História Break up with your girlfriend, I'm bored - Capítulo 1


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink
Personagens Jisoo, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Ariana Grande, Bangtan Boys (BTS), Boyfriend, Girlfriend, Musical, Namjin, Namjoon, Seokjin, Songfic
Visualizações 36
Palavras 3.512
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, FemmeSlash, Ficção, Lemon, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aêeeeeeeeeeeeee vocês, como estão?

2shot rapidinha pra vocês curtirem no final de semana, já que praia não tá rolando hashuahsuahs

Apreciem!

Capítulo 1 - This shit always happens to me


Chovia e fazia frio. Kim Seokjin terminava de ajeitar a sua gravata depois de colocar um suéter escuro sobre a camisa branca, ainda tinha tempo de tomar um bom café da manhã antes de ir para o emprego dos sonhos de qualquer estudante de economia: estagiário do setor financeiro de uma das mais conceituadas empresas de entretenimento da Coreia.

Na vida do Kim tudo era perfeito, desde a sua bonita casa em um bairro tradicional de classe média alta, os pais com o casamento perfeito e o filho lindo, a namorada amorosa e gentil, até a faculdade de exatas que era uma das mais concorridas do país. Jin tinha tudo e podia se considerar um rapaz de muita sorte, se não fosse um pequeno detalhe: ele não era feliz.

O namoro com Jisoo era apenas uma das mentiras que o moreno vivia diariamente na tentativa de continuar naquele padrão imposto pela família tradicional desde que se entendia por gente. Jin já tinha discutido inúmeras vezes com os pais que eram irredutíveis, ele tinha que ser da forma que eles ditavam se quisesse continuar naquela casa. Desde então, o Kim junta — escondido — um montante de dinheiro para se mudar dali. Certo, talvez a perfeição do moreno fosse apenas no seu rosto bonito, e não na maneira como vivia.

Já pronto para ir, desceu as escadas correndo e pegou a mochila escura, sequer podia ter uma mochila verde com os cogumelos do Mario como chaveiro, como tinha visto no shopping uma vez. Tomou um rápido café da manhã e aproveitou a carona de seu pai até o trabalho, ouvindo-o comentar sobre a bolsa de valores e o dólar naquela manhã. Ao entrar no grande prédio de vinte andares, Jin suspirou, sorriu e iniciou seu dia.

*

— Oppa! — chamou Jisoo ao ver o namorado entrar pelos portões da faculdade para a primeira aula da noite.

— Hey, Ji, como está? — ele sorriu, era um dos poucos momentos do dia que tinha real paz. Deu um selinho nos lábios vermelhos da moça que sorriu para ele, o puxando para um canto mais reservado.

— Eu estou bem, quero saber de você!

— Naquela mesma de sempre, que você conhece desde, sei lá, seus cinco anos de idade.

— Seus pais são tão chatos quanto os meus. — ela reclamou emburrada.

— Pelo menos temos um ao outro.

— E sempre teremos!

Jisoo foi a primeira a saber sobre as preferências de Jin, ainda na adolescência; ela foi vizinha do garoto dos cinco aos quinze anos e agora tinha concordado em fingir ser sua namorada apenas para que seus pais e os dele não ficassem perguntando sobre isso. As famílias se conheciam e não interferiam no relacionamento deles, o que dava liberdade para que conhecessem outras pessoas e era um excelente álibi em tudo que precisavam.

— Quer me contar como foi o dia? Você parece cansado. — a garota fez um bico fofo, preocupada com o namorado.

— Quero… se a gente puder beber um café.

Com um sorriso lindo por se sentir útil ao ajudar Jin, Jisoo segurou sua mão e o levou para a cafeteria, onde também pediu algo para comer. Ali ficaram até o sinal soar, andaram abraçados até a sala dela, onde Jin se despediu com um beijo na testa e seguiu para a sua. Se sentou em seu lugar habitual, uma cadeira no meio da fileira em um dos cantos; deixou o material sobre a mesa e ficou conferindo as redes sociais enquanto o professor não chegava, alguns alunos ainda entravam e ocupavam seus lugares ao que o segundo sinal soava, foi quando um rapaz que Jin nunca tinha visto entrou com Min Yoongi, o crush do seu melhor amigo, Park Jimin.

O Min, com suas habituais roupas pretas, se sentou na fila da parede e o rapaz loiro que veio com ele ocupou a cadeira logo atrás, deixou sua mochila sobre a mesa e cumprimentou algumas pessoas que o de cabelos cinza apresentava. O loiro parecia mais alto que Jin, os cabelos penteados para trás e raspado dos lados, um sorriso gentil que mostrava as covinhas do seu rosto, realmente muito bonito, pensou Jin.

