História Brave Hearts - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Albert Spencer (Rei George), August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Will Scarlet, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Once Upon A Time, Outlawqueen, Regina Mills, Robin Hood
Visualizações 145
Palavras 2.407
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de dias olha quem tá de volta. Peço perdão a vocês por ter demorado, mas vá nem foi tanto tempo assim. Eu estava assistindo a série Lúcifer (sim, vou culpar isso) e perdi talvez algumas horas da minha vida fazendo maratona (mas fazer maratona de série nunca é perda de tempo).
Mas sem mais delongas vamos logo ao capítulo!

Beijos😚❤



"Mãe"

Capítulo 21 - Mother


Fanfic / Fanfiction Brave Hearts - Capítulo 21 - Mother

“O amor de mãe por seu filho é diferente de qualquer outra coisa no mundo. Ele não obedece lei ou piedade, ele ousa todas as coisas e extermina sem remorso tudo o que ficar em seu caminho.”

Agatha Christie

Continuação...
- O que você quer dizer Regina? 
- Eu sei que ela se matou, naquele mesmo lugar onde eu estava! 
- Regina, e-eu...
- A verdade papai!
- Eu vou te contar tudo!
- Pode começar!
- No dia que sua mãe foi sequestrada, eu encontrei o bilhete com a ameaça que ela havia recebido. No momento eu não acreditei, não consegui sequer imaginar que a Cora, como era, iria tentar resolver isso sozinha. Eu e alguns policiais fomos até o local, a Longfellow e não os encontramos, procuramos por horas, até que depois de dias, perdi a conta de quantos, nós encontramos o esconderijo do sequestrador. Mas já era tarde. Eles já haviam partido. Dois dias depois encontramos o corpo dela abandonado num terreno baldio a beira da estrada. Mas eu te garanto que a sua mãe não se matou!
- Você está mentindo papai!
- Não estou! Regina, a bala que matou a sua mãe veio de um fuzil, e a arma encontrada com ela foi um calibre 45!
- Então...ela
- Foi assassinada! Eu lamento por não ter conseguido salvá-la! 
- Quem foi?
- O que?
- Quem foi o assassino?
- Albert Spencer!
- O médico?
- Ele está aposentado hoje! Mas sim, é ele!
- Que ironia mais cruel! Um médico assassino! Porque esse cara ficou livre?
- Descobrimos muito depois que tinha sido ele, mas o desgraçado tinha advogados muito bons, e se livrou de todos os processos, nos deixando sem saída?
- Então é isso? O cara sai por aí, assassina pessoas e fica por isso mesmo?
- Infelizmente o mundo não é justo! Ele foi acusado outra vez de assassinato a quase um ano atrás, mas outra vez saiu livre!
- Qual era a ligação dele com a minha mãe?
- Eles tiveram um caso, nada muito sério, pouco antes de sua mãe e eu nos conhecermos! Ele não aceitou quando ela disse que estava apaixonada por outro, embora soubesse que o que tinham não era apenas valer, ele criou uma obsessão por ela, e a perseguiu por anos, até conseguir atacar!
Ela fica em silêncio, não conseguia acreditar que por um momento pensou que sua mãe era uma suicida. Seus olhos se enchem de lágrimas, mas elas não caem. Depois de alguns instantes pensando, ela se sente intrigada com algo.
- Pai, esse Albert, ele tem alguma ligação com Daniel? Porque ele me disse isso sobre a mamãe e se ele sabia e conhecia o esconderijo eles tem alguma ligação!
- É possível! Olhei todo criminoso tem um mandante...
- Daniel tinha um assistente, Peter eu acho...
- Sim, mas tinha alguém acima de Daniel! Nenhum criminoso trabalha sozinho, e se eles estavam juntos, dessa vez eles não vão escapar! Nós temos provas o suficiente para colocá-los na cadeia!
A morena sorri e se sente bem, estava segura,. Voltaria pra casa em poucos dias, tinha suas filhas em seus braços outra vez. Sua família estava bem. Mataria a saudade de seu namorado, e depois de tudo que ela passou, precisava disso.


Flashback On, 23 anos antes
- Hey, Agente Mills! Aqui! 
Era o Agente Morris chamando Henry, naquela tarde procurando por Cora. Mills estava desesperado, esperando o pior. Acharam o esconderijo mas não acharam Cora. Cada minuto que passava contava, e era fatal. Num minuto Cora poderia estar viva e no outro... não gostava nem de pensar, o pensamento de que poderia encontrar suas esposa, a mãe de suas filhas, morta, o atormentava. 
Na estrada, no onde Henry fora chamado, havia um corpo. Uma mulher com cabelos escuros um pouco acima da cintura. Seu rosto coberto pelo cabelo, o que impedia de reconhecerem. Uma arma, calibre 45, estava em sua mão. Suas digitais eram as únicas ali. Seu peito possuía uma mancha enorme de sangue que descia pelo pescoço e formava uma enorme poça no chão. Um dos agentes toma a iniciativa e vira o rosto da moça, e Henry começa a gritar de desespero e dor.
- NAAAAAÃO! CORAAA!

