História Breathe Me - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 766
Palavras 2.163
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoas.
Boa leitura! E leiam as notas finais.

Capítulo 34 - Beautiful and graceful Brooke


Fanfic / Fanfiction Breathe Me - Capítulo 34 - Beautiful and graceful Brooke

Narrador observador

Indignado Xavier decidiu pegar a ficha de Mike para saber onde ele morava. Quando Mike foi dar depoimento sobre o primeiro assassinato teve que dar algumas informações. Após saber o endereço da casa de Mike, Stormwhite chamou mais um policial para acompanha-lo até a casa do suspeito. Ao sair da delegacia começou a descer os degraus até o seu carro quando ouviu um barulho e sentiu seu peito queimar.

O delegado Xavier Stormwhite tinha acabado de levar um tiro. 

Houve uma agitação no local, pessoas corriam desesperadas com medo de ter um tiroteio, o policial que estava acompanhando Xavier se ajoelhou no chão para ajudar Xavier, ele ainda estava consciente, mas não iria ficar por muito tempo. O policial pediu ajuda e um outro policial ligou para o hospital para mandarem uma ambulância pra lá, eles não poderiam fazer mais nada. O tiro foi no peito, mas por ainda Stormwhite estar consciente deu-se a entender que não atingiu o coração, mas pode atingi-lo se a bala deslocar-se com algum movimento brusco, ou nem tanto, de seu corpo. 

A âmbulancia demorou menos de sete minutos para chegar no local, claro que chegou rápido pois se tratava de um delegado respeitado. Os paramedicos colocaram com cuidado o delegado na maca e o colocou na ambulancia que logo já estava se descolando para o hospital. 

Enquanto Xavier estava indo para o hospital outros policiais procuravam nas redondezas da delegacia alguma pista que os informassem quem teria dado aquele tiro, quase perfeito, no delegado. 

- Sabe o que eu acho? - Gregory disse a um colega de trabalho.

- Não, não sei, infelizmente não tenho bola de cristal. - o policial mal humorado respondeu.

- Escroto! Acho que o fato de Xavier querer ir atrás do Mike e levar um tiro por causa disse quer dizer que esse tal Mike tem envolvimento com essas mortes.

- Isso faz sentido, garoto. - o policial mais velho assentiu a cabeça pensativo. - Vou conversar com o cabo e quem sabe outro delegado da cidade pode cuidar disso pra gente.

Enquanto isso um pouco longe da delegacia um homem andava normalmente, um homem não, um garoto. Sua feição era seria, ele teria que sair daquelas redondezas antes que algum policial o parace. Ele estava com um arma escondida em sua calça e uma capsula de bala em seu bolso. 

Sim, ele tinha atirado no Xavier porque sabia que Xavier iria fuçar as câmeras de segurança daquele bar, ele escorregou feio ao passar ali e não perceber a câmera, mas como iria perceber se câmera estava do lado de dentro do bar? Ele não era burro, sempre formava uma tática, rotas, ruas sem nenhum tipo de câmera para ele poder andar com suas vitimas minutos ou horas antes de serem mortas. E além das ruas ele também prestava atenção nas lojas, casas, prédios, bares que tinham nessas rotas. Dessa vez, tinha escorregado.

Já longe da delegacia, ele jogou a pistola calibre vinte e dois fora em uma caçamba de lixo, junto com a capsula. Ele estava usando luvas então se encontrassem a arma e a capsula ele não seria indentificado. As pessoas não achariam estranho ele andar de luvar já estava fazendo muito frio em Ottawa. Mas ele podia ser indentificado por ser dono da arma, iriam achar ele. Não ele, já que aquela arma estava com a numeração raspada e não pertencia a ele, e sim, a um traficante que morreu em Seatle há um ano. 

Aquele garoto pode ter errado por não prestar atenção na rota, mas não erraria de novo por tentar matar o delegado. Ao longe ele percebeu que errou o tiro, mas mesmo assim acha que é vitorioso por ter dado uma "lição" no delegado. 

Mike, Mike, não sabe o que fez. Não queria ser encontrado, agiu com a cabeça quente, não pensou muito e agora as setas sobre o caso irão apontar para ele.

Sim, Mike Simpson é o serial killer que anda aterrorizando todos.

Mesmo estando correndo o perigo de ser preso Mike não iria fraquejar como fez em Seatle, iria matar a garota que quer e se aproveitar dela. Em Seatle ele estava sendo desvendado já pela policia e fugiu pro Canadá sem matar "a principal", mas dessa vez não iria fraquejar. E sua principal dessa vez, é a linda e graciosa Brooke Montes.

[...]

