História Boss - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Personagens Originais
Tags Boss, Bts, Chefe, Deepblood, Hentai, Hot, Kim Namjoon
Visualizações 72
Palavras 2.870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, gente, pra quem não sabia: eu tinha uma conta secundária aqui no Spirit onde postei essa one, mas apaguei a conta recentemente e decidi repostar aqui.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Único


“Tem sido uma longa semana, e ainda um fim de semana mais longo

Então coloque tudo em mim. Garota, transe comigo com vontade

Tem sido uma longa semana, e ainda um fim de semana mais longo

Eu acho que nós dois sabemos o que precisamos”

– Things I Like (Mike Stud)

 

 

Era meu aniversário. Na verdade, eu nunca gostei muito de comemorar aniversários, principalmente quando se é o meu. Hoje também seria a premiação do melhor funcionário do mês na empresa e, sinceramente, espero que dê tudo certo pelo menos dessa vez, sem termos que lidar com Kim Taehyung bêbado ou Kim Seokjin contando suas piadas de tio completamente sem graça após fazer seu discurso de vencedor do prêmio por vários meses seguidos. Nós iriamos realizar o evento em uma enorme casa de festas próxima ao apartamento de Kim Namjoon, meu chefe. Ele quem está bancando tudo, desde a decoração até o Buffet. Tenho que admitir: ele gastou muito esse mês, para uma coisa que garantiu ser simples.

Park Jimin, meu ex-namorado e braço direto do chefe da empresa estará lá também, junto a sua atual namorada Choi Hyun-Ae. Felizmente nos tratamos como melhores amigos agora, sem remorso e sem um clima estranho entre nós dois, apesar de sua namorada extremamente irritante insistir que eu era má companhia para ele. Ela está agindo como a mãe dele, e a senhora Park nem é desse jeito.

– _____, menina! – Jeon Jungkook, meu melhor amigo chamou-me, me tirando dos devaneios frequentes. – Você sabe que tá atrasada pra manicure, não é?

Aquilo era típico dele. Sempre muito eufórico e animado, me guiando em tudo. Jungkook era gay, o que me fazia amá-lo mais ainda pelo que ele é.

– Não estou com disposição para ir. – confessei e me joguei no sofá da sala, sendo puxada por ele em seguida.

– Nada disso! Vamos, levanta daí que eu já estou pegando a chave do carro pra nós irmos. – caminhei até a porta mesmo contra meu gosto e saí com Kook rumo à maldita manicure.

 

(...)

 

E entramos em mais uma loja. Jungkook insistiu muito para eu acompanha-lo em mais uma de suas caçadas a roupa perfeita e disse que também me compraria comida, então eu aceitei. Nós já entramos em sete lojas diferentes e Jungkook não gostou de nenhuma roupa, quase me fazendo dar na cara dele por me fazer andar tanto a ponto de ficar com os dedos dos pés doloridos. Como eu vou usar meu salto à noite com essa dor? Ele pegou um terno azul escuro e colocou em frente ao seu corpo enquanto via seu reflexo no espelho com uma cara duvidosa.

– Escolhe logo uma roupa para irmos pra casa. – falei enquanto revirava os olhos. – Tá pior que eu.

– Cala a boca e me ajuda aqui. – jogou um dos ternos em minha direção e eu o segurei rápido para que não caísse no chão e corresse o risco de sujar.

Enquanto discutia com Kook a respeito de rua roupa, meu celular vibrava em meu bolso traseiro. Provavelmente seria Namjoon me ligando para tratar sobre a premiação de hoje à noite ou minha mãe reclamando que eu nunca mais fui visita-la, mas não me dei o trabalho de atender, até Jungkook praticamente gritar comigo me mandando atender porque o “barulho infernal” estava o incomodando. Olhei na tela para identificar quem era e realmente estava recebendo uma ligação de Namjoon.

– Sim? – disse após atender e pôr o celular próximo ao ouvido.

– _____! Por que não me atendeu antes? – era nítido que ele estava nervoso.

– Desculpe, mas eu estava tendo alguns probleminhas com meu amigo. – lancei um olhar mortal para Jungkook que sussurrou um “o que foi?!”. – Não irá se repetir.

– Bom, que seja. – percebi que seu tom de voz foi ficando mais calmo. – Liguei para avisar que quero você no meu apartamento às sete.

– Mas a premiação não será só às nove? – perguntei. – E por que no seu apartamento?

– Quero que me ajude em um problema antes de irmos. De lá nós vamos juntos, tudo bem pra você?

