História Bride of the Criminal - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Criminal, Drama, Máfia, Noivado, Romance, Sasuhina, Sequestro
Visualizações 1.380
Palavras 1.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi tudo bem com vocês? Bem eu comecei a escrever isso bem no inicio do ano, mas ela acabou por cair no esquecimento por eu não saber o certo o que fazer ou como continuar ela. Mas hoje enquanto eu apanhava roupa do varal eu tive essa não muito brilhante ideia.
No começo os capítulos serão curtos mais com o passar do tempo pode ser que eles aumentem! Não tenho nenhum capítulo adiantado, por isso eu não sei quando eu atualizarem novamente.
Sou contra todo é qualquer tipo de violência! As coisas que serão narradas aqui não devem ser feitas e nem praticadas por ninguém! Isso é somente uma ficção e nada mais, por favor, não confundam as coisas.
Tudo o que está escrito aqui veio da minha imaginação nada fértil enquanto eu lutava pra ficar com os olhos abertos enquanto lava o banheiro com cloro, por isso nada de copiar - qualquer semelhança com alguma outra fanfic é mera coincidência! Desculpem qualquer erro, eu revisei, mas erros podem ter passado do mesmo jeito.

Capítulo 1 - Fui sequestrada!


Fanfic / Fanfiction Bride of the Criminal - Capítulo 1 - Fui sequestrada!

Assustada, com medo, eu temia pela minha sobrevivência.

Eu não sabia a onde eu estava à última coisa que me lembro de foi de eu sair da escola apressada estava atrasada para o meu trabalho de meio período, que ficava a umas três quadras da escola a onde eu estudo. Como eu estava um pouco atrasada tive que cortar caminho por rua que eu costumo evitar a todo custo, pelo fato de que usuários de drogas e traficantes costumam ficar lá, além de ser um famoso ponto de prostituição.

Usava um uniforme escolar, mas diferente do resto das meninas de minha escola que usavam uma uniforme marinheira com uma saia mais curta e a blusa mais colada, já o meu era o total oposto, uma saia batia um pouco abaixo dos joelhos e duas blusas internas e a blusa padrão do colégio, porém ela era uns dois ou três números maiores do que a minha numeração normal.

Nunca gostei de mostrar meu corpo por vergonha dos meus seios, por serem grandes quando eu estava no fundamental eu acabei sofrendo bullying, isso fez com que eu acabasse tendo vergonha de exibir as curvas que adquiri com a idade.

Porém daquela vez mesmo tendo medo de que algo me acontecesse revolvi cortar caminho por aquela vilela, antes eu tivesse chegado atrasada. Estava tão focada em terminar aquele curto percurso o mais rápido que mal percebi um homem se aproximar de mim por trás.

A viela se encontrava quase deserta somente umas poucas pessoas, aquele lugar que tinha suas paredes repletas de pichações, seu chão sujo e com um odor repugnante, além de pessoas que dormiam em seus colchões velhos e embolorados, alguns se encontravam danificados pelo uso excessivo e pela falta de cuidado.

Olhei para o relógio que apontava que eu tinha que correr, pois tinha somente três minutos para chegar ao meu trabalho. Acelerei meus passos na te expectativa de chegar a tempo, doce ilusão. Mal tive tempo de reagir quando senti uma mão áspera me agarrar e colocar um pano com um cheiro forte em meu rosto fazendo com que eu apagasse.

[...]

Acordei com o sacolejar do veiculo, estava tudo escuro, minha primeira reação foi tentar mexer meus braços e pernas que se encontravam presos em um nó forte de corda. Um enorme medo se instalou dentro de mim, não sabia a onde eu estava e nem mesmo como eu havia acabado daquele jeito.

O desespero se apoderou de mim não conseguia mais manter a calma, vários pensamentos passaram pela minha cabeça, cada um pior que o outro. Temia pelo o que iria acontecer comigo, nunca pensei que isso um dia aconteceria com alguém como eu! Sempre fiz o meu melhor pra ajudar as pessoas, mesmo elas sendo cruéis e maldosas comigo, nunca fiz nada que desonrasse os meus pais e nem a minha família.