Flashback Off


No quarto do hospital, Regina e Robin conversavam. Após ver sua irmã e matar a saudade da ruiva, a mesma levou as sobrinhas e o pai para casa. A morena e o loiro, escaravam as mãos entrelaçadas. Finalmente depois de dias, elas estavam unidas de novo.
Ela sorria para ele, e ele sorria de volta. Regina levanta um pouco o corpo, ficando sentada. Ele se aproxima dela, e acaricia o rosto da amada. Ela suspira, e ele faz o mesmo. Os lábios se aproximam, ficando a pouco centímetros de distância. Ela molha os lábios carnudos rosados e ele respira fundo. Depois de muita enrolação, se beijam intensamente. Precisavam daquilo, depois de dias sem o toque um do outro, aquilo era como se estivessem recomeçando. Ela resmunga um pouco, aquilo lhe causava um pequeno incômodo devido aos cortes que ali possuía, mas estar finalmente com Robin outra vez, era mais importante.
- Desculpa amor, esqueci dos cortes!
- Não faz mal! Não dói! Só incomoda um pouco! 
Ele se levanta um pouco e beija a testa dela
- Eu te amo demais!
- Eu amo muito você! 
Se beijam outra vez, e ele se ajeita melhor, colocando um dos braços no outro lado da cama e estava subindo o corpo, ficando quase que por cima dela. Com a mão livre, o loiro passeava pelas curvas delas, dando leves apertos. Assim que ela percebe que estavam esquentando a morena o afasta.
- Calminha tigrão! Estamos no hospital!
- Estou com saudades!
- Eu também! Mas quero aproveitar da melhor forma possível! Na nossa cama, na nossa casa! Prometo que quando eu estiver boa, faremos isso! Também estou com saudades! Faz muito tempo, quando estava pronta pra sair do resguardo da gravidez, isso aconteceu e...
- Não fale mais nisso! Estamos aqui agora, e isso é o que importa! – beija ela
- Te amo...te amo...te amo...- Fala a cada selinho que dava nele
- Eu te amo mais!
- Eu amo mais! – fala com voz infantil – Muito mais! – beija ela de novo
Depois de dias sem o outro, depois de dias sem um beijo ou um simples bom dia, Regina não conseguia acreditar que o pesadelo passara. 
Em pleno silêncio que se instalava entre os dois, estavam apenas curtindo a presença um do outro. Estavam plenos, bem. Mas todo silêncio dura pouco, a porta do quarto se abre, mostrando uma loirinha simpática, que chorava.
- Regina! – abraça a morena sem o menor cuidado
- Eu também te amo, mas você está em cima da mão que por acaso está com um agulha então...
- Desculpa! Está tudo bem? – pergunta pra ela olhando a mão 
- Sim está! Agora está!
- Eu fiquei tão preocupada! 
- Está tudo bem agora! O pesadelo passou! Ele não fez nada sério!
- Só te trancou num buraco abaixo do solo! – a loira ironiza
- Está tudo bem agora! Ele vai pra cadeia e não nos fará mais nenhum mal!
- Se eu pudesse acabaria com ele eu mesma!
A morena ri com a atitude da amiga, e resolveu brincar com ela
- Porque não me disse que Peter Pan era do mal?
- O quê? Ficou louca Regina? Do que você tá falando!
- O assistente do Daniel, se chamava Peter!
- Você já tá bem boazinha né! Fazendo piada! 
- Só pra descontrair!
°°°
1 semana depois...

Era manhã no Massachusetts General Hospital, Regina dormia tranquilamente, e Robin velava o sono dela. Diariamente ela recebia visitas, de seu pai, sua irmã, seus cunhados também a visitaram, mas a mais presente que minuto sim minuto não estava ali, era Rose. A loira ficou muito preocupada, era muito apegada a Regina. A jovem moça, de família muito bem de vida também, era vizinha de Regina desde que se entendia por gente. Rose, apesar de ser muito conhecida na época do colégio e faculdade, não tinha muito amigos, amigos de verdade pelo menos. Lembrava até hoje do dia em que se separaram. Tinham por volta de seus 13 anos, estavam no ginásio e foi um dos dias mais tristes da vida da loira. 


Flashback On, 14 anos antes...
- Então é isso? – a morena pergunta
- Eu não quero ir! Não quero me separar de você! 
- Você precisa! Não vai ser por muito tempo! Nós vamos nos ver de novo!
- Como sabe?
- Somos melhores amigas! Nós vamos nos ver de novo! E outra você sabe onde eu moro, sabe o telefone da minha casa! Pode me ligar quando quiser! Menos de madrugada!
- Com certeza vou ligar! 
As duas se abraçam
- Vou sentir sua falta Rose!
- Nem se compara com a falta que eu vou sentir de você!
- Nunca é um adeus!
- São só 100km de distância certo?
- Isso, talvez um pouco mais que isso! Você vai morar na Philadelphia, eu moro em Nova York, algumas horas de viagem! 
- Isso! 
Se abraçam novamente
- Eu te amo demais Regina!
- Eu amo você Rose!
Juras de amizade. Você jura nunca se separar da sua melhor amiga, dizem que vão ser amigas pra sempre. Mas nem sempre isso acontece! Existem pessoas que não precisam de motivo pra ficar, mas tem outras que só precisam de uma razão pra ir embora. Mas esse não é o caso de Regina e Rose. Amigos pode se encontrar em qualquer lugar, mas um irmão, um melhor amigo, é raro, é pra vida toda! E o destino muitas vezes interfere. E ele guarda novas coisas para as garotas de Nova York!