— Hey, espero que esteja babando pelo Namjoon, e não pelo meu crush. — ouviu a voz de Jimin que tirou-o da Lua.

— Namjoon?

— Kim Namjoon, vinte e três, veio transferido de Los Angeles porque os pais se mudaram de volta. E dizer “pais do Namjoon” é como dizer “tios do Yoongi”.

— Como você sabe tudo isso mesmo? — perguntou desconfiado.

— Yoongi comentou que o primo ia trancar a faculdade lá e começar a estudar aqui. Sabe, tenho informações privilegiadas.

— Devia usá-las pra sair da friendzone. 

— Eu usei, vamos jantar na sexta e depois assistir um filme. — piscou o moreno para ele.

Jimin tinha se aproximado de Yoongi no começo da faculdade porque tinha achado o garoto muito bonito e acabou descobrindo gostos em comum, mas na época ele namorava com um garoto do terceiro ano de artes cênicas, Jung Hoseok. O namoro terminou no começo daquele ano, uma vez que Hoseok foi convidado para fazer parte de uma importante companhia de dança no Japão e aceitou se mudar para lá. Foi um processo até Yoongi superar o término e decidir dar um passo além e o fez com Jimin que sempre esteve ali para ele.

— Boa, garoto. Senta aí, o professor já vai chegar.

O mais novo se sentou na carteira logo à frente de Jin e os outros alunos ocuparam seus lugares; Namjoon havia tirado a jaqueta de couro em qualquer momento que o moreno não sabia definir, a fina blusa cinza definia os músculos dos braços na posição que se encontrava, com eles apoiados na mesa e inclinado para frente. Yoongi acenou para Jimin que, sorrindo bobo, retribuiu o gesto e viu o acinzentado comentar algo com Namjoon que sorriu e olhou para onde o amigo olhava, mas não foi em Jimin que ele focou.

Os olhos castanhos encararam Jin com intensidade, o sorriso continuava ali e o moreno pode notar o exato momento que o olhar do outro abaixou para seu corpo e depois voltou para as orbes, causando um arrepio.

— Acho que alguém notou o senpai. — brincou Jimin, segurando o riso.

— Eu tenho namorada, Jimin.

— Nem você acredita nisso. — retornou o outro, se ajeitando na cadeira logo depois.

A aula correu sem problemas e Jin tentou não pensar muito sobre aquilo, podia ser apenas uma mera curiosidade do loiro, então anotou tudo que podia dos slides e, quando a aula já estava no fim, notou estar sendo observado. Namjoon, do outro lado da sala, olhava para ele enquanto batia a caneta no caderno aberto e continuou encarando por alguns segundos mesmo com Jin sustentando o olhar; ao que o moreno ainda o encarava, o outro ergueu uma sobrancelha para ele e um leve sorriso de lado apareceu na boca bonita e bem desenhada. Ele se inclinou para trás, encostando-se na parede e apoiou a mão no queixo como quem diz que poderia olhá-lo por todo o tempo do mundo; envergonhado, Jin virou-se para frente, observando as pequenas mechas laranja por baixo do cabelo castanho de Jimin. Por que diabos o coração do mais velho tinha disparado se ele apenas ficou encarando um completo estranho? Não sabia dizer, mas a cada segundo que seus olhos se prendiam a Namjoon, ele o achava ainda mais atraente.

Apesar do ocorrido na aula, o dono dos cabelos moicano não veio falar com Jin, sequer usou o primo para se aproximar, ele apenas encarava de longe e, porra, o garoto sentia-se desidratar com cada olhar recebido.

— Acho melhor começar a trazer água. — comentou Jimin. — Faz três dias que o Namjoon não tira os olhos de você e também não vem falar contigo.

— Pois eu acho bom que não venha! Eu tenho namorada, ele não pode achar que conseguirá alguma coisa comigo.

— Uhum… — Jimin rolou os olhos. — Se sente desconfortável com ele te olhando? Eu posso falar com o Yoongi e…

— Não se preocupa com isso, Jimin, ele não chega a me deixar desconfortável. Não é um olhar psicopata ou qualquer coisa assim.

— É, ele só tá te comendo com os olhos.

