História Bridesmaids - Satzu e Jensoo - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Blackpink, CrystaL Clear (CLC), Red Velvet, TWICE
Personagens Dahyun, Elkie, Irene, Jennie, Jisoo, Lisa, Momo, Rosé, Sana, Seulgi, Tzuyu, Yeeun
Tags Black Pink, Chaelisa, Dahmo, Jensoo, Satzu, Seulrene, Twice
Visualizações 79
Palavras 8.150
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, LGBT, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, esse não é o capítulo final, ok?

Boa leitura!

Capítulo 30 - Felizes para sempre!


Fanfic / Fanfiction Bridesmaids - Satzu e Jensoo - Capítulo 30 - Felizes para sempre!

Jennie foi a primeira a descer da varanda e correr para os braços da irmã, Chahee deu alguns passos para trás devido ao impacto, mas logo abraçou forte a cintura da mais nova retribuindo o carinho.

- Quem vê, pensa que estamos há anos separadas, e não há três meses. - brinca e sente a irmã apertar mais e depois a deixar livre.

- Três meses longe da família é muito tempo! - Jennie argumenta e Chahee revira os olhos.

Jisoo sente o coração ficar apertado, não era a intenção dela ficar ali consigo? Então obviamente Jennie teria que ficar alguns meses longe da família, não poderia fazer viagens seguidas entre a Califórnia e a Coreia. Ou podia?

Chahee então desvia o olhar da irmã observando Sana que tem um sorriso nos lábios, se aproxima da loira abrindo os braços e é recebida com igual carinho pela amiga.

- Senti tanta a sua falta! - murmura para que apenas a Minatozaki possa lhe ouvir, ela se afasta o suficiente para deixar um beijo em sua bochecha e depois volta a abraçar forte.

Eram um trio de melhores amigas, Jennie, Sana e Chahee, mas as duas últimas faziam uns dois anos que não se viam e só conversavam por mensagem, ligação ou via web, era muito bom estar tendo aquele contato.

Enquanto Sana e Chahee estavam matando a saudade, Jennie observa Hanbin e Jiyeon saírem do carro também e logo as portas de trás são abertas e Hope e Jinyoung descem apressados.

- Tia Jen ~ a garotinha grita com a sua voz infantil estridente correndo em sua direção, abaixa-se para a receber com um abraço enquanto o garotinho repete o gesto da irmã com um sorriso no rosto.

- Como vocês estão meus amores? - os aconchega com força contra si deixando um beijo em seus cabelos.

- Eu senti sua falta! - ele relata a abraçando ainda mais forte.

- Eu senti mais! - Hope sobrepõe. - Minha caixa de desenhos é maior. - justifica.

- Eu sei que ambos sentiram! - saem do abraço e Jennie encara seus rostinhos. Em três meses longe as crianças tinham mudado, eram coisas sutis que só quem passou um tempo longe iria perceber.

Então pensa no próprio bebê, estava ansiosa para tê-lo em seus braços e poder admirar cada pequena sutil mudança ao longo do seu crescimento.

- Crianças, deixem-me cumprimentar a Jen também! - ouve a voz do irmão, os gêmeos se afastam correndo para perto de Chahee. Jennie levanta-se podendo encarar o rosto de Hanbin também. - Ei Jennie, foi um longo tempo! - declara abrindo os braços.

A castanha simplesmente se deixa envolver pelo abraço de urso do mais velho, estar ali a fez se sentir em casa e protegida. Suspira absorvendo o máximo do perfume dele e fecha os olhos.

- Eu não tenho uma caixa de desenhos, mas a minha saudade também foi imensa! - Hanbin declara e ela sente os olhos encherem de lágrimas, estava emotiva demais. Nunca tinha ficado tanto tempo longe da família.

- Você é péssimo desenhista! - provoca ainda com o rosto contra a sua camisa. Hanbin se afasta um pouco segurando seu rosto para lhe ver.

- Por isso que sou gerente de uma empresa e não faço desenhos! - justifica com um sorriso. Se inclina beijando sua testa e então Jennie olha para a cunhada se separando do irmão.

- Você está linda! - sorri. De fato Jiyeon parecia tão feliz que aquilo a iluminava e deixava ainda mais bonita. Quando se separam do abraço Hanbin passa o braço sobre os ombros da esposa e o sorriso aumenta.

- Ela tem um motivo maravilhoso para ser cada vez a mulher mais linda! - ele se gaba enquanto coloca a outra mão sobre a barriga da esposa.

Jennie não precisa de palavras para entender, cobre a boca com as mãos e arregala os olhos totalmente surpresa.

- Oh! - é a única palavra que sai de seus lábios, o irmão se aproxima e fala baixinho.

- Descobrimos essa semana. Você é a primeira pessoa a saber. - declara. Os olhos dela enchem de lágrimas mais uma vez e os abraça.

- Sejam bem-vindos! - ouvem a voz de Dahyun, viram-se encontrando as noivas na varanda observando.

- Já estava mais do que na hora desse casamento acontecer. Você não cansou de enrolar a Dahyun, Momori? - Hanbin provoca.

- Na verdade, era ela quem estava me enrolando! - a Hirai justifica causando risada em todos, principalmente quando a baixinha bate em seu braço.

- Vamos entrar, devem todos estar exaustos e famintos da viagem! - Dahyun convida.

- Yep! - as crianças comemoram e sem esperar um segundo correm para dentro da casa.

Jiyeon e Hanbin se apressam em ir atrás antes que os filhos causassem algum dano a decoração que as mulheres passaram o dia se dedicando. Jennie observa a cena com um sorriso e uma presença ao seu lado chama atenção.

- Você sentiu muita falta deles. - Jisoo afirma, a olha e assim como a sua voz a expressão da Kim era triste.

