1. Spirit Fanfics >
  2. Breaking The Fairy >
  3. Primeira parte concluída!

História Breaking The Fairy - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Yo pessoinhas! Capitulo na madru mesmo, porque só arrumei tempo agora kkkkkkk

Espero que gostem!

Capítulo 5 - Primeira parte concluída!


Fanfic / Fanfiction Breaking The Fairy - Capítulo 5 - Primeira parte concluída!

Depois de longos minutos esperando as carruagens que trariam as duas primeiras guildas, Sabertooth e Lamia Scale, finalmente haviam chegado. Sting e Lyon que são os atuais mestres de suas guildas, mandou os restantes dos seus pessoais iriam para os hotéis que ficaram durante sua estadia em Magnolia. Fazendo assim ficarem apenas quatro de cada guilda.

Da Sabertooth ficaram: Sting, Rogue, Minerva e Yukino.

Da Lamia Scale: Lyon, Sherry, Chelia e Jura.

E nesse exato momento os oito estavam na sala de Makarov, junto Erza, Gray e Lucy... E claro que o assunto era sobre o desaparecimento de Mirajane, Asuka, Alzack e Bisca e sobre quem era o louco em atacar a guilda mais forte de Fiore... E o porquê disso.

Jura – Qual é a situação atual? – Indagou Jura com sua expressão serena de sempre.

Makarov – A mesma de antes – O velho homem disse com seu semblante sério.

Minerva – Nenhuma pista? – Perguntou já sabendo da resposta.

Gray – Nada... Absolutamente nada – Respondeu olhando seriamente para Minerva que se manteve do mesmo jeito.

Rogue – Seja lá quem for esse cara, tá fazendo um trabalho profissional – Disse Rogue sentado na poltrona em frente a mesa de Makarov, com um olhar bastante pensativo.

Sting – Não... Ninguém é tão perfeito a ponto de não deixar rastros – O loiro levou a mão ao queixo, tentando pensar em algo.

Erza – Conheça o primeiro – A ruiva cruzou os braços se escorando lentamente na parede – Vasculhamos todos os cantos da Magnolia e boa parte da floresta, não encontramos um vestígio da Mira ou dos outros – Suspirou pesadamente.

Lucy – Esse cara é como uma sombra... Aparece, pega quem quer e some depois – Disse com um olhar bastante triste.

Yukino – Mas alguém sabe o porque disso tudo? – Indagou a albina olhando para todos presentes.

Makarov – Negativo... Não sabemos quem e nem porquê desse ataque – Olhou para a garota – É uma caça as fadas sem motivo – Engoliu a seco e fechou os olhos, tentando se acalmar.

Erza – É bem capaz que vocês entrem nessa caça... É um jogo sádico e frio desse cara que pode custar a vida de muita gente – Disse olhando para os mestres das duas guildas. – Não podemos garantir a segurança de todos – Complementou.

Sherry – Sabemos disso – Deu um passo a frente, ficando ao lado de Lyon – Já lidamos com inimigos piores que esse... – Cruzou os braços e abriu um largo sorriso.

Sting – Ela está certa – Se levantou da poltrona e ajeitou sua jaqueta – Não temos medo de um lunático... É questão de tempo até pegarmos esse idiota – Olhou para Makarov– Vou agora pro hotel onde minha guilda está hospedada e vou pedir para fazer uma busca pela cidade – Disse e Makarov confirmou com a cabeça.

Lyon – Vou mandar o meu pessoal pra floresta – Disse ficando ao lado do Sting.

Makarov – Entendido – Olhou para Erza – Peça para os outros se dividirem e ajudar cada guilda em suas buscas – Erza confirmou, enquanto saia de perto da parede – Obrigado pela ajuda – Olhou para os dois novos mestres que confirmaram.

Sting – É só o início, logo os outros vão chegar e vai ser aí que vamos pegar esse merda – Disse de maneira firme e motivadora, fazendo todos do local sorrirem.

Mas logo o sorriso de todos desaparecem quando escutaram o barulho de alguém batendo desesperadamente na porta.

- MESTRE! – A voz gritava desesperada.

Jura rapidamente foi até a porta e abriu a mesma, vendo que era Macao que batia sem parar.

Makarov – O que houve? – Perguntou se levantando da cadeira e olhando seriamente para seu filho que tinha uma cara de puro horror.

