1. Spirit Fanfics >
  2. .break my heart - no min >
  3. .fools

História .break my heart - no min - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - .fools


Jeno estacionou na frente de um parque. Como já estava de noite, era um tanto perigoso sair do carro, então resolveram ficar no mesmo. Jaemin tremia, mas fingia que estava bem. Foi o caminho todo com o coração pulando no peito, nenhum dos dois disse mais nada, um silêncio tão constrangedor que Jaemin tinha vontade de vomitar. Ou seria apenas o lanche de mais cedo que deveria estar estragado.

— Então, o que quer me dizer? — perguntou Jaemin, quebrando o gelo.

Jeno parecia nervoso. Esfregou as palmas da mão uma na outra, olhou para os lados, e então encarou Jaemin. Ele não parecia, estava nervoso.

— Eu acho que você já sabe, eu estou saindo com uma garota...

— Sim, e?

— E eu acho que deveríamos ser só amigos agora.

— Mas já não somos?

Jaemin levou um segundo para entender tudo. O nervosismo de Jeno, sua "gentileza" de levar Hyuck para casa, aquela garota...

 

Ele estava terminando com Jaemin?

 

— Não acredito nisso — disse Jaemin. — Você não quer mais transar comigo, é isso?

— Foi muito bom enquanto durou, Jae, mas eu quero ficar com a Haneul...

— O cacete! Você passava o rodo naquela faculdade e nunca deixou de ficar comigo! Eu tolerava tudo, porque eu sabia que você ia voltar pra mim! Mas agora eu entendo, nosso lance era escondido porque você não queria que ninguém soube que fode com o bobinho do Jaemin, tudo bem, que se foda! Que se foda você, Jeno!

Jaemin tentou abrir a porta do carro, mas Jeno a travou, o deixando ainda mais frustrado.

— Abre a porra da porta, Jeno! — Jaemin gritava sem parar, tudo o que queria era ar puro e sua cama.

— Não até você me ouvir.

— Não quero ouvir você. Eu fui muito idiota de achar que nós tínhamos diferente, que você gostava de mim mas não sabia como dizer. Idiota, burro pra caralho. Aliás, eu tenho muita dó dessa menina, só os idiotas se apaixonam por você!

De canto, Jaemin viu Jeno congelar com a palavra "apaixonam", e se arrependeu de tê-la dito por um segundo, mas a raiva era maior. Ainda estava tentando abrir a porta, quando um ruído mais alto os chamou a atenção.

— Vocês aí, no carro! Saiam!

Jaemin fez a menção de sair, mas Jeno o segurou, e ligou o carro.

— O que você está fazendo? — perguntou Jaemin —, deve ser um guarda.

— Não, é um assalto — respondeu Jeno, dando a ré no carro.

Jaemin olhou melhor para a figura, um rapaz de capuz preto e com um pé de cabra, que agora corria na direção do carro. Jaemin ficou paralisado de medo, e se encolheu ao ver o rapaz amassando a traseira do carro com a arma.

— Porra! Seu filho da puta! — gritou Jeno da janela do carro, agora indo a toda velocidade.

Os dois rapazes tinham seus corações acelerados pela adrenalina repentina. Mas Jaemin estava remoendo as palavras de Jeno em sua mente, tão perdido em seus pensamentos de raiva e dor, que só se deu conta de onde estavam quando o carro parou, Jeno o havia levado para casa.

— Pelo menos não vai voltar sozinho com ele maluco por aí — disse Jeno, finalmente destravando a porta.

— Obrigada — Jaemin murmurou, pegando suas coisas e saindo do carro.

— Podemos pelo menos ser amigos? 

— Não Jeno, não podemos. Faça um favor e suma da minha vida, tá? Finge que eu não existo.

Jeno acompanhou o garoto até entrar em casa, e suspirou. Não havia sido do jeito que havia planejado, e agora tinha um garoto raivoso para acalmar. Se sentia um completo idiota.

 

 

+++

 

 

Da janela do seu quarto, Jaemin observou o carro de Jeno na rua. Ele ficou pelo menos uns vinte minutos parado na frente de sua casa, e então se foi, e Jaemin se permitiu chorar. Não sabia bem porquê estava chorando, eles não eram mais do que ficantes, mas doía tanto que ele não conseguia evitar. Estava com raiva, triste, se sentindo usado e, a parte que mais renegava, estava com o coração partido. Jeno nem hesitou em usar de seu corpo, sem se importar com seus sentimentos, talvez nessa parte o histórico de Jaemin contribuísse, mas mesmo assim, era muito egoísmo.

Apenas se deixou levar pelo choro, e acabou num sono profundo sem sonhos. Acordou pela manhã com o travesseiro molhado, se lembrando da noite anterior, e decidiu que Jeno iria se arrepender do que fez. Tomou um banho caprichado, se arrumou da melhor maneira que pode, e sentiu pronto para encarar qualquer coisa.

Antes de sair, deu uma olhada em sua mãe. Ela dormia profundamente em sua cama, ainda com o uniforme do hospital, pois com certeza havia chegado de um plantão cansativo enquanto Jaemin dormia. Ele depositou um beijo em sua cabeça, verificou se tinha comida para quando ela acordasse, e saiu. Sua mãe era a maior inspiração de sua vida, perdeu o marido quando Jaemin tinha apenas um ano, e desde então tem se virado no melhor que pode. Quando Jaemin começou a entender do porque sua mãe nunca estar em casa, ele passou a contribuir, trabalhando desde cedo. Ela é o motivo de tudo, e deixá-la orgulhosa é seu principal objetivo na vida.

Assim que chegou na faculdade, fez de tudo para evitar Jeno. Sabia em quais locais ele estaria, então foi direto para o refeitório, convocando Donghyuck e Mark para contar as novidades. Se sentou numa mesa no canto, com seu almoço em mãos, mas ao dar a primeira mordida, sentiu o gosto amargo de ver Haneul e suas amigas sentadas na mesa da frente.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...