- Ei, o que aconteceu? - questiona erguendo as mãos e segurando seu rosto.

- Eu sei que estamos namorando, mas não vou me opor caso você queira voltar com eles. Vai ser difícil, mas muitos casais têm relacionamento à distância! - dá de ombros.

O coração de Jennie também aperta ao constar o que estava causando preocupação na namorada. Namorada! Era tão bom poder ter Jisoo para si novamente, poder ter seu carinho e chama-la daquela forma. Precisava de fato contar logo sobre o seu bebê, nada mais poderia estragar ou ir contra a sua felicidade.

A imagem do irmão e da cunhada lhe vem na cabeça. Eles estavam tão felizes com aquela notícia, sabia que Jisoo poderia ficar surpresa num primeiro momento, até porque recém começaram a namorar e já jogaria uma bomba daquelas mas sabia que se escolhesse as palavras certas, a Kim iria aceitar.

Se aproxima e beija seus lábios de leve.

- Eu vou apenas voltar pra lá para acertar as coisas no meu trabalho, me despedir dos meus alunos e - respira fundo. - Tenho um outro assunto sério para resolver. Na verdade, eu só tenho procurar uma pessoa e lhe contar sobre uma coisa.

- Alguém que você estava se relacionando antes de viajar?

- Não é bem isso. - respira fundo de novo. - Chu, eu sei que não é o melhor momento para isso, mas

Segura o pulso de Jisoo com a intenção de levar a mão dela até a sua barriga. Queria aproveitar o embalo do assunto contando logo para tirar aquele peso sobre si. Deveria esperar até o momento em que estivessem sozinhas, pois não sabia qual seria a sua reação, mas não aguentava mais aquilo.

- Eu estou g

- Tia Jen ~ a voz sobressaltada de Hope faz ambas se assustarem e olharem em direção a varanda. - Vamos comer! - convida, o biquinho nos lábios da sobrinha faz o coração dela derreter.

- Vamos sim, meu amor! - aproveita que a sua mão já está segurando a de Jisoo para puxa-la consigo na direção da casa.

Deveria de fato esperar até o momento em que estivessem sozinhas, mas por que o seu coração ficou apertado de repente como se algo ruim fosse acontecer?

(...)

Com a chegada da família da americana que também são os Kim, as seis amigas resolveram liberar Jennie da tarefa de continuar com a decoração pela casa para ficar conversando com eles, pois eram três meses de novidades para contar. Os Hirai e a família de Dahyun também chegaram, mas estavam cansados demais da longa hora pela estrada e depois do café da tarde foram dormir.

Enquanto isso, elas continuavam a fazer a decoração pela casa, queriam terminar tudo naquele dia mesmo já que no seguinte viria a empresa de decoração ajeitar a parte para a cerimônia.

- Você me deixa deprimida! - Lisa faz careta ao observar a prima mexendo nas flores com o olhar sempre baixo.

- O que? - tira a atenção das flores que tem nas mãos erguendo o olhar para a loira.

- Jennie está ali na sala, no cômodo ali do lado e você está aqui toda tristonha só por não estarem próximas! - revira os olhos. Jisoo solta uma risada batendo no braço da outra.

- Não é por isso! - suspira. - Ver Jennie com seus irmãos me deu um aperto no coração. Como se fosse perder ela.

- Que bobagem Chu. Se ela disse que vai ficar, e vocês estão namorando! - a castanha lhe encara surpresa. - Por favor né, vocês duas deixam as coisas muito na cara! Todas nós já sabemos

- Ok. Estamos juntas mesmo.

- Sou muito inteligente! - se gaba.

Momo sai da casa parando perto das duas com as mãos na cintura as encontrando conversando ao invés de fazendo os arranjos, ela e a noiva estavam decorando a sala de jantar. Ela estreita os olhos para elas e depois olha ao redor, quase toda a varanda já estava bem decorada com os pequenos arranjos de flores, sorri satisfeita.

- As meninas subiram pra se arrumar pra despedida de solteira da Dahyunie. - avisa. - Vamos também!

- Nos arrumar pra sua despedida de solteira ou pra dá Dahyun? - Lisa se faz de desentendida. Momo bufa virando-se de costas e voltando para dentro da casa, Jisoo solta uma risada.

- Pare com isso. - levanta do chão onde estavam sentadas. - Você sabe que ela está se corroendo por dentro de curiosidade para saber o que vai rolar na despedida da Dahyunie.

- Elas se amam então isso significa confiança. Nenhuma delas vai sair de lá pra um motel transar loucamente com outra pessoa! - exclama, ao não ouvir resposta por parte da prima vira-se já preparada para ouvir um belo sermão, mas Jisoo tem um sorriso.

- Em três meses morando comigo, isso foi a coisa mais bonita que te ouvi falar. - declara e a loira revira os olhos.

- Aliás. Estou à procura de um apartamento para mim ir morar. - a castanha ergue a sobrancelha confusa. - Já abusei demais da sua hospitalidade, e como nesse tempo não tive que me preocupar em pagar nenhuma conta, guardei todo o dinheiro do salário, então posso ir atrás de algum lugar.

- Você pode ficar o tempo que achar necessário! - Jisoo passa o braço ao redor de seus ombros num abraço de lado.

- Eu sei que você aprecia muito a minha companhia! - fala convencida.

- Ainda bem que Jennie e Kuma ainda vão estar lá. Seria estranho ter a casa cheia num dia e no outro mais ninguém.

- Eu acho que seria mais saudável para vocês duas se Jennie fosse morar num lugar só dela. - diante do olhar indignado da prima, explica. - Privacidade. Vocês passam praticamente vinte e quatro horas por dia juntas, já que ela aparece as vezes lá no estúdio. Assim não vai dar certo. Precisa existir aquela saudade.