Macao – O Natsu... – Respirou fundo tentando recuperar o fôlego. Mas foram palavras suficiente para fazer todos da sala se levantarem de seus lugares, esperando pelo pior – Ele achou a Mira – Complementou e no mesmo instantes todos se entreolharam e saíram rapidamente da sala do mestre.

Indo em direção ao parapeito do segundo andar e olharem o rosado com Mirajane no colo, a mesma estava desacordada e bastante ferida... A feição do rosado era de puro horror e raiva, seguido de uma fina culpa que era perceptível em seus olhos.

Erza – Merda... – Foi rapidamente em direção as escadas, descendo-as rapidamente e sendo seguida por Gray, Lucy e Sting – Onde você a encontrou? – Disse chegando até o Dragneel que apenas olhou para Mirajane.

Natsu – Ela... – Fechou os olhos e rangeu os dentes – Estava desacordada ao norte da floresta, dentro de uma caverna – Disse entregando a albina nos braços do Sting. – Fiquei a noite inteira procurando por ela e pelos outros... Mas só conseguir achar ela – Complementou dando dois passos para trás, enquanto olhava Sting e Lucy levando Mirajane para enfermaria da guilda. – Desculpa... Queria ter encontrado todos – Passou a mão pelo cabelo em frustação.

Erza – Calma... Você já fez demais por hoje – Levou a mão até o ombro do rosado que abaixou o olhar – Achar a Mira foi um passo muito importante pra acharmos esse desgraçado – Abriu um pequeno sorriso.

Gray – Ela tá certa... Talvez a Mira tenha visto quem foi, você ajudou muito – Gray Disse dando um pequeno tapa nas costas do rosado que sorriu com o gesto do amigo.

Natsu – Obrigado pessoal... – Sorriu olhando para os dois – Acho melhor ir falar com o mestre – Olhou para o segundo andar, vendo todos olhando para ele – E da um oi para os vizinhos – Riu e foi rapidamente para o segundo andar... Devia uma explicação para todos.

...

Prisão de Segurança máxima...

Como o próprio nome já dizia... A prisão de segurança máxima de Fiore era a melhor de todo o continente! Um local guardado por milhares de guardas altamente treinados, câmeras de segurança de última geração, enormes muros de concreto, defesas contra qualquer tipo de inimigos e runas contra magia de qualquer mago. Os prisioneiros do local ficavam dentro de uma capsula flutuante branca, onde as grades eram feitas de eletricidade, impedindo que qualquer um deles chegassem perto... E se chegassem, recebiam uma descarga elétrica tão forte que desmaiavam por vários dias.

Apenas os mais perigosos magos iam para essa prisão... Chacinas, crimes de guerra, tentativa de assassinato contra alguém da realeza e etc... Só os piores iam parar naquele local.

E nesse local se encontravam duas detentas que se conheciam muito bem... E principalmente, lutaram do mesmo lado a algum tempo atrás. Essas garotas eram Dimaria Yest e Brandish μ, duas soldadas do extinto reino de Alvarez.

Ambas obviamente foram condenadas a prisão perpetua por atacarem Fiore... Mesmo com Brandish tento ajuda o reino, ainda sim foi condenada junto com sua companheira. E as duas eram as únicas vivas do exército do antigo reino. Claro que envolta delas haviam várias outras capsulas com outros presos, mas ambas estavam bem próximas uma da outra.

E para piorar a situação das duas ex-companheiras, eram vizinhas de cela... Uma do lado da outra, para todo o sempre... Até o fim da vida delas.

Nas selas da prisão onde estavam tinham o básico... Uma cama, vazo sanitário e uma pia para lavar o rosto. Trajavam um uniforme branco que todos os detentos usavam, com seus respectivos nomes e crimes que cometeram.

Nesse instante Brandish estava deitada em sua cama, olhando serenamente para o teto da capsula que estava aprisionada para todo o sempre. Já Dimaria que estava do outro lado, se encontrava bastante inquiete e raivosa... Algo que era bem normal desde que foram trancafiadas naquele lugar.

Brandish levou sua sentença super de boa... Sabia que era meio injusto, já que ajudou Fiore na guerra. Por outro lado, sabia que tinha cometidos muitos crimes durante sua vida.

Dimaria foi bem diferente... Assim que foi sentenciada a prisão perpetua, foi preciso de um exército de trinta homens para segura-la e prende-la.

