1. Spirit Fanfics >
  2. Both Sides of The Mystery >
  3. Capítulo 11B

História Both Sides of The Mystery - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


E vamos de segunda parte, como prometido!!

Capítulo 13 - Capítulo 11B


Fanfic / Fanfiction Both Sides of The Mystery - Capítulo 13 - Capítulo 11B

Narrador POV

Os Burke's haviam chegado na porta principal do Largo Grimmauld número 12, Heron Burke trajava um gibão de seda de cor azul marinho assim como seu filho Jonghyun, Jinsoul e sua mãe usavam belos vestidos longos de linho nas cores vermelho e verde e a Burke mais nova havia mudado a cor e o corte de seu cabelo, deixando suas amigas um tanto que surpresas e curiosas. Todos estavam muito elegantes e as garotas pareciam não saber o por que de tudo aquilo. Jinsoul foi a primeira a se pronunciar sobre todo aquele estardalhaço.

– O que em nome de Merlin, Morgana e Dumbledore está acontecendo? – perguntou a mais nova morena em direção as amigas que apenas a olharam com a mesma expressão de dúvida. – Eu perguntei a Jonghyun se ele sabia o que estava acontecendo, ele apenas me disse para esperar que logo tudo seria esclarecido – soltou a Burke dando um pesado suspiro em direção as outras garotas.

– E você não vai falar nada sobre esse cabelo preto aí não? – soltou Hyunjin ainda chocada.

– E essa franjinha? Você ficou ridiculamente linda, mas pra quê isso? – perguntou Hyejoo dando uma pequena risada.

– Na verdade era justamente isso que eu iria falar, segundo o papai é para não ser reconhecida tão facilmente, lembro do dia em que Jonghyun virou um comensal, papai também pintou o cabelo dele de preto, e agora estou me perguntando se isso tem alguma relação – esclareceu Jinsoul fazendo as amigas estremecerem um pouco e se entreolharam, pois Cygnus também pediu para elas mudarem a cor do cabelo. 

– Não sei ao certo, mas estou com a impressão de que não vem coisa boa – Hyejoo se pronunciou olhando para os adultos conversando à mesa – Vejam, tem mais lugares vazios além dos nossos – soltou ela apontando para Jinsoul.

– Meninas, não tivemos a oportunidade de nos falar direito na estação – disse Jonghyun do nada aparecendo do lado das garotas com um sorriso aberto depositando um selar na bochecha de cada uma, ele era inegavelmente um rapaz muito galante – Vocês estão muito bonitas essa noite, será um jantar no mínimo especial – soltou o rapaz olhando para a irmã que devolvia a ele uma expressão desconfiada.

– Eu com certeza ficaria muito mais bonita se você me dissesse o propósito disso tudo – disse Jinsoul ainda olhando o irmão que soltou uma gargalhada verdadeira e logo respondeu.

– Você é incrivelmente deslumbrante, impossível ficar mais bonita, até porque você é minha irmãzinha – falou Jonghyun bagunçando o cabelo bastante arrumado de Jinsoul recebendo um tapa em troca – Só relaxa e tenta não ficar tão pilhada – disse o rapaz por fim se despedindo e tomando a direção de seu pai.

Assim que o garoto terminou sua fala, a campainha soa mais uma vez indicando a chegada de mais alguém, e a Rosier mais nova não poderia estar mais correta, várias famílias chegaram ao decorrer da noite para que o então jantar começasse. Quando os Flint, Nott, Averry e os Carrow chegaram, Cygnus finalmente se pôs a falar.

– Bem, já que estão todos aqui, acho que podemos começar – o homem se levantou e começou a andar circulando a grande mesa de carvalho – Todos já sabem muito bem o porquê desta reunião, o Lorde das Trevas está desaparecido desde 1981, mas ele deixou uma missão bem clara, ele retornará e recompensará aqueles que lhe forem fiéis nesses tempos difíceis e é exatamente isso que eu venho propor aqui – soltou Cygnus em um tom baixo, o homem era muito bom com as palavras e tinha um grande poder de persuasão. Hyunjin trocou breves olhares com suas amigas que estamparam um certo tipo de medo em seus olhares, Hyejoo realmente estava certa, algo de muito ruim iria acontecer e elas estariam envolvidas nisso.

– E onde está o seu genro Cygnus? Lúcio deveria estar nesta reunião não acha? – o senhor Carrow perguntou capciosamente em direção ao anfitrião da noite fazendo o homem parar por alguns instantes e lançar-lhe um sorriso meia boca.

– Lúcio está resolvendo assuntos pendentes, mas certamente estará incluso no plano, avisarei eu mesmo a ele no dia do jantar de natal – respondeu Cygnus meio a contra gosto, fazendo o homem se contentar com a resposta e voltar sua atenção ao prato a sua frente – Como eu ia dizendo, pensei em darmos um jeito de continuar propagando a mensagem do Lorde das Trevas, mas sem sermos vistos desta vez, é claro – disse o Black em direção aos ouvintes.

