1. Spirit Fanfics >
  2. Breathe For Me >
  3. Olhos de esmeraldas

História Breathe For Me - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olha eu de novo aqui! Mais um capítulo para vocês, espero que gostem.

Boa leitura!

Capítulo 3 - Olhos de esmeraldas


POV CAMILA

-Ta Austin, já entendi ! Eu vou com você nessa festa, só me prometa que não irá ficar bêbado.- peço e vejo o mesmo se animar

-Eu prometo Mila, agora vá se arrumar te espero aqui em baixo.- fala e eu subo para o meu quarto para me arrumar. Austin estava insistindo para mim ir em uma festa do seu amigo, um dos jogadores de futebol da escola, eu não queria ir porque sempre que saímos ele fica bêbado e agressivo, eu odeio ele assim, mas nunca consigo negar.

Estava me arrumando e a garota da casa da frente veio nos meus pensamentos, por que será que ela estava nos olhando e não veio falar com a gente? Queria conhecê-la, Normani me disse que ela tem uma irmã também e que sua família irá vim almoçar amanhã aqui o que me deixou bem animada com a ideia dos meus pais, que no caso eu que fiz eles terem, poxa, ela parece ser alguém legal para ter uma amizade. Saio dos meus pensamentos quando escuto alguém bater na porta.

-Pode entrar.- vejo Austin vim até a mim e me dar um beijo no pescoço por tras, segurando na minha cintura.

-Porra Camila, você tá gata demais!- fala e volta a beijar meu pescoço, mas me afasto dele virando para o mesmo e sorrindo.

-Obrigada! Vamos? Estou pronta.- falo e ele sorri para mim, pegando na minha mão e saindo comigo logo em seguida para fora do quarto, descemos até o andar de baixo onde me despeço dos meus pais e da minha irmã que infelizmente não quis ir com a gente.

Chegamos na tal festa, tinha adolescentes para todo lado, alguns jogados no chão desmaiados de tanto beber já, outros se pegando, uns apenas sentados cheirando alguma coisa que não consegui identificar. Entro com Austin na casa e ele me guia até a cozinha, lá ele me oferece algo para beber e peço apenas água, ele pega duas uma para mim e uma para ele. O som estava bem alto e isso estava me deixando louca já, tinha várias pessoas andando para lá e para cá, até que Austin sai de perto de mim alegando encontrar alguns amigos mas que já voltava, eu apenas concordei e disse que ficaria por aqui mesmo, ele me dá um selinho e sai. Fico me perguntando o porquê de eu estar ali e não na minha cama quentinha vendo Bob esponja, comendo brigadeiro, mas naooo eu sou uma frouxa que não sabe dizer não para seu namorado.

Termino de beber minha água e vejo um menino se aproximar de mim, de longe dava para ver que ele não estava sóbrio, e isso já me deixou em estado de alerta

-Oi linda.- ele se aproxima de mim e fala perto do meu ouvido.

-Oi.- tento me afastar mas me encosto no balcão que tinha ali.

-Sozinha? Vamos ali pro quarto, prometo não te arrepender.- sinto suas mãos em minha cintura e tento me soltar dele, porem tentativa falha, já estava ficando desesperada e Austin não chegava logo.

-Por favor, me solte, eu tenho namorado e ele já está vindo.

-Solta ela Brad!- escuto a voz de Austin e dou graças a Deus

-Poxa Austin, não quer dividir não?- vejo o nojento apertar minha cintura e Austin não mover um dedo para me tirar das mãos desse idiota, o que está acontecendo?!

-Só se você me der cem pratas, meu chapa.- eu não acredito que estava escutando aquilo, olho para o meu namorado e vejo que o mesmo não estava nem um pouco sóbrio. Eu sabia!

-Me solta, agora!- grito e dou um tapa no rosto do menino saindo logo em seguida de perto dele, vendo o mesmo colocar sua mão em seu rosto. Eu já estava puta da vida com Austin bebado e me vendendo para seus amiguinhos comerem.

Arrumei minha saia e fui para perto de Austin olhando bem em seus olhos e lhe acertando um tapa também, me virando e saindo dali. Já estava fora da casa e escuto Austin me chamar, mas não ouso me virar e continuo andando, até que sinto ele me segurar me virando de uma vez para ele, seu rosto estava vermelho e seus olhos mal conseguia ficar abertos.

-Me deixe te levar para casa pelo menos, eu prometi para seus pais Mila.- ele falava com a voz mole, eu não sabia o que fazer, minha casa estava longe e se eu chegasse em casa sem Austin meus pais ia me matar por que eles não gostam que ando sozinha essas horas da noite, o jeito era aceitar, mesmo eu sentindo nojo dele.

Entro em seu carro e coloco o cinto de segurança, vejo ele dando a partida e saindo logo em seguida. Estávamos em silêncio, e eu não estava indentificando o caminho que o mesmo estava fazendo, poderia ser algum atalho, mas eu nunca o vi passar por ali. Ele dirigiu mais um pouco até parar em um beco escuro, olho para ele sem entender nada até sentir suas mãos na minha perna.

-Olha Mila, eu sei que você quer seu tempo e que você tem medo disso, mas eu não aguento mais, eu preciso de emoção nesse relacionamento. Nós estamos 4 meses juntos já e não fizemos nem um oralzinho, vamos mudar isso hoje?- ele falava enquanto passava a mão de leve na minha perna.

-A-Austin, eu não quero isso agora, aqui, com você drogado.- sentia minhas mãos soarem, estava com medo do que ele podia fazer, Austin estava fora de si, drogado, foi capaz de me oferecer por cem pratas. Eu quero realmente correr daqui

-Olha Camila, eu já estou cheio desse seu draminha de menina virgem! Ou você deixa eu te foder agora ou então a gente termina!- senti um aperto forte em minha perna, já estava desesperada.