Jin fez uma careta, mas tinha que concordar, Namjoon realmente parecia despi-lo com os olhos, ver a sua alma e tudo que ele escondia. Sabia que Jimin não contava nada de si para seu crush, confiava no amigo como confiava em Jisoo, então como ele soube que se interessava por homens? Ou ele não soube? O loiro parecia mesmo ser desses que chegava primeiro e perguntava depois. Afastou os pensamentos, se Namjoon não falava com ele, ele não falava com o Namjoon.

*

Cerca de dez dias depois da chegada do loiro na faculdade, Jin estava mais do que intrigado sobre ele; não tinham trocado nenhuma palavra e ele sequer tinha ouvido a voz do mais novo que ainda o encarava daquela forma que parecia querer ler sua alma. Pensava sobre isso enquanto percorria os corredores da biblioteca em busca de um livro específico de economia que usaria como referência para o seu trabalho quando, distraidamente, esbarrou em alguém.

— Me desculpe, eu não vi você. — pediu Jin.

— Acho que eu deveria pedir desculpas. E não só pelo esbarrão. — a voz clara e grave de Namjoon chegou até os ouvidos do outro Kim suavemente, assim como o sorriso que ele lançou para o moreno. — Namjoon.

— Seokjin. — aceitou a mão oferecida, era quente e de aperto firme, alguns anéis nos dedos e veias saltadas nas costas da mão.

— Sim, eu sei. Me desculpe por isso.

— Você esbarra em todas as pessoas que encara por dias a fio?

— Normalmente sim, é a melhor forma de puxar assunto com elas.

— O que…

— E eu só encaro pessoas que eu acho muito bonitas.

O moreno estava pronto para contestar quando notou que estava sendo elogiado, então sorriu de forma tímida para ele.

— Encara muitas pessoas, então.

— Sou mais seleto do que pensa. — respondeu gentilmente. — Procurando o livro da aula de economia aplicada?

— Sim.

— Eu também. Te incomoda que eu encare? Vejo que você fica sem graça com isso.

— É estranho ter um cara como você encarando, sabe-se lá o motivo.

— Talvez você não queira saber os motivos. — disse o outro enquanto passava delicadamente as pontas dos dedos pelas lombadas dos livros, andando lentamente e procurando o volume. — Você namora, não é?

— Sim.

— Então você realmente não quer. — ele disse num riso soprado.

— N-não. — a voz falhou e ele limpou a garganta. — Não mesmo.

Namjoon parou de andar e observou Jin por alguns segundos, correndo os olhos de cima a baixo e sorrindo de lado logo depois. Voltou a andar e ouviu o celular de Jin tocar, era Jimin que perguntava se ele já tinha encontrado o volume. Conversaram brevemente e quando o mais velho desligou, bufou e encarou o celular.

— Tenho que ensinar bons modos pra aquele baixinho. Preciso ir, Namjoon. — reclamou, fazendo Namjoon rir.

— Convivência com o Yoongi. — com delicadeza, o mais novo pegou o celular da mão do hyung e ligou para o seu. — Eu aviso se encontrar o livro.

— T-tudo bem. Até mais.

Jin saiu da biblioteca a passos rápidos, entrou no banheiro e se encostou na porta, fechou os olhos e respirou fundo para se acalmar. Por que aquele homem mexia tanto consigo? Por que ele tinha que ter toda aquela segurança expelindo dos seus poros? E porque, infernos, Jin queria cair de joelhos aos pés do mais novo só de ouvir a sua voz? Irritado, jogou um pouco de água no rosto e seguiu para a sala, procurando Jimin com o olhar.

— Parece que viu um fantasma, hyung.

— Eu vi. Namjoon veio falar comigo. — respondeu o mais velho.

— E aí?

— A gente pode não falar disso aqui?

Jimin concordou com um aceno e puxou o mais velho pelo braço até o estacionamento da faculdade, onde pela hora poucos carros estavam ali ainda. Abriu a porta do seu carro e deixou o material ali, fechou e se encostou nela, encarando Jin.

— Agora conta, o que aconteceu?

— Eu não sei o que aconteceu. — disse passando a mão pelos cabelos. — E-eu esbarrei nele na biblioteca, e ele se desculpou por me encarar e disse que só faz isso com quem ele acha bonito.

— Ok, foi um elogio, mas todo mundo sabe que você é lindo, inclusive você mesmo! — disse de forma óbvia o baixinho.

— É, mas… eu perguntei porque ele estava me encarando e ele disse que eu não iria querer saber, por ter uma namorada.

— Agora ele disse que quer te pegar.

— Ele não quer, Jimin.

— Ele te come com os olhos, Jinie, pra te comer na real falta só você querer.

— Esse é o problema. — o mais velho colocou as mãos no rosto e respirou fundo.

