História Boys Of The Devil - Capítulo 33


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Bts, Exo
Visualizações 17
Palavras 1.634
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores! Voltei com um capítulo lindinho para vocês! E olhem o milagre, não atrasei dessa vez! hahahahahaha

Boa leitura! Nos vemos lá em baixo!

xoxo

Capítulo 33 - Azar no Amor


Fanfic / Fanfiction Boys Of The Devil - Capítulo 33 - Azar no Amor

Taehyung encara o tabuleiro de xadrez, preparado para a grande jogada que faria em seguida. A acastanhada em sua frente apenas aguardava, ciente de que perderia mais uma vez. Porém não se importava, pois amava a felicidade e o sorriso do mais velho ao ganhar mais uma partida. A chinesa achava tudo sobre ele extremamente adorável, mesmo que não entendesse o poder que o coreano tinha sobre si.

— Xeque Mate! – diz ele, sorrindo para a garota. – Acho que tenho sorte no jogo. – acrescenta.

— Com certeza tem. – Lay diz, desviando os olhos dos computadores e encarando os amigos. – Mas eu duvido que tenha azar no amor. – completa olhando sugestivamente para o casal de amigos, levantando-se de onde estava em seguida e caminhando em direção à saída. – Vou caçar algo para comer, e vou demorar bastante. Então se divirtam. – outro sorriso é direcionado para eles, carregado de malícia.

Ming ri e Taehyung revira os olhos para o amigo.

— É um bocó mesmo. – diz, balançando a cabeça negativamente, e encarando a mais nova. – Você quer comer também? Poderíamos dar uma volta ou algo assim, o que acha?

— Está me chamando para sair? – a garota pergunta, tentando não demonstrar a felicidade que sentiu ao ouvir aquilo.

— Só se você aceitar. – o coreano diz, sorrindo quadrado, embora com medo de que ela pudesse rejeitá-lo.

— Eu adoraria, mas não tenho dinheiro. – diz ela, sorrindo envergonhada.

— E quem foi que disse que eu vou deixar você pagar? – diz o coreano. – Eu estou mesmo precisando sair desse lugar, o que me diz? – ele olha nos olhos da mais nova, que novamente se vê sem reação, a não ser sorrir e concordar.

— Certo eu vou trocar de roupa e... – A chinesa não tem tempo de raciocinar, pois o coreano a pega no colo e gira com a garota em seus braços, sorrindo de orelha a orelha.

— Aigoo, eu estou tão feliz! – ele diz, colocando a garota no chão a encarando, apesar da mesma ser mais baixa que ele. – Eu pensava que você ia me rejeitar. Aish eu estou tão feliz.

Ming não teve outra reação senão sorrir perante aquilo. Tudo em Taehyung era extremamente atrativo aos olhos dela. E a atual proximidade dos dois, fez com que a garota desejasse muito colar seus lábios aos do rapaz. Porém como se lessem os pensamentos um do outro, Taehyung aproxima-se mais e a distância entre seus lábios é cessada com um beijo calmo, que fez a garota enlaçar seus braços no pescoço do mais alto, e este a segurar pela cintura colando o corpo esguio da menor ao seu.

— Gente vocês não sabem... – a voz de Lay invade o ambiente, fazendo com que o casal se separasse bruscamente. – Opa! Acho que eu interrompi alguma coisa. – diz, descendo as escadas de vagar.

— Oh olá hyung! – diz o mais alto abraçando a menor que, envergonhada, esconde o rosto no peitoral do mais velho. – O que não sabemos?

— Eu gostaria muito de saber mais sobre isso, mas o Baek e Chen tão lá na sala. Parece que eles acharam algo importante...

 

...

 

Suho caminha em passos largos e precisos para o escritório de Namjoon, com uma pilha de papéis em mãos. O mais velho abre a porta do escritório do irmão, sem ao menos se importar em bater ou perguntar se podia, mesmo sabendo que o mesmo queria uns minutos à sós, seguido de Kris que tentava a todo custo frear as ações do amigo.

