História BoruSara - A Nova Geração - Capítulo 55


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chouji Akimichi, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Inojin Yamanaka, Kakashi Hatake, Konohamaru, Metal Lee, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Rock Lee, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shino Aburame, Tsunade Senju, Yamato
Tags Ação, Borusara, Boruto, Drama, Inohima, Mitsuki, Mitsumire, Mitsusumi, Naruto, Romance, Sarada
Visualizações 62
Palavras 1.955
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora para postar, mas trago boas notícias: planejei os últimos capítulo, serão cinco (contando com esse, mas pode ser que acabe tendo um ou outro a mais, mas a previsão é que seja esse e mais outros quatro). Pretendo postar um por semana, mas não prometo nada.
Boa leitura, bjs.

Capítulo 55 - Descoberta


A Vila da Areia vivia o seu dia mais tenso desde as épocas de guerra. Praticamente todos os cidadãos que podiam segurar uma arma acabaram ingressando no exército da vila, para ajudar contra o tão temido ataque Ootsutsuki que estava se aproximando.

Patrulheiros enviados pelo Kazekage confirmaram que os garotos não estavam blefando, realmente um exército se aproximava da aldeia, e os números assustavam. Era como se praticamente todo o mundo ninja estivesse naquele exército; os inimigos superavam a população da Vila da Areia em números que não davam para contar — de tão altos que eram.

A aldeia preparou suas defesas durante todo o dia. Eram cerca de 22:00, um dos horários previstos para a chegada do Exército Ootsutsuki — que se aproximava lentamente. Não erraram, afinal, todos podiam ver a enorme mancha branca que se aproximava — que não era nada mais nada menos que os inimigos; por algum motivo, eles estavam pálidos (o que fazia com que eles parecessem uma enorme mancha branca pela quantidade que estava junta) e com olhos diferentes.

— Conseguiremos pará-los? — Perguntou Inojin enquanto guardava seu binóculos na mochila. Não havia mais necessidade, os inimigos estavam muito perto.

— Sempre achamos um jeito, não? — Himawari sorriu para confortá-lo. A Hyuuga estava com seu Byakugan ativado, tentando entender alguma coisa sobre o exército que estava sendo controlado.

O grupo estava totalmente dividido. Boruto e Mitsuki ficaram responsável pelas defesas situadas na esquerda; Lara e Sumire no meio; Inojin e Himawari na direita. Os inimigos marchavam lentamente em direção ao portão principal da aldeia.

— É... tem razão. — Sorriu confiante enquanto abria um enorme pergaminho e puxava seu pincel das vestes; o loiro começou a desenhar várias aves — que eram invocadas a medida que ele acabava — para auxiliarem na batalha.

Todos estavam em seus postos, mas ainda faltava uma coisa: o sinal do Kazekage — que liderava todos os ninjas daquela batalha. Tudo estava nas mãos de Gaara, uma derrota e poderia ser decretado o fim da era ninja.

E este sinal foi dado alguns segundos depois, dando início a uma das batalhas mais importantes do mundo ninja. A Vila da Areia, ao lado de alguns aliados, enfrentou frente-a-frente o tão temido Exército Ootsutsuki, que havia devastado mais da metade do planeta. Momentos depois, o sangue começou a ser jorrado no campo de batalha; tanto do lado do bem quanto do exército inimigo. O Kazekage sabia que eram pessoas vivas sendo controladas, mas o único jeito conhecido de pará-los era matando-os. Era o jeito. Não tinha outra opção naquela hora. A ordem era matar todos que pudessem.

Mas, foi muito diferente do que esperavam. Sabiam que seria difícil, mas mesmo assim tinham esperanças de conseguirem um triunfo; mas essa esperança foi embora quando o exército começou a massacrá-los por completo. Gaara, que estava na linha de frente, foi um dos primeiros a cair, fazendo com que seus homens ficassem totalmente perdidos e desesperados na batalha, já que seu líder foi derrotado de maneira tão fácil.

Aos poucos, só os ninjas da Areia que caíam no campo de batalha, o Exército Ootsutsuki deixou de ter baixas. Já havia ficado bem claro que, somente com um milagre eles venceriam. Boruto e seus amigos eram um dos poucos que ainda sobraram — junto com uma minoria de ninjas da Areia —, e ainda assim, estavam separados. O grupo precisava se juntar para decidir o que iria fazer naquela situação.

 

— Temos que encontrá-los! — Disse Himawari enquanto corria com Inojin na direção contrária de onde seus companheiros estavam. Uma quantidade enorme de inimigos seguia-os.

