1. Spirit Fanfics >
  2. Bow to your highness - Now United >
  3. Capítulo 01

História Bow to your highness - Now United - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo 01


Fanfic / Fanfiction Bow to your highness - Now United - Capítulo 1 - Capítulo 01

Século XV, 1400

- PEGUEM ELA, PEGUEM ESSA PECADORA TRAIDORA 

Correr nunca foi o meu forte, meu forte nunca foi muita coisa, aquela floresta parecia ser imensa pra mim. A cavalaria com duas espadas de ferro e capacetes metálicos com o brasão da realeza do clero se aproximavam pouco a pouco, os ventos do Sul eram incontroláveis eu diria, precisava achar um lugar pra me esconder 

- Peguem ela, andem seus inúteis!! 

Economizo fôlego pela minha posição, começo a correr atrás dobrar o bosque, não tinha ideia pra onde estava indo mas sabia que qualquer lugar era melhor do que nas mãos do Clero, a burguesia estava muito longe pra poder alcançar, lágrimas escorriam do meu rosto por medo, meu pai tinha sido pego e eu seria a próxima 

Chego até o meu futuro, do meu lado esquerdo uma grande cachoeira onde suas águas eram tão fortes que te atraiam pra baixo das pedras, do meu lado direito a igreja católica com olhares furiosos, aperto meus olhos com força e penso no que meu pai poderia fazer

- Não tem mais saída traidora, nos acompanhe imediatamente para a glória do senhor 

- Eu prefiro morrer do que estar com vocês torturadores de merda - falo e pulo a cachoeira prendendo o fôlego 

Você não está entendendo muita coisa mas eu vou tentar explicar, o meu pai é um grande renascentista astrônomo, matemático astrológico e sempre fomos perceguidos pelo Clero e seus seguidores, por não aceitarmos essa ideia de ser preso a religião, sempre acreditei que tínhamos livre árbitro, Deus me deu livre árbitro

Meu pai é o Pietro Pomponazzi era um adepto dos sistemas filosóficos de Aristóteles e dos Estóicos, contrariando a filosofia predominante na época, que era o Platonismo. Professava a teoria da dupla verdade: o que é válido aos olhos da fé, pode não o ser aos olhos da razão, escrevendo uma obra onde negava a imortalidade da alma

Minha mãe?! Eu não sei se ela tá bem, quando eu nasci o meu pai me tirou dela, esperou escurecer pra fugir de onde estávamos quando eu era ainda bebê, ele sempre dizia que a minha mãe não era mentalmente bem, que era tinha muitos problemas e ele não queria que eu viesse com esse tipo de ensinamento

Eles se amavam até, mas o amor começou a sumir a cada dia no último mês de gravidez, ela tinha responsabilidades e ele tinha seus princípios de vida, ele ficou duas noites na floresta até achar a sua casa antiga longe do povoado da cidade de Blood Island, até agradeço noite isso, sinto falta dele 

Seis horas antes

Estávamos em casa onde meu pai lia o seu livro e me explicava o ponto de vista pessoal, debater era o meu forte, ele sempre me ensinou a lutar pelo que eu acreditava e eu sempre agradeço a ele por me ensinar a ter voz, não tocavamos no assunto " mãe" tão fácil assim, ele me ensinava tantas coisas 

- Olhe para a flecha filha e pense que só existe uma chance de acertar, quando você sente o peso único em mãos, tudo parece mais confiante, respire fundo e fique na mira 

- Já agradeci ao senhor meu pai hoje?! - falo vendo que eu acertei a flecha no arco certo

- Já conversamos sobre isso Sina Maria - falo entrando dentro de casa junto com ela 

- Sina minha filha, eu quero te contar uma coisa tá?! Tome isto minha filha - falo dando a ela uma chave e um papel 

- Oque é isso senhor meu pai?! 

- É a chave e o mapa do meu baú, nele está todas as minhas obras e teorias, está escondido de baixo do solo e estou dando ele a você, nunca deixe ninguém saber disso filha, não deixe que ninguém ache o baú

- Eu prometo meu pai 

Ele se levantou e percebeu sons diferentes que circulavam o local onde estavamos, era a cavalaria e ele sabia disso, não sabia quem era ou se vinha alguém, ele me abraçou fortemente, eu podia sentir suas lágrimas caírem em meu ombro, podia sentir a sua tristeza 

- Eles está aqui, rápido tragam as grades!!

- Você tem que fujir filha, vá para longe e tente se construir outra vez, temos que tirar você daqui agora, eles me acharam e não vão ter pena de mim, preciso que acredite em você mesma, está mais do que pronta para ser uma mulher Sina Maria 

- Papai não me deixe, por favor vamos comigo, podemos correr juntos até achar um lugar

- Não tem mais tempo filha, me escute bem tá!! Vá pra longe e ache alguém que possa confiar, não se preocupe em ficar sozinha por um tempo, é melhor está sozinha e segura do que com alguém em apuros, vá Sina Maria, corra minha filha - falo abrindo a porta e ajudando ela a correr 

- Corram, corram e peguem aquela menina agora!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...