História Branco como a neve e vermelho como o destino: lobo - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor, Café, Familia Unida, Homi, Macho, Menina Tímida Dos Clichês, Música Boa, Otaku Fedido, Putaria? Talvez
Visualizações 107
Palavras 6.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Luta, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLHA QUEM VOLTOU DAS CINZAS!

Capítulo 25 - Desabafando


Fanfic / Fanfiction Branco como a neve e vermelho como o destino: lobo - Capítulo 25 - Desabafando

Lysandre On

Já se passaram alguns dias que Alu desmaiou e foi lá pra casa, ela tem estado um pouco....morta, é como seu corpo estivesse aqui mas sua mente estivesse bem longe. Eu acho que possa ser saudades de sua família, mas eu sei que não é por isso, deve ser por causa do dono daquele nome, “Kai”, é um nome tão estranho, mas mesmo assim é...bonito. Olho para Alu que estava concentrada em seu novo lenço, ele é vermelho e está um pouco rasgado nas pontas, parece ser algo bem velho, mas ela não parece ser importar já que olha para o objeto com tanto carinho, com tanta ternura, com tanto amor, mas ao mesmo tempo, eu vejo dor em sua face, sinto como se ela tivesse perdido algo muito importante e agora estivesse procurando essa coisa nas sombras. Estou incomodado, quero protege-la dessa dor, quero abraça-la e disser que tudo vai ficar bem, assim como eu fiz quando ela desmaiou, ah pai, a sensação dela em meus braços, tão frágil e indefesa, às vezes acho que Alu é como um cristal, totalmente puro e frágil, algo que irá se quebrar com apenas uma olhada, mas eu sei bem que não é assim, ela é na verdade como uma rocha que não se quebra, rocha não, ela é como o vento, pode ser calmo e amigável, mas quando agitado, pode trazer tanta amargura e tristeza, e é assim que ela se encontra agora, agitada, e essa agitação toda faz com que meu coração sofra. Claro que não sou um louco de amor, mas mesmo assim é triste ver alguém tão doce sofrer tanto e não contar á ninguém sobre o que tanto atormenta seu coração. Outra coisa que aconteceu também foi à súbita aproximação de Castiel com Alu, ela não olha nos olhos de ninguém e ainda fala gaguejando, mas com Castiel é diferente, ela olha nos olhos dele como se procurasse alguma coisa lá dentro, e ele olha para os olhos dela como se ali ele encontrasse paz, tenho que admitir não gosto muito dessa ideia, mas eu não mando em Alu e nem em Castiel. Vejo Alu desenhar algo, me parece ser o rosto de alguém, um rosto masculino. Ela suspira e quando eu ia falar com ela, o sinal toca indicando que o intervalo começou, Alu parece se assustar com o barulho e dá um pequeno pulo da cadeira, mas logo ela se ajeita direito e termina de guardar o seu matéria sem pressa alguma, Castiel se vira de sua cadeira e fica olhando para ela de uma maneira discreta.

-sei que está me observando Castiel, eu também vejo você Lysandre.

Ela fala um pouco envergonhada. Às vezes eu penso que ela na verdade tem medo de nós, mas ai me lembro de que ela é assim com quase todo mundo, menos com as amigas baixinhas dela, e com o cachorro, mas com o cachorro é bem diferente, ela fala com ele como se ele fosse uma espécie de irmão, agindo como se o cachorro entendesse ela, bom, talvez ele entenda mesmo. Castiel olhou para Alu novamente e dessa vez com mais intensidade

-você não tem ido para o centro, Clara está com saudades.

-ah, eu arranjei um emprego e agora tenho que cuidar do meu primo.

-quantos anos ele tem?

-uns vinte e pouco

-acho que ele sabe se virar Alu, mas sabe você me prometeu que me ensinaria a patinar, por acaso você é do tipo que quebra promessas?

Castiel fala sarcástico e Alu olha para o canto um pouco triste, e logo o sorriso no rosto de Castiel desaparece.

-eu nunca quebro as minhas promessas

Ela fala com desdém, sua voz saiu firme e seus olhos pareciam mais com fogo, não eram os mesmos olhos meigos que eu tanto am...quer dizer, que eu tanto gosto hahaha (Tsuki: tadinho, é tão trouxa), seus olhos pareciam gritar comigo, eu podia jurar que ali havia alguma chama, uma chama que dançava tão intensamente que nunca se apagaria

-pelo menos, essa não.