– Sim. – respondi e depois ele desligou. Olhei para Kook que me olhava curioso e expliquei para ele que precisaria ir mais cedo. Claro que ele ficou triste por eu não poder acompanhar ele, mas depois entendeu que era o meu chefe quem estava pedindo que eu o fizesse.

Ele finalmente escolheu a porcaria da roupa e fomos pra casa. No caminho paramos para comer e, como prometido, ele me pagou um lanche. Assim que chegamos, já fui logo correndo para o banheiro de meu quarto para tomar um banho. Teria que estar no apartamento de Namjoon em duas horas e, como acontece em todas as vezes que vou a um evento, demoro um pouco mais para me arrumar.  Lavei o cabelo, passei produtos no corpo e escovei os dentes. Quando finalmente acabei o banho, me enrolei em uma toalha e saí do banheiro indo em direção ao guarda-roupa, onde havia separado um lugar específico para guardar o vestido sem correr o risco de amassa-lo. Tirei a roupa do cabide e coloquei em cima da cama, voltando a ir até o guarda-roupa para pegar um conjuntinho de calcinha e sutiã. Optei por um da cor azul. Vesti e pus o vestido em seguida, ainda tomando bastante cuidado para não amassa-lo.

Fiz uma maquiagem não muito extravagante, passando um duo de sombra de tons escuros em minhas pálpebras, rímel preto nos cílios e um batom vermelho bem escuro nos lábios. Penteei os cabelos e fiz um penteado simples, apenas prendendo algumas mechas de cabelo na parte de trás da cabeça com uma presilha dourada. Não era necessária tanta produção assim para ir a um evento entre os funcionários da empresa e seus parentes e amigos próximos, a maioria já me conhece dos eventos anteriores. Calcei os sapatos que ainda estavam dentro da caixa (tudo que estou usando foi comprado recentemente), passei perfume e peguei minha bolsa de mão de cor azul que estava em cima da cômoda. Saí do quarto, antes me verificando no espelho se estava devidamente apresentável para meu chefe e outras várias pessoas e se meu celular estava dentro da bolsa. Olhei a hora no relógio de parede que Kook colocou na sala de estar e me apressei em sair de casa, antes dando um beijo no rosto de meu melhor amigo que me elogiou inúmeras vezes, falando que estava muito linda.

Após sair do taxi (Jungkook iria no carro, então resolvi pegar um taxi) que estacionou em frente ao prédio de Namjoon , entrei e pedi para a recepcionista me indicar o número e andar de seu apartamento e também pedi para avisá-lo que já havia chegado. Entrei no elevador e esperei chegar até o andar de meu patrão. Depois que as portas abriram revelando um corredor vazio, me dirigi ao seu apartamento que era o último do corredor, toquei a campainha e esperei alguns segundos até Nam vir me atender. Ele trajava uma calça preta e uma blusa social branca com listras pretas bem finas, junto com um sapato de couro escuro, seus fios de cabelo estavam levemente bagunçados, dando um ar sensual para sua pessoa, que fitou meu corpo dos pés a cabeça e depois sorriu sacana.

– Entre. – saiu da frente da porta e me permitiu entrar em sua cobertura extremamente elegante, com tons escuros nas paredes e móveis. Analisei a área e me virei para ele, que estava escorado na porta de braços cruzados. – Fico feliz em vê-la me obedecer e ter vindo até aqui, mesmo que bem antes do horário da premiação. Está bonita.

– B-bom... – me encolhi um pouco no lugar que estava e senti minhas bochechas esquentarem, provavelmente estão num tom rosado. – Você me pediu e eu vim. – dei de ombros, ainda tímida. – E obrigada.

Ele soltou um riso e veio em minha direção, praticamente me comendo com os olhos. Suas mãos pousaram em minha cintura, me fazendo ficar um pouco apreensiva e assustada com tal atitude vinda dele, mas deixei que fizesse. Delicadamente, Namjoon colocou meus cabelos para o lado e aproximou seu rosto de meu ouvido.

– Além de linda, está extremamente sexy. – sussurrou próximo a meu ouvido, me fazendo arrepiar. Para que ele me chamou, afinal?

Ele apertou minha cintura, fazendo-me arfar e começou a distribuir selares por toda a região de meu pescoço, que com certeza ficará a marca depois. Tentei afasta-lo, mas não tinha forças e vontade o suficiente para deixa-lo longe, meu corpo já não respondia aos meus comandos, e sim, aos dele. Seus beijos foram subindo por meu rosto, até chegar em minha boca, onde me beijou delicadamente enquanto acariciava minha cintura. Levei minhas mãos até sua nuca, onde puxei levemente os seus fios de cabelo.

