber aquilo mas a vista de baixo para cima deve ser horrorosa - disse Arisu olhando para nos.


Então Chishiya se aproximou deles colocando a mão no ombro de Arisu e Karube parecendo que iria falar alguma coisa, se ele falar alguma coisa sobre aquilo eu juro que faço uma greve que ele não vai me tocar mas nem que implore.


- Isso que acabaram de ver é apenas uma demonstração de como nossos bem íntimos - disse Chishiya com um sorriso málicioso nos lábios.

- Mais uma palavra e eu esqueço dessa intimidade e te jogo direto na água - disse dando um olhar fuzilante para ele.

- Gente....para que isso? Só foi um momento íntimo...nada demais - disse Karube me olhando de cima baixo.

- Nada demais? Está na sua cara que se pudesse iria estar ali participando - disse Arisu dando um leve sorriso.

- Santa mãe santíssima, por favor livra a cabeça deles de pensamentos impuros - disse Chota fazendo uma cruz com as mãos.


Naquele momento eu já não aguentava mais então começei a rir muito daquela situação, todo mundo falando e o Chota rindo, sinceramente aquilo foi algo muito engraçado para mim e eu não podia negar. Andei em direção da saída dali e me deparo com Niragi comendo no que parecia ser a cantina do mercado entao me sento ao seu lado.


- Parece que vai virar o assunto do dia todo hoje, sério que nem sequer foram para um lugar reservado? - disse Niragi ainda comendo.

- Eu queria ter ido para um local mais reservado mas o Chishiya me fez ficar de joelhos - disse olhando para ele por um tempo.

- E o que você fez para a loirinha do tchan ter sido tão rígida com você? Ele não é do tipo que se importa muito - disse Niragi bem curioso com minha resposta.

- Ele estava com ciúmes do que havíamos feito e por ele não estar junto - disse olhando para ele.

- Então ele estava com ciúmes porque fizemos um sexo gostoso sem ele? Que estupido! Eu só divido você com ele as vezes - disse Niragi apertando minha cintura.

- E quem disse que sou de vocês? Por acaso sou algum brinquedinho de vocês para ser dividida? - disse tirando suas mãos de minha cintura.

- Não foi isso que quis dizer, nos dois estamos nessa aposta e ambos te queremos... é difícil te ver perto dele - disse Niragi desviando o olhar de mim.

- O que? Você está dizendo que é difícil para você me ver perto dele? - disse te olhando ainda surpresa com aquela revelação.

- Achei que isso estivesse obvio mas pelo visto você é mais lerda do que imaginei - disse Niragi revirando os olhos.


De repente os outros vieram em noção direção, claramente tinham algumas piadas que eram feitas por causa do que havia acontecido antes mas nada que me incomodasse. Eles sentaram ao nosso lado dessa vez de forma vem séria, com certeza existia algo que eles queria dizer.


- Isso não foi fácil de decidir, estava conversando com eles que vocês deveria voltar para a praia e fingir que não sabem de nada - disse Arisu num tom de voz calmo porém sério.

- O que? Não podemos deixar vocês aqui! Temos que provar sua inocência e iremos fazer isso - disse olhando para ele bem séria.

- Ele está certo, não há muita coisa que possamos fazer por eles aqui mas lá temos - disse Niragi ainda segurando seu rifle. 

- Não se preocupe conosco, vamos estar bem...aqui tem muita comida e várias coisas - disse Chota com um sorriso fraco nos lábios.

- Nós somos uma família unida e logo estaremos reunidos aqui - disse Karube num tom de voz calmo porém carinhoso.


(...)


Mesmo que não concordassem os com aqui totalmente eu, Chishiya e Niragi estávamos andando de volta para a praia, se tinha alguma chance de provar a inocência de Arisu seria indo atrás da cúmplice da Usagi. Andamos em direção da entrada da praia onde de cara nos cercaram e levaram até a sala do Chapeleiro pois eramos cúmplices de um traidor. Ao chegar lá sentamos no sofá de frente ao mesmo que olhou para nós bem sério.


- Vocês sabem muito bem porque estão aqui, darei um minuto para que se expliquem - disse o Chapeleiro num tom de voz bem sério.