Ela fala tão baixo que mais parecia com um sobro, mas eu entendi Castiel por sua vez, olhava para a pequena, sério, era como se ele estivesse tentando desvenda-la. O ar estava pesado, mas ele logo foi cortado pelo ronco da barriga de Alu, eu dei um pequeno sorriso e Castiel começou a provocar a menor enquanto andávamos para a cantina, mas não demorou muito para Alu sair do nosso lado e ir atrás de Armin que estava todo sorridente, às vezes eu tenho inveja dele, o fato dele ter tanto assunto com Alu e deixa-la confortável, de alguma forma isso me incomoda (Tsuki: foda-se meu querido, não é você que vai levar ela pra cama de todo jeito), eu olho pros dois que estão sentados o na chão em um lugar afastado, Alu sorria, um sorriso que ia até os seus olhos, os olhos de Alu são um pouco puxados dando a impressão de que ela é asiática mas na verdade os olhos puxados são normais dos esquimós, acho que essa é a única característica que Alu tem dos esquimós. Na verdade, às vezes penso em Alu como uma índia só que com a pele pálida.

***

 

Castiel

 

As aulas acabaram, eu e Lysandre estamos no parque enquanto esperamos a chuva passar, Mas estou impaciente e decido me molhar mesmo, Lysandre anda quieto esses dias isso não é estranho mas esse é um tipo de quieto me faz ficar preocupado. Nós passamos por varias ruas até encontrarmos uma residência grande, a casa me parece ser cara, e na frente da casa está Alu e um homem, cada um gritando um com o outro, a chuva cai o que torna o momento mais intenso entre eles

-VOLTE AQUI ALU!

-VAI PRO INFERNO!

-VOCÊ VAI MESMO FUGIR ASSIM?! SEM HONRA NENHUMA!, AGORA SEI QUE VOCÊ É UMA COMPLETA COVARDE

-NÃO SOU COVARDE, SOU INTELIGENTE! NÃO FICO ME METENDO NA VIDA DOS OUTROS IGUAL  Á VOCÊ

-ADMITA LOGO, VOCÊ ESTÁ COM MEDO, MEDO DE DESCOBRIR O QUE ACONTECEU COM KAI!

-ISSO MESMO DANTE, EU ESTOU COM MEDO!

Havia lagrimas nos olhos dela, cada palavra saia como um rugido de um leão, um leão que parecia ser forte mas na verdade era apenas um gatinho indefeso

-ESTOU COM MEDO DE DESCOBRIR QUE EU POSSA TER MATADO ELE!

-VOCÊ PRECISA DELE!

-EU PRECISO MANTER ELE LONGE DE MIM!

-ALU, É SUA MÃE QUE ESTÁ TE ESPERANDO LÁ DENTRO, É SUA FAMÍLIA, SUAS IRMÃS QUE ESTOU CURIOSAS SOBRE VOCÊ, SUA MÃE QUE ESTÁ PEROCUPADA COM VOCÊ, SUA TIA QUE TE ADORA MUITO, SEUS PRIMOS QUE FAZEM QUALQUER COISA POR VOCÊ, ESTÃO TODOS QUERENDO FALAR COMO ELES TE AMAM

-EU NÃO PRECISO DO AMOR E DA COMPAIXÃO DELES

O rapaz parece incrédulo e descrente

-é...ISSO MESMO! PRA QUE UM MONSTRO COMO VOCÊ VÁ RECEBER AMOR, VOCÊ NUNCA REPITO, NUNCA, VAI SABER O QUE É AMOR! AFINAL DE CONTAS, A ÚNICA PESSOA QUE ESTAVA DISPOSTA A TE ENSINAR SOBRE ISSO AGORA TÁ NA PORRA DE UM HOSPITAL RESPIRANDO ATRAVES DE MAQUINAS! E TUDO ISSO POR QUE VOCÊ É TEIMOSA. TEIMOSA AO PONTO DE SACRIFICAR A SUA VIDA E A VIDA DE KAI SOMENTE PRA DESCOBRIR MAIS SOBRE SI MESMA, VOCÊ É MUITO PIOR QUE UM MONSTRO! Vive sem saber sobre o amor, espero que seja feliz com suas escolhas, mas não venha chorar para mim depois

O rapaz fala com pura raiva e aquilo parece ter atingido Alu como se fosse um soco bem no meio de sua cara, o cara percebe que falou merda e coloca a mão na boca

-A-Alu, me desculpa, eu não dizer

-não Dante...você tá certo, eu sou pior que um monstro, eu sou um completo demônio

Ela fala e vejo seus olhos brilharem intensamente, ali vi raiva, tristeza e muita dor, tudo misturado com um olhar sério e duro que a mesma lançava para o cara, vejo ela sair correndo na chuva, o Rapaz tenta ir atrás dela mas o cachorro impede ele com um rosnar e vai atrás de Alu. Eu fico parado olhando tudo e Lysandre parece querer ir atrás dela também mas eu seguro o seu braço

-deixe ela ir

Ele me escuta e vamos nós dois andando para sua casa aonde eu passo um certo tempo até decidir que está tarde e Dragon precisa de comida

***

 

Estava andando nas ruas até que me viro em um beco, continuo a andar por ele normalmente até que escuto um choro, olho ao meu redor mas não encontro nada mas continuou a ouvir a voz de choro, será que esse lugar é assombrado?