– E como faríamos isso, senhor Black? – perguntou Jonghyun de maneira educada fazendo sua irmã lhe lançar um olhar curioso.

– Vejo que está bastante interessado Jonghyun, e isto é muito bom – disse Cygnus parando ao seu lado e lhe afagando o ombro – Pensei em promovermos alguns ataques a criaturas da lama de maneira discreta, obviamente em bairros trouxas longes de nossas casas para não levantar suspeitas. Usaremos disfarces e não exibiremos a marca negra no céu como antigamente, agiremos por debaixo dos panos e deixaremos que o ministério tire suas próprias conclusões. – concluiu ele ao som de confirmações de todos os senhores e senhoras presentes naquela sala.

– Seria somente isso? Ataque aos trouxas é o seu plano? – perguntou o senhor Flint em direção a Cygnus, esse que por sua vez estampou um belo sorriso escancarado e lhe dirigiu as palavras.

– Claro que não, ainda existem vivos bruxos e bruxas inimigos de nossos ideais, muitos deles que tiraram a vida de homens que lutavam pelo que é certo, como o meu cunhado Rosier e muitos de seus familiares – soltou ele sendo possível escutar um leve fungado vindo de Davena que estava sendo consolada por sua filha, o homem esperou que todos fizessem a ligação sobre o que ele estaria falando.

– Ordem da Fênix – soltou Hyunjin de maneira baixa automaticamente se lembrando de Heejin e seu pai, a garota pareceu perder o chão no mesmo momento, retornando apenas à consciência quando escuta a grossa e orgulhosa voz de seu pai soar ao seu lado.

– Exatamente filha, muito bem observado – disse o homem dando um singelo beijo no topo de sua cabeça – Atacaremos a Ordem da Fênix e seus familiares, não deixaremos nenhum vivo para contar a história – disse ele por fim sendo ovacionado por todos presentes naquele ambiente, Hyunjin ficou tonta por alguns segundos mas logo retomou a consciência e começou a bater palmas em conjunto.

O resto da noite foi bastante animada para o resto das pessoas que desfrutaram de um belo banquete e conversaram bastante tomando longas doses de Whisky de Fogo. Mas para as três sonserinas a noite ia de mal a pior, as menina tentavam conversar sobre esse plano das trevas, mas sempre que começavam a falar acabavam sendo interrompidas por alguém, na maioria das vezes por elogios ao novo visual da Jinsoul. As três sabiam que estavam sobre a mais alta pressão dos pais, e que dessa vez não iriam ter como escapar dos planos e das ordens do conselho, elas teriam que se aliar verdadeiramente ao propósito do Lorde das Trevas, ou se não, elas iriam ser consideradas covardes e traidoras. 

A celebração se encerra de meia noite e todos saem tranquilamente pelas ruas de Londres , Hyejoo hoje iria dormir com a sua mãe, pois a mesma disse que queria ter uma conversa séria com a filha. Cygnus e Druella também falaram que precisavam conversar com a Hyunjin, mas que isso não iria ser feito hoje. Hyunjin se joga na cama e grita contra o travesseiro, ela odiava essa ideia de ser controlada e de que sempre deve atingir uma meta para os seus pais sentirem orgulho. Ela se sentia cansada e deprimida por ser obrigada a se tornar capangas de você sabe quem, era certo que ela acreditava nas concepções do que lhe foi lhe ensinado, sobre os ideais de ser sangue puro e de ter ambição, de sempre buscar a superioridade. Mas a verdade é que isso agora não parecia justo, seus pensamentos estavam o verdadeiro caos, até que é interrompida com o barulho da Kira em sua janela. Hyunjin se levanta e pega a carta na pata da coruja, e a coloca para dentro, depois volta a se deitar na cama e começa a ler a mensagem.

“Boa noite, primeiro quero dizer que fiquei em choque ao ver que você tinha me respondido tão rápido, sinto que nunca vou me acostumar com esse seu lado, me vejo caindo em um poço de confusões ao seu respeito, você está sendo uma caixinha surpresas, Black. Agora, falando sobre a cor do seu cabelo, não entendo o por que da mudança, eu sinceramente gosto dele natural, combina com o seu sobrenome. Mas já que pediu a minha opinião para escolher alguma cor, eu vou ter que escolher a minha cor favorita que é vermelho, certeza que você vai odiar essa sugestão, já consigo até ver você revirando os olhos ao se imaginar ruiva. E sobre me manter aquecida agora no frio, pode ficar tranquila que quase não estou saindo de casa, porém não vou mentir sobre hoje eu querer dormir abraçada nos braços de uma certa sonserina.” 