P.O.V Justin Bieber On

Abri os olhos e virei minha cabeça pro lado vendo Brooke deitada ali, ela dormia calmamente. Teve mais um de seus pesadelos estranhos, mas eu a acalmei e ela voltou a dormi minutos depois. Chegamos da festa no meio da madrugada. Aquela garota que eu vi sair com um cara estava morta, encontraram o corpo dela, a noticia se espalhou pela boate, sim ainda estavamos lá. Os organizadores da festa finalmente decidiram acabar com ela, perceberam que o assassino só mata meninas que saem bebadas daquela festa. Existem várias outras festas e boates naquela cidade e a pessoa só mata pessoas que vão na festa da escola, então acabaram com ela. Mas não duvido nada que apareça mais outra. 

- Por que está me olhando? - livrei-me de meus pensamentos quando ouvi a voz sonolenta de Brooke, eu encarava ela enquanto estava pensando. - Me maquiagem deve estar toda borrada, e meu cabelo desgrenhado. Devo estar parecendo um panda desgrenhado. Não, pandas são meigos, eu não pareceriam com eles...

- E você não para de tagarelar, mal acordou e já está falando até pelos cotovelos.

- Tá de mal humor?

- Não - ri - Só estou falando que você fala demais principalmente quando acorda e sua maquiagem não está tão ruim assim e seus cabelos estão até comportados. 

- Você é um amor de pessoa. - ela se levantou com dificuldade e foi até o banheiro e deu um grito quando se olhou no espelho fazendo com que eu gargalhasse.

- VOCÊ DISSE QUE MINHA MAQUIAGEM NÃO ESTAVA RUIM E QUE MEUS CABELOS ESTAVAM COMPORTADOS. TO PIOR QUE A MENINA DO EXORCISTA. MINHA MAQUIAGEM ESTÁ TODA BORRADA E MEU CABELO PARECE QUE EU LEVEI CHOQUE. Estou parecendo uma boneca de vudu.

- Eu disse aquilo pra te agradar, mas.

- Você não é mais um amor de pessoa. - eu ri mais ainda.

- Por que não? - perguntei manhoso. 

- Porque você mentiu! - me levantei da cama e fui até ela.

- Mas se eu falasse a verdade você iria odiar. - envolvi meus braços em sua cintura e ela girou ficando de frente pra mim

- Isso é verdade.

- Agora para te dar piti. - falei quando enconstando meus lábios nos seus e quando terminei a frase colei nos nossos lábios iniciando um beijo que foi interrompido pelo Johnny gritando.

- JUSTIN, ANDA LOGO MOLEQUE. VOCÊ TEM QUE TRABALHAR. 

- VOU ME VESTIR E JÁ VOU. - respondi gritando também para que ele ouvisse. 

- Acho que vou indo. - ela tentou sair de meus braços mas a segurei mais forte ainda.

- Não, fica. - a beijei de novo e ela cortou o beijo.

- Mas você tem que ir trabalhar e a Julia deve estar...

- Foda-se o trabalho e foda-se Julia. - cortei sua fala.

- EU TO OUVINDO VOCÊS CONVERSANDO, JUSTIN. - rolei os olhos.

- ME DEIXA, JOHNNY. AGORA EU VOU TRABALHAR. ESPERA. 

- O AMOR É LINDO. - Brooke riu e eu rolei os olhos mais uma vez impacientemente.

- Decidido. Eu vou ir embora. Até porque não vai rolar nada com o seu patrão gritando. - ela riu já eu tinha a cara fechada.

- Tudo bem. Te vejo mais tarde?

- Não sei, talvez.

- Irei ir na sua casa.

- A Julia não vai gostar nem um pouco. - ela saiu de meus braços e foi até o sofá onde seu vestido estava pendurado. Sim, ela estava só de calcinha e sutiã enquanto eu estava de cueca. 

- Foda-se a Julia como eu já disse. Ela não vai fazer nada contra mim. 

- Tomara. - ela terminou de se vestir, calçou os saltos, foi até o banheiro arrumou o cabelo em um coque, eu ficava a observando encostado na parede de braços cruzados. - Te vejo mais tarde - me deu um beijo e saiu.

- AGORA VEM TRABALHAR, BIEBER. - Johnny gritou assim que viu Brooke passar peloa porta.

- JÁ VOU COISA CHATA.

- OLHA QUE EU TE DEMITO. 

- Sou seu melhor funcionario e você não faria isso. - apareci na porta.

- Vai vestir uma roupa e vem trabalhar porque ninguém daqui merece ver você nesse estado.

- Mas a gostosa da Brooke gosta, né Bieber?! - um colega de trabalho, Luke, disse e eu senti meu sangue ferver.