-QUEM ESTIVER AQUI SAIA AGORA MESMO!

A pessoa não sai mas eu vejo uma pequena movimentação perto das lixeiras por mais que seja mínima. Chuto as latas e encontro Alu chorando ao lado de seu cachorro, ela levanta a cabeça e eu consigo ver aqueles olhinhos de raposa, totalmente molhados e tristonhos

-o que está fazendo aqui?

Pergunto mas a mesma não me responde, apenas muda o foco para outra coisa, coloco a mão no pescoço cansado e bagunço os meus cabelos, olho novamente para aquela nanica teimosa

-venha, vamos sair dessa chuva

-eu não tenho lugar pra ir

É mesmo, ela estava brigando com aquele cara, será que é o pai dela?, vejo ela se encolher mais por causa do frio e o seu cachorro tenta ao máximo esquenta-la, Deus, que eu não me arrependa pelo o que estou prestes á fazer

-pode ir pra minha casa, mas vai ter que cozinhar

-não preciso da sua pena

Elas está mesmo falando sério? Eu lhe lanço um olhar de raiva que parece que não teve nenhum efeito nela, olho para seu lado e percebo que seu cachorro também está tremendo

-então pense nele, você pode ser teimosa quanto for, mas isso pode acabar prejudicando os outros.

Alu olha para seu cão e parece meio relutante

-ok, mas vai ter que comer tudo o que eu por no prato.

-deste que não seja veneno eu aceito

-só por causa disso eu vou meter veneno na comida

Ela dá um sorriso irônico e eu sorrio e puxo sua mão a fazendo levantar daquele chão frio e sujo

-seus pais não vão se incomodar?

-eu moro sozinho

-Dragon vai estar lá?

-mas é claro

-EBAAAA!

Ela comemora dando vários pulinhos no ar o que pra mim é uma graça

-você é o que? Uma criança?

-isso mesmo, eu sou uma criança!

E o cachorro olha pra ela com um rosto entediado

-cala a boca Kenai, eu sou foda.

Como eles conseguem se entender tanto? É engraçado como eles se entendem é quase como se eles falassem na mesma língua, Alu parece estar com bastante frio e eu vejo ela tremendo. Tiro a minha jaqueta e coloco sobre os ombros dela, que cora no mesmo instante

-o-obrigada Castiel

Ela fala olhando bem nos fundos os meus olhos e eu apenas quebro nossa troca de olhares e continuo andando em sua frente e Alu apenas me segue enquanto conversa com o cachorro, eu coloco minha mão na boca e sinto o meu rosto totalmente quente, Oh pai

***

 

Assim que chegamos  na minha casa eu sou recebido por Dragon que pula em cima de mim e faz festa, Alu deu uma pequena risada e isso é bom,  tiro Dragon de cima de mim e ele logo olha para Kenai e começa a rosnar, Kenai é muito maior que Dragon e olha pra ele como se fosse uma criança, ele olha para Alu e ela pra ele divertida

-vá lá, se solte

E assim o cão começou a abanar o rabo e tentou brincar com Dragon que de inicio não quis mas não demorou muito para os dois estarem correndo pela casa, eu guio Alu para o meu quarto e fecho a porta (Tsuki: que saliente você) sento em minha cama e Alu parece confusa

-ali é o banheiro, vá tomar banho antes que pegue uma gripe

-você também está molhado, tome banho antes de mim, não fico doente tão facilmente

-e que tal se tomarmos banho juntos

Digo apenas para brincar eu vejo o rosto de Alu passar do branco para o vermelho

-o-ok

-pera que?

-e-eu disse qu...t-tudo bem

-e-eu estava só brincando

Seu rosto ficou mais vermelho ainda, ela entrou correndo no banheiro e trancou a porta, o que estava passando pela cabeça dela? Disser que tudo bem tomar banho comigo...pera...será que ela...não! coloco a mão por cima da minha boca e abafo um grito, escuto o som do chuveiro ligar e decido sair do quarto. Estou assistindo Tv quando escuto um grito por meu nome, vou calmamente até meu quarto e percebo Alu com somente a cabeça de fora da frecha da porta do banheiro, seu rosto está vermelho e seus cabelos molhados

-t-temos alguns problemas

-e quais seriam esses?

-e-esqueci a toalha

-e o que mais?