— Vai ser difícil no meio desse pessoal todo. — Referiu-se as pessoas controladas. O loiro estava ofegante e um pouco cansado; havia usado muito chakra para invocar suas aves — que não duraram muito tempo naquele campo de batalha, foram facilmente derrotadas pelo exército.

Eles avistaram pequenas ruínas logo a frente — entorno do muro da aldeia — e entraram nela para se esconder. Os inimigos se aproximavam de maneira lenta, mas eles não conseguiriam fugir, pois estavam muito cansados. Aquele lugar só serviu para que eles descansassem um pouco e pensassem no que fariam.

— Não vou conseguir correr. — O loiro tirou seu sapato e uma pequena quantidade de sangue caiu no chão. Ele havia sido atingido por alguma coisa enquanto corria — pelo corte provavelmente era uma kunai, e havia pego bem próximo ao calcanhar.

— Você está bem? — Perguntou Himawari, preocupada. Ela rapidamente se sentou à frente do loiro e começou a retirar alguns primeiros-socorros de sua mochila.

— Sim, não foi muito profundo. — Deu um pequeno grito enquanto ela enfaixava a região. — Mas acho que não conseguiremos escapar. — Lamentou. — Ai! — Ela apertou com força o curativo.

— Não seja tão pessimista. — Respondeu encarando-lhe nos olhos. — Eu te disse que sempre achamos um jeito, lembra?

— É... tem razão. — Disse olhando para baixo.

— Está com medo, não está? — Ela se aproximou do amigo e colocou a mão em seu peito; seu coração batia aceleradamente.

— Estou.

— Eu também estou. — Ela o abraçou. Aquilo o confortou, e fez com que o loiro se acalmasse.

Ele levantou a cabeça. Ficou cara-a-cara com Himawari, a encarando; seus rostos estavam muito próximos, ambos conseguiam ouvir a respiração um do outro. Eles permaneceram ali, parados. Nenhum deles queria se afastar.

Himawari riu.

— O que foi? — Perguntou meio tímido.

— Você é fofo quando está assustado.

— Apenas não estou preparado para o pior.

— Quando me salvou a primeira vez, parecia estar.

— A-Ah... — Ficou sem graça. 

— Sabe... — chegou ainda mais perto do rosto dele — eu sempre quis te perguntar... Por que fez aquilo naquele dia? (Capítulo 18 pros desinformados)

— Por que logo agora?

— Não sei. Disse para não ser pessimista, mas tenho medo de não conseguir te perguntar futuramente.

— Entendi... eu não sei como explicar.

— E demonstrar?

Após isso, nada mais foi dito. Inojin aproximou seu rosto ainda mais de Himawari, que apenas fechou os olhos. Seus lábios se encontraram e ambos sentiram uma sensação maravilhosa que, infelizmente, durou pouco tempo. Se separaram lentamente ao ouvirem seus inimigos se aproximando; mesmo assim ficaram se encarando, e estavam com a mão na bochecha um do outro. Se encararam por mais cinco segundos, e logo perceberam que correriam perigo.

— Consegue se levantar? — Himawari ficou de pé e ofereceu a mão para Inojin.

— Consigo, obrigado. — Mesmo assim ele aceitou a ajuda da garota. Quando levantou, ela passou o braço dele por trás de seu ombro e o ajudou a andar. Eles saíram das ruínas por trás.

Após alguns segundos, Inojin olhou para trás, e viu a impressionante cena das ruínas sendo devastadas em questão de segundos; elas simplesmente sumiram quando o exército passou por ela. O loiro ainda conseguiu reparar que nenhum deles tomava um rumo diferente, todos daquele grupo — dos soldados controlados — iam na mesma direção.

Himawari também estava ficando sem forças para andar com Inojin. Aos poucos, ela ia ficando mais lenta, mas, os inimigos também estavam ficando.

— Hima. — Sussurrou.

— O que foi?

— Veja! — Apontou para o grupo que os seguia.

Himawari virou e surpreendeu-se ao ver que os ninjas haviam praticamente parado de andar. Ela se perguntava o que havia acontecido. 

Eles se afastaram bastante da batalha principal, de longe era possível ver a destruição que estava sendo causada pelo Exército Ootsutsuki. Mas, por que aqueles homens do exército simplesmente pararam? Aquilo não fazia sentido, era como se eles fossem robôs que tivessem parado de funcionar ou coisa assim.

— O que está acontecendo? — Perguntou.

— Eles pararam. — Respondeu Inojin. — Hima! Eu acho que sei o que pode ter sido! — Disse animado.

— O que?! — Estava com esperanças.

— Veja! — Apontou para o lugar que acontecia a batalha principal. — Os que estão lá continuam lutando. Eu tenho uma teoria que eles precisam estar perto da pessoa que os controla. Isso explica porque eles pararam, estão muito longe!