– N-Namjoon. – sussurrei após nossas bocas terem se separado em busca de mais oxigênio. Meu patrão empurrou seu quadril contra o meu, esfregando sua ereção em minha intimidade coberta por panos. Gemi baixo com o contato.

– Sabe _____... – acariciou meu rosto de forma suave. – Quando você e Jimin ainda estavam namorando, ele comentou comigo o quão gostosa você é. Eu nunca havia te visto de uma forma diferente da profissional, mas depois daquele dia, passei a te ver com outros olhos e percebi que Jimin tinha razão quanto a você. – corei mais uma vez. – E, desde então eu venho alimentado uma vontade enorme de te ter pra mim, de te ouvir gemer meu nome entre quatro paredes enquanto metia em ti. _____, há dias que venho me segurando para não arrancar sua roupa e te foder até você não conseguir mais andar, que eu me toco pensando em você e sua boquinha subindo e descendo eu meu pau. Você me deixa louco, garota!

Arregalei os olhos com a confissão do maior, sentindo meu corpo inteiro extremecer e esquentar. Nunca imaginaria que Kim Namjoon, meu chefe, iria querer transar comigo ou algo do tipo. Sempre senti uma atração por ele, mas procurei não me dar falsas esperanças e esquecê-lo, mesmo não conseguindo completamente. Queria, queria muito me entregar para Namjoon, mas havia uma voz na minha cabeça dizendo que nossa relação deveria ser apenas profissional e que deveria afastá-lo o mais rápido possível.

– Também sempre quis ter tais relações com você, mas nunca imaginei que pudesse ser recíproco. – confessei e fechei os olhos, aproveitando o carinho que ainda fazia em meu rosto. Estava prestes a evoluir daqueles toques suaves e carinhosos para algo bem mais quente e sexual, mas tentei relaxar. É, acho que vou ter que ignorar a voz que me mandava acabar com aquilo e voltar para casa.

Ele parou com as carícias e pôs os dedos em meu queixo, puxando-o para cima e fazendo-me encarar seus olhos tão escuros quanto o céu à noite. Aos poucos nós nos aproximamos e novamente colamos nossos lábios, mas agora o beijo era carregado de fervor. Estávamos excitados demais com toda a situação, Namjoon principalmente, já que vez ou outra gemia entre o beijo por ter pressionado nossos íntimos.

Senti meu vestido ser levantando na altura de meu quadril e, em seguida, as mãos dele em minha pele exposta, a apertando com certa força. Peguei impulso e entrelacei minhas pernas em sua cintura, deixando as intimidades ainda mais próximas. Nam foi dando passos cegos até certo cômodo, que deduzi ser seu quarto. Senti algo macio tocar minhas costas e meu chefe se afastou, me deixando ali deitada o observando fechar a porta com o pé. A única iluminação ali presente era a luz da lua que refletia no quarto por as janelas estarem abertas.

Coloquei minha calcinha para o lado e passei a me masturbar na frente dele, enquanto ele desabotoava sua camisa e desafivelava o cinto. Gemi ao penetrar-me dois dedos de uma vez, jogando a cabeça para trás e prendendo o ar. Namjoon colocou um dedo seu dentro de minha intimidade e estocava com força, acompanhando o ritmo de meus dedos ligeiros, gemi um pouco mais alto e mexi o quadril, rebolando em nossos dedos. Ele afastou minha mão e retirou minha calcinha, logo abrindo meus grandes lábios e passando a língua lentamente em minha vagina.

– N-Nam... Ahh! – gemia baixo sentido sua respiração quente bater em meu íntimo sensível. – P-por favor. – implorei e o vi sorrir de uma forma extremamente sexy e maliciosa.

Senti novamente seu dedo me invadir e arqueei as costas com o ato inesperado. Após me estocar, outro dedo foi adicionado, me fazendo gemer alto dessa vez. Namjoon não brincava em serviço.

– Está gostando, hum? – perguntou e lhe encarei. Estava suada e com alguns fios de cabelo sobre meu rosto. A velocidade das estocadas aumentaram e a intensidade também. – Não vejo a hora de colocar meu pau nessa sua bocetinha apertada.

Após um tempo ouvindo as palavras sujas e indecentes dele, me desfiz em seus dedos gemendo seu nome. O puxei para cima e selei nossos lábios em um beijo afoito e desajeitado. Coloquei minhas mãos em seu peitoral, o empurrei na cama e engatinhei até ele, logo ficando sobre o maior. Sentei em seu colo e retirei meu vestido e sutiã, os jogando em um ponto qualquer daquele quarto. Rebolei algumas vezes em seu membro coberto pelo tecido da calça e da box, ouvindo seus gemidos sôfregos.

