História BOSS - Park Jimin - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Drama, Fanfic, Hot, Imagine, Park Jimin, Romance
Visualizações 137
Palavras 1.209
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capítulo está emocionante :')
Enfim...

COMENTEM, FAVORITEM E DÊEM NOTAS PARA A HISTÓRIA CONTINUAR 💙🌚

Capítulo 16 - Você confia em mim?


HK: Minha filha... - Ele disse, antes desfazendo o abraço.

Sua destra agora acariciava meu braço esquerdo, enquanto eu o via sorrir. Ser chamada de filha por ele sempre foi um privilégio, fui chamada assim somente até os meus 7 anos e, as boas lembranças voltavam.

S/N: Papai! - Eu gargalhei.

HK: Você está linda! - Olhou para Jimin - Venha aqui Jimin.

JM: Sim, Appa? - Ele perguntou assim que se aproximou, parando ao meu lado.

HK: Quero que cuide muito bem da minha menina. - Corei imediatamente

JM: Pode deixar - Ele sorriu.

HK: Porque ela está linda e você parece um mendigo? - Olhou para nossas roupas, com uma expressão engraçada, confusa.

Não pude deixar de rir.

JM: Eu estava vindo pra cá exatamente pra trocar de roupa, Appa. - Ele riu também

HK: Então vá, não deixe minha filha esperando! - Ele sorriu, fazendo um sinal com a mão para que Jimin se apressasse e assim ele fez.

HK: Aish, esse garoto! - Ele disse olhando o filho subir pela escada.

S/N: Sr.Hyuk... Não sabia que ele era seu filho! - Ele me olhou sorrindo.

Me convidou para que sentasse e pediu o chá para uma das empregadas domésticas que passavam por ali.

Ficamos conversando coisas aleatórias, enquanto o braço do Sr.Hyuk me aconchegava em seu peito.

S/N: Desde quando estamos de férias, Sr.Hyuk? Eu iria trabalhar amanhã se meu amigo não me dissesse...

HK: Dei algumas férias somente para a empresa que você trabalha. As empresas nos outros países ainda funcionam. - Ele respondeu enquanto acariciava meu ombro.

S/N: Mas... Porque? - O olhei de canto se olho, confusa.

HK: Porque aqui estão as pessoas que eu mais amo. Você, o Jimin, a Rose também é uma boa menina... - Eu sorri triste.

S/N: Isso não vai prejudicar a empresa? Se o senhor quiser, eu trabalho pelo meu computador mesmo, Sr.Hyuk. - Ele gargalhou uma risada gostosa.

HK: Não se preocupe com nada, filha... O Jimin será um bom empresário, assim como eu fui. - Olhou para o nunca, com um olhar orgulhoso.

S/N: Tenho certeza que sim, Sr.Hyuk. Mas, quando voltaremos a trabalhar? - Essa pergunta o fez sorrir.

HK: Voltarão semana que vem, eu coloquei dinheiro na sua conta... - Arregalei meu olhos.

S/N: O-oque? Sr.Hyuk!!! Quanto o senhor colocou? - Ele riu, mas eu continuei com os olhos arregalados.

HK: O suficiente para você comprar seus alimentos, roupas e comprar uma boa casa, filha. - Desfiz o "abraço" e coloquei as mãos na testa.

S/N: Sr.Hyuk... Não precisava fazer isso. Não precisava o Senhor ficar gastando dinheiro comigo, sendo que poderia gastar com sua família! - Ele me olhou.

HK: Você a minha família, S/N... E, se eu pudesse, daria o meu mundo pra te ver feliz, hm? - Ele sorriu, enquanto eu sorria triste, com os olhos lacrimejando.

O abracei novamente e ficamos em silêncio até o Jimin descer...

Jimin desceu com um moletom preto e uma blusa branca, segurando seu celular e suas chaves nas mãos.

Ele estava realmente muito bonito, mesmo simples...

JM: Estou atrapalhando o casalzinho? - Ele riu.

HK: Aish! Ciumento. - Ele disse fazendo uma careta, arrancando uma risada dos três.

JM: Vamos? - Assenti.

Sr.Hyuk beijou a minha testa e eu fiz o mesmo, acariciando suas mãos em seguida.

Jimin se aproximou e fez um toque de mãos com seu pai, mas logo beijou sua testa, me fazendo sorrir...

Assim que saímos, Jimin me olhou dos pés a cabeça, sorrindo.

S/N: Oque foi? - Perguntei o olhando, tentando não corar.

JM: Filha? - Eu sorri.