- O que você disse? - andei indo em direção a ele.

- Esquece isso e vai vestir roupa Justin. - Johnny disse.

- Esquecer é o caralho. 

- Por que fica tão irritadinho quando alguém fala da Brooke?

- Porque ela é minha, só minha.

- Você é possesivo.

- EU NÃO SOU POSSESIVO. Só cuido do que é meu.

- Desde quando uma mulher é sua, Justin?

- Desde quando eu amo ela.

P.O.V Brooke On

- Oi Zac.

- Oi Brooke. - me sentei na mesma mesa que ele estava. - Sei que você não me convidou para me sentar aqui, mas mesmo assim vou me sentar aqui. - falei pra ele colocando meus colovelos na mesa e apoiando meu rosto em minhas mãos. - A não ser que você esteja esperando uma garota.

- Não, nã estou esperando ninguém - respondeu rápido - Pode ficar ai. Quer alguma coisa?

- Você não vai pagar pra mim, eu vou pagar pra mim. - peguei o cardapio de capa vermelha que estava em cima da mesa.

- Estou tentando ser cavalheiro.

- Não gosto muito disso.

- Acabei de perceber. - eu ri.

- Vou querer batatinhas fritas e um milk shake de limão.

- Acho que vou comer o mesmo, só vou mudar o sabor do milk shake. - ele riu e chamou uma garçonete. - me da duas porções de batata frita e um milk shake de limão e outro de creme.

- Ok, já volto.

- Como anda sua vida no colégio de filhinhos de papai?

- Boa e a sua no Nepean.

- Boa também. - estavamos sentados perto da janela e quando olhei pra fora ao longe vi o Justin nos encarando com uma cara não muito boa. Ele estava me seguindo, eu vi ele quando estava indo para a lanchonete, ele pensou que eu não tinha percebido que ele estava me seguindo, mas eu percebi. Justin estava começando com o seus tiques de ciúmes. Ele é viu que eu percebi que ele estava ali e começou a andar em direção a lanchonete Respirei fundo e me levantei - Já volto. 

Caminhei rapidamente até o Justin o empurrando fazendo ele parar de andar.

- O que você pensa que está fazendo, Justin?

- Nada. Só te vi na lanchonete e quis ir até você. - ele respondeu calmamente com um sorriso nos lábios. Filho da puta!

- Para de mentir Justin, sei que você estava me seguindo. EU VI VOCÊ ME SEGUINDO.

- Para de dar piti na rua. E eu estou cuidando do que é meu.

- Você que está dando piti me seguindo.

- Está tudo bem aqui? - Zac chegou perto de mim.

- Está sim.

- Era só o que me faltava. MAIS UM RETARDADO.

- Para de gritar, garoto. - Zac pediu.

- NÃO PARO MESMO. GRITO O QUE EU QUISER. 

- Quem é você pra ficar dando piti todo por causa da Brooke?

- Sou o namorado dela idiota e tenho esse direito já que ela estava com um idiota.

- Namorado?

- Isso mesmo! Namorado. E quem é você?

- Eu sou amigo de infância da Brooke.

- Ah, ele é o idiota daquele cara que ia ir numa festa com você, Brooke? - Justin perguntou olhando pra mim e apontando o dedo para o Zac.

- Sim. - assenti.

- Ok, vou te avisar um coisa Zac. Fica longe da Brooke.

- Para com isso Justin, você não o meu dono.

- Mas sou seu namorado.

- Namorado possessivo e cheio do ciúme.

- Cala a merda da boca, Zac. Já ouviu aquele ditado: em briga de marido e mulher não se mete a colher.

- Chega disse, vai embora Justin e vai embora Zac. - quase gritei, aquela discursão estava me dando dor de cabeça.

Os dois se encararam mais um pouco e Justin se virou indo para um lado e Zac se virou indo para a lanchonete. Segui Zac, mas não pra ficar com ele e sim pegar o que eu pedi e ir embora. Pedi para colocarem meu milk shake em um recepiente pra eu levar. Peguei a batatinha e o milk shake e sai daquele lugar.


Notas Finais


Fiz o trailer da minha nova fanfic, é o primeiro trailer que eu faço, eu postei ele no tumblr para eu pedir a opinião de vocês sobre ele, ainda vou postar no youtube, não postei porque eu ainda não comecei a postar a fanfic e tal, ai está o link http://thenoangles.tumblr.com/ vejam e falem pra mim o que acharam e o bom é que vocês vão saber um pouco sobre a fanfic. As frases usadas ficaram zzz porque eu nunca sei contar uma estória dgjdfoih.
twitter: @shitbieba
Beijos, obrigada pelos comentários e favoritos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...