1. Spirit Fanfics >
  2. Breath of flames (imagine Ryomen sukuna e itadori yuji) >
  3. Trauma

História Breath of flames (imagine Ryomen sukuna e itadori yuji) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Trauma


4 anos atrás

S/n S/s on


Estava na casa do Yuji,iria pousar lá pra fazer companhia pro rosado, pois uma semana passada seu avô estava internado no hospital.


Itadori estava bem cabisbaixo, então resolvi dormir na casa do mesmo pra ajudá-lo nesse momento difícil.


Bem, ele é um grande amigo, mas ultimamente estou sentindo algo a mais do que uma amizade com ele.


O jeito que ele age ou se preocupa comigo,aquece o meu coração.


Acho que tô me tornando gada.


Mas aquele sorriso,aqueles olhos castanhos, aquele corpo de Deus grego me faz girar que nem uma Beyblade,e olha que não sou nenhum Levi Ackerman da vida não, que fica dando giro no ar.


Caralho nada vê com o que eu estou pensando kkk.


Mas mesmo assim, Yuji é alguém precioso pra mim.


Bem... só que ele é bem sonso em notar as minhas indiretas pra ela,e ultimamente estou tentando tomar coragem e pedi o rosado em casamento... quero dizer em namoro.


Mas agora estavamos sentados no sofá comendo brigadeiro que eu fiz e enquanto assistíamos Deadpool.


A gente caia na risada na cena do donpinder - o taxista indiano - que dizia que Tinha sequestrado o seu primo bandu e que o mesmo estava no porta malas e o wade - vulgo Deadpool - dizia que era pra mata-lo e sequestra a garota, enquanto tentava disfarçar a situação.


Puta merda!


A risada do Yuji é muito gostosa puta que me pariu de quatro em uma jacuzzi!


Dei um sorriso de boba apaixonada,os lábios do mesmo estavam sujos de chocolate,olhava aquilo com luxúria, queria beija-lo intensamente.


A única coisa que fiz foi levar a minha mão até o rosto do mesmo,e com o polegar limpar os lábios do mesmo.


Ele me olhou surpreso.


Os meu polegar estava sujo de chocolate,e só fiz o seguinte, chupei o meu dedo pra saborear o brigadeiro que estavam nos lábios do rosado.

Percebi que as maçãs do rosto do itadori estavam vermelhas.

Após isso eu lambi os meus lábios de um jeito sexual,sim estava provocando o mesmo.

(Yuji): se continuar assim aí eu fico duro mesmo.

(S/n): hehehe! Há é?*passo a minha mão na região do membro do mesmo*

Ele soltou um gemido rouco.

Aí...tremi na base!

Ele me olhou com pura luxúria.

Meu Deus o que fiz? Ele tirou o prato de brigadeiro que estava no meu colo colocou sobre a mesinha de centro e me puxou pra um beijo.

Ele foi meio tímido na questão do beijo.

Há...o beijo,o gosto de chocolate com leite condensado estava divino nós lábios do rosado.

Ele pediu a entrada pra minha boca usando a língua,e claro eu permiti,a sua língua úmida mas quente – acho que saiu estranho isso – dançava com a minha, com sincronia.

Só paramos pela maldita falta de ar.

Dou um suspiro aliviado.

Ficamos um bom tempo nos encarando, só dei um selinho rápido no mesmo e voltei assistir o filme,o mesmo fez isso, mas pra me provocar,ele colocou a sua mão sobre a minha coxa de um jeito provocativo.

Dei um sorriso malicioso e logo fiz o mesmo com Yuji,e voltamos a assistir o filme, que agora estava acontecendo a luta do Deadpool contra o Francis.


Quebra de tempo


Já estava de manhã,eu e o yuji dormimos no sofá abraçados, sentindo o calor humano um do outro.


Agora estava saindo da casa dele e voltando pra minha, nós demos um selinho de despedida e fui andando a pé pra minha casa.


A rua estava repleta de maldições, criaturas enormes,baixas e de aparência horrenda.


Sempre via essas coisas desde de criança,meu pai me explicava sobre essas coisas.


Eram maldições,elas "nasciam" pelos sentimentos ruins da humanidade, como estresse, depressão, ansiedade e entre outros sentimentos negativos.


Meu pai é do clã Zen'nin, ele era um feiticeiro jujutsu até conhecer a minha mãe e ter uma vida "normal".

Até arranjou um emprego com contador de uma empresa.

Enquando falei que conseguia ver essas coisas ele me ensinou a eliminá-las e usar energia amaldiçoada.

Claro que ele sempre perguntava se realmente queria aprender isso,e claro que dizia sim.

Pois as vezes essas maldições iam em minha direção,e pra fazê-las pararem de irem em minha direção eu simplesmente ficava com nenhum pensamento negativo,para não tentar deixar essas coisas fortes e logo ia ateu pai e pedir pra exterminar o satanás que estava atrás de mim.

Mas por agora estava querendo ir pra casa e fingir demência e que não estava vendo essas coisas.

Ao chegar em casa me deparo arrombada, com a maçaneta arrancada a força, estava curiosa, então resolvi abrir a porta,vi um enorme rastro de sangue na entrada da casa,os meus olhos se arregalaram,o cheiro metálica se adentrou pela minha cavidade nasal, assim sentindo esse cheiro de sangue fresco.

Resolvi seguir o rastro de sangue,e sim vou me arrepender com o que eu vou reparar.

Ao ir pra sala de estar,me deparo com a cena mais grotesca que já vi  em minha vida.

A minha família estava massacrada.

Meu pai estava com todos os órgãos internos pra fora,seus braços pareciam que foram arrancados brutalmente,as suas pernas não estava junto ao seu corpo.

Minha mãe estava com a garganta cortado, parecia que foi cortada por garras,seu tórax estava aberto e os seus órgãos internos pareciam que tinham sumido dali.

Meu irmão mais velho estava irreconhecível, só dava pra saber que era ele por conta da sua blusa do pink Floyd,seu corpo estava cheio de mordidas,parecia que ele foi devorado vivo.

Minha irmã mais nova estava com o maxilar arrancado, um dês seus olhos parecia que soltaram para fora.

Todos foram brutalmente assassinados,as suas expressões eram de Pânico.

A minha reação era olhar aquilo com medo,sentia algo saindo da minha bile estomacal,e logo pela minha garganta,era algo quente e vinha raspado,e logo não consegui segurar e vomitei no chão da sala, aquilo me deu nojo.

Aquela cena era grotesca.

Eu tremia de medo,o gosto do vômito estava em minha boca.

Olhava pra aquilo apavorada,e logo comecei a gritar.

(S/n): Haaaaaaaaaaa!

(Autora: imaginem a cara de pavor da Gabi quando vê a zofia e o udo mortos, é essa cara que vocês estão fazendo)

As lágrimas desciam pelo meu rosto.

Que merda aconteceu aqui?!

Concerteza isso não foi obra de alguma maldição de nível especial, pois não estou sentindo nenhuma coisa estranha aqui.

Estava em Pânico.

E agora?!

Agora lá fora estava chovendo.

E muito,a única reação que tive foi saí dali e sentar na calçada,e sentir as gotas frias da chuva sobre a minha pele, assim tentando acalmar a minha alma.


Notas Finais


Desculpa se capítulo ficou ruim,ou teve algum erro gramatical ou ortográfico!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...