E desde então ambas ficavam desse jeito... Uma calma e esperando o dia da sua morte e outra impaciente querendo sair daquele lugar infernal.

Brandish – Um dia você vai fazer um furo nesse chão de tanto andar de um lado pro outro – Disse a esverdeada sem desviar seu olhar do teto. Mas foi o suficiente para chamar a atenção de sua ex-companheira.

Dimaria – Tomara, bom que saio desse lugar de merda – Disse parando de andar e olhando para Brandish.

Brandish – Se você sobreviver há essa queda, com certeza – Disse com uma voz de puro sarcasmo.

Nesse instante a loira olhou para baixo, vendo a enorme queda que aguardava quem ousasse sair da sua sela sem permissão... Era tão fundo que era impossível ver o final daquilo.

Dimaria – Porra – Resmungou revirando os olhos, enquanto se sentava na cama – Como você consegue ficar tão calma, sabendo que vai passar o resto da sua vida dentro dessa merda? – Indagou com uma frustação evidente no olhar.

Brandish – Porque sei que mereci isso – Respondeu se sentando bem lentamente na cama e olhando para sua vizinha – Nós duas merecemos... Você sabe disso – Disse olhando fixamente para Dimaria que apenas estalou a língua e revirou os olhos.

Dimaria – Só estava seguindo ordens – Olhou para sua frente, observando a ponte que ligava a porta de saída daquele local, até o painel de controle que ficava no ponta da ponte que era usado para chamar as capsulas. – Zeref já está morto... Ele era o criminoso – Voltou seu olhar para Brandish – Alvarez não existe mais... Os Spriggan foram exterminados – Suspirou – Acho que isso já é castigo o suficiente, não acha? Carregar o fracasso e a morte de várias pessoas? – Perguntou com a sobrancelha levemente arqueada.

Brandish – Por tudo que fizemos?  - Riu sarcasticamente – Não é nem um terço do que merecemos – Voltou a se deitar e fitar o teto.

Dimaria – Tsc... – Estalou a língua, se deitando na cama e lentamente caia no sono.

...

ATENÇÃO, ATENÇÃO! TODOS OS GUARDAS VÃO PARA O PORTÃO PRINCIPAL! TEMOS UMA INVASÃO DE UM SER NÃO IDENTIFICADO!

Dimaria – Hum? – Abriu lentamente os olhos, vendo que todo o local piscava em vermelho e o sinal de alerta apitava sem parar.

TODOS OS PRESOS SE MANTENHAM EM SEUS LUGARES, PARA SEGURANÇA DE TODOS!

A voz do alarme dizia... Obvio que todos os presos começaram a gritar e comemorar... Se alguém estava invadindo a prisão, significava que teriam uma brecha para escaparem.

Vendo todo esse alvoroço, Dimaria se levantou rapidamente de sua cama e olhou para Brandish que apenas estava sentada, observando tudo em silêncio.

Dimaria – Quem diabos é maluco o suficiente para atacar esse lugar? – Indagou olhando para a esverdeada que apenas deu de ombros.

Brandish – Seja quem for, não é tão maluco assim – Olhou para a garota – Se convocaram todos os guardas para o portão principal, significa que essa pessoa passou pelos muros... E isso foi o mais longe que alguém já chegou – Complementou com um olhar frigido, enquanto voltava a olhar a ponte que interligava até a saída.

Dimaria fez a mesma coisa e ambas ficaram em silêncio, enquanto escutavam todos os presos gritando sem parar...

Mas todo esse alvoroço teve um fim... Esse fim veio através de uma enorme explosão que balançou todo o local, fazendo alguns presos irem contra a grade elétrica e sendo eletrocutados.

Dimaria – Merda – Se segurou na pia para não ter o mesmo destino.

Brandish – Magia? – Estranhou já que o local inteiro tinha runas que impediam qualquer um de usar seus poderes.

Na mesma hora o sinal vermelho e o alarme pararam de funcionar... Fazendo todos ficarem em silêncio... Acabou? Tinham impedido o invasor?

Não... Foi nessa hora que gritos e mais gritos começaram a se escutados do outro lado daquele portão que ficava no fim da ponte. Gritos esses que assustaram até mesmo os mais sanguinários dos presos... Eram de puro desespero e de dor, era possível sentir a dor que estavam sentido para soltarem tais gritos como aqueles.

Dimaria – Uau... – Arqueou ambas as sobrancelhas, enquanto escutava cada grito que vinha do outro lado.