-e-estou sem roupas limpas, as minhas estão encharcadas e m-minhas roupas se encontram no mesmo estado

-ok, isso é um problema, espere ai, vou pegar uma toalha e sobre as suas roupas...eu resolvo isso

-o-obrigada

Saio em disparada á procura de uma toalha mas ai me lembro que elas estão em meu quarto então eu tenho que subir as escadas de novo e entrar no meu quarto de novo. Procuro no armário e quando finalmente eu levo para a porta do banheiro e bato duas vezes

-achei uma toalha

Ela abre um pouquinho a porta e eu entrego pra ela que rapidamente suga aquela porra pra dentro do cômodo e fecha a porta

-vou procurar roupas pra você, tá legal

Se bem que eu preferiria você nua

-c-certo!

Eu fui até o meu guarda-roupas de novo e comecei a procurar uma blusa que de nela, acho que uma cueca minha vai servir de short, já vi isso em fafics e filmes então deve dar certo, eu só tenho uma duvida, por que as meninas aceitavam de boas usar uma cueca como short? Bem...eu acho que tem coisas que é melhor não saber. Pego uma blusa que o Armin me deu e que eu nunca usei, sinceramente, o Armin não sabe dar presente bom (Tsuki: na vida eu sou o Armin) , quando eu ia abrir a porta do banheiro, eu vi Kenai na frente me olhando com raiva

-você pode chegar pra lá?

E ele rosnou pra mim, que coisa linda (Tsuki: ceis pegaram a ironia na frase?)

-o que você quer que eu faça, te de as roupas pra você entregar?

Ele me olhou com desdém, eu mereço

-ok Romeu, aqui está

Coloco as roupas na boca dele e abro um pouco a porta do banheiro para que ele possa entrar, e assim ele faz. Depois de um tempo, Alu sai do meu banheiro, usando as minhas roupas e com o cabelo completamente molhado, a blusa é muito grande e fica caindo o tempo todo mostrando uma parte de seus seios

-estão boas?

-estão grandes

-percebo

-hehehe, o mais engraçado é que até a cueca fica grande e caindo

-é mesmo?

Ela percebe o que está falando para um homem? Alu está louca?

-nas fanfics não são assim

-eu sempre me perguntei, como é que as cuecas davam nelas? Tipo, será que é por que na maioria das vezes elas tinham corpão?

-eu achei que isso era algo que as meninas soubessem

-eu também achei

Ela amarra a blusa pra ficar menor mais continua caindo, como se isso não bastasse, a cueca está folgada então ela fica puxando pra cima

-não vai arrumar o cabelo?

-é mesmo, pode me emprestar um pente ou uma escova?

Eu joguei a escova no ar e ela pegou como se fosse uma espécie de espada

-obrigada

E assim, ela se sentou no chão e começou a pentear o cabelo, percebi que ela estava com um pouco de dificuldade e fui ajuda-la, isso na verdade me irrita

-aqui, vou pentear pra você

E assim, comecei a pentear seus longos cabelos platinados que chegam até sua bunda

-eles são tão grandes

-teve uma época em que eles eram maiores

-não consigo imaginar eles maiores que isso

-mas eles eram, eram tão grandes que eu os arrastava no chão

-por que cortou?

-não cortei, não quis cortar

-então por quê?

-quando eu era menor, algumas pessoas  fizeram muito mal á mim

-por que?

-por eu ser quem sou

-e o que você é?

-um demônio

-você não é um demônio!

-então o que?

-como?

-o que eu sou?

Ela abaixa a cabeça e eu fico mal de vê-la daquele jeito

-você é...uma humana, certo?

-e-eu...eu não sei

-tem certas coisas que não devemos saber

-é, acho que você está certo, hahahaha, Deus, está tudo errado

-o-o que?

-cara, eu nem devia estar aqui! O que caralhas eu estou fazendo em Paris? Ou melhor, Eu nem viva devia estar

-Ei, é melhor parar de falar disso

-vamos poupar as nossas salivas falando sobre isso, não é um assunto que eu goste de falar

Fiquei em silencio penteando seus cabelos enquanto ela mexia em seu colar, acho que já vi ele antes

-o que é esse colar?

-ah, isso? É o meu totem

-seu totem?

-sim, na minha família, somos representados por animais que nos guiaram em nossas jornadas e esses animas são representados por totens, o meu totem é o lobo que simboliza a sabedoria

-mesmo assim, é um colar tão feio, feito de madeira, seus pais não podiam ter comprado um melhor não?

-não é assim que funciona Castiel! Nossos totens são feitos pelos chefes de minha família, ele pode ser de madeira agora, mas quando eu chegar á idade adulta  com certeza se transformará em um cristal!

Ela fala irritada pra mim, suas pernas se cruzam e ela se senta como um índio, é engraçado ver essa nanica assim, parece um pequinês que late, mas não morde.

-como assim, Cristal?

