História Break Of Harmony - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Cabello, Camren, Jauregui
Visualizações 20
Palavras 2.052
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - The truth always appears. (A verdade sempre aparece.) parte


Fanfic / Fanfiction Break Of Harmony - Capítulo 7 - The truth always appears. (A verdade sempre aparece.) parte

-David. Há alguns anos atrás, minha mãe ameaçou largar ele. Logo que meu pai nós deixou minha mãe conheceu David, claro que eles não entraram em um relacionamento tão rápido, eles se conheceram, foram amigos até, mas alguns anos depois de eles estarem em um relacionamento, David perdeu o emprego, teve problemas com álcool, e um dia. –Eu pausei, respirando fundo, minha voz estava começando a ficar embargada, sentia o choro vindo. Lauren segurou na minha mão tentando me tranqüilizar de forma silenciosa. – Um dia ele chegou em casa muito bêbado, e minha mãe disse a ele que não agüentava mais, que aquilo não era vida, e eles discutiram, eu ouvi tudo do meu quarto, gritos  e quando ele deu o primeiro tapa nela. –E mais uma vez eu estava chorando. –Ele bateu nela, não me lembro direito, mas lembro de ele ter quebrado coisas dentro de casa, de ter ouvido coisas quebrando no quarto de minha mãe, quando ouvi a porta da frente bater, sai do quarto e fui ver como minha mãe estava, e ela, ela... –Eu estava falando com dificuldade. –Ela estava desacordada, eu liguei pra emergência veio uma ambulância, lembro que minha mãe quebrou um braço, pegou alguns pontos na cabeça e ligaram para o meu pai, mama pediu para a mãe de Dinah me tirar do hospital, na época éramos vizinhas, minha mãe tentou um retorno com meu pai, mas ele não queria morar junto, então ela sempre ia onde ele morava, ou estava. David voltou quase um ano depois, procurou por ela, se desculpou, disse que tinha procurado ajuda, que aquilo nunca mais ia acontecer. Minha mãe o perdoou, o aceitou de volta, deixou o que quer que tivesse com meu pai, mas alguns meses depois ela descobriu que estava grávida, grávida de Sofi, David não queria que ela seguisse com a gravidez, mas minha mãe disse que a escolha não era dele. – parei um pouco buscando ar, Lauren me ouvia atenta, vez ou outra secava uma lágrima que corria pelo meu rosto. –David relutante aceitou ficar com minha mãe, desde que ele criasse Sofia como se fosse realmente filha dele, é tanto que acredito que meu pai nem saiba da existência dela. Isso me dói, pois meu pai não nos abandonou, minha mãe que não o quis. Minha mãe teve que viajar aquele outro dia, Sofia dormiu fora, eu fiquei só em casa com David, ele chegou tarde àquela noite, eu ia vir dormir aqui com você, mas na hora que eu estava de saída, ele chegou e perguntou para onde eu ia e bem, eu disse e ele disse que não me dava permissão. –Eu já estava começando a perder o controle novamente. – Acontece que eu nunca precisei seguir ordens dele, e eu deixei isso bem claro quando minha mãe o aceitou de volta, nós só falamos um com o outro o necessário, então eu o contrariei e ele aumentou o tom de voz, me empurrando pelos ombros e eu pude sentir o bafo de uísque barato, ele apertou forte meu ombro e assim que eu consegui o ombro roxo.

Nessa hora eu já tinha começado a soluçar novamente e não conseguia falar, Lauren pacientemente esperou eu me acalmar, o que estava sendo muito difícil.

-Eu não entendi o porquê dele ter agido daquela maneira comigo mesmo estando bêbado. –Continuei. –Então naquela noite eu preferi não vir até aqui, estava muito nervosa. Só que minha mãe precisou viajar de novo, e como sempre Sofia foi dormir fora, eu não ia fica só, então quando eu abri a porta do quarto para vir para cá, ele estava subindo as escadas, e perguntou aonde eu ia e eu disse, ele falou que já sabia...

FlashBack on:

-Eu Já sei, que você e aquela outra estão sendo imundas. –Estremeci ao ouvir aquilo.

-Eu já disse que você não manda em mim, se você fizer alguma coisa comigo eu ligo pra policia. Digo para minha mãe.