Mas antes que pudesse dizer mais alguma coisa, fora impedida, já que na mesma hora algo foi arremessado contra o portão da ponte... Foi arremessado com tanta força que amaçou o lado deles. Coisa que fez todos se surpreenderem com a força daquele invasor.

Assim que o amassado foi feito o portão foi bruscamente aberto e de lá saíram por volta de uns 10 guardas, todos ensanguentados e cheio de tripas de seus companheiros... O olhar dos dez transmitiam o mais puro desespero e horror.

Antes mesmo que pudessem chegar até o final da ponte, um vulto negro passou rapidamente por todos... Arrancando a cabeça de 4 e abrindo enormes buracos na barriga dos 6 restantes, fazendo todos arregalaram os olhos com aquilo... Quem ou o que era isso?

Os corpos dos dez guardas caíram bem lentamente no chão, enquanto o vulto voltava rapidamente para o inicio da ponte... Se relevando uma belíssima mulher com longos chifres em sua cabeça, seguido por seu corpo completamente ensanguentado e um rosto de puro sadismo. Em suas mãos era possível ver um livro que ninguém dali conseguia identificar do que era...

A mulher caminhou calmamente até o painel de controle das capsulas, passando por cima dos corpos dos guardas como se fossem absolutamente nada. Assim que a mulher chegou até o painel, olhou para todos os presos com um olhar de puro desprezo... Tanto que nenhum deles ousava dizer uma palavra, com medo daqueles olhos frios e dos chifres da mulher misteriosa.

Ela nada disse apenas levou a mão direita até o bolso do seu quimono, retirando dois papeis que pareciam ser fotografias. Rapidamente voltou seu olhar para as capsulas, procurando por alguém... Até que seu olhar encontrou o que queria.

- Vocês duas – Olhou para Dimaria e Brandish – Venham comigo – Disse mexendo no painel de controle e trazendo a capsula das duas, que não estavam entendendo.

Brandish – Quem é você? – Perguntou vendo a mulher indo até a capsula das duas.

- Seilah – Respondeu com um enorme desprezo na voz.

Dimaria – E o que quer com a gente? – Indagou indo bem perto das grades.

Seilah – Não é preciso saberem nesse momento – Respondeu olhando para ambas – Tudo que precisam saber é que vocês têm duas escolhas... Venham comigo ou morram – Disse com um olhar frio.

Brandish – Ótimas opções – Disse de maneira sarcástica.

Seilah – Por mim as duas morriam aqui... Mas meu mestre quer as duas com vida, então é escolha de vocês – Respondeu segurando o livro com mais força.

Dimaria – Mestre... – Sussurrou – Bom... Entre ficar presa aqui e morrer, prefiro conhecer esse cara – Respondeu cruzando os braços.

Brandish – Não vou morrer antes dela – Apontou para Dimaria.

Seilah – Pois bem... – Foi até o painel e abriu a sela de ambas, que saíram rapidamente – Me esperem lá fora. – Disse e ambas confirmaram, enquanto rapidamente se retiravam do local.

- EI! – Um prisioneiro a chamou, fazendo o fitar com um olhar frio – Solte todos! – Disse e foi recebido com vários “Isso, solte”.

Seilah – Soltar? – Indagou abrindo um sorriso sádico e vendo o mesmo confirmar – Claro, porque não? – Virou-se para o painel e vendo um belo botão que estava escrito “desativar todas as capsulas em caso de emergência” – Prontinho – Apertou o botão e em questão de segundos todas as capsulas foram desativas, fazendo assim caírem no enorme poço sem vim do local... E tudo que foi possível ouvir foi o grito de desespero dos prisioneiros caindo para a morte certa. – Ops – Olhou para o poço – Foi sem querer – Riu se virando e se encaminhando para a saída.

Seilah – Primeira parte concluída...


Notas Finais


Hehehehehe Olha só quem apareceu... Obviamente não serão elas as próximas vitimas do Natsu. Mas adorei ler as teorias de vocês, foram muito boas e criativas!

Mas só um de vocês acertou quem será a próxima sofrer na mão do Natsu! Então continuem teorizando quem será a próxima, vai quem esse número suba hehehehe

E bom... Foi isso!

Capitulo mais leve que o anterior... Mas no próximo volta ao normal com sangue e tripa para todo lado e fodasse kkkkkkk

Comentem o que acharam!

VlwS2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...