- Nunca pensei que um dia, Lalisa Kim estaria me dando concelhos. - dá risada, já estão no segundo andar da casa em frente as portas dos quartos.

- Jennie poderia dividir o apartamento comigo! - sugere. Jisoo arregala os olhos.

- Você está com segundas e terceiras intenções pra cima dela! - acusa.

- EU? - coloca a mão sobre o peito e faz a melhor expressão de indignação. - Que calúnia Jisoo, eu só quero dividir as despesas com alguém!

- E aquele papo de ter guardado o dinheiro?

- Vai ser usado para pagar adiantado alguns meses do aluguel.

- Não posso impedir a Jennie de aceitar ou não essa sua proposta! - amua fazendo bico nos lábios.

Ao falar isso percebe que algum pensamento passou pela cabeça da prima, logo a expressão de Lisa muda totalmente.

- Mas então. Hm. - limpa a garganta e coça a cabeça. - Vamos ir trocar de roupas e nos ajeitar para essa despedida de solteira, antes que Momo venha ralhar conosco.

Some atrás de uma das portas do corredor. Ao propor aquela ideia de morar com Jisoo, tinha esquecido do pequeno detalhe do bebê que a americana estava esperando. Ela precisaria de conforto e espaço, então Lisa teria que encontrar outra possível companheira de apartamento.

(...)

Sana estaciona o carro na entrada da garagem da casa e então vira-se para trás para ver as ocupantes dos outros bancos, Jennie repete o seu gesto vendo a Chahee e Jiyeon com um sorriso nos lábios e Dahyun mexendo as mãos de um jeito ansioso. A casa de praia dos Chou foi o lugar escolhido para a despedida de solteira dela e mesmo insistindo muito, as amigas não lhe contaram o que estavam planejando, motivo pelo qual a sua ansiedade e nervosismo estavam a níveis supremos.

- Vamos lá Chahee, coloque a venda nos olhos dela! - a Minatozaki orienta. A mais velha ergue o corpo um pouco do banco buscando o pedaço de tecido no bolso de sua calça jeans.

Dahyun arregala os olhos encarando as duas amigas ocupantes dos bancos da frente e depois vira-se para Jiyeon com uma expressão de súplica.

- Você promete não deixar essas malucas me torturarem? - pergunta fazendo aegyo.

- Aish. Eu estava com uma lista de maldades já preparada! - Jiyeon faz cara de decepção.

- Por que a minha despedida de solteira não pode ser um chá da tarde, como foi a sua? - encara Sana que solta uma gargalhada.

- Quem organizou a minha foi mamãe e a senhora Chou! - lembra.

- Não duvido nada que a tia Charlotte fosse adorar uma despedida de solteira bem maluca. - Jennie ri.

- Ela só não fez isso por causa da mãe da Chewy! - Sana dá de ombros.

- Mas agora, chega de enrolação. - Chahee corta o assunto. - Dahyun, vira-se para que eu prenda a venda. - pede e a baixinha mesmo contrariada obedece. - Vocês três, entrem lá que eu levo ela. - comanda.

Dahyun fica com a audição em alerta, ouve o barulho de três portas do carro abrindo, uma fecha e Jiyeon fala alguma coisa sobre os gêmeos, enquanto Jennie responde as outras duas portas fecham. Só estavam ela e Chahee ali agora.

- Não se preocupe. - a americana corta o silêncio. - Não vai acontecer nada demais. - sabe que a castanha tinha dado de ombros, ajeita-se no banco escorando-se para trás. Era estranho conversar com alguém usando uma venda nos olhos.

- Você não vai me contar o que estão aprontando. - declara.

- Nops. - ri. - Vai ser apenas uma noite divertida de garotas. Comer doces, colocar as fofocas em dia. Tipo nossas festas do pijama na adolescência! - resume.

Dahyun respira fundo algumas vezes tentando tirar a tensão do corpo. Não seria nada demais. Só uma festa do pijama adulta!

- Você acha que elas vão dar certo dessa vez? - a voz de Chahee volta a ser ouvida no meio do seu processo para se acalmar. Dahyun deixa os ombros caírem, sabia de quem ela estava se referindo.

- Elas só vão saber se tentarem de verdade. É visível que o sentimento ali é verdadeiro, mas tem muita coisa ainda que uma guarda da outra. Até todas as cartas não serem postas na mesa, isso está fadado a dar errado. Eu não estou sendo pessimista, mas estou prestes a casar com a pessoa que está comigo por nove anos, eu posso falar com absoluta certeza que ocultar ou omitir fatos, não é um bom jeito de se começar, muito menos permanecer numa relação.

Chahee abre a boca para perguntar do que Dahyun está falando, o que Jennie e Jisoo estão escondendo uma da outra, mas a sua atenção é distraída para a porta da casa, onde Sana faz sinal que ela pode levar a noiva.

- Depois eu quero saber mais sobre isso. Mas agora noivinha, nós temos uma festa para curtir! - anuncia.

Chahee sai do carro e segurando a sua mão vai a puxando pelo banco para sair também, quando está em pé do lado de fora a americana fecha a porta e começa a lhe puxar a guiando para a casa. A castanha solta uma risada quando as mãos da baixinha começam a tremer.

- Vão ter três degraus. - orienta e ajuda chegar na varanda. - Vai ser divertido, ok? - sente alguma coisa ser presa em seus cabelos, não aguenta de curiosidade e ergue a mão tocando em um pedaço de tule, provavelmente era um véu de noiva. - Preparada?

E adiantaria de alguma coisa dizer não? Assente com a cabeça e a venda é tirada de seus olhos.