- Não sei porque tanta burocracia assim, nem sequer tem provas de que ele roubou cartas - disse Niragi cruzando os braços.

- Nisso ele está certo, sem provas não poderia nem o sentenciar como traidor - disse Chishiya num tom de voz bem calmo.

- Não é isso que as provas apontam, meus subordinados acharam as cartas no quarto dele e tem testemunha - disse o Chapeleiro olhando para nos.

- Não perca seu tempo sentenciando a gente, com certeza não vai conseguir bons jogadores - disse Niragi num tom de voz provocativo.

- Com todo o respeito queria propor um acordo, se conseguirmos provar que foi tudo armado então irá prender a Usagi por denuncia falsa - disse olhando para ele num tom de voz sério.

- Isso não me parece uma má ideia, não seria injusto mas caso seja comprovado que Arisu não é inocente...eu irei sentenciar todod vocês - disse o Chapeleiro dando um leve riso.


Então naquele momento um acordo havia se formado e tudo que podíamos fazer era procurar pela cúmplice da Usagi, olho para eles percebendo que teríamos algum plano a traçar.


- Não sei vocês dois mas quando souber quem é o cúmplice irei estourar os miolos da pessoa - disse Niragi ainda segurando sua arma.

- Precisamos de um plano para pegar essa pessoa logo e bem rápido - disse olhando para eles bem apreensiva.

- Vocês realmente não estão pensando com a cabeça, o cúmplice deve ir no quarto da Usagi ainda hoje...na acho que tenha feito isso de graça - disse Chishiya com um leve riso debochado.

- Como sempre se achando o superior! Não vejo a hora de te dizimar da terra - disse Niragi o olhando de cima a baixo.


Depois daquilo andamos em direção do quarto de Usagi onde ficamos escondidos esperando que a pessoa que era cúmplice passasse. 

Quando se passou aproximadamente uma hora, escutei passos que pelo barulho...a pessoa estava usando salto. Olhei um pouco percebendo que quem estava ali era justamente a Mira.


- O que devemos fazer agora? Não sei como podemos fazer algo, a Mira é louca - disse olhando para eles ainda sem acreditar naquilo.

- Se ela é louca...eu sou mais ainda, qualquer coisa atiro nela tanto que só vai sobrar buracos - disse Niragi carregando seu rifle.

- Tenho certeza que com as torturas que o Niragi está planejando, ela vai contar tudo para nós - disse Chishiya dando um leve riso.


Andamos até o quarto de Mira que nos olhou assutada assim que viu o rifle apontado para sua cabeça. A essa altura ela já deve ter entendido porque estávamos ali.


- Você tem apenas um minuto para confessar ser cúmplice da Usagi ou te furo todinha - disse Niragi apontando o rifle para a cabeça dela.

- O que você está dizendo? Sumam do meu quarto agora mesmo - disse Mira olhando para nos incrédula.

- Acho que você não está em condições de opinar em alguma coisa aqui - disse Chishiya olhando para ela bem sério.

- Eu só quero que confesse logo, por sua causa um inocente pode morrer - disse olhando para ela bem revoltada.

- E quem disse que ligo para isso? Usagi me pagou muito bem por isso - disse Mira com um largo sorriso nos lábios.

- Ela é mesmo uma sonsa dissimulada, vamos embora daqui...ela me dá nojo - disse tentando ser convincente e pisco para Chishiya.


Saímos dali praticamente arrastando Niragi para o corredor e o mesmo olha para a gente sem entender aquela nossa ação.


- Por que sairam da sala sem ela ao menos ter confessado? Estão ficando malucos? - disse Niragi olhando para a gente sem entender.

- Deixa de ser idiota Niragi, eu estava com o gravador ligado...agora é só entregar ao Chapeleiro - disse Chishiya olhando para a cara dele.

- Finalmente podemos provar a inocência do Arisu, estou tão feliz - disse dando alguns pulinhos de felicidade.


Estávamos prestes a sair daquele corredor quando escuto passos atrás de nós e olho vendo que era Mira com uma arma.


- Vocês tem alguns minutos para me dar esse gravador ou mato vocês - disse Mira apontando a arma para mim.


Notas Finais


Continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...