1. Spirit Fanfics >
  2. Bottom - JiKook >
  3. Capítulo Único.

História Bottom - JiKook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii, bem vindos a bottom! Esta é uma oneshot adaptada para jikook, espero que gostem! Você também pode encontrá-la no aplicativo Wattpad!

Boa leitura 💜

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Bottom - JiKook - Capítulo 1 - Capítulo Único.

Os lábios ressecados de Jeon foram lançados contra o pescoço do loirinho. Jimin estava estático sendo pressionado na parede do corredor escolar, tentando segurar os gemidos em sua garganta. A cada toque de Jungkook, Jimin suspirava de tanto prazer; ele estava enlouquecendo e o mais alto simplesmente admirava a cena.

Jungkook deslizou a mão pelo peito do rapaz, e assim fez repetidas vezes antes de segurar o cós da calça jeans. Jimin arfou imaginando o que viria a seguir, e ele estava certo, a mão que estava no cós da calça foi colocada dentro da mesma dando início a uma massagem em seu pau.

— J-Jungkook, estamos no c-colégio. – Gemeu de maneira manhosa e o rapaz sorriu despreocupado.

— Não vamos ser pegos, anjo, relaxe e curte.

Jeon se aproximou do pescoço pálido e o mordeu sem deixar de masturbar o mastro rijo do rapaz; Jimin prendia os lábios entre os dentes, reprimindo gemidos manhosos em meio aquela tortura.

— Quero ouvir você gemer, anjo. – Grunhiu o mais novo autoritário. Ao passar o dedo na glande do pau, Jimin gemeu alto e ofegante. – Isso Jimin-ssi, geme 'pra mim!

— A-Ah, Kookie. – O loirinho tomou os lábios finos entreabertos rapidamente e os sugou provocando ainda mais. Jungkook movimentava a língua de maneira habilidosa e Jimin o acompanhava com luxuria.

O Jeon fazia movimentos lentos e logo os acelerava, deliciando-se com os gemidos do seu hyung. Jimin sentiu o corpo esquentar e arfou alto, sabia que estava no seu limite.

— Ai Jun, é melhor pararmos... Eu...

— Não me importo, apenas goze, hyung. — E assim Jimin fez, se desfazendo em mil pedaços na mão do outro, que Jungkook fez questão de levar a porra em sua boca e chupar cada dedo, sorrindo debochado para o Park.

Jimin deslizou pela parede e sentou-se no chão frio tentando recuperar a sanidade que havia perdido há muito tempo. Jungkook agachou-se diante o loiro e passou o polegar nos lábios rosados.

— Mesmo horário amanhã, anjo? – Jimin assentiu desorientado enquanto o Jeon erguia o corpo e desaparecia no corredor.

{...}


— Não creio, Jimin oppa! Jeon Jungkook te tocou? – Berrou Kim Dahyun se apoiando dramaticamente nos armários, Jimin cobriu os lábios da amiga e a silenciou.

— Quieta, Dahyun, pelo o amor de Deus! Eu fiquei sem reação quando ele me beijou... – Dahyun empurrou a mão do rapaz e berrou novamente.

— Foi ele quem te beijou?

— Por favor, Dahyun!

— Desculpe querido, mas Jungkook nunca escondeu sua bissexualidade a ninguém.

— Estão falando de quem? – Taehyung se aproximou com um pequeno pacote de jujubas em mãos.

— Estamos falando do raio de sol do Jimin.

— Jeon Jungkook? Por que perder tempo falando dele se podem falar do irmão dele? Aquele cara me fascina.

— Agora você conta a novidade, Taehyung. – Jimin sorriu pegando uma jujuba.

— Não toque nas minhas jujubas!

— Jungkook beijou o Jimin! — Dahyun sorriu de canto observando o ruivo cuspir o que estava mastigando.

— O que?! – Esbravejou, encarando seu amigo.

— E o masturbou! – Completou a menina pegando algo dentro do seu armário.

— Como você ousa pegar um dos Jeon antes de mim? Isso é traição, Chim!

— Taehyung, fale baixo, por favor!

— Não mesmo!

— Ele está vindo, disfarçam.

— Onde? – Taehyung virou abruptamente procurando o rapaz em meio à pequena multidão.

— Tae! – Rosnou Jimin.

— Cala a boquinha, Chim, Kim Taehyung sabe o que faz.