Logo que abre os olhos a sua visão está embaçada, mas depois de piscar algumas vezes consegue se orientar melhor e seu queixo vai ao chão. A sala está decorada com balões amarelos, laranja e branco representado o sol. Tem diversos porta-retratos espalhados pelos móveis contendo fotos delas em vários momentos divertidos e em idades diferentes, mas uma foto em questão está numa moldura maior é ela e Momo na viagem para aquele mesmo lugar quando a Hirai fez o pedido de namoro na adolescência nove anos antes. Ao redor da foto tem espaço em banco, mas mesmo ali de longe consegue ver algumas mensagens escritas em caneta.

Aquela seria mesmo uma festa do pijama já que suas amigas estão de roupas de dormir, porém não eram pijamas normais e sim peças provocantes que fizeram suas bochechas ganhar cor. A mais comportada era Jiyeon com um short e blusinha de renda lilás.

Fica sem reação diante daquilo tudo, então Jennie levanta do sofá indo até ela e guia até o centro da sala, Sana está com duas taças de champanhe e entrega uma para a amiga, que logo bebe um gole.

- Sente-se e aprecie o show. - Jennie murmura empurrando seu corpo e a fazendo cair sentada no sofá atrás de si.

Jiyeon corre para ligar o som e uma batida sensual começa a tocar, as quatro se colocam a sua frente e começam a mover o corpo no ritmo da música e Dahyun só consegue pensar em como queria ter uma câmera para gravar aquilo e mostrar para Momo. Infelizmente não tinha sequer o celular junto.

Mas, o que acontece na despedida de solteira, fica na despedida de solteira!

Estava tão distraída observando as quatro, que quase engasga com a bebida quando elas abrem espaço e uma quinta dançarina aparece entre elas. Parecia ser uma dançarina de verdade.

A mulher está com uma lingerie vermelha e com os cabelos pretos, faz o contraste perfeito na sua pele clara, como tem uma máscara lhe cobrindo o rosto, não sabe quem é a tal. Arregala os olhos quando ela se aproxima do sofá, o coração quase saindo pela boca.

Quando a mulher está perto o suficiente ela ergue as mãos segurando a borda da máscara e a tirando do rosto. A expressão de espanto dá lugar a surpresa quando reconhece a pessoa.

- Nayeon! - exclama levantando do sofá e indo abraçar a irmã mais velha. - Meu Deus, você disse que só conseguiria chegar amanhã perto da hora da cerimônia!

- Surpresa! - a morena exclama rindo e se afastando do abraço.

- Vocês armaram tudo! - aponta para as quatro. - Vacas!

Todas caem na risada pela reação da Kim. Jennie vai desligar a música.

- Isso está muito sexy, mas vamos colocar os roupões! - Chahee aponta para os corpos desprovidos de vestimenta. - Quando estivermos devidamente vestidas, você pode dar um abraço de agradecimento para cada uma por ter conseguido trazer a sua irmã!

- Eu gostei de ficar assim! - Sana se joga no sofá. - E não me importo em abraçar pessoas de lingerie! - dá de ombros.

- Depois que casou se tornou uma depravada! - Jennie desaprova.

- hahaha somos amigas e mulheres. Não vou ter sonhos eróticos depois! - justifica. - E já convivi tempo suficiente com vocês para tê-las visto com bem menos do que calcinha e sutiã.

- Sonhos eróticos não é mais problemas, se acordar no meio da noite excitada, basta virar para o lado e agarrar a senhorita Chou. - Dahyun provoca.

- Yah! - as bochechas de Sana ficam vermelhas e ela pega uma almofada atirando na baixinha.

- Ok. Vamos começar a abrir os presentes! - Chahee corta o assunto.

Dahyun levanta do sofá fechando o roupão e então sentando-se no tapete da sala cercada pelos pacotes de presentes. Uma batida na porta surpreende todas, pois não estavam esperando mais ninguém para a festa. Sana revira os olhos e levanta para ir atender.

- Sannie, você está praticamente nua! - Dahyun lembra. A Minatozaki toca a maçaneta e então vira-se para encarar a amiga e sorri.

- Vai ser uma surpresa e tanto para quem estiver do outro lado! - aponta para o próprio corpo, estava vestida com um baby-doll azul clarinho.

Todas reviram os olhos mas encaram com expectativa totalmente curiosa sobre a reação de quem estiver do outro lado da porta. Sana atende e fica muito surpresa.

- Soojoo. O que está fazendo aqui? - questiona. A Minatozaki mais nova arregala os olhos diante a irmã praticamente nua.

- O que você está vestindo? - lhe olha de cima abaixo e depois desvia o olhar para a pessoa ao seu lado, então a loira também percebe a outra ali, uma garota de cabelos loiros curtos, vestindo uma regata e bermuda larga, com tênis nos pés. Ela está com os olhos arregalados e o queixo caído.

- Quem é você? - questiona para a garota.

- Pare de olhar, Nicole! - Soojoo se exalta pulando sobre a garota e cobrindo seus olhos com as mãos.

- Ei Soojoo! - Dahyun tinha se apressado até a porta. - Entrem garotas! - empurra o corpo imóvel de Sana para o lado deixando espaço.

- Desculpe pelo atraso unnie. - fala entrando na casa. - Iniciamos a viagem um pouco tarde!

- Está tudo bem. - sorri e passa o braço sobre seus ombros. - E você é? - olha para a outra.

- Nicole! - se apresenta tímida e as bochechas ganhando cor. - Sou, amiga da Soo.

- Amiga? - Sana volta a se manifestar chamando a atenção de todas, ela está de braços cruzados e batendo o pé no chão.

- Sim Sannie. - a mais nova se aproxima de Nicole e passa o braço por sua cintura. - Amigas! - se inclina beijando sua bochecha e depois morde o lábio inferior.

- Soo - ela amua ficando vermelha.

