História Boy In Luv - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Agust D, Blackpink, Gbt, Imagine, Jennie, Jimin
Visualizações 47
Palavras 1.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Surpresa.
Vocês sabiam que eu iria voltar, mas não imaginavam que seria tão rápido, não é?

Boa leitura <3

Capítulo 49 - This Love


Fanfic / Fanfiction Boy In Luv - Capítulo 49 - This Love

“Se eu voltar, vou ser capaz de suportar?

Todos esses tempos difíceis?

Quando eu te vejo, que não está agitando

Meus lábios tremem”

10 de agosto de 2031 (São Paulo – Brasil)

–– Você não tem a menor noção do que está fazendo, Min Yoongi, por acaso tem alguma ideia de onde está se metendo? –– a voz de Yu-na do outro lado do telefone parece tão desesperada quanto ameaçadora.

Eu a conheço bem, bem o suficiente para saber que ela não acreditou em uma única palavra do que eu disse sobre estar vindo para o Brasil, sobre minha irmã ou qualquer outra coisa que eu tenha dito a ela naquele dia. Ela é convencida ao extremo e dona de si, uma versão feminina de quem eu sou segundo todos que nos conhecem. É exatamente por isso que eu sei exatamente o motivo de sua ligação, ela deve estar se dando conta apenas agora que eu estava realmente falando sério, mas só consegue acreditar porque não estou mais na Coréia. Não estou mais no oriente. Ficamos longe por algum tempo, mas isso não me fez esquecer tudo o que passamos juntos, ela, Hoseok e eu.

Hoseok.

Merda!

Eu ainda não consigo pensar muito sobre o assunto, ele e eu não somos mais os mesmos desde aquele dia, eu sei disso, sinto isso. Não é como se tivéssemos perdido a nossa amizade de anos, é mais como um afastamento sutil e vagaroso que nos trouxe até o ponto em que estamos agora, eu sei por tudo que ele passou e tento muito orgulho dele por ter enfrentado da forma com que o fez, o fato é que eu não estava ao lado dele nesses momentos e talvez esse seja o motivo pelo qual eu tenho tanta vergonha e medo de tentar uma reaproximação. Não tenho esse direito, não mais, eu não estava lá quando ele precisou de mim, não quero aparecer na vida dele de novo apenas para trazer o passado à tona novamente. Não quando eu sei que ele está tão melhor assim, agora depois de todo esse tempo.

–– Eu sei exatamente o que estou fazendo, acredite em mim, já me envolvi com esse tipo de pessoas uma vez, é fácil para mim reconhecer um mal caráter quando vejo um, acho que posso até fareja-los –– digo deixando escapar um riso sarcástico enquanto coloco minhas coisas sobre a cama do hotel onde ficarei, pretendo, por não muito tempo.

Não quero me alongar muito com os assuntos aqui, meu real objetivo não está em São Paulo, ao menos, não mais.

–– Muito engraçado, muito mesmo. Meu irmão quase morreu por causa de pessoas assim, você sabe, não arrisque sua vida se envolvendo com essas coisas, por favor –– ela rosna em um aviso claro e objetivo, Yu-na consegue ser bem ameaçadora quando quer, na verdade ela é ainda pior do que eu nesse quesito.

Literalmente.

–– Você sabe que eu não me arrisco a menos que seja muito necessário, e nesse caso em especial, Yu, você também sabe que é. Yang precisa de justiça, esse é o mínimo que eu posso fazer por ela.

Ouço um único suspiro solitário do outro lado da linha, ela está balançando a cabeça de um lado para o outro enquanto bate na testa com a mão livre. Tenho certeza disso. Termino de jogar minhas malas sobre a cama e encaro a sacada do quarto onde estou, é uma vista e tanto, de tirar o fôlego eu diria. Um país tropical. Quem diria, não é mesmo? O frio e solitário Min Yoongi em um país como esse. Bom, eu não tenho a menor pretensão de continuar aqui por muito tempo, apenas o suficiente para que eu faça tudo o que tenho planejado, depois disso é continuar com meus planos, mas de volta à Coréia.

–– Ela não terá justiça se você morrer pelas mãos da mesma pessoa que a matou!

A voz dela está seca, ela está com raiva e não consegue disfarçar isso, é mais um dos vários pontos que temos em comum.

Sorrio.

–– Ela pode não estar morta, Jung Yu-na, e é só por isso que eu estou aqui.

A linha fica muda por alguns segundos antes que ela desligue a chamada bem na minha cara, rio olhando para o aparelho em minhas mãos e respiro fundo, o peso em meus ombros é real e está me deixando muito cansado, mas eu não tenho tempo ara pensar nisso agora. Há tantas coisas que eu preciso fazer, não sei muito bem por onde começar, não estou na minha zona de conforto e não faço ideia de como irei me sair, contudo, eu preciso tentar. Eu já estou aqui mesmo, o que tenho a perder?

Por um momento eu penso no que meus amigos achariam dessa minha nova versão, costumávamos ser tão unidos quando mais jovens, naquela época eu jamais pensei na possibilidade de um dia nos separarmos. E veja só, aqui estou eu, cada um de nós seguiu um caminho deferente do outro, alguns de nós nos odiamos, outros apenas preferem manter distância por causa de acontecimentos. Hoseok. Jungkook. Taehyung. SeokJin. Namjoon. No fim das contas nenhum de nós sete é mais o mesmo, não somos aquelas crianças que não viam o que o mundo realmente é, nos tornamos versões sombrias de nós mesmos. Isso é experiência própria, claro, meus pesadelos e sombras me assombram de todas as formas possíveis e não acho que seja possível me livrar deles.

Nem da culpa. Não, eu não posso me livrar dela.

Fazer o quê? Esse sou eu e eu não posso mudar da água para o vinho, ainda há um pouco do antigo Min Yoongi, um pedaço pequeno e quebradiço, mas há uma luz que brilha intensamente e eu posso senti-la viva dentro de mim, não sei bem o que a mantêm acesa, entretanto, ela está aqui comigo. Eu me pergunto até que ponto estou disposto a manter ela aqui, porque no fundo eu sei que ela me fará mal, especialmente por causa do caminho que decidi trilhar, porém, por mais que eu tente me livrar desse meu lado mais receptivo a dor e tristeza, porque é essa luz que em mantêm preso ao passado que eu quero esquecer, eu simplesmente não consigo deixar que ela se vá.

Esse é o preço que eu pago.


Notas Finais


Bom, eu pretendo compensar vocês pelo tempo que eu fiquei sem postar, e espero que esteja dando certo.
Espero também que estejam gostando, mesmo.
Beijos e até sei lá quando (rápido, espero) <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...