Flashback Off


Robin despertara tranquilamente, segurava a mão da namorada e sorria enquanto a morena dormia serenamente. 
- Ah meu amor! Como é bom te ver de novo! Não sabe a falta que me fez. Minha vida costumava se resumir a casa e trabalho, e estresse diário. Você chegou como um ponto de luz e mudou tudo de repente. Você me deu tudo que tinha e tudo que podia, e fez do seu colo a minha morada, o lugar onde eu me sinto seguro, o único lugar onde eu quero estar! Eu sou grato a tudo que fez por mim, me fez enxergar que não importa tudo o que passamos, sempre há uma esperança, e sempre podemos encontrar aquela pessoa especial e que vai mudar tudo! Regina, você é meu tudo, minha luz, minha vida, e eu te amo demais! Te amo mais do que devia, mas do que podia, e muito mais do que eu queria!
A observa e espera que ela tenha ouvido. O silêncio intimidador permanece e ele percebe que ela não ouviu. Embora isso, estava feliz pois sabia que ela estava viva e que essa era a nova chance deles, a chance de finalmente ficarem juntos, a chance infinita de dizerem “eu te amo”, de verem as filhas crescerem. E por fim, a chance de ver Regina sempre feliz e que nunca mais derrama-se uma lágrima. A observou por mais alguns segundo, até que o silêncio fora quebrado e ele ouviu
- Eu também amo você mais do que tudo nessa vida! 
Ele sorri e percebe que ela o ouviu
- Não quis te acordar!
- Não faz mal! É tão bom acordar ouvindo a sua voz!
- Bom é acordar e te ver assim, do meu lado! – trocam um selinho demorado
- Quando eu vou pra casa?
- O médico disse que se você estiver bem, hoje mesmo vai pra casa!
- Finalmente! Não vejo a hora de poder estar com você novamente , de estar com as nossas filhas! De poder fazer amor com você outra vez!
- Não se preocupe com isso! Teremos a vida inteira pra fazermos amor! Eu só quero poder te aproveitar em meus braços outra vez! 
- E...e o Daniel?
- Está em prisão provisória, até o julgamento! Onde eu farei de tudo pra que ele apodreça na cadeia!
A morena apenas vira o rosto e suspira profundamente e seus olhos antes brilhantes pela paixão, agora estão brilhantes pelas lágrimas.
- O que foi?
- Nada!
- Como nada? Você estava tão feliz e agora está chorando!
- Eu não estou chorando! – enxuga as lágrimas com as mãos
Ele vai até o outro lado da cama e se ajoelha e a encara no fundo dos olhos
- O que foi meu amor?
- É que foram muitas emoções em questão de dias Robin! Olhe em questão de 1 uma semana, eu fui sequestrada, torturada, e cheguei a pensar em me matar! Depois descobri que minha mãe tinha se matado, e depois descobri que era mentira e que Albert Spencer a assassinou!
- Albert Spencer? Esse cara de novo?
- Você o conhece?
- Ele foi acusado de assassinar a amante a cerca de um ano, era um caso que meu irmão estava investigando!
- Meu pai disse mas não entrou em detalhes!
- Mas olhe! Está tudo bem agora! Os três responsáveis serão presos, e vão apodrecer lá! E você nunca mais sofrerá nada nas mãos deles!
- Você fala como se a vida fosse um mar de rosas! Robin, está é a vida real, não existem finais felizes, só existem pessoas reais, com problemas reais!
- Eu sei disso! Mas nós precisamos de esperança, esperança de que as coisas vão melhorar, ou sempre vamos viver com medo!
- Eu vivo de medos desde que me entendo por gente!
- Mas agora não viverá mais, eu estou com você, e vou sempre te proteger de hoje em diante!
De repente o loiro começa a sentir os olhos lacrimejarem
- O que houve?
- Eu sinto muito Regina!
- Porque você sente muito?
- Eu não consegui te proteger, por um descuido meu, quase te perdi! E eu não posso te perder Regina! Não posso criar as nossas filhas sem você!
- Olha pra mim! Você não me perdeu! Eu estou um pouco atordoada, sim, mas estou bem! Isso vai passar! E nós estaremos juntos!
- Sempre! 
- A vida é cheia de problemas, sim, mas temos de enfrentá-los, junto com as pessoas que amamos, porque quando as temos, temos tudo, porque o amor é a magia mais poderosa de todas!

 


Notas Finais


E essa fala de encerramento bem Snowing?
Gostaram? Comenteem!
Antes que eu me esqueça, comecei uma nova fic também OutlawQueen, me dêem essa chance e leiam ela please❤

Link de Um Amor de Los Angeles:
https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-de-los-angeles-10937838


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...