-E você acha que ela vai ficar do lado quem? –Ele perguntou se aproximando. –Do meu, o marido e pai da filha sadia dela, ou do seu, uma doente, promiscua, suja e... Como fala mesmo? –Ele sorriu de lado, um sorriso tão assustador que me fez arrepiar, deu mais um passo em minha direção. –Sapatão! –Ele gritou me fazendo sacudir, pude sentir o cheiro de bebida emanando dos poros dele.

-Acredito que ela não considera homossexualidade uma doença, e sim o alcoolismo. - Falei e antes mesmo que eu pudesse raciocinar senti um tapa ser deferido em meu rosto, e outro e outro... O gosto de sangue na minha boca.

-Como você se atreve a falar assim comigo dentro da minha casa? Você traz a vadiazinha da sua namorada aqui, dorme com ela embaixo do meu teto achando que eu não iria descobrir. –Ele pegou nos meus cabelos e depois no meu pescoço me empurrando para cima da mesa de canto que ficava naquela parte da casa. –E ainda por cima, leva a minha filha para a casa daquela sem vergonha, vai saber o que você fez na frente dela. –David gritava, enquanto eu só conseguia chorar, eu sentia muita dor na costela. –Você é uma vadia! –Ele berrou e me pegou pelos cabelos novamente me empurrando na direção da escada, eu tropecei nos meus próprios pés e rolei escada a baixo, tudo em mim doía, minha cabeça meu rosto, o canto da minha boca.

Flashback off:

Terminei de contar tudo a Lauren que chorava junto comigo, ela havia me tomando nos braços novamente, me acalentava, mas eu estava em um choro tão forte, por ter que falar aquilo tudo, por ter que relembrar.

-Eu não te contei, porque eu queria fingir que aquilo nunca tinha acontecido, eu queria fingir que era mentira. –Falei entre soluços

-Camz... –Lauren tentou falar com a voz embargada.

-Eu pensei que se eu não contasse para ninguém, eu poderia fingir que era mentira, e assim não se tornaria uma verdade! –Explodi interrompendo ela. –Eu parei de te ver, não foi com medo de você desgostar de mim por causa dos machucados, isso foi uma desculpa, eu estava te evitando porque eu sabia que você iria querer saber o que aconteceu, e se eu te contasse, ele disse.. –Puxei uma lufada forte de ar para conseguir terminar. –Ele disse que se eu contasse para alguém, você seria a machucada, ele sumiria com Sofia, e eu não quero que você se machuque, não quero que ele leve minha irmã. Eu quero ficar com você Lauren, nosso namoro é importante, eu tenho bons e grandes motivos para está com você.

-Eu sinto tanto... –Ela tentou falar, mas não conteve o próprio choro, me abraçou forte. –Você não merecia ter passado por isso. Eu vou cuidar de você agora, nós vamos dá um jeito nisso Camz, eu vou dá um jeito nisso. Vem, vamos te banhar, você vai dormir comigo hoje. –Ela disse secando as lágrimas e me puxou pela mão.

 

POV Lauren Jauregui:

Camila não conseguia parar de chorar, eu estava tentando me manter concentrada nela, tentando não ficar lembrando-me do que ela contou, era muito difícil saber de tudo aquilo e não poder fazer nada, não que eu tenha medo desse babaca, filho da put*, eu tinha medo de ele fazer algo com a Cabello mais nova. 

Comecei tirando o moletom dela no banheiro, pude ver sua costela ainda roxa, algumas manchas nas costas ainda eram de coloração forte, desabotoei sua calça cumprida, desci junto com a calcinha, e por fim desabotoei o sutiã. Ela soluçava forte, mesmo assim, era tão linda, no seu momento de fragilidade, a guiei para o chuveiro e abri na água quente para ela relaxar um pouco, coloquei um pouco de shampoo em seus cabelos, passei sabonete no corpo dela, nada com malicia, eu só queria cuidar, dar carinho. Depois de enxaguar bem o creme dos cabelos dela, deixei-a um pouco enquanto pegava a toalha. A envolvi no tecido felpudo branco e ela sentou na cama, nada falava, só soluçava, o choro ainda forte, a pontinha do nariz vermelha. Comecei a penteá-la, devagar para não provocar a dor de cabeça que sei que viria mais tarde. Fiz uma nota mental de dá uma aspirina a ela antes de dormir. Peguei uma calcinha dela na gaveta e o meu moletom preferido para ela. Sei que ela gosta mais dele. Depois de colocar meias em seus pés,  fomos para a cozinha onde preparei um sanduíche e um suco para nós.