— É isso! — Disse animada. Fazia total sentido a observação de Inojin.

— Ainda me resta um pouco de chakra. — Ele retirou o braço do ombro da garota e pegou um pergaminho. Ele o abriu no chão; puxou seu pincel e começou a desenhar um enorme pássaro. Quando acabou, realizou um sinal de mão, que fez com que a criatura saísse do pergaminho.

Ele subiu no pássaro e estendeu a mão para Himawari, que aceitou a ajuda dele para subir. Ela abraçou sua cintura para segurar-se, mesmo que os pássaros de Inojin fossem bastante estáveis enquanto voavam.

— Você é um gênio. — Disse em seu ouvido. — O que vamos fazer agora?

— Não temos como salvar a Areia. Eles irão até Konoha, mas dessa vez, temos uma informação muito importante sobre eles — Referiu-se aos controlados que paravam de funcionar ao se distanciarem muito. — Vamos resgatar Boruto, Sumire, Lara, Mitsuki e quem mais pudermos e voltar para a vila. Quando eles vierem, saberemos como derrotá-los! — Falou animado enquanto seu pássaro levantava voo.

Porém, os momentos de alegria estavam contados. Como uma flecha, uma pessoa totalmente pálida com um terceiro olho — vermelho com vários tons pretos — na cabeça cruzava o ar na direção dos garotos. Foi tão rápido que eles não tiveram reação. A ave havia sido cortada ao meio, e isso fez com que Inojin e Himawari entrassem em uma pequena queda livre.

Não estavam em uma altura tão alta, mas também não era baixa. Himawari desmaiou assim que entrou em contato com o chão; já Inojin, sentiu uma dor enorme, mas permaneceu acordado.

— Argh!!! — Colocou a mão em seu ombro esquerdo, que foi a primeira parte de seu corpo que entrou em contato com o solo, sendo assim, a que mais sentiu o impacto. O garoto ainda estava sem entender o que aconteceu. Eles haviam sido derrubados? Não, pois segundos depois a tinta de seu pássaro caiu do céu em cima deles. Com isso, ele pôde concluir que foram atacados. Não teria muitas dificuldades para descobrir quem era, já que um homem bem pálido com um olho extra estava parado em sua frente. Ele era muito parecido com Ayugak.

—  Q-Quem é você? — Perguntou assustado.

— Um amigo de Ayugak. Ela me pediu para acabar com todos que fugissem de seu alcance. — Apontou para os soldados que estavam parados, devido ao tanto que se afastaram.

— Então você não é um deles, entendi...

— Não se esforce tanto para descobrir as coisas, afinal, você vai acabar aqui. — Riu.

Inojin não conseguiria escapar. Sabia que aquele homem abateria sua ave assim que eles estivessem no ar. O que faria naquela situação? Ele só conseguiu pensar em uma única possibilidade.

Ele abriu um pergaminho no chão, novamente. Desenhou outra árvore do mesmo tamanho, e fez um sinal para que ela ganhasse vida.

— Você é idiota, não é? — Perguntou o homem enquanto via o garoto colocar Himawari em cima do pássaro. Ele achou que o loiro tentaria escapar com ela, mesmo depois de terem sido derrubados.

— Talvez eu seja. — Virou-se lentamente para seu pássaro e sussurrou: encontre os outros, e os leve em segurança para Konoha. Em seguida, fez um sinal que fez com que a ave levantasse voo, somente com a a garota. O homem ficou surpreso, achou que ele tentaria fugir junto com ela.

— Inteligente, mas não adianta... — O homem começou a flutuar. — Quando acabar com aquele pássaro, eu acabo com você. — E começou a voar por cima de Inojin, mas, ele não esperava a reação inesperada do loiro.

Ele deu um enorme salto enquanto puxava uma katana que ficava em suas costas, e realizou um enorme corte na barriga do inimigo — que parou de voar na hora e caiu direto no chão. Aquilo deu tempo para que o pássaro se afastasse bastante, mas ainda não era o suficiente. Inojin teria que segurar aquele homem por um bom tempo para que eles tivessem chances.

— Entendo... terei que cuidar de você primeiro. — O homem se levantou enquanto encarava Inojin com um olhar bastante assustador.

— Pode vir! — Disse com sua katana empunhada.

Continua...

 

 


Notas Finais


SAIU!!!!!!!!! Desculpem a demora, mas eu to com bastante coisa pronta agora. E aí, gostaram? Será que o Inojin vai conseguir segurar ele? Será que o pássaro vai conseguir resgatar os outros e voltar em segurança pra Konoha? Se puderem, comentem o que acharam o/
Até a próxima, bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...