História Branco Como A Neve - Yoonmin - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink
Personagens Jennie, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Romance
Visualizações 23
Palavras 1.466
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - I Capítulo


Fanfic / Fanfiction Branco Como A Neve - Yoonmin - Capítulo 1 - I Capítulo


Eu e minha mamãe estávamos nos preparando para sair ela iria me levar no parque de diversões que chegou a poucos dias eu estava muito feliz e animado por que nunca tive tempo pra ficar com a minha mamãe, eu só a via pela noite.


— Mamãe vamos logo eu quero brincar no cavalinho. – Batia na porta do banheiro para que a mesma saísse rápido.


— Calma Yoongi já estou saindo. – Diz minha mãe abrindo a porta do banheiro.


Olho para a mesma da cabeça aos pés e falo:


— Mamãe nós vamos a um parque de diversões não a uma boate – Falo com um pouco de raiva por causa da sua roupa curta e apertada.


— Fique quieto, vamos logo. – Fala fria e eu abaixo a cabeça seguindo a mesma até a porta.


— Não esqueceu de nada não né? – Pergunta ela parando em frente a porta.


— Acho que não.


— Vamos logo então – Diz friamente.


Assim que saímos de casa fomos até a garagem para pegar a moto, ela sobe e logo me pega colocando na garupa da moto e assim partimos. Uns minutos depois chegamos ao lugar que eu sempre quis vir com a minha mamãe, era como se fosse um sonho realizado.


Minha mãe começou a agir de forma fria depois que meu papai morreu, ela diz que aquele acidente foi por minha culpa… mas eu entendo ela… as vezes eu me sinto culpado mesmo não tendo sido culpa minha…


~FLASHBACK~


— Papai, papai me leva no parquinho? Por favorzinho?– Implorava fazendo bico.


— Ok pequeno vamos. – Ria o mesmo me pegando no colo. – Yuna, eu e o Yoon vamos no parquinho, quer ir junto?


— Vamos sim, só deixe-me pegar a minha bolsa. – Ela sobe as escadas indo diretamente pro quarto e logo volta. – Vamos.


Nós três saímos de casa e fomos até a garagem, mamãe entra e papai abre a porta do carro para mim entrar e em seguida ele entra, logo dando partida e indo ao parquinho. Eu fico olhando os carros passarem pela janela até que vejo um gatinho lá fora e acabo ficando com dó dele, eu sempre quis um gatinho para mim só que meus pais nunca teviram vontade de comprar um para mim.


— Papai, para o carro, para o carro – Ele para o carro e juntamente a minha mãe olham assustados para mim.


Abro a porta do carro e saio do mesmo olhando para os dois lados vendo se algum carro vinha ou não, quando um carro passa eu corro até onde o gatinho estava e o pego meu pai sai do carro com as mãos na cintura e uma carinha engraçada de “eu estou bravo com você mas não consigo manter a minha postura de bravo”.


— Eu não acredito que você fez esse escândalo por causa desse gatinho. – Grita ele do outro lado da rua vindo em minha direção fazendo mamãe sair do carro rindo.


— Deixa eu ficar com ele papai? – Falo fofo para que eu possa ficar com ele.


— Po… – O mesmo é interrompido quando ouve um tiro e ele começa a se desesperar.


Acabo ficando com muito medo e começo a chorar, quando meu pai começa atravessar a rua ouvi mais um tiro e me encolho no chão, olho para cima e vejo meu pai caído no chão e minha mãe correndo até ele e gritando para que ele acordasse mas ele não respondia. Eu estava tão em choque que nem percebi que uma viatura da polícia e uma ambulância tinha chegado. Eu contínuo lá no chão chorando, com muito medo e repetindo várias vezes a palavra “papai”.


— Por que você fez isso com o seu próprio pai seu inútil? – Gritava chorando desesperadamente a minha mãe.


— M-mas… eu n-não… fiz nada… – Digo baixinho chorando muito.


Minha mãe vem até mim e pega em meu braço me levando até a ambulância logo me colocando lá dentro.


— Você vai ficar aqui dentro quando chegarem lá me espere na recepção não saia de lá, tá me entendo garoto? – Fala ainda chorando mas com um tom bravo.


— S-sim… – Soluço.


Ela sai de perto para que os enfermeiros fechem a porta, olho para meu pai na maca cheio de sangue. Só de ver meu pai naquela maca machucado e ainda por cima minha culpa meu coração já se partia ainda mais ao meio.


— Hyung ele não vai aguentar por muito tempo, peça pro motorista ir mais rápido – Fala um dos enfermeiros.