— Namjoon, temos de nos preparar... – Suho começa a tagarelar sobre tudo o que eles tinham para fazer, mas o mais novo não lhe dá atenção nenhuma. Olhando fixamente para um retrato de sua família.

Com todo esse turbilhão de acontecimentos, Namjoon nem ao menos teve tempo de organizar um enterro digno para seu pai, ou mesmo lamentar por sua morte. Mas isso não o impede de sentir falta do mais velho, e de pensar sobre sua presença todo o dia que se passa. Assim como em sua mãe e irmã mais nova. Pensar que elas estão presas em algum lugar, a mercê de coisas horríveis, enquanto ele está impotente dentro de um jogo de azar onde as probabilidades de sucesso são quase nulas, faz seu sangue ferver.

Ele desejava poder contar com seu pai naquele momento, desejava que o mais velho estivesse ali para lhe dar colo, tal como uma criança quando se machuca, queria seu abraço e suas palavras de conforto. Mas acima de tudo, queria ser igual a ele, e saber resolver situações como se fosse mágica.

Queria que ninguém tivesse o tirado dele.

O rapaz passa o polegar pela foto no suporte de madeira escura, percebendo que lágrimas escorriam por seu rosto ao se lembrar do verão passado, onde eles se divertiram em família, levando-o a pensar como as coisas mudam de uma hora para outra, e o quanto a vida é preciosa.

— Namjoon... – Suho começa, ao perceber o quão egoísta foi por um momento, ignorando o pedido anterior de minutos sozinho. Ele ouve o irmão soluçar, seguido de uma cotovelada fraca de Kris, indicando que era seu dever consolá-lo.

O mais velho se levanta e anda até o irmão, retirando o porta-retratos de sua mão e o abraçando.

— Por que Hyung? – pergunta o esverdeado. – Por que ele foi tirado de mim? – soluça.

Suho olha para Kris, desesperado e sem ter o que dizer. Só havia visto o irmão chorar uma única vez, e fora quando se machucaram jogando basebol, e a senhora Kim lutava para acalmar os dois.

— Nós vamos resolver isso Namjoonie. – Suho tenta confortá-lo.

— Ele já teria resolvido isso Hyung. – Diz, com sua voz carregada de dor e amargura. – Se meu Appa estivesse aqui as duas já estariam em casa, e não estaríamos vivendo nesse inferno! Ele merecia estar aqui, não eu. – Namjoon encara o irmão com lágrimas inundando todo o seu rosto. – Eu daria minha vida para tê-lo de volta.

— Namjoon! – Suho exclama, espalmando a mão esquerda sobre a mesa de madeira maciça. – Nosso Appa era um excelente homem, e nos criou da melhor maneira possível, se você é o homem que é hoje, foi por que aprendeu tudo o que ele tinha para ensinar.

— Ele já teria resolvido tudo isso hyung. – balbucia, balançando a cabeça em negação.

— Jingquo é um desgraçado Namjoon, ele está fodendo com o nosso psicológico da maneira mais suja que existe. – Kris diz. – Não entre no jogo dele, não duvide de si mesmo. Você só tem vinte e três anos, e tem um império nas mãos. Muitas pessoas que eu conheço, até mesmo mais velhas, teriam fugido da responsabilidade, mas você não. Você é uma pessoa admirável Namjoon, e um excelente líder. Sua equipe pode confirmar isso.

Namjoon se mantém em silêncio, assim como o irmão, que volta a se sentar na poltrona. Kris pede licença para se retirar, alegando ter de falar com Tao. Mas Suho sabia que ele apenas os queria deixar em paz. Durante os meses de convivência com ambos, ele aprendeu que às vezes tudo o que eles precisam, é da companhia um do outro.

— Você se lembra de quando fugíamos no meio da noite para jogar videogame? – Suho comenta, rindo consigo mesmo, sendo acompanhado pelo irmão.

— Você era terrível nesses jogos...

 

...