— Não fale de você na terceira pessoa, Tae. – Dahyun sorriu divertidamente. — Já sei como juntar o Jungkook e você, Jimin.

— Eu não preciso de ajuda!

— Ah, meu bolinho, claro que precisa! Se não fosse pelo Jungkook, você nunca tomaria uma única atitude se quer. — Taehyung disse, convicto.

— Os Jeon são muito amigáveis, então apenas observe, Jimin. Observe e aprenda com a mestra!

Dahyun se aproxima de Jeon Hoseok e cochicha algo rente ao seu ouvido. Hoseok sorriu maliciosamente e encarou os rapazes, Taehyung sentiu o rosto ferver e apertou o pacote de doce pelo nervosismo intenso que sentira. Jimin observava a troca de olhares entre os dois um tanto confuso, vendo quando Dahyun voltou acompanhada do maior.

— Tae. – Chamou Hoseok em um tom doce e aconchegante. – A Dahyun me falou sobre a festa dela, que tal nos encontrarmos lá? – Taehyung não entendia o que o Jeon mais velho falava, ele estava ocupado demais vendo os lábios rosados em forma de coração, se movimentarem. — Taehyung, o gato comeu a sua língua?

— Se o gato for você, deixo até comer outras coisas. – Respondeu desorientado fazendo Hoseok soltar uma risada.

— Acredito que isso seja um "sim" para a minha pergunta. — O Kim assentiu. — Então nos vemos lá. — Hoseok se aproximou de Taehyung e apoiou a mão nos armários atrás do rapaz, prendendo-o. – E lá resolvemos esse problema do gato.

— T-Tá bom. – Murmurou o ruivo extasiado pela proposta de Hoseok e o ele mesmo.

Hoseok sorriu abertamente, não notando a aproximação repentina de Jungkook, que o tocou no ombro.

— Hobi hyung, eu preciso que você... – Jungkook encarou Jimin por segundos e sorriu de canto, esquecendo totalmente do que pediria a seu irmão.

— Jungkook? – Chamou o irmão refazendo a postura. — O que faz aqui?

— O que as pessoas fazem na escola, Hoseok?

— Masturbam as outras. — Respondeu Taehyung apressadamente e logo limpou a garganta. Jimin sentiu o rosto queimar, sabia que estava rubro. Jungkook soltou uma risada escancarada e animada.

— Você tem razão, Taehyung. E saiba que as pessoas fariam novamente, se tivesse oportunidade.

— Oportunidade é o que não falta meu amado Jeon. — Dahyun sorriu sugestivo e Jungkook a encarou. – Eu vou dar uma festa na minha casa, hoje às nove.

— Isso é um convite? – Perguntou.

— Claro.

— É apenas um pretexto para a Dahyun ficar com a Momo. – Taehyung sorriu levemente para a garota.

— Eu amo o jeitinho dela, fazer o que? — Sorriu convencida. — O seu irmão já confirmou presença.

— E eu também. – Afirmou o Jeon mais novo fazendo Dahyun bater palmas.

— Não esqueçam, às nove horas. – A Kim se afastou lentamente e Jimin a encarou curioso.

— Onde vai?

— Convidar o resto da escola porque até agora temos apenas quatro convidados. – Jimin tentou acompanhá-la rapidamente, mas Jungkook segurou-lhe o braço e sussurrou em seu ouvido.

— Espero que esteja ciente do que acontecerá nessa festa, anjo. – Disse sensualmente e mordeu o lóbulo da orelha do loirinho, causando um arrepio intenso. Jungkook o soltou e Jimin correu até Dahyun.

— Eu vou indo também, adeus. – Taehyung deu um pequeno aceno e acompanhou os amigos.

Jungkook encarou Hoseok e inclinou levemente a cabeça, parecia estar confuso.

— Apenas fique calado, você não é o único bissexual aqui.

{...}


O som da música ecoava pelo cômodo lotado, Dahyun dançava animadamente com Taehyung enquanto bebia um líquido azul neon. Apesar de não estar familiarizado com festas, Jimin não poderia faltar, decepcionaria muito seus amigos se o fizesse. E ainda existia o motivo maior para fazer o loirinho ir para porta de Dahyun e tocar a bendita campainha.

Em pensar nos pequenos incidentes que teve com o Jeon mais novo, Jimin sentiu o corpo estremecer. Tentou respirar fundo e abriu a porta de madeira tradicional, logo entrando e procurando algum rosto conhecido.