-sim, esses totens são temporários pois ainda somos crianças quando recebemos, mas quando completamos dezoito anos, nossos totens são substituídos por um totem de pedra, que fica no formato perfeito de seu guia animal

-sua família é louca

-NÃO É NÃO!

-é sim hahahaha

-não é!

-é sim

-Castiel, fecha a boca

Nessa hora eu ia mandar ela ir tomar no meio do orifício anal mas tem uma parte do cabelo dela que tá iliado, eu coloquei força mas o troço tá um nó que nem com pacto eu consigo tirar

-e-ei, isso dói

-então como você sugere que eu tire esse nó?

-seja calmo e gentil

-você tem noção de como isso soou pornográfico?

-você que tem a mente poluída

-como não ter a mente poluída com uma menininha completamente indefesa na sua casa e usando as minhas roupas que alias, estão muito grandes então ela tem que ficar levantando as roupas de 5 em 5 minutos

-a sorte é que você me acha uma tabua 

-sim, essa é a sua sorte

TABUA O MEU PAU! Como essa pirralha fez crescer peito do dia pra noite? Tá certo que eles não são tão grandes assim, mas cara, SE OLHA NO ESPELHO GURIA! Eu diria que os seios de Alu são medianos, mas a bunda dela, ohh pai, quando ela usa aquelas calças jeans coladas, ok, acho que é melhor eu parar, isso tá ficando estranho . Continuei penteando os seus cabelos, mas vi algo estranho em seu pescoço,  ela se virou pra mim e eu coloquei todo o seu cabelo para o lado, vendo assim vários sinais em seu pescoço

-n-não olhe pra isso

Ela fala tapando os sinais

-por que?

-e-eu tenho vergonha

Eu tiro sua mão de cima dos sinais e ela fecha os olhos como se esperasse que eu bata nela ou ria

-por que você tem vergonha disso? São apenas sinais

-você não vai rir?

-ri?

-ou me bater?

-bater?

-ou me apelidar?

-pra que eu faria isso?

Alu se cala e logo o seu rosto ficou vermelho

-e-é que eles formam uma constelação

Nessa hora eu ri, mas não foi por mal

-viu, eu disse que você ia rir

-eu não estou rindo disso, eu estou rindo do fato de que você achar que eu iria rir de algo bobo como isso, eles são bonitos

Digo passando a mão pela base de seu pescoço, ela parece gostar do pequeno “carinho”

-s-sério?

Nessa hora ela me olhou com os olhos brilhando, só que dessa vez, não era aquele brilho estranho e sim um brilho diferente, a blusa caiu de novo mostrando o seu ombro esquerdo aonde tinha mais sinais , mas eu não estava olhando para o sinal e sim para como os seus seios quase aparecem. Movi minha mão para a sua bochecha e comecei a acariciar o local vi a nanica fechar seus olhos , e quando eu ia me aproximar senti como se alguém estivesse me metralhando mentalmente, olhei pra trás e vi Kenai me olhando como se fosse me matar á qualquer momento, ok, é melhor eu me afastar um pouquinho da Alu (Kenai: se você gostar da sua vida, vai ficar bemmmm longe da minha princesa). Cachorro de Satã

-Castiel, por que você não mora com os seus pais?

-por que eu não quero (Tsuki: curto e grosso)

-ah, entendi, perai, me trás um saco de gelo que essa doeu

-e você?

-eu o que?

-por que não mora mais no Alasca?

-meu avô me mandou pra cá, apenas não sei o real motivo

-e você veio na boa?

-não, eu apenas estou tentando descobrir o do por que o meu avô ter me mandado pra cá, eu conheço ele mais do á mim mesma, sei que os seus motivos devem ser sérios, Meu pai e meu tio estão bem longe de casa, no Egito pra ser mais especifica, minha prima mora na Inglaterra e Dante voltou para a sua real casa no Canadá, e minha avó morreu então pra que ele quer se isolar? Que dizer, somos uma família, certo? Então...por que?

-eu não sei, você deveria perguntar pra ele e não pra mim

-....Castiel?

-sim?

-eu vou fazer algo muito embaraçoso agora, mas....lá vai...eu poderia sabe....desabafar com você?

-eu tenho cara de psicólogo?

-não, mas mesmo assim, por favor, eu sinto que vou explodir se eu não por pra fora.

-esquece

Me levanto mas ela me segue, ela segura a minha mão e me olha bem nos olhos, aqueles olhos de raposa que geralmente me dão medo, agora estavam implorando por ajuda, minha ajuda!

-*suspiro* ok, mas não quer dizer que vou te ajudar

-só quero que me escute

E eu respirei bemmmmm fundo e me sentei no chão

-a-ah, aqui não....você...se incomodaria se nós...urm bem...conversássemos na varanda?

-por que na varanda?