Todas caem na risada já entendendo as coisas entre elas.

- Deixa de ser chata. Você já teve essa idade e namorados também! - Jennie tenta apaziguar as coisas e puxa a amiga para o sofá, Jiyeon já está sentada ali e estendendo um roupão para a loira.

- Ao menos é alguém da idade dela! - Dahyun dá de ombros.

- Você já ficou com alguém mais velho? - Sana olha para a mais nova.

- É normal. – a mais nova responde com desdém.

- E não é como se a Chu fosse muuuito mais velha que ela! - Dahyun percebe o que falou tarde demais, Sana já está em pé e o rosto vermelho.

- Soojoo, você transou com a Jisoo? - sua voz sai alta e estridente.

- Não fizemos nada! - ela se apressa em esclarecer.

- Jisoo, minha melhor amiga transou com a minha irmã! – acusa e começa a caminhar de um lado para outro.

- Não rolou nada! - Soojoo volta a falar.

- Você não devia ter deixado isso acontecer! - aponta para Jennie, a americana ergue o olhar.

- Eu? - aponta para si mesma. - O que eu tenho a ver com isso?

- Você estava lá. Deveria ter protegido a minha irmã!

- Ela já é adulta Sana, sabe o que deve ou não fazer! - revira os olhos.

- Eu sou adulta, viu só! – Soojoo repete as palavras. - Só nos beijamos algumas vezes.

- Jisoo deveria te considerar uma irmã mais nova, e não te beijar. Argh! - passa as mãos pelos cabelos. - Eu vou matar aquela Kim!

- Uau! Eu sabia que aquela vir pra essa despedida de solteiro seria legal! - Chahee comemora.

- Dahyunie. Onde é a despedida de solteiro da Momo? - Sana olhar para a baixinha.

- Argh. Eu só queria abrir os meus presentes! - Dahyun amua.

(...)

Aquela não era bem a despedida de solteiro dos sonhos de Momo, mas estar naquele bar bebendo com as amigas valia a pena. No dia seguinte naquele horário estaria casada com a mulher que ama, então ter esse momento era bom.

Tinham escolhido uma mesa bem ao centro do lugar e Lisa exigiu que ela usasse uma tiara idiota com véu de noiva para que todos ali soubessem que Momo iria casar. Estavam conversando sobre diversos assuntos, mas nada relacionado ao casamento já que todas estavam saturadas desse assunto.

- Você resolveu aquele negócio com a Elkie? - Lalisa pergunta.

- Faz alguns dias que não estou conversando com ela. Pedi para o pessoal da recepção da empresa não permitir que ela suba, e que me avise quando ela estiver lá para que eu não desça.

- Seria melhor você contar para Sana o que está acontecendo. - Jisoo entra no assunto. - Elkie pode aparecer a qualquer momento e contar tudo para Sana.

- Elkie não faria isso. Ela sabe que está errada. - Tzuyu torce internamente por isso.

- Mas vocês terminaram tudo mesmo? - Momo pergunta para ter certeza. – E Elkie não fez tudo sozinha, não esqueça que se ela te beijou, foi por que você também quis.

- Eu realmente amo a Sana e quero que sejamos felizes juntas. - um movimento na porta do bar chama a atenção da morena. - Sana?

- Como? - Momo fica confusa.

- Elas! - aponta para a porta do lugar e todas viram a cabeça para a direção.

Sana é quem caminha na frente de todas sendo a guia, seus passos são pesadas e sua expressão fechada faz até o sangue de Tzuyu gelar. Quando ela está perto o suficiente é possível ver fogo saindo de seus olhos. A Chou levanta rapidamente de seu banquinho para a receber, mas a Minatozaki desvia dela indo direto para Jisoo.

- O que

A castanha não tem chance de terminar a frase e muito menos se defender, Sana ergue a mão com o punho fechado acertando em cheio o canto da boca de Jisoo, que se desequilibra caindo do banco.

- Sana! - Tzuyu se apressa em levantar e ir segurar a esposa antes que avançasse sobre a amiga novamente.

A gargalhada de Lisa ecoa pelo lugar.

- Wow. - Momo levanta também. - Quando foi que isso virou luta livre?

(...)

- Essa está sendo a melhor despedida de solteiro do mundo! – Momo exclama entrando na cozinha acompanhada da noiva, Dahyun revira os olhos mas solta um suspiro. Sana está apoiada na bancada da cozinha com a expressão ainda fechada e Tzuyu ao seu lado, a abraça pela cintura como se temesse que pulasse no pescoço de Jisoo de novo.

Depois da Minatozaki nocautear Jisoo todas decidiram que estava mais do que na hora de voltar para casa, e garantiram que ambas não fossem no mesmo carro. Deixaram Jiyeon no hotel em que os Kim estavam hospedados. Quando chegaram na casa, Soojoo e Nicole subiram direto para um dos quartos para evitar mais confusão.

- Você nunca teve uma despedida de solteiro para poder comparar! – Dahyun caminha até a geladeira pegando uma garrafinha de água, pega um copo no armário e serve-se um pouco.

- Podemos casar e fazer uma festa! – Momo mexe as sobrancelhas de um jeito sugestivo. Nayeon solta uma risada achando graça da cunhada levemente alterada.

- Nós vamos ter uma festa amanhã. – Dahyun se aproxima entregando o copo com água para a noiva, Momo estava bêbada e tomar água iria ajudar.

- E eu não quero apanhar de novo! – Jisoo amua, ela está sentada num banquinho com Jennie cuidando do ferimento no canto de seu lábio, Chahee auxiliava a irmã separando e lhe entregando o que fosse necessário.

- Isso é para você aprender a não beijar a irmã dos outros! – Sana acusa e Tzuyu aperta mais o abraço ao redor dela para evitar mais agressões naquela noite.