 

Lay se assusta quando a porta de seu local de trabalho é aberta num baque. Por puro reflexo, o chinês puxa sua pistola do suporte abaixo do gabinete apontando-a para quem quer que fosse. Quando se recupera do choque, ele se mantém focado em Taehyung por tempo suficiente para ver as canecas, que o mais novo segurava nas mãos estendidas para cima, irem ao chão assim como a rosquinha que o coreano levava na boca.

— Merda Hyung! Quer me matar de susto? – diz, abaixando as mãos e levando sua destra ao peito, afim de tornar tudo mais dramático. – Olha só que bagunça! Eu não vou limpar isso!

— Merda digo eu! O que você queria que eu pensasse huh? Você chutou a porta droga! – Lay diz, guardando a pistola em seu devido lugar.

— Se você tivesse escutado quando eu pedi pra abrir a porra da porta! – diz, se jogando em sua cadeira.

— Aquilo foi você? Caralho eu pensei que o Hoseok estava quebrando a sala de treinamento, só esperando o Namjoon descer xingando Deus e o mundo. – o chinês diz, arrancando leves risadas do mais novo. – E Ming? Como está?

— Dormindo como pedra. – sorri. – Aquela ali continua dormindo mesmo que o mundo acabe. – acrescenta.

— E me diz, o que estavam fazendo antes de eu chegar. – Pergunta, voltando os olhos para a tela.

— Não fizemos nada, você atrapalhou! – Taehyung diz.

— Me desculpa, da próxima vez me avisa quando resolver dar uma de romeu! – Lay diz, fazendo o mais novo revirar os olhos.

— Tá, mas você achou alguma coisa? – pergunta curioso, se sentando ao lado do menor, este, por sua vez, sorri de canto e aponta para a tela, arrancando um grito de felicidade do coreano, que pegou o microfone que dá acesso aos alto-falantes espalhados em alguns pontos da mansão. – Namjoon! Você precisa vir aqui! Tipo, agora!

A dupla então começou a gritar e a fazer danças de comemoração, todas com coreografias estranhas, mas eles não ligavam para isso naquele momento. Logo, as figuras ofegantes de Namjoon e Suho aparecem na porta.

— O que aconteceu? – Pergunta o esverdeado olhando ao redor, vendo a bagunça do cômodo – Isso é café? Tem café no meu chão? Quem que vai limpar isso aqui?

Taehyung aponta para Lay, que apenas sorri sem graça para a imagem dos dois líderes, ainda mais para Suho, que estava com uma careta.

— O que aconteceu aqui fica para outra hora sim? – Suho interfere e Namjoon suspira, ainda irritado – Por que nos chamaram aqui?

Lay sorri, volta a se sentar e aponta para uma das telas.

— Podem comemorar, sabemos onde Xio Jingquo se esconde...

Continua...


Notas Finais


Uhhhh GIRL! Agora a coisa ficou seria! Será que finalmente nossos "heróis" conseguirão dar um basta nessa história toda de uma vez?

Comentem o que acham! Vou adorar ler e responder todos!

Eu sei que já disse isso milhares de vezes, mas a fanfic está em reta final! Eu ouvi um finalmente? Hahahaha, enfim pessoal, logo tudo se ajeita, ou não.

Aliás, o que acharam da capa nova da fanfic? Eu quem fiz com muito amor, espero que amem ela tanto quanto eu.

♥ Divulgações de hoje ♥

♥ Truly, Madly Deeeply (oneshot Kim Namjoon): https://www.spiritfanfiction.com/historia/truly-madly-deeply--kim-namjoon-13765064

♥ Deep Desire (Imagines BTS hot): https://www.spiritfanfiction.com/historia/deep-desire--imagines-bts-hot-12793731

♥ Ballerina (Min Yoongi Imagine +18): https://www.spiritfanfiction.com/historia/ballerina-min-yoongi-imagine-10620455

♥ Bite Me (Imagine Niall Horan +18): https://www.spiritfanfiction.com/historia/bite-me-4711522

Com isso eu me despeço amores! Até o próximo!

xoxo Vickie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...