O casal de amigos avistou Jimin que sorria meio desolado e correu indo de encontro com o rapaz.

— Chim, ouve esse som! Não acredito que Dahyun conseguiu fazer uma festa dessas em horas! – Berrou o ruivo bebendo algo logo em seguida.

— Eu sou incrível, meu amor!

— Não está muito alto? – Perguntou incomodado com a música que tilintava em seu ouvido.

— O que?!

— Deixa 'pra lá! – Jimin estava tenso e isso era indiscutível, sua tensão podia ser sentida a quilômetros da festa e isso não passou despercebido pelos amigos.

— Jiminzinho, você pode relaxar? Por favor?

— Não consigo, Dahyun!

— Tente! Venha, beba um pouco. – Entregou-lhe o seu copo e o rapaz tomou o conteúdo sem resistência. Ele fez uma careta de desgosto e Taehyung gargalhou.

— Na segunda vez fica melhor! – Taehyung afirmou e fez Jimin beber o que restou no copo.

— Isso é horrível!

— Agora você vai conseguir relaxar. – Dahyun puxou o Park pela mão pálida e pequena. — Vamos dançar? — Ele inutilmente negou, porém foi arrastado pela amiga.

Jimin aos poucos foi ficando desorientado por conta da bebida forte, a batida da música o deixou mais leve do que o necessário. Sem ao menos o loirinho notar, já estava longe dos amigos e sentiu algo firme prender-se em sua cintura. Ao levantar os olhos pequenos, encontrou um par de olhos jabuticabas intenso e cheio de luxúria. Jungkook sorriu lindamente fazendo o coração do rapaz palpitar. Jimin movimentou o corpo timidamente, os aproximando mais ainda, enquanto o Jeon deslizava a mão pelo abdômen subindo e descendo lentamente. Jimin buscou ar quando sentiu a mão entrar em contato com sua pele sensível, virando-se abruptamente. Jungkook encarou seus olhos por longos segundos até tomá-los com sensualidade em um beijo desesperado.

As línguas buscavam mais por espaços; guerreavam por dentro de suas bocas. Jimin se sentia extasiado por tal ação tanto de Jungkook, quanto dele próprio. Naquele momento, o beijo do mais novo o entorpecia de tal forma que o loiro o segurou forte nos braços do outro. Jungkook tomou a nuca em suas mãos e inclinou ainda mais o rosto de Jimin, sugando os lábios rosados e convidativos. Quando o ar se tornou necessitado mais do que nunca, se separaram apenas para tomar fôlego e retornar ao beijo o mais rápido possível. Jimin provocava Jungkook mordendo seu lábio inferior e sugando a língua habilmente. Jungkook se afastou, o encarou diferente sem desviar uma única vez, tomou a mão pequena e o arrastou de maneira rápida pela sala.

Jeon retirou uma pequena chave do bolso e destrancou uma das portas da casa, logo arrastando o Park para dentro do cômodo escuro.

— Jun, o que você vai... — Murmurou o loiro.

— Vem, hyung, você não é tão inocente assim. – Sorriu, porém Jimin não o via, o quarto estava sombrio o suficiente para esconder o rosto pervertido de Jeon.

— Mas e se a Dae–

— Ela sabe, todos sabem. Eu quero te foder essa noite, e todas as outras, se permitir. – Jimin assentiu e tomou os lábios do maior com urgência.

Jungkook ergueu o corpo do pequeno e colocou em seu colo, o obrigando a circular sua cintura com as pernas enquanto movimentava a língua úmida do rapaz em um ritmo frenético e enlouquecedor. Jimin suspirou pesadamente, sentindo os toques firmes do rapaz em seu quadril, Jungkook era realmente eficiente no que fazia.

Quando posto na beirada da cama, o maior inicia uma massagem pela bunda de Jimin, segurando o cós da calça jeans do mesmo, abaixando-a com ferocidade, logo revelando a bunda farta e macia do loirinho. Jungkook sentiu sua boca salivar só de imaginar que logo estaria ali dentro.

— Preciso tirar uma foto dessa belezinha. – Sem que o moreno tivesse chances de questionar, Jungkook foi rápido ao tirar uma foto centralizada das duas nádegas salientes. Sorriu satisfeito ao vê-la salva, jogando o celular em cima de um puff que havia ao lado da cômoda.

