História Borderline. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Angst, Border, Borderline, Doubble, Drabble, Drama, Personalidade, Sad, Transtorno
Visualizações 189
Palavras 528
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Mutilação, Self Inserction, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Uma gosma no espaço.


É tudo uma grande merda. A vida é um grande lixo, não tem pra onde fugir, não existe um Grande Propósito. As coisas são apenas... Vazias. A vida humana é como a vida de uma bactéria, ela só existe pra balancear o ecossitema e nada mais além disso. Não é como se fosse a primeira vez que eu me desse conta disso. Já me dei conta vezes demais, na verdade.

É claro, algumas pessoas enxergam com outros olhos, mas eu acredito nessa verdade - que é apenas mais umas das grandes verdades, em todos os pequenos Universos que existem dentro de cada um de nós.

Todavia, não há escapatória. Pelo menos não quando você é o tipo de pessoa que se esforça pra fazer tudo muito perfeito e dá o seu melhor, mas claramente o seu melhor não é o bastante. A grama do vizinho é sempre mais verde, mas se você deixar de olhar pra ela, não quer dizer que ela vai deixar de ser mais verde e brilhante que a sua, certo? Não se iluda com essa merda motivacional. O mundo é um grande lixo sem sentido. Meritocracia é uma piada.

Poderiam haver fórmulas mágicas, ou até mesmo fórmulas matemáticas que nos impedissem de ver toda essa porcaria como algo com sentido, mas minha nossa, não tem. Eu não as vejo. Se você as vê, não tente me convencer, tampouco. Como já foi dito, a sua verdade não é a minha. O que você quer, os meus parabéns? Uma grande festa? Ora, que bom pra você. Sua vida faz algum sentido.

E ainda tem gente que romantiza a tristeza, a depressão, os relacionamentos abusivos, sejam esses de familiares, amigos, amores. Corta essa. Não há absolutamente nada de romântico em viver sem esperanças de algo melhor, ou de momentos satisfatórios ou de felicidades constantes. No final, é só a química do seu cérebro falando. Certamente é a química do meu falando agora. Talvez eu tenha romantizado a vida e agora esteja apenas frustrada. Talvez, de tanto ouvir sobre toda a porcaria motivacional do mundo, vendo que nada é real ou alcançável, eu me sinta... Desolada. 

Nada nunca vai ser suficiente, porque tudo é uma enorme Utopia. É como a pílula azul e a pílula vermelha, que separam o seu conhecimento da realidade, da matrix em que se vive. Talvez você encontre razões suficientes, talvez você também se sinta assim. 

O negócio é que, não tendo verdade absoluta, invejo aqueles que possuem uma verdade mais agradável da vida em mente. E se você acha que se identifica demais com algo desses textos cruéis demais, não se engane. Você não é "saudável". Você não é "apenas um adolescente triste". Você precisa de ajuda. Alguém que entenda de mentes e sentimentos. Um psicólogo, você sabe. Quanto mais você negar, mais rápido você afunda. Mas admitir seu problema em voz alta, pode servir para pelo menos ser usado como desculpa. Não para os outros, isso seria vitimismo. Mas sim para você mesmo. Porque aí você se convence de que "Okay, o mundo é um pé no saco e era melhor ser uma gosma no espaço. Mas pelo menos a culpa não é minha."

Nunca vai ser.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...