- Então acabou Austin, me deixa sair do carro.- falo tentando abrir a porta, mas a mesma estava trancada.- Abre essa droga agora, seu idiota!- escuto sua risada e vejo um sorriso malicioso aparecer em seu rosto.

-Camilinha, meu anjo. Não será por bem, será por mal!- nesse momento ele sai do seu lugar e sobe em cima de mim, não tive tempo nem de pensar, eu gritava mas ninguém me ouvia, ele tentava tirar minha blusa a todo custo, apertando meus braços com força.

-Fica quieta sua vadia!- ele me da um tapa forte no rosto e sinto uma ardência enorme surgir, nesse momento percebi e sua perna estava uma a cada lado do meu corpo deixando um espaço no meio das sua pernas livre, levanto meu joelho com a maior força que tinha ali acertando em cheio seu membro e escuto o mesmo gritar de dor, nesse momento consigo destravar o carro e saio dali o mais rápido que pude entrando em uma rua que eu nem conhecia, eu só queria sumir da visão daquele idiota.

Estava andando fazia tempo, Austin tinha me levada para um lugar muito afastado da minha casa, então ia demorar para mim chegar lá, e já era quase 3h da manhã, eu estava morta, não conseguia parar de chorar, as lembranças do que Austin estava prestes a fazer comigo não me deixava em paz, eu nunca mais quero ver aquele babaca na minha frente!

Graças a Deus eu já estava a três quarteirões da minha casa, não estava aguentando andar mais, tinha tirado meus saltos e estava descalço mesmo. Estava andando até ver algo no chão se mexer, não conseguia indentificar direito por estar longe, fui me aproximando até perceber que era alguém caído ali, saio correndo para ajudar e vejo que era minha nova vizinha, ela parecia não conseguir respirar direito, assim que cheguei perto e me agachei do seu lado a mesma desmaiou. Eu estava desesperada, não conseguia acorda-la e meu celular tinha acabado a bateria para chamar socorro, ela era muito pesada para tentar levar ela no colo, então o jeito foi correr para chamar ajuda. Bati na porta de uma casa e ninguém atendia, só faltava eu derrubar a porta no soco até que vejo uma luz acender e a porta abrir, uma senhora aparece com cara de sono e assim que vê minha situação ela arregala os olhos.

-Por favor senhora, eu preciso que chame uma ambulância! Tem uma garota desmaiada ali e ela não acorda, por favor me ajude!- eu falava rápido, precisava fazer alguma coisa, a garota não estava respirando direito também, tinha algo de muito errado com ela.

-Acalme-se minha jovem, eu vou pegar meu telefone.- vi ela entrando para dentro de sua casa e voltando com seu celular mas mãos, discando logo em seguida. Volto para perto da menina e fico sentada do seu lado, colocando sua cabeça em cima das minhas pernas, vejo a senhora se aproximar e avisar que a ambulância já estava vinda, eu agradeço e vejo ela voltando para sua casa. Fico lá olhando para a garota e vendo o quando era bonita, eu não tinha vista seu rosto direito antes, mas agora que vi me fascinou muito e sinto uma leve curiosidade em ver seus olhos. Fico ali olhando-a até escutar as sirenes se aproximando e parando na nossa frente, eles descem e vem até onde estamos.

-Ela está a quanto tempo desacordada?- uma moça que chuto ser a enfermeira me pergunta tirando a garota de perto de mim e colocando ela em uma maca com a ajuda de um outro moço.

-A uns 15 minutos, eu estava indo embora para casa quando a vi no chão, ela ainda estava consciente, mas quando cheguei perto ela desmaiou.- falei me levantando e vendo eles colocarem ela dentro da ambulância.

-certo, você é o que dela? Preciso saber para poder deixar acompanha-la.- diz e eu penso por uma momento mas respondendo logo em seguida

-Eu sou pri-prima dela.- falo e a enfermeira acena com a cabeça me ajudando a entrar na ambulância.

-Respiração dela está baixa, precisamos acorda-la.- ela fala para o outro enfermeiro que estava ali dentro com a gente, ele pega uma seringa aplicando na menina logo em seguida.

-Qual seu nome e o da paciente?- ferrou!

-Meu nome é Camila, e o da paciente é.. é..- fico sem saber o que falar e a enfermeira levanta uma sombrancelha sem entender.- é.. Josefa ! Isso, Josefa!- falo e ela confirma com a cabeça.

Fico olhando para a garota deitada ali, tentando entender o que tinha acontecido com ela, se teve uma noite ruim como a minha. Vejo a mesmo se remexer e que ela estava dando de acordar, chego perto dela e seguro sua mão, não sei o porque fiz isso, mas apenas diz. Ela abre os olhos me deixando sem reação alguma, me olhando e me puxando com tudo para dentro daquelas esmeraldas esverdeadas, eu nunca tinha me sentindo tão hipnotizada com um olhar como agora.

-Aonde eu estou?- escuto sua voz rouca e sinto a ambulância parar, as portas se abrirem e ela ser tirada de la quebrando nosso contato visual entrando dentro do hospital me deixando lá fora sem saber o que tinha acabado de acontecer.


Notas Finais


Ainda aceito os comentários se estão gostando mesmo da fic para eu prosseguir mesmo com ela. A mesma já tem mais de 20 capítulos prontos, é com você se querem eles ou não. ( eu espero que sim, rs )

Beijinhos e lavem bem as mãos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...