— John mais rápido aí – Diz o outro enfermeiro.


— M-moço… meu pai vai ficar b-bem, n-não é? M-me diz que ele v-vai por f-favor – Soluçava chorando muito.


— V-vai sim n-não se preocupe pequeno – Gaguejou o mais velho, até que o mesmo sobe em cima do meu pai tentando reanimar ele.


Chegando no hospital os enfermeiros tiram meu pai de dentro daquela ambulância logo o levando para dentro do hospital. Assim que saio da ambulância, sigo os enfermeiros até uma porta mas fui barrado por uma moça


— Mocinho desculpe você deve ficar aqui não pode entrar lá ainda, onde está seus pais? – Pergunta se abaixando ficando na mesma altura que eu.


— A-aquele que entrou é-é meu pai – Choro mais ainda ao olhar para a porta onde ele passou machucado.


— Pequeno se acalme seu pai vai ficar bem confie em mim ok? – Ela sorri me abraçando – E a sua mãe onde está? – Diz limpando minhas lágrimas.


— E-ela disse pra mim e-esperar ela na recepção – Gaguejo um pouco.


— Então vamos pra lá esperar ela chegar, olha eu vou ficar com você até quando você estiver bem ok? – Ela me pega no colo e dá um beijo na minha bochecha.


Depois daquele carinho que a enfermeira deu para mim, eu consegui me acalmar um pouco e parar de chorar. Fomos à recepção para esperar a minha mamãe ou alguma notícia sobre meu papai. A moça que estava comigo saiu para pegar um pouco de água pra mim, quando ela saiu segundos depois minha mãe chegou enfurecida e chorava ao mesmo tempo ela chega até mim e diz:


— Seu inútil não sabe pensar não? Se você não tivesse saído da porcaria daquele carro nada disso teria acontecido tudo isso é por sua culpa seu pequeno imprestável – Ela dizia enquanto apertava meu braço com força.


— D-desculpa não q-queria ter feito i-isso m-me desculpa m-mamãe – Gaguejo voltando a chorar.


— Desculpas não vão desfazer o erro que você fez seu inútil, eu te odeio moleque – Ela apertava mais ainda meu braço me fazendo chorar mais.


Todos que estavam lá na recepção olhavam e apenas cochichavam em vez de me ajudar até que a moça que estava comigo à alguns segundos atrás chega correndo.


— Ei moça solte está criança agora – Diz a moça se aproximando.


— Ele é meu filho portanto tenho o direito de brigar ou até mesmo bater se necessário – Ela me coloca do lado dela ainda segurando meu braço mas não com tanta força.


— Sim, mas não percebe que o pequeno está assustado? Não vê que está deixando o braço dele vermelho? – Diz ela parando em frente a minha mãe.


— Escuta aqui eu dou a educação pro MEU filho do jeito que EU quiser, não se intrometa onde não é chamada – Fala minha mamãe ficando com mais raiva ainda.


— Olha ou você deixa o garoto em paz ou chamo a segurança pra te tirar a força daqui – A moça olhava enfurecida para minha mãe.


— Moleque imprestável – Ela solta meu braço indo diretamente para o banheiro.


— Você está bem? – Pergunta a moça a minha frente.


— Um pouco – Coloco minha mão aonde minha mãe havia apertado a moça olha para meu braço e se assusta um pouco.


— Meu deus seu braço está ficando roxo – Ela vem até mim me pega no colo me levando para uma sala do hospital.


— Sente se naquela cadeirinha ali – Ela apontou pra cadeira.


Ando devagar até a cadeira e me sento lá, ela vem e segura vagarosamente meu braço e passa  algodão com algo molhado que eu não sabia identificar o que era, depois ela pega uma faixa enrolada e coloca em volta do meu braço deixando antes um algodão lá.


— Amanhã você tira, ok? – Ela sorri


— Ok – Dou um pequeno sorriso pra ela – Moça eu quero ver meu papai – Peço à ela com os olhos brilhando.


— Vamos ver o que conseguimos fazer pra você conseguir ver ele ok? – Ela sorri e estende a mão pra mim – Prazer meu nome é Kira e o seu?


— Yoongi.. Min Yoongi – Sorrio de volta e pego sua mão.


— Nome bonito – Fala sorrindo mais ainda.


— Obrigada…


— Ok, vamos logo ver seu papai sim? – Ela levanta da cadeira de onde estava sentada e eu faço o mesmo.


Notas Finais


Obs: Sigo todo mundo que favoritar a história hihi ❤
Obs2: Só vou conseguir postar o próximo só sábado da semana que vem pois estou com bloqueio criativo ; - ;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...