Passei minha vida toda tentando ser a filha perfeita, a garota perfeita, mesmo nunca conseguindo eu me esforçava. Aguentei calados todas as humilhações e xingamento das pessoas! Nunca tive ninguém que me ajudasse depois que eu os perdi, a solidão se tornou minha amiga, mas mesmo sem ter ninguém para me ajudar eu nunca desejei que nada de  mau a ninguém.

  Agora eu me pergunto do que adiantou tudo aquilo? Sendo que agora eu me encontro em um lugar desconhecido, com gente desconhecida e que eu não faço à mínima do que querem comigo.

Fiquei me questionado, quase me martirizando tentando entender o porquê comigo?! Eu chorava desesperadamente, meus pulsos se encontravam doloridos e minha boca seca, sem contar a cada segundo que passava o calor aumentava.

O meu medo aumentou ainda mais quando o veiculo finalmente parou, fazendo com que eu ficasse ainda mais apavorada com o que vinha a seguir. Ouvi o bater de duas portas e o destravar do porta-malas, que não tardou a ser aberto, no começo tive um pouco de dificuldade em me acostumar com a claridade do dia.

  - Olha Marco a nossa princesa acordou! – disse o homem loiro. – O que achou da nossa pequena viagem?

- Brendan deixa-a quieta, pois não queremos assustar o nosso pequeno anjinho que nós deu um trabalho é tanto para ser pego.

Pego? Como assim eu nunca vi esses homens antes e duvido que alguém fosse querer me seguir, afinal não tenho nem a onde cair morta de tão pobre que sou. Meus pais morreram em um acidente de carro a cerca de três anos, como nenhum familiar quis cuidar de mim tive que me virar pra sobreviver! Vários empregos de meio período, bicos no final de semana e estudando como se não houvesse amanhã pra manter minha bolsa de estudos em um dos colégios mais caros do Japão.

- Marco você deixou a anjinha confusa! Explica pra ela o que está acontecendo Marco-sensei – o seu japonês não é dos melhores, o homem moreno agarrou meu braço com força fazendo com que eu ficasse em pé com um pouco de dificuldade.

Ele me arrastava com brutalidade enquanto me guiava até uma boate, de imediato entendi o estava acontecendo, eu havia sido sequestrada.

- Acho que você sabe o que isso significa. – neguei, pois eu custava a acreditar o que estava acontecendo comigo. – Se é assim irei lhe explicar, a partir de hoje você é uma das nossas mercadorias para o leilão que ira acontecer hoje à noite. Tu provavelmente serás vendida para algum velho rico que é fã de ninfeta – nem notei quando uma lágrima solitária escorreu pelo meu rosto.

- Ah antes de qualquer coisa! Anjinho você é virgem? – perguntou-me o loiro.

Nem precisei responder o meu rosto fez isso por mim, pois de imediato fiquei corada e um pouco constrangida. Só espero que eles não façam nenhuma maldade comigo por causa disso.

- Ótimo maravilhoso! – exclamou o loiro sorridente – Garota virgem e gostosa é uma coisa difícil de achar, por isso iremos vender ela por um preço mais alto. Ela será a nossa mercadoria de maior valor.

- Sensei acho que dessa vez tiramos a sorte grande!

- Sim, ninguém vai notar de uma órfã gostosa sumir, só espero que o homem que te comprar tenha cuidado pra não destruir esse rostinho lindo que Deus te deu – ele segura a minha face com cuidado, sinto que eles não querem estragar a mercadoria nova e recém adquirida.

- Verônica! – grita Brendan, uma mulher com cabelos alaranjados e pele clara aparece – Arrume a ninja quero que ela fique linda, pois ele será o item mais caro do nosso leilão hoje!

 

A mulher me arrasta até um quarto sujo e embolorado, o cheiro de forte de mofo toma conta do ambiente, persianas velhas e maltrapilhas tapam a única janela do lugar. Choro ao imaginar o que vai acontecer comigo a partir de agora.


Notas Finais


Obrigado por terem lido, espero que tenham gostado. No próximo - que eu não sei como sai - eu coloco a imagem daqueles que eu acho se parecem com o Brendan, Marco e Verônica.
Caso tenha gostado comenta e favorita! Obrigado é até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...