— Você… está pensando a respeito? — o mais novo perguntou num sorriso de lado, erguendo a sobrancelha para o hyung.

— Só de ouvir a voz dele… senti minhas pernas fraquejarem. Definitivamente, isso nunca aconteceu.

— Elas fraquejaram pra tornar literal que você está jogado aos pés do Namjoon.

— Não, eu não posso fazer isso, eu não posso ser essa pessoa, eu não posso fazer isso com a Jisoo.

— A Jisoo quer que você seja feliz acima de qualquer coisa. E você já é um homem feito, não pode ficar se impedindo de ser feliz pra manter as aparências. Você é feliz com a Jisoo, apenas como amigos. Não é hora de encarar isso?

Mas Jin não achava que era forte o suficiente para isso. Suspirou e foi até o mais novo, o abraçou forte e se deixou ficar ali, sentindo a proteção do abraço de seu melhor amigo. O que ele faria a seguir? Não tinha ideia.

**

Era final de sexta-feira quando Namjoon mandou mensagem pelo aplicativo de mensagens para Jin; a mão bonita segurava um livro e a legenda da foto era um emoji piscando, nada mais. O mais velho negaria que ficou observando e decorando cada detalhe daquela foto até a hora de entrar na sala, principalmente se Jimin perguntasse sobre. Nas aulas, o mesmo de sempre, Namjoon encarando-o vez ou outra, descaradamente, com uma caneta entre os lábios apenas para se distrair. Bom, distraía Jin também. Quando o sinal para o intervalo soou, o mais velho guardou o seu material e quando procurou Jimin com o olhar, encontrou apenas o loiro a lhe sorrir de lado.

— Encontrei dois exemplares na biblioteca, então eu peguei um pra você. — ele lhe ofereceu o volume e foi agraciado com o belo sorriso do Kim mais velho.

— Obrigado, Namjoon, eu procurei feito doido!

— É, eu sei. Também queria perguntar se você vai na festa do curso de Economia na semana que vem.

— Provavelmente a Jisoo vai me arrastar. Eu não gosto dessas festas, na verdade.

— Não gosta de barulho ou não tem algo interessante pra fazer nelas?

— O que quer dizer com algo interessante pra fazer nela? — perguntou Jin, erguendo uma sobrancelha para ele.

— Dançar, beber, transar com alguém.

— Transar com alguém?

— É uma boate com salas privadas no segundo andar, espera-se que seja usada pra isso. A experiência é interessante, eu garanto. — os olhos de Namjoon correram o corpo de Jin novamente e ele sentiu as bochechas esquentarem ao que o mais novo mordeu o lábio inferior. — Se for comigo, vai ser melhor ainda.

Jin abriu os lábios para dizer algo, mas não conseguiu nada além de soltar o ar; observou o loiro levar a mão até os cabelos e jogá-los para trás, sentia-se quase hipnotizado pelo outro.

— A-ah, e-eu…

— Você é uma pessoa bem transparente, bae, é fácil saber o que está pensando e o que você quer. Posso ler você como a um bom livro.

Aquela pequena palavra de três letras fez o corpo de Jin esquentar e a respiração acelerar.

— Não sou tão transparente assim. — a voz saiu baixa e o loiro sorriu.

— Posso provar que é. — respondeu da mesma forma, baixo e rouco, alternando o olhar entre as orbes e os lábios de Jin. — Até mais tarde, bae.

Namjoon sorriu e piscou para o moreno que sequer sabia qual era o seu nome à essa altura; ele se foi e o mais velho segurou sua bolsa com firmeza, respirou fundo e saiu logo depois, precisava conversar com Jimin e, depois, com Jisoo e encontrou a garota se despedindo das amigas, em frente a sua sala de aula.

— Jinie! Eu ia mesmo procurar por você.

— A gente pode conversar, Ji?

Só pelo tom de voz do rapaz Jisoo sabia que algo estava errado, então rapidamente seguiu Jin pelo estacionamento até o seu carro, aproveitaria para levar o mais velho até em casa, como todos os dias. Entrou no automóvel e logo o outro fez o mesmo, mas ficou quieto o caminho todo até sua casa, onde Jisoo estacionou na garagem descoberta e desligou o motor, se virou para o namorado e o encarou.

— Tudo bem, agora pode me dizer o que aconteceu?

— Kim Namjoon aconteceu.

E ele explicou pacientemente tudo que tinha conversado com o loiro, a proposta e a festa; ela ouviu tudo e suspirou.