S/N: Sim... vamos entrar? - Pedi percebendo que o carro já estava ali.

Jimin abriu a porta do carro educadamente enquanto eu o olhava em todos os momentos, mesmo entrando no carro.

JM: Para de me olhar assim. - Eu ri e me desculpei, com tal... ironia.

S/N: Você ainda não me disse aonde vamos, Jiminie... - Ele me olhou e sorriu. - Seu sorriso é lindo... - Falei sem pensar, fazendo o mais velho corar.

JM: Obrigado... - Ele sorriu mais largo e forçado, chegando mais perto como se quisesse me mostrar mais dos seus dentes, me fazendo rir por tal palhaçada - O seu também é lindo.

S/N: Obrigada... - Sorri fraco.

[...]

JM: Chegamos...

Não era um restaurante, não era um passeio na praia, não era um shopping.

Era um prédio, com a aparência de abandonado e aquilo me fez estremecer por dentro.

S/N: Jimin... Oque estamos fazendo aqui? - O perguntei, confusa, enquanto o via sorrir.

JM: Você vai ver... e vai gostar. - Ele segurou em minha mão e me puxou para dentro daquele prédio.

Eu meio que exitei no começo, até ele me fazer uma simples pergunta:

JM: Você confia em mim? - O encarei, olhando em seus olhos.

S/N: S-sim... 

Eu não sou o tipo de garota que tem medo de tudo, mas, aquele lugar era realmente... Só escadas?

S/N: Aqui é quase 89% escada - Falei soltando um riso desacreditado assim que entrei.

Jimin me puxou para subir as grandes escadas até chegarmos em um terraço, um terraço que dava pra ver quase que a cidade toda. Eu estava ofegante pela quantidade de degraus que eu subi, mas eu estava maravilhada com a beleza que aquele lugar nos fornecia.

Lá tinha uma caixa de som, luzes e fumaças coloridas.

Enquanto eu olhava aquele lugar gigante, Jimin caminhava até a caixa e ligava a mesma, colocando uma música animada, mas lenta ao mesmo tempo, logo reconheci a música "HighLights". As fumaças foram ligadas e o som aumentado. Só aí eu percebi oque ele queria... Dançar. Dançar comigo.

Eu sorri vendo ele se aproximar com um de seus sorrisos no rosto e me estender a mão, em um gesto educado.

JM: Me concede uma dança, princesa? - Encaixei nossas mãos, sorrindo boba.

S/N: Com certeza, princípe.

JM: Eu montei essa coreografia a algumas semanas, mas gostaria de ter a sua companhia nela.

Me sentei no chão, observando ele me olhar confuso.

S/N: Dance pra mim, assim vou aprender mais rápido. Depois dançamos juntos. - Jimin sorriu e caminhou até a caixa de som, reiniciando a música.

JM: 5, 6, 7, 8...

Jimin começou a dançar... Seus movimentos eram tão graciosos, tão bem feitos, tão... perfeitos.

Era como se ele voasse sem asas.

Como se não houvesse gravidade e ele estivesse completamente leve, exposto no ar.

A luz fraca do sol estava batendo contra o seu rosto, fazendo o mesmo brilhar, assim como seu cabelo, dançando com o vento.

Era como se ele tivesse rodinhas no pé, deslizando pelo chão como se não fosse se machucar nunca. Rodando graciosamente, suas mãos se movendo no ar enquanto seus pés deslizavam pelo chão, fazendo meus olhos brilharem com tanto talento que aquele rapaz demonstrava.

Eu só conseguia sorrir, eu só conseguia... olhá-lo. Minha atenção estava toda nele. Meu corpo estava rasuavelmente quente, como se eu tivesse acabado de acordar e recebece o primeiro sol do dia com o meu corpo, sentindo seu calor.

Estava nublado, mas ainda assim, a luz do sol batia contra os nossos rostos... o sol nos esquentava.

Quando Jimin terminou a sua dança, olhou para mim, ofegante e suado com suas mãos na cintura.

Sua blusa estava colada ao seu corpo, alguns cabelos colados em sua testa e sua boca aberta, tentando recuperar o fôlego.

Seu peitoral descia e subia rapidamente, enquanto seus olhos me fitavam, sentada no chão, com as pernas cruzadas e sorrindo.

Ele soltou um riso soprado e se sentou no chão, de frente pra mim.

Ficamos nos olhando por alguns segundos, como se fosse a primeira vez que nos vimos. Só que melhor. 


Notas Finais


Tem um olho na minha lágrima :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...