1. Spirit Fanfics >
  2. Boy In Luv >
  3. Snapping

História Boy In Luv - Capítulo 60


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, surpresos?
Espero que sim.

Boa leitura <3

Capítulo 60 - Snapping


Fanfic / Fanfiction Boy In Luv - Capítulo 60 - Snapping

“Não me faça te amar

A espuma branca sobe

Por que você continua sorrindo para mim

Me fazendo perceber que isso é um sonho??”

 

30 de agosto de 2031 (Rio de Janeiro - Brasil)

Não tenho muita certeza sobre as coisas que ando fazendo nos últimos dias, eu tenho estado mais estranha do que nunca desde que me lembrei, pelo menos em partes, quem aquele homem realmente é. Min Yoongi. Ainda estou tentando lidar com as diversas reações que tive a essa lembrança, eu não me sinto triste ou mesmo infeliz com ela, mesmo que eu sinta que devesse estar, Jimin nunca comentou sobre um noivado com outro homem e eu não sei o motivo dele em esconder isso. É claro, ele é meu marido e como qualquer outro não deve gostar de falar de relacionamentos antigos, contudo, eu sou jovem demais para ter tido um noivo a muito tempo, o que claramente é uma incógnita para mim ainda maior do que todas as outras.

Eu tinha um noivo antes de me casar com Park Jimin, mas se eu o amava, por que o deixei? Como posso amar Jimin da forma que amo se um dia me relacionei com outra pessoa? São perguntas demais e minha cabeça dói com o esforço que eu faço tentando me lembrar de tudo, eu sei bem que não vou conseguir recuperar tudo o que perdi da noite para dia, porém, desde que Min Yoongi falou comigo pela primeira vez eu tenho tido mais avanço do que nos últimos meses buscando respostas sozinhas. Eu sinto que a presença dele consegue me ajudar de alguma forma, ele é alguém do meu passado e provavelmente é alguém que pode me dizer mais coisas do que Jimin me disse.

O que é que eu estou pensando agora?

Park Jimin não vai gostar nenhum um pouco de saber que estou cogitando a possibilidade de me encontrar com Min Yoongi, até porque, até eu onde eu consegui entender eles se conhecessem também. A reação do Min quando eu falei que sou casada não foi nenhum pouco pacífica, eu pude notar a raiva no olhar dele assim como a expressão de nojo. Por quê? Talvez nosso relacionamento não tenha terminado de uma maneira muito boa, afinal, e talvez seja por isso que ele age de uma forma em um momento e de uma muito diferente em outro. Estou criando um nó no meu cérebro enquanto penso em todas as possibilidades sem ter nenhum ponto de partida.

–– Não me julgue também, filho, a mamãe precisa descobrir a verdade, hum?

Hyun me encara com os olhinhos escuros brilhando enquanto coloca um de seus brinquedos na boca, os dentes dele estão finalmente começando a nascer e ele consegue ficar mais inquieto do que nunca, ele geralmente dormia durante o dia, mas desde que Jimin foi para longe as coisas aqui já não são mais as mesmas. Eu o deixo brincando no chão enquanto me levanto e parto em busca do que quer que seja, eu nunca fui uma esposa desconfiada o suficiente para buscar qualquer coisa que eu pudesse encontrar no quarto. Isso me faz pensar que mesmo que as possibilidades sejam baixas eu posso acabar descobrindo alguma coisa, é esse pensamento que me faz começar a abrir todas as gavetas do criado mudo de Jimin.

Não espero encontrar algo, realmente, sei que ele jamais esconderia qualquer coisa de mim e que confiamos plenamente um no outro, e esse simples pensamento me faz me sentir uma traidora, eu estou desconfiando dele pela primeira vez e isso depois que encontrei alguém que já foi meu noivo. Não me sinto bem com isso e não posso deixar que ele descubra em hipótese alguma, eu o amo demais para cogitar a possibilidade de perdê-lo, ainda mais se eu perdê-lo por causa de alguém que faz parte do meu passado. Jimin é o meu presente, ele é o que realmente importa, não é?

Para o bem ou para o mal eu acabei não encontrando nada de relevante, nada além de papéis da empresa, fotos nossas e os bilhetes que eu mandava entregar para ele quando estava trabalhando demais. Me deixo sentar no chão com o peso da consciência esmagando meus ombros, isso tudo é demais para mim, e em um ato puramente desesperado eu acabo digitando os números gravados no cartão no teclado do meu celular. Tudo que eu faço é encarar a tela com um indecisão maior do que eu, até que eu apenas clico e a chamada começa.

Puta merda, Lee Sook!

–– Eu sei que é vo! ––  a voz dele soa do outro lado da linha e meu corpo todo estremece apenas em ouvi-lo.

Penso um, duas, três vezes em desligar.

Não faço isso.

–– Como é que…

Ele solta um riso abafado.

–– Eu a conheço o suficiente para isso e para muitas outras coisas, L’amour, temos uma história.

Ok. Agora que eu cheguei até aqui , acho que não posso mais voltar atrás, não é mesmo?

–– Como eu posso saber se posso confiar em você ou não?

Que Jimin não descubra isso!

Que Jimin não descubra isso, por favor!

–– Eu tenho provas, além de que, tenho fortes indícios de que você confia em mim, mesmo que não saiba o porque.

Tudo bem, ele é bom! Ele não parece estar brincando, e não teria como ele saber tanto sobre mim e sobre minha forma de pensar e agir se realmente não me conhecesse o suficiente, é surpreendente mesmo para mim perceber o quanto ele me entende melhor do que eu mesma sou capaz de fazer.

–– O que pretende com tudo isso?

Ouço o suspiro arrastado dele do outro lado da linha e prendo a respiração por um momento muito curto.

–– L’amour, mesmo que eu não queira assumir isso porque dói, só quero o melhor para você. Não quero colocá-la contra… Park Jimin, vocês até mesmo tê um filho, mas não é justo que eu seja o esquecido da história para que ele me faça parecer o vilão quando for conveniente para ele. Me deixe contar minha versão, me deixe dizer o que tivemos e se lembrando ou não, decida o que quer fazer.

Eu sabia, sabia que eles se conheciam.

Hyun ao meu lado engatinha até subir em cima das minhas pernas e dá gritinhos de alegria enquanto morde um brinquedo de silicone.

–– Tudo bem. Eu me sinto culpada por estar fazendo isso, mas faz tempo que quero descobrir mais sobre mim mesma e as únicas poucas lembranças que tive foram depois que encontrei você. Quando pode me encontrar?

Mais um suspiro, dessa vez, no entanto, ele parece de alívio sincero.

–– Quando você quiser, L’amour!


Notas Finais


Será que Lee Sook está finalmente abrindo seus olhos?
Faltam apenas 2 capítulos para o fim da parte 2 de BWL, hein.

Espero que estejam gostando, principalmente com o desenrolar da história, eu estou tentando ao máximo fazer uma coisa de cada vez, porque são muitas questões para serem resolvidas, então primeiro a memória da Sook, depois o caso Yang.
ALIÁS, eu já tenho tudo em mente!

Beijos, meus amores <3

OBS: Morrendo com os photobooks de BTS, aliás, eu devo resaltar que meio que adivinhei dois conceitos, duas semanas antes eu fiz duas capas para minhas fanfis novas, uma do Tae (sobre anjos, conceito 2) e uma do Yoon (de época, conceito 3).
Me sinto FODA, apenas.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Era só isso mesmo, <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...