– O-oh, querida. Por que não me mostra o que essa sua boquinha é capaz de fazer, hein? – disse e sorri. Provocações nunca são demais. Abaixei até seu ouvido, ainda rebolando em cima de seu pênis, e disse:

– Peça direito, querido. – lambi seu pescoço e parei de rebolar. – O que você quer?

– Quero que me chupe bem gostoso. – falou.

– E qual a palavra mágica, uh? – comecei a distribuir beijos em seu pescoço, vez ou outra dando chupões na região.

– Por favor. – sorri largo com sua resposta. Arrumei minha postura e saí de cima de suas pernas, indo em direção ao seu membro que já devia estar duro feito pedra e acariciei ali. - _____, v-vamos logo.

Assenti e desabotoei sua calça, logo descendo ela por suas pernas com sua ajuda, tirei também sua box preta, fazendo seu membro praticamente pular em minha cara. O segurei com a mão direita e coloquei a outra sobre a cama, para que eu me apoiasse e não caísse. Lambi toda a extensão de seu pênis, ouvindo os gemidos arrastados de Namjoon. Coloquei metade de seu membro na boca e masturbei a outra metade, ele revirava os olhos e apertava meus cabelos com sua mão esquerda, enquanto a outra agarrava o lençol. Tirei seu membro da boca e passei a língua por sua glande melada pelo pré-gozo, dando um chupão logo depois. Nam gemeu alto.

– Goza pra mim, vai. – pedi enquanto o masturbava com a mão.

Coloquei a boca novamente em seu pênis e senti Namjoon segurar minha cabeça, ditando os movimentos. E assim foi até ele gozar em minha boca, me fazendo engolir tudo.

Fiquei novamente sentada sobre seu membro e beijei os lábios de Namjoon. Empinei meu traseiro e esfreguei minha intimidade em seu íntimo, nos fazendo gemer com o contato prazeroso.

 – Namie... – sussurrei de forma manhosa. – Quero você dentro de mim, agora.

– Aish! Garota, você me deixou duro de novo. – disse e inverteu as posições, me deixando por baixo de seu corpo.

Abri minhas pernas o suficiente para que Nam se encaixasse ali. Aos poucos fui sentindo seu membro me invadir, me fazendo revirar os olhos e me contorcer na cama com tamanho prazer. Gememos juntos quando seu pênis entrou por completo dentro de mim. Lentamente, Namjoon começou a se movimentar, indo e vindo devagar de uma forma um tanto torturante.

– Namie. – o chamei. – Mais rápido, por favor. – pedi e ele assim fez, logo aumentando a velocidade das estocadas. Senti seu dedo estimular meu clitóris durante o ato sexual, me fazendo gemer ainda mais alto. Fico surpreendida por não termos sido atrapalhados pelos vizinhos dele ainda.

Mais algumas investidas e senti um vazio se instalar entre minhas paredes vaginais, Namjoon havia saído de dentro de mim e agora se tocava em minha frente, enquanto ainda me estimulava com o dedo. Senti meu orgasmo chegado, mas o dele chegou primeiro, o jogando em cima de minha barriga e seios. Gemi alto seu nome quando me desfiz em seus dedos, pela segunda vez naquela noite. Meu chefe se deitou ao meu lado, puxando minha cabeça para ser deitada em seu peito e passou a me fazer um cafuné gostoso.

– Namjoon... – o chamei e ele me encarou. – Estamos atrasados para o evento.

– E quem liga? O único lugar que eu quero estar é ao seu lado, te beijando e dando carinho. – segredou e ruborizei.

– N-Nam...

– Eu gosto de você, acredite. – me interrompeu e deu um breve selar em minha cabeça. – Gosto muito mesmo.

Não pude deixar de sorrir com suas palavras. Não tinha certeza de meus sentimentos por ele, até porque tudo aconteceu muito rápido, mas estava disposta a tentar lhe dar uma chance, isso se ele quisesse uma.

– Podemos tentar, então? – sugeri ainda meio nervosa com sua reação.

Namjoon puxou delicadamente meu queixo para cima e beijou meus lábios lentamente, querendo aproveitar e explorar cada pedacinho de minha boca.

– Eu adoraria. – disse após nos separarmos.

Ficamos ali por alguns bons minutos, até Nam quebrar o silêncio.

– Feliz aniversário, meu bem. – disse e eu sorri.


Notas Finais


Me perdoem pelos erros ortográficos. Espero que tenham gostado <3

Perfil: @DeePBlooD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...