Jimin foi jogado na cama e logo sentiu o corpo do Jeon pesar sobre o seu. Despachado, levou a mão pronto para desabotoar a camisa do maior, mas Jungkook o impediu.

— Desculpe, anjo. Você primeiro. – Os dedos hábeis desabotoavam o casaco e o retirava rapidamente, jogando em um canto qualquer. — O que acha disso, Jimin-ssi? – Perguntou deslizando a mão delicadamente pelo abdômen e Jimin arqueou as costas, se contorcendo na cama.

— Não faça isso... – Jungkook esboçou um sorriso e levou os lábios ate o mamilo amarronzado e o chupou, fazendo o loirinho gemer involuntariamente.

— Diga apenas que não está gostando e eu paro. – Os lábios de Jungkook desceram vagarosamente pelo abdômen levemente definido e mordeu o baixo-ventre.

Jungkook puxou o zíper do jeans e o retirou, logo abaixando a peça que cobria o pau ereto. O maior segurou a base e sugou a glande inchada e rosada, movimentando a língua. Jimin gemeu desesperadamente como se aquilo fosse uma válvula de escape para tanto prazer que estava sentindo. O Jeon engolia cada vez mais o pênis de Jimin, movimentando com a cabeça. O corpo do mais velho começou a esquentar e ele sentia que o ápice estava perto, mas Jungkook parou e o encarou sarcástico.

— Acho que isso basta, não é?

—  Não, Jun, por favor...

— O que quer, amor?

— Eu quero você, dentro de mim, agora! – Jimin esbravejou, tocando o rosto do Jeon.

Aquele pedido foi demais para a sanidade de Jungkook, se é que ainda restava alguma nele. O de cabelos escuros se despiu rapidamente e deitou-se por cima do menor, Jimin sentia seus batimentos acelerados e a respiração descompassada só pelo fato de Jungkook estar rente ao seu corpo. Os lábios se chocaram ferozmente e foi então, sem preparação alguma ou aviso, Jungkook o penetrou.

Ao entrar contato com interior quente e úmido do rapaz, Jeon gemeu ofegante, observando a expressão de dor de Jimin. Era apertado e estranho no início, mas o rapaz não se importava, pelo contrário, estar dentro do seu loirinho era a melhor sensação do mundo inteiro. Jimin arranhava os braços de Jungkook, que estavam apoiados na cama e o rodeou com as pernas novamente. O Jeon entendeu o recado e começou a se movimentar lentamente.

Conforme os movimentos foram se tornando precisos e acelerados, Jimin fincava cada vez mais suas unhas curtas em Jungkook e aumentava os gemidos roucos.

— M-Mais, Jun! Argh!

— Você gosta assim, uh? Bem gostoso? – Perguntou baixinho no ouvido do loiro, sorrindo satisfeito ao ver o menino assentir com a cabeça enquanto mordia o próprio lábio com uma força considerável.

Seus corpos estavam suados. Jungkook retirou-se de dentro do menino, recebendo inúmeras resmungos de reclamações. Girou o corpo pequeno e sensível abaixo de si e deu um tapa na nádega esquerda, Jimin grunhiu pelo impacto, empinando o traseiro esperando para receber o grande membro de Jungkook. Quando sentiu algo preencher aquele local novamente, não conteve um gemido alto  que ecoou pelo cômodo sem cerimônia alguma.

O Jeon era feroz, cada vez que se movimentava, a cama tocava a parede fazendo um som alto. Jungkook estava perto do ápice e sentia que Jimin estava tão próximo quanto ele. Os movimentos se tornaram lentos, depois rápidos e prazerosos. A mão do mais novo desceu subitamente pelo peito de Jimin, até chegar em seu pênis pulsante, o masturbando rapidamente. O corpo de Jungkook estava tencionado e em um grunhido arrastado, ele se desfez dentro do loirinho. Logo foi a vez de Jimin que, ao sentir-se inundado pelo líquido grudento, chegou ao tão esperado ápice. Com os corpos tendo ainda seus espasmos, Jungkook deitou-se ofegante no colchão confortável e puxou Jimin para junto de seu corpo.

— Isso foi incrível, Jimin hyung. – Jimin só teve forças para assentir. – Espero repetir, sempre.

— Eu também, Jungkookie.

Fim.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...