-s-sinto muito, é que...hoje é noite de lua cheia sabe, e eu meio que...eu me sinto à vontade perto dela

-você é alguma espécie de lobisomem ou coisa parecida?

-mais ou menos, nervemind, vem logo

Ela puxou meu braço para o lado de fora da casa e os cachorros seguiram a gente, não demorou muito para eles estarem correndo pela rua

-não se preocupe com eles, Dragon está com Kenai e eu nunca vi alguém tão “mãe” como ele

Ela diz se sentando no chão como uma índia e eu sento mas de uma maneira não...tão desconfortável como ela está sentada, espero ela falar e a mesma apenas olhou para a lua

-Sabe Castiel, eu sou uma filha bastarda, minha mãe traiu o seu esposo enquanto o mesmo estava longe servindo no exercito, ela já era casada e tinha um filho que ainda era uma criança, teve ter sido traumatizante pra ela, pra ele, e pro meu pai

-seu pai sabia que ela era casada?

-como ele poderia? Meu pai é assexual, arromantico e totalmente inseguro! E algum idiota colocou na cabeça dele que ele deveria pelo menos perder a virgindade, e foi o que ele fez! Ele apenas foi pressionado, e foi atrás da pessoa mais amigável pra ele! E 9 messes depois, adivinha quem veio ao mundo? Isso mesmo euzinha aqui, a pessoa que só nasceu quando três dos homens mais fortes das montanhas se ajoelharam pra uma irresponsável não abortar a criança que ela estava carregando, e depois dai, tudo desmoronou, ela me teve, me teve em uma noite de nevasca aonde ninguém poderia sair para ir ao hospital

Ela está com raiva, isso é claro

-e fez o meu pai esperar no frio! Sabe como é uma nevasca no Alasca? A pessoa pode morrer! E tipo, ela não ficou nem 12 minutos perto de mim e já foi me dando pra meu pai e fez ele subir a porra da montanha todinha a pé e...quando ele chegou em casa eu...eu havia morrido

-VOCÊ MORREU?!

-sim, sentai ai, que eu vou explicar

-eu morri, mas o meu pai fez um pedido estranho pra caralho e bem...a lua me deu vida

-como assim?

-como eu posso explicar? É tipo, eu estava morta mas a lua me trouxe de volta, acho que é isso

-i-isso é estranho

-essa não é nem a parte estranha. Depois de alguns anos, meu tio engravidou uma prostituta que morreu de tuberculose, ele tem que cuidar da filha dele Coralina, então, 3 homens sozinhos cuidando de duas crianças e uma senhora de 62 anos. Bom, não durou muito tempo, depois de uns 8 dias a minha avó morreu e eu fiquei sozinha por muito tempo, eu não...eu não estava literalmente sozinha mas minha avó era a única que me entendia e entendia o que eu era! Ou melhor o que eu sou!

Ela aponta pra si mesma, uou, não pensei que ela tivesse tanto

-bom, eu pensava que ninguém nunca mais ia me entender tanto como minha avó mas...ai eu conheci o meu irmão. Ele subiu a montanha apenas pra me conhecer, eu tinha o que? uns 3 ou 4 anos? E ele agia como se eu fosse uma pessoa de 50 anos, ele me entendeu, me protegeu e...e ele me amou, sinto saudades dele e eu queria muito saber o do por que eu não me lembro totalmente dele, eu quero saber por que eu me esqueci, por que eu nasci, por que eu to viva! É muita coisa!, sem contar nesse demônio!

-d-demônio?

-é como eu estou chamando ela, ela aparece em meus sonhos, fica falando coisas na minha cabeça, e ate sai da minha cabeça pra ficar passeando ou me olhando ou falando coisas desnecessárias, como um fantasma ou um poltergeist, ela é irritante

-o que ela lhe fala?

-muita coisa, coisas que eu tenho medo de te contar

-você está aqui pra falar comigo, coloca pra fora

-se eu disser isso, você promete não me odiar?

-eu já te odeio

Eu falo sorrido e ela dá um pequeno sorriso meia lua amarelo

-b-bom, eu tenho um parente que não é bem parente, ele fugiu de casa quando era mais novo e tentou nos roubar, mas o tiro saiu pela culatra e no fim, meus velhos acolheram ele, só que...ele já fez tantas coisas ruins comigo, ele ficou amigo de certas pessoas e essas certas pessoas usaram meu primo pra me afetar, eles...falaram de como eu sou estranha, de como eu não tenho mãe, e de como eu sou um monstro

Á essa altura, Alu já estava chorando e eu não sei o que fazer

-e-eles me machucaram pro muito tempo, era tanto ódio, rancor, magoa, e-eu não tinha que crescer no meio de tudo aquilo, mas eu infelizmente cresci tendo aqueles sentimentos me consumindo, eles me jogaram no rio sabendo que eu não sabia nadar, cortaram o meu cabelo á força, me bateram e...e...