— Nós sabíamos que esse dia ia chegar.

— Eu não quero, Ji.

— Você quer, Jinie, você quer e muito. Poxa, por que não somos sinceros um com o outro?

— Eu amo você!

— Eu também te amo! Muito! — ela respondeu num suspiro. — Não quero te perder.

— Não vai, nunca vai.

Jin puxou a namorada para um abraço apertado; ele nunca permitiria que alguma coisa atrapalhasse a amizade que tinham e o amor que sentiam um pelo outro, era uma promessa.

*

Jin estava jogado em sua cama, lendo pela quinta vez aquela página do livro que já tinha deixado de fazer sentido há muito tempo; estava cansado de estudar e enjoado de ler, mas queria terminar aquilo; seu cérebro, porém, já tinha desistido há bons vinte minutos. O som de nova mensagem no celular de Jin chamou a atenção e o livro que já o irritava foi deixado sobre a cama.

Namjoon: Boa tarde, bae. Estudando muito?

Jin: Você está me observando e eu não sei? Sai do meu armário, Joonie!!

Namjoon: Hahaha eu queria estar, mas é previsível que estivesse estudando num domingo chuvoso.

Jin: Estou começando a achar que sou mesmo previsível.

Namjoon: Como eu disse: como um bom livro. Quer tentar adivinhar o que eu estou fazendo?

O moreno se ajeitou na cama e pensou no que o outro poderia estar fazendo, segundo o pouco que conhecia dele.

Jin: Deitado na cama, bebendo um bom vinho e fazendo argolas de fumaça com um charuto caro?

Namjoon: Faltou dizer que eu estou nu, mas eu posso conviver com isso.

Jin: NAMJOON VOCÊ-

O mais velho deixou o celular sobre a cama e colocou as mãos no rosto, agora conseguia imaginar a cena, Namjoon nu em sua cama com uma taça de vinho nas mãos. O celular tocou novamente e ele teve medo de olhar a imagem que o loiro tinha enviado.

Namjoon: [audio] Não estou nu, está frio! E eu estou num lugar mais confortável que a cama. Na verdade, eu mandei mensagem porque não queria ficar estalkeando você pelas redes sociais sem que soubesse disso. Então… você poderia me passar as suas redes?

A foto que ele tinha enviado era de uma bonita taça de vinho pela metade, suas pernas cobertas com uma calça preta; o local que estava sentado era uma espreguiçadeira escura ao lado da janela e o comecinho do áudio foi o mais velho rindo, uma gostosa risada.

Jin: Que lugar gostoso, parece ser muito aconchegante!

Jin: Aish, tudo bem… só porque eu gostei da sua risada.

O mais velho pegou o link das duas únicas redes sociais que possuía, Instagram e TikTok e enviou para o rapaz, logo ele recebeu os mesmos links, as redes sociais do loiro com o aviso de que ia desbloquear as contas para ele; não sabia exatamente porque estava surpreso de ter ambas bloqueadas por ter conteúdo +18. É claro que o livro ficou esquecido enquanto Seokjin enfartava com as fotos do mais novo, com o cabelo que já tinha sido de todas as cores, curtos e mais longos, arrepiados e ajeitados; mas o pior mesmo foram os vídeos do TikTok, a sua maioria focada apenas no corpo ou em alguma parte do rosto do mais novo. E que corpo. E que rosto. Por Zeus.

Namjoon: Você fica lindo com o cabelo vermelho.

Jin: Você fica lindo com todas as cores. Tem alguma que ainda não pintou?

Namjoon: Castanho claro. Quando eu enjoar de ser loiro, quem sabe não vem um acobreado por aí.

Seria definitivamente a morte de Seokjin. Conversaram mais um pouco enquanto o moreno estalkeava todas as fotos e vídeos do outro, os comentários que recebia, a praia que frequentava que tinha deixado sua marca na pele bronzeada, a linda paisagem da casa onde morava na América. Perguntou sobre a sua vida lá e como era estar de volta na Coreia e coisas assim, o que fez a conversa render até a noite. Jin estava muito fodido porque tinha notado, naquela conversa, que Jimin estava certo: ele considerava a proposta de Namjoon.

 


Notas Finais


Logo teremos outro capítulo, então por enquanto me digam como vocês reagiriam caso Kim Namjoon desidratasse você?
me: morria, com certeza hahahahaha
Fica nosso imenso agradecimento à @Bandit0 que fez essa capa maravilhosa, sempre nos prestigiando com essas maravilhas! O talento dela não tem limites!

Gostaram? deixa a gente saber ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...