Beijos, Heejin.

No final da carta existia uma marca de batom em formato de beijo, esse beijo que Hyunjin fez questão de selar junto ao papel. Como um furacão, a carta da Podmore causou na Black, uma sensação que ela temia mais que tudo, que são as famosas borboletas no estômago, Hyunjin se sentia tão leve e feliz, que não conseguia parar de sorrir e de reler a carta, ficou longos minutos encarando o teto e pensando em como seria bom ter Heejin em seus braços agora, poder sentir o seu cheiro doce e implicar com o seu jeito. Sua atenção agora se voltar para a coruja de penugem branca, Kira parecia exausta e não seria bom mandar ela fazer outra viagem, decidiu então que iria responder Heejin amanhã logo cedo, ela entenderia que foi o melhor para Kira. A jovem Black abre a porta do quarto, e percebe que o elfo doméstico vem saindo do quarto dos seus pais. 

– Monstro! Venha aqui agora. – Hyunjin o chama e elfo apressa os passos para atender a jovem Black. 

– Sim, senhorita Black.

– Vá guardar essa coruja no antigo quarto do Régulo, lá no patamar superior. Alimente e lhe dê água também, e não esqueça de manter tudo isso em sigilo. Obrigada!  

– A sua disposição senhorita Black, tenha uma boa noite. – Diz o elfo pegando a coruja e seguindo cautelosamente pelo corredor. 

Hyunjin decide escrever a carta agora e enviar assim que acordar, ela relata que nunca iria pintar o cabelo de vermelho e que quer voltar logo para Hogwarts, pois não vê a hora de voltar a importunar, beijar e de ter a garota em seus braços. Se pegou ponderando se colocaria indiretamente na carta, os planos tramados por seu pai, mas resolveu que não, pois isso seria uma traição a sua família. 

Os dias começaram a se passar rapidamente, Hyunjin tinha resolvido ficar realmente ruiva, pensou que seria uma boa surpresa para a grifana. Ela e Heejin, estavam cada vez mais próximas, as cartas estavam seguindo o ritmo dos corações delas e ficando cada vez mais sentimentais. De vez em quando Hyunjin surtava com a sua mãe, que lhe enchia a paciência com a pressão dela ter que se tornar uma comensal da morte, a garota iria precisar ser marcada logo, ela já não tinha mais desculpas para dar, até que o irmão mais velho de Jinsoul disse que era muito perigoso destacá-las com a marca negra enquanto ainda estavam em Hogwarts, fazendo Druella diminuir um pouco a pressão. Hyunjin não sabia ao certo se podia confiar cem por centro em Jonghyun, mas o rapaz parecia decente a maioria das vezes, e ela nunca tinha visto Jinsoul reclamar do irmão.

Hyejoo também andava trocando cartas com a Chaewon, Hyunjin alertava sempre que a prima estava se metendo em uma enrascada, mesmo ela não sendo o melhor exemplo  no momento para falar alguma coisa sobre isso. O Natal enfim chegou e os Blacks tiveram uma grande ceia com a presença da família Burke e de Narcisa, juntamente com Lúcio e o pequeno Draco, as garotas passaram boa parte da noite brincando com o pequeno Malfoy enquanto lhe ensinaram alguns truques baratos. Ao fim daquela noite a tão esperada conversa com seus pais tinha finalmente chegado, antes era só Druella pressionando a filha, mas agora que Hyunjin estaria na frente do pai, ela realmente se sentia nervosa por isso se apresentou o mais rápido que pode ao quarto deles e ficou a espera do sermão que viria a seguir.

 – Então, o que achou da nossa assembleia no dia do jantar? – perguntou Cygnus com uma voz baixa olhando fixamente para sua filha.

– Achei… Interessante – respondeu meio incerta fazendo o seu pai a olhar desconfiado.

– Só Interessante? – questionou mais uma vez o homem se aproximando lentamente da garota. – Vamos lá filha, interessante são aquelas marcas avermelhadas que tinham em seu pescoço, nossa assembleia deveria ter sido no mínimo empolgante! – soltou tocando no ombro da filha com uma cara indecifrável – A propósito, quem foi que lhe fez aquilo? Sua mãe me falou que você não está mais com aquela garota francesa – completou olhando estritamente para os olhos da garota a sua frente.

Hyunjin deve ter parecido minimamente nervosa, já que seu pai percebeu pela suas expressões e começou a ficar cada vez mais curioso acerca do assunto. Depois de quase derreter todos os seus neurônios a morena se pôs a responder.

– Ninguém em especial, apenas uma menina aleatória da Sonserina – respondeu dando de ombros. Porém seu pai não pareceu satisfeito e retomou ao assunto com mais uma pergunta. 