-Você tem que comer um pouco pelo menos. -Disse, o choro tinha cessado um pouco, mas ela estava em silencio. Esperei mais um pouco e ela nada falou. –Toma pelo menos o suco, camz.-Tentei, colocando o copo com o canudo em sua boca e ela o fez, dei o remédio e levantamos, coloquei ela na cama enquanto eu escovava os dentes e passava um creme no corpo.

Quando retornei ao quarto e Camila estava em um choro forte novamente, eu me sentia impotente diante da situação, mas eu tinha que dá um jeito. Deitei puxando-a para mim, seu corpo tremia, devido ao choro, coloquei-a novamente em meu ombro e comecei a afagar seus cabelos na falha tentativa de acalmá-la.

-Oh, Why you look so sad? Tears are in your eyes, come on and come to me now, don't be ashamed to cry/Por que você está tão triste? Com lágrimas nos olhos, venha ficar comigo agora, não tenha vergonha de chorar.- Comecei a cantar baixinho, fazendo um cafuné nela. -Let me see you through, cause I've seen the dark side too, when the night falls on you, you don't know what to do, nothing you confess, could make me love you less./ Deixe eu ver você por dentro, pois já vi o lado negro também, quando a noite cair sobre você e você não souber o que fazer, nada que você confesse, pode fazer com que eu te ame menos.

-Lo... –Ela me chamou entre lágrimas, abri os olhos e pude enxergá-la na penumbra que se instalava no quarto.                                                          

-Shhh.. –Coloquei o dedo sobre seus lábios para então continuar. -I'll stand by you, I'll stand by you, won't let nobody hurt you, I'll stand by you/ Eu ficarei ao seu lado, eu ficarei ao seu lado, não vou deixar ninguém te magoar, eu ficarei ao seu lado. –sequei algumas lágrimas teimosas em sua bochecha, beijei sua testa e respirei fundo. –So, if your mad, get mad, Don't hold it all inside, Come on and talk to me now, But hey, what you've got to hide, I get angry tôo, Well, I'm a lot like you, When you're standing at the crossroads, Don't know which path to choose, Let me come along, Cause even if you're wrong/Então, se você está triste, fique triste, não guarde isso dentro de você. Venha aqui e fale comigo agora, mas hey, o que você tem para esconder, eu fico brava também, e eu tenho muito a ver com você. Quando você está numa encruzilhada, não sabe qual caminho escolher, deixe-me ir junto, porque mesmo se você estiver errado. –Fiz uma pausa só para selar nossos lábios, a respiração dela estava normalizando, seus olhos estavam nos meus.

-I'll stand by you I'll stand by you Won't let nobody hurt you I'll stand by you

Take me in into your darkest hour And I'll never desert you I'll stand by you/Eu estarei com você, eu estarei com você, não deixarei ninguém te machucar, eu estarei com você. Me deixe entrar na sua escuridão momentânea, eu nunca irei abandonar você. Eu estarei com você. – Choro dela tinha parado, ela só estava lá, me olhando, vez ou outra dando um soluço pós choro.

-I'll stand by you I'll stand by you Won't let nobody hurt you I'll stand by you Take me in into your darkest hour And I'll never desert you/Eu estarei com você, eu estarei com você, não deixarei ninguém te machucar. Eu estarei com você. Me deixe entrar na sua escuridão momentânea, eu nunca irei abandonar você.- Terminei de cantar e depositei um beijo na portinha de seu nariz e ela o franziu logo em seguida.

-Eu te amo, você é incrível, Lauren. –Foi o que ela disse antes de se aninhar ainda mais ao meu corpo.

-Eu também te amo, Camz.

 

 

 


Notas Finais


Oi meninx! Desculpem eu ter sido bem poc em relação a demora pra postar capitulo novo, acontece que eu estava me preparando pro vestibular, então eu sumi um pouco. Só para compensar vou adiantar o mais rápido possível o próximo capitulo. Perdoem qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...