- Então eu devo bater na Jisoo também? – Chahee questiona, elas riem e a Kim fecha a cara olhando feio para ela.

- Ninguém vai bater na Jichu! – Jennie se inclina deixando um beijinho no nariz da castanha.

- Wow mas como são fofas! – Chahee provoca. – Duvido que Jennie vá querer voltar pra casa se continuar assim!

- Mas não quero mesmo! – a americana declara abraçando Jisoo pelos ombros.

- Jennie já está em casa aqui! – a castanha completa.

- Oh céus. Eu vou sair daqui antes que vomite! – Lalisa levanta da cadeira saindo da cozinha, joga-se no sofá olhando a decoração a sua volta. 

Era a decoração da despedida de solteiro de Dahyun com todos aqueles balões e fotos espalhadas pela sala, as garotas tinham caprichado e estava tudo muito bonito, sentiu-se de certo modo mal por não terem preparado algo mais elaborado para Momo também, mas a Hirai pareceu satisfeita em apenas ir beber com as amigas e a noite e apesar de Jisoo ter acabado com a boca machucada, foi divertido, principalmente a parte em que Sana bateu em sua prima.

Elas observam a loira sair da cozinha e Jennie volta a atenção para Jisoo terminando de limpar o corte no seu lábio, não era grande, mas por ser numa área sensível, ainda ardia, com certeza no dia seguinte estaria roxo e mais inchado. Chahee observa os gestos da caçula e sorri diante dos cuidados dela, sabia desde o momento em que Jennie resolveu viajar três meses antes para o casamento, que aquilo iria acontecer. O sentimento entre elas era forte demais.

Ficar por ali na companhia da outra Kim faria muito bem para Jennie.

- Ficar perto da Jisoo está realmente fazendo bem para minha irmã. – observa quebrando o silencio. – Jennie está até mais gordinha!

Tais palavras assustam Jennie fazendo o seu coração bater forte e as mãos ficarem tremulas, seu rosto começa a ficar vermelho e sem querer aperta o lugar machucado no rosto de Jisoo e ela resmunga.

- Desculpa! – amua deixando um selinho nos lábios da castanha. – Eu apenas estou me alimentando bem! – responde vagamente a irmã. – E chega de confusão por hoje. – desconversa. – Amanhã é o grande dia e temos que todas estar bem descansadas e lindas!

- Verdade. – Dahyun concorda. – Amanhã é meu casamento! – fica entusiasmada. – Vamos. Vamos. – sacode o braço de Momo, que está com a cabeça escorada contra a parede e de olhos fechados. – Vamos dormir meu amor, amanhã é o nosso grande dia!

- Nayeon deve estar cansada da viagem também! - Chahee lembra.

- Não apenas ela né, você também passou horas dentro de um avião e sequer descansou um minuto! - Sana lembra a irmã da amiga.

Momo abre os olhos meio desorientada de onde está, pisca algumas vezes e coça o olho esquerdo se espreguiçando com o braço direito.

- Sana, Dahyun, Nayeon, Chahee e eu, no quarto da direita. Vocês dá esquerda! – Jennie orienta e aponta para as outras.

- O QUE? – Jisoo, Momo e Tzuyu gritam em uníssono.

- Vocês não podem passar a noite juntas! – Nayeon aponta para Dahyun e Momo. - É a tradição que os noivos não se vejam antes do casamento para que dê sorte.

- Mas, e o que nós temos a ver com isso? – Tzuyu aponta para si e Sana.

- Como ótimas melhores amigas que somos, vamos fazer o mesmo! – Chahee responde.  – Vou subir e ir tomando banho, enquanto as quatro pombinhas dão boa noite! – acena com a mão saindo da cozinha.

Jisoo faz biquinho e encara Jennie que sorri e lhe beija.

(...)

Something old, something new, something borrowed, something blue

Quando Dahyun acorda no dia seguinte o quarto já está muito bem iluminado, embora toda aquela claridade tivesse machucado os seus olhos era bom pois ela tinha que acordar. Espreguiça o corpo estendendo os braços pelo colchão e estranha ao ter o lugar ao seu lado vazio. Lembrava muito bem de ter suas quatro amigas ali dormindo consigo na noite anterior.

Abre os olhos encarando o teto e então senta-se na cama observando o quarto vazio, um sorriso enorme surge em seus lábios ao ver o seu vestido de noiva pendurado num cabide perto da janela, era tão lindo e aumentava ainda mais a sua ansiedade para saber a reação de Momo quando a visse.

Seu coração bate com força em expectativa para saber como seria o vestido de Momo. Levanta da cama com pressa e se aproxima do seu vestido tocando o tecido delicado com as pontas dos dedos. Sana tinha um talento incrível para desenhar e com certeza aquele tinha sido o melhor presente que tinha ganhado.

- Bom dia noiva linda! – ouve atrás de si a tirando dos pensamentos e ao virar-se encontra as amigas ali na porta.

Sana tem uma bandeja nas mãos e Jennie um buquê de flores, quando entram no quarto Dahyun consegue ver que na bandeja tem um café da manhã completo.

- Hoje é o seu dia, então não deve se preocupar com absolutamente nada! - Nayeon senta-se na beira da cama.

- Mas e a decoração do

- Não se preocupar com nada. - Chahee ressalta. - Apenas aproveite para curtir o seu maravilhoso dia de noiva!

- Dia de noiva? - levanta a sobrancelha.

- Momo e você vão ter o melhor dia! - Sana sorri.

- Enquanto Chahee, Lalisa e eu vamos até a casa ajeitar as coisas por lá! - Nayeon sorri.

- Mas vocês viajaram por horas. - argumenta.