Ela abraçou o seu corpo como se aquilo fosse protege-la

-e-eles me mostraram a morte em primeira mão, n-não foi o meu avô que me levava pra caçadas, não foi Kenai que geralmente me traz animais mortos e não foi o meu irmã que me ensinava sobre como a vida e a morte se completavam, foi...Dante e os amigos deles que mataram um cervo na minha frente, e-eu era muito nova, muito...urgt, eu não precisava daquilo e isso me afetou. O pior de tudo isso é que...eu fiz coisa pior, eu aprendi a atirar, eu aprendi a matar e eu...eu gostei...mas depois...eu me senti tão suja....me senti tão...tão sem vida quanto o cara

-VOCÊ MATOU ALGUÉM?!

Alu olhou pra baixo e escondeu o rosto entre os cabelos

-matei, eu tirei a vida de alguém, e me arrependo todos os dias

-cara, você é realmente forte

-como?

-você aguenta tudo isso, se fosse eu, provavelmente já teria explodido

-eu acho que só não explodi ainda por que agora estou procurando pelo meu irmão

-tem alguma pista?

-apenas uma, e eu não quero ter que encara-la

-sua mãe?

-minha mãe....*suspiro* ela está em Paris agora mas vai embora daqui á 5 dias e eu não quero ter que olhar no rosto dela pra ela me chamar de assassina de novo

-e com que você vai ficar nesses cinco dias?

-eu não pensei nisso ainda, talvez na casa da May ou de Koronami

-aquelas suas amigas nanicas?

-eu sou menor que uma delas hahahaha

-você realmente é muito...pequena e...frágil...e...as vezes sinto que você pode quebrar com um único toque, mas agora eu sei que não é tão fácil te derrubar, você tem um coração bem...forte e...frio, ah foda-se, eu não sou bom nessas coisas

-bem, obrigada mesmo assim, você...me ajudou

E assim o silencio pairou, ela olhava ara a lua com tanto sentimento enquanto a chuva caia

-sabe....você pode ficar aqui se não tem lugar pra ir

-sério, é muito gentil de sua parte, mas não acho que Kenai irá gostar de sua ideia

-bom, ele vai ter que se acostumar, por que eu não vou te deixar ir

Ela deu uma pequena risada, Meus, como essa coisa nanica consegue ter uma voz tão....arght, sedutora e...eu to com fome

-você vai fazer a minha comida ou...

-é mesmo

Ela se levantou, assobiou e logo Dragon e Kenai vieram calmamente. Comigo Dragon não é comportado mas com ela ele vai bem calminho, corno filho da puta. Entro e me deparo com Alu cortando alguns vegetai e procurando algo na geladeira

-Castiel, aqui tem tomate?

-não, odeio tomate

-pois você vai agora comprar tomate

-eu disse que eu odeio tomate

-você se odeia?

-não

-então vá comprar tomate antes que eu corte a sua cabeça, seu tomate humano

-quer morrer?

-eu que faço essa pergunta

Nessa hora ela apontou a faca pra mim e eu olhei no fundo de seus olhos que agora estavam brilhando daquela maneira assustadora, ok, é melhor fazer como ela manda eu amo a minha cabeça e não quero perder ela (Tsuki: Alu será uma ótima mãe). Assim que eu voltei pra casa com os tomates, vi Alu assistindo Tv com outra camisa que o Armin me deu, essa sendo vermelha e tendo uma grande estrela como estampa (Tsuki: WE ARE THE CRISTAL GENS!) e desenho que ela assistia era japonês e não tinha legenda, ela tá entendendo o que eles tão dizendo?

-ISSO MERMO,  FAZ DELE O SEU UKE PARTICULAR! MOSTRA PRA ELE O QUE É SER UM SEME HOMÃO DA PORRA, PEGA ELE POR TRÁS E ENFIA A ESPADA TÃO FORTE QUE VAI FAZER ELE USAR CADEIRA DE RODAS! (Tsuki: essa é minha filha... aonde foi que eu errei?)

Ela gritava tudo em inglês e eu não sou muito bom nessa matéria, eu olhei de relance o que ela estava assistindo e acho que vi o inferno, eram dois caras altões transando, só que cara, era desenho animado...o quão doentio o ser humano pode ser (Tsuki: falou o cara que namorou a filho do Diabo), Alu estava olhando com tanta atenção, então ela é dessas, eu achei que ela fosse inocente, eu peguei o controle remoto e desliguei a TV. Alu me olhou e parecia que ela ia pular em cima de mim á qualquer momento

-trouxe os tomates

-CASTIEL!

E assim, ela pulou em cima de mim, quando eu me livrei daquele troço encapetado, ela começou a me perseguir até eu me trancar no banheiro. Depois de um tempo, eu continuo aqui, estou começando a ficar com fome, acho que ela já se acalmou , escuto batidas na porta e eu abro ela lentamente, encontro Alu com um prato de macarrão e um rosto envergonhado

-você deve estar com fome, aqui, eu fiz macarrão e suco e torta de limão

-você fez torta?

-sim, vamos lá comer, eu não comi nada esperando você sair do banheiro

 

***

 

Eu e Alu estamos assistindo um desenho animado, ela está sentada no meio das minhas pernas e meu queixo está apoiado em sua cabeça

-por que esses caras estão lutando por ela? Ela é tão chata e patética

-a maioria das personagens de animes otomes são assim, chatas, patéticas e incrivelmente gentis e trouxas

-você se parece com ela

-nada haver, ao contrario delas, eu tenho algo chamado atitude

-cadê essa atitude toda que eu ainda não vi?

-quem foi que atirou em você no paitball mesmo?

-quem é o dono da casa mesmo

-Dragon , e tem mais, essas personagens não tem coragem pra matar algo ou alguém

Ela me olhou de maneira ameaçadora,  eu olhei pra Kenai que estava com um olhar de sono, ao lado dele tinha Dragon que dormia como uma criança

-acho melhor irmos dormir

-concordo, amanhã de manhã tem aula

-Alu, amanhã é sábado

-oi?

-deixa quieto, venha logo

-me carrega!

Ela fala estendendo os braços como se fosse uma criança, eu a pego como se fosse um carneiro ou um saco de batata e a carrego até o meu quarto, chegando lá eu apenas jogo ela na cama

-pronto, agora vai dormir

-se a lua cair hoje, saiba que eu te amo

Ela fala com tanto carinho, sinto as minhas orelhas vermelhas e o meu rosto esquentar, eu apenas me deito na cama ao lado de Alu, eu me enrolo e ela rasteja até mim e entra dentro da cocha

-aqui tá quente, eu to vendo quase porra nenhuma!

Ela disse dentro das cobertas , eu senti os seus longos cabelos em minha coxa, o que ela está fazendo ai em baixo? Não demorou muito pra eu sentir um peso sobre mim, Alu colocou a cabeça pra fora e se sentou em meu colo

-aqui tá muito quente, estamos no outono caralho! Era pra tá frio

Ela reclama, realmente, está quente hoje de noite, o que é estranho , eu me sento na cama e Alu sai de cima de mim, tiro minha blusa e jogo longe, depois disso volto a deitar só que dessa vez de costas pra Alu. Eu já estava dormindo, mas acordo quando sinto algo me abraçar por trás

-Castiel, tá acordado?

-hum, não

-então eu vou falar mesmo assim, obrigada por me escutar hoje, obrigada por me deixar ficar e obrigada por ser meu amigo (Tsuki: essa doeu em mim) eu não sou muito sociável e não gosto muito de ficar perto de outras pessoas, mas você me deixa tranquila, me trás paz, gosto disso

Eu me viro pra ela e abraço ela de volta

-não vou te deixar ir

Digo sem pensar já me sinto ficar vermelho, ela se alinha no meu peito e coloca mão no meu coração, eu pego sua mão e levo até minha boca depositando um pequeno beijo nela

-é tão pequena e...branquinha

Eu ia continuar a falar mas percebi que Alu já estava dormindo, eu com cuidado lhe dou um beijo no topo da cabeça, o que foi uma má ideia, pois Kenai começou a me olhar com aquele olhar Ak47, ele apenas mostrou os dentes e eu percebi que uma mordida daquele bicho fazia um estrago que nem em dez encarnações iria sair á marca, eu joguei Alu pro lado de maneira bruta e me deitei de costas, vai que assim esse CÃO DE SATÃ ENVIADO DO INFERNO tente me matar

 

***

 

Acordo de manhã com o som do meu celular tocando, eu atendi ele com preguiça

-alo?

Hey, Castiel? Aqui é a Iris, só to ligando pra avisar que daqui á uns 17 minutos, a gente vai pra sua casa pra ensaiar

Eu nessa hora acordei e percebi que Alu ainda estava aqui, deitada do meu lado, com as minhas roupas e NA MINHA CASA!, Meus Deus, se Lysandre ou Nathaniel verem Alu aqui eles me matam! Olhei para o lado e vi Alu deitada abraçando o travesseiro como se ela fosse um bebê preguiça e o travesseiro fosse sua mãe

-Kai...

Ela fala triste enquanto dorme, e eu olho pra o celular de novo...fodeu


Notas Finais


MUAHAHAHAHAHAH, CASTIEL VAI SE FERRAR, FODER E OUTRAS MAIS COISAS! 8YHYN8MUYH8


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...