– E desde quando pessoas não especiais trocam cartas quase todos os dias? – Jogou o homem em direção à filha que automaticamente assumiu uma cara de espanto – O que foi? Achou que poderia fazer algo em segredo bem embaixo do meu nariz? Dá próxima vez que quiser trocar cartas sem ser descoberta, tente não usar o meu elfo doméstico e nem uma coruja das neves. Dica de ouro do papai – falou o homem com uma expressão que misturava raiva com um leve toque de sarcasmo.

Hyunjin nunca sabia quando seu pai estava furioso ou estava apenas sendo sarcástico, o homem sabia muito bem como disfarçar seus sentimentos e usar isso ao seu favor quanto tentava arrancar respostas das pessoas, e Hyunjin sabia que era exatamente isso que seu pai estava tentando fazer com ela no momento.

– Agora me diga meu bem, andou falando sobre a nossa assembleia com alguém? – perguntou ele em um tom levemente raivoso.

– NÃO! Claro que não papai, o senhor sabe que tenho tamanho apreço pela nossa família e nunca seria uma traidora. Jamais contaria nada acerca de seus planos nem mesmo se fosse capturada pelo ministério – respondeu Hyunjin quase que desesperada fazendo seu pai sorrir minimamente.

– Ótimo, é bom não está errado acerca de você querida. Odiaria ter que me livrar de você em nome do ideal da família – soltou o homem afagando os ombros de sua filha mais nova, enquanto depositava um beijo casto no topo de sua cabeça.

– Não estará papai – foi tudo o que a garota respondeu no momento, se sentindo levemente nervosa acerca da fala anterior.

O homem sorriu e se dirigiu a escrivaninha e de lá pegou uma pequena caixinha de veludo na cor vermelha e se aproximou da filha.

– Comprei um presente pra você – disse Cygnus abrindo a caixa e revelando um singelo e bonito colar com uma gema escura na ponta. –  É um colar, de Turmalina negra. Muito bonito não acha? Eu e sua mãe achamos que era uma boa maneira de você sempre se lembrar da sua família – completou o Black mais velho colocando o colar no pescoço da filha e dando um sorriso sincero.

– Obrigada papai – foi tudo o que Hyunjin disse enquanto pegava a pedra negra em suas mãos.

– Em meus incontáveis estudos acerca das genealogias das famílias bruxas, percebi que a maioria delas é bastante vasta e extensa, porém encontrei algo que saltou os meus olhos como se fosse a mais bela das donzelas – disse Cygnus se sentando em sua poltrona confortavelmente. – Família Podmore. É uma das únicas da lista que tem uma linhagem linear sabia disso? – perguntou em direção à filha que naquele momento tinha gelado todos os ossos do corpo.

– Como assim linhagem linear? – perguntou Hyunjin nervosa e temerosa.

– Não tem muitos parentes, definitivamente o Estúrgio só tem os pais, uma filha e uma irmã solteira – constatou o homem enquanto divagava acerca da família – Estúrgio é um membro da Ordem da Fênix, um dos bons diga-se de passagem. Se conseguirmos será a família mais fácil de exterminar. Não vemos isso desde os Potters – completou dando uma leve risada sarcástica.

A garota Black já tinha parado de prestar atenção quando seu pai tinha citado a família de Heejin, e só voltou quando a palavra exterminar foi colocada na mesma frase. Ela estava a beira de surtar com todo esse plano, com a relação perigosa que estava mantendo com Heejin e o fato de ela simplesmente não saber o que fazer. Cygnus divagou durante horas acercas das famílias dos aurores e membros da Ordem, quem eles eram e qual seria o grau de dificuldade de acabar com eles. Hyunjin não prestou atenção em nada, apenas se lembra de pegar no sono na poltrona dos pais e ser carregada nos braços do pai até ser colocada em sua cama com um beijo no topo de sua testa, escutando algumas palavras desconexas. 

Os dias foram se passando mais rapidamente à medida que as férias iam chegando ao fim e as meninas contavam praticamente as horas para poderem rever suas garotas novamente pelos corredores de Hogwarts e se livrarem da pressão dos seus pais. Quando as primeiras semanas de janeiro vieram trazendo consigo o recomeço do ano letivo, as sonserinas não esperaram nem mais um segundo para arrumarem suas coisas para voltarem ao castelo, como de costume foram deixadas na plataforma 9 ¾ pelos seus pais a medidas que eram alertadas sobre o plano e de orgulhar a família. Tomaram então o Expresso de Hogwarts, às 11 horas na estação e puderam pela primeira vez desde as férias respirar de verdade, sem se sentirem controladas a cada segundo. 

 


Notas Finais


Bem, é isto, favoritem e comentem pls. É muito bom quando temos interação 😍😎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...