- É o casamento da minha irmã mais nova. - se aproxima de Dahyun passando o braço pelos ombros dela. - Você merece o melhor! - beija a bochecha dela.

- Ok. Dahyun tome o seu café da manhã e depois teremos um dia cheio de mimos. As outras meninas vão cuidar de Momo.

- Coitadas! - Dahyun amua e depois solta uma risada.

Volta a sentar na cama erguendo as pernas sobre o colchão e colocando a bandeja na sua frente. Ali tinha suco, café, frutas, biscoito e várias outras coisas que com certeza não teria como comer sozinha ou engordaria e não entraria no vestido mais tarde.

- Sentem-se e vamos todas comer isso juntas. - aponta para a cama as convidando para sentarem também. - Não vou dar conta sozinha.

Todas se acomodam ao seu redor se servindo do que queriam. Jennie lembra-se de algo importante.

- Temos que seguir a tradição! - bebe um gole de suco, pois o café lhe dava azia.

- Que tradição? - Sana questiona. - Eu não tive essas coisas não. - se opõe.

- Algo velho. Algo novo. Emprestado. E azul. - Tiffany resume.

- Bobagem. - a loira revira os olhos.

- Oh. Eu quero seguir isso! - a baixinha se entusiasma.

- Ótimo! - a americana sorri.

- Vamos conseguir essas coisas para você então. - Nayeon assente para a irmã.

- Qual o significado da coisa velha? - a loirinha vira-se para Jennie.

- É a sua ligação com a família e tradição!

- O que eu posso usar? - pergunta para a irmã.

- Vou conversar com a omma e ter uma ideia com ela. Aliás. - ela levanta da cama e se inclina deixando um beijo carinhoso nos cabelos da irmã. - Vou ir agora. Daqui a pouco o decorador chega.

- Obrigada.

(...)

Mais tarde Momo está muito bem acomodada em uma cadeira recebendo uma massagem nos pés e fazendo as unhas das mãos. Aquilo sim era um ótimo presente por parte de suas amigas. Não que estivesse reclamando da despedida de solteiro que teve, mas acabou bebendo além da conta e Dahyun a fez beber litros de água depois para que não tivesse ressaca naquele dia. Beber água ajudou, mas agora não parava de ir ao banheiro.

Sai do devaneio ao ouvir a porta do quarto sendo aberta e Jisoo entrar no cômodo com um papel nas mãos, seu olhar estava fixo naquilo parecendo ler algo.

- Jennie nos deu uma missão! - a Kim olha para Tzuyu e ergue a mão mostrando o papel.

- E o que é isso? - questiona confusa. - O que estão inventando agora? - pega o papel e fica em silêncio por alguns segundos lendo. - O que significa isso?

- Temos que arranjar uma coisa velha, outra nova, uma emprestada e outra azul! - a castanha vai pontuando com os dedos.

Tzuyu e Momo ficam com cara de paisagem a olhando. Jisoo dá de ombros.

- É uma tradição de casamento. Também não entendi muito quando a Jen explicou, mas ela disse que a Dahyun vai fazer! - olha para Momo no final da frase e os olhos da Hirai brilham quando o nome da noiva é mencionado.

- Então eu vou fazer! - a mais alta se entusiasma. - Quais são os itens mesmo?

Jisoo lê a listinha de novo e Momo fica pensativa.

- Velho. - murmura. - Eu tenho a Jisoo. Ela é pequena e posso levar ela pendurada na minha roupa.

- YAH ~ a Kim se inclina dando um tapa no braço dela. Tzuyu solta uma risada.

- Qual o significado da coisa nova? - pergunta. Jisoo pega o papel novamente, estava tudo explicado ali.

- Representa o futuro, a nova vida que você e a Dahyunie vão ter juntas! - responde.

- O novo pode ser o vestido de noiva. Como é desenho exclusivo da Sannie, ninguém nunca o usou! - Tzuyu lembra.

- Olha ela. Toda babona falando da esposa estilista! - Momo provoca.

- Minha esposa é um máximo mesmo! - exibe.

(...)

A cabeleireira mexia nos cabelos de Dahyun e isso era tão bom e confortável, que a deixava com sono. Nayeon tinha mandado para ela uma mensagem com foto avisando que encontrou a coisa "velha" a qual precisavam, e isso a deixou aliviada.

Jennie tinha ido ao quarto de Momo para verificar se estava tudo de acordo e Sana saiu do quarto sem falar nada há alguns minutos.

- Está de seu gosto o penteado senhorita Kim? - a cabeleireira chama a sua atenção. As amigas estavam empenhadas em tornar aquele dia o mais perfeito de sua vida.

Dahyun tinha escolhido algo simples, deixaria os cabelos soltos que cairiam em ondas por seus ombros e costas. A mulher tinha lavado seus cabelos com produtos com perfume de rosas, o preferido de Momo, e depois de seca-los agora estava fazendo os cachos que seriam levemente desfeitos para ficar apenas em ondas.

Sana volta ao quarto e tem as mãos para trás das costas, como se escondesse algo. Dahyun ergue a sobrancelha, mas a Minatozaki sorri e finge que não é nada sentando-se na cama.

- O que você esconde aí? - não aguenta a curiosidade.

- É uma das quatro coisas da tradição, mas só vou entregar quando estiver pronta! - responde sapeca.

- Vocês são as melhores amigas do mundo, mas quando cismam em serem chatas, são campeãs. - faz biquinho.

- Você nos ama e a nossa chatice não é nada. - responde jogando os cabelos para trás.

Dahyun solta uma risada.

(...)

Só faltava agora o vestido e Momo se sentia tão ansiosa. Em poucas horas seria oficialmente casada com a mulher de sua vida, pertenceria para sempre a Dahyun. O tempo que já estavam juntas era mais do que o suficiente para se dizer que uma pertencia à outra, mas casar e ter a benção da família era um sonho de ambas.

Levanta da beira da cama caminhando até o cabide onde tem o seu vestido, as amigas tinham saído do quarto para a deixar a vontade para trocar de roupa e irem se vestir também. Toca o tecido e suspira, estava tão feliz. Segura a cinta do roupão o abrindo e deixando cair aos seus pés, a lingerie que estava usando era de um azul bem clarinho para ficar dentro da tal tradição.

A coisa nova seria o vestido e a velha os brincos que, por acaso mesmo não sabendo da tal tradição a sua omma tinha lhe dado para usar na cerimônia, "É pra dar sorte" a ahjumma argumentou e estavam na família por gerações, cada noiva usando tal joia no casamento, podia-se dizer que era uma tradição da família Hirai. A coisa emprestada foi Tzuyu quem providenciou, uma delicada pulseira.

Segura o tecido do vestido passando por seu corpo e o vestindo, se moldava perfeitamente ao seu corpo, feito sob medida para si. Tinha que concordar com Tzuyu, Sana era uma estilista e tanto. Admira o seu reflexo no espelho de corpo inteiro e sorri satisfeita, era simples, leve e lindo.

Caminha até a cômoda pegando o último item de seu visual. Sana tinha passado por ali minutos antes e deixado uma delicada coroa de flores para que usasse em seus cabelos.

Agora estava pronta para pertencer para sempre a Dahyun.

(...)

Dahyun analisa o seu reflexo no espelho e sorri satisfeita com o que vê, estava linda. Estava se sentindo a mulher mais linda do mundo, mas não era por causa da maquiagem bonita, os cabelos ajeitados ou o vestido que lhe caia perfeitamente ao corpo, mas o real motivo era o brilho em seus olhos e o sorriso em seus lábios.

Seu coração estava batendo com força contra o seu peito ao mesmo tempo em que tinha aquelas borboletas em seu estomago. Era como se fosse ter o seu primeiro encontro com Momo novamente, mesmo depois de vários anos, a Hirai ainda lhe causava essas sensações maravilhosas em seu corpo.

Poderia de fato considerar aquele o seu primeiro encontro.

Sana levanta da cama caminhando para perto da amiga e ficando as suas costas, pelo espelho a baixinha vê que ela tem algo nas mãos e Sana coloca sobre a sua cabeça, é uma coroa de pequenas flores azuis.

- Azul que representa a pureza do amor de vocês! – a abraça pela cintura e apoia o queixo em seu ombro, aproveita aquele momento para observar o vestido no corpo da amiga, tinha ficado perfeito.

O novo era o vestido. O emprestado foi com Jiyeon, segundo a tradição deveria pegar algo de um casal que tivesse um bom casamento para dar sorte ao seu e Hanbin e Jiyeon eram muito felizes. O azul estava nas delicadas flores em seu cabelo.

Sabia que não seriam essas coisas todas e tradições que faria o seu casamento ir bem e que fossem felizes, tudo dependia apenas dela e Momo de continuar construindo a sua felicidade.

Suspira e vira-se para Sana.

- Estou pronta, já podemos ir.

(...)

Todos os convidados já estavam devidamente acomodados nas cadeiras ali dispostas pela areia, o sol estava se pondo deixando o céu laranja e refletindo no mar deixando a paisagem parecida com um conto de fadas ou o paraíso. Aquele era o sonho de Dahyun se tornando realidade, o lugar estava exatamente como ela pensou.

Quando chegou à praia quem veio lhe abrir a porta do carro foi Sana, as suas pernas estavam tremendo e parecia que podia cair a qualquer momento. Ao entrar na casa Nayeon e seu pai são quem se aproximam dela, o pai tem uma pequena caixinha nas mãos, o sorriso dele se estende por todo seu rosto acentuando as rugas ao redor dos olhos, aquilo tem o poder de acalma-la um pouco.

- Como está belíssimo o meu sol! - ele segura a caixa com apenas uma mão estendendo a outra na direção da filha, Dahyun repete o gesto apertando de leve a mão dele. - Vocês duas são o bem mais precioso da minha vida. Você. - olha para Dahyun. - Vai começar uma vida ao lado da pessoa que ama e desejo de coração que o seu casamento com Momo seja tão iluminado quando foi o meu com a mãe de vocês. Eu sou o homem mais sortudo desde mundo por ter construído a família que tenho e me orgulha e dá satisfação lhe entregar para Momo agora.

Dahyun pisca os olhos para conter as lágrimas, se aproxima do pai o abraçando com força e agradecendo por ele ter sido maravilhoso em sua vida e principalmente, nunca ter ido contra o seu relacionamento com Momo, ele foi quem mais lhe apoiou e incentivou, ficou ao seu lado e ajudou quando ouve necessidades. O senhor Kim foi quem mais quis que o projeto do restaurante saísse do papel e pegou tanto no pé da Hirai, que ela seguiu com a ideia e deu muito certo!

O senhor Kim se afasta da filha mais nova colocando a caixinha que tem em mãos entre eles a incentivando a abrir. Seus olhos arregalam e o queixo vai ao chão. Era a joia da família de sua mãe, um belíssimo prendedor de cabelo em forma de borboleta com pedras azuis. Algo velho e que representasse a sua ligação com a família.

- Sua mãe pediu para que eu fizesse a entrega. - ele tira a joia da caixa entregando para Nayeon e se aproxima da caçula erguendo as mãos até os seus cabelos. - Ela está muito emocionada e temia demorar mais do que o necessário para lhe entregar isso. - justifica terminando de prender nos cabelos dela e se inclina para deixar um beijo em sua testa. - Preparada?

- Ansiosa para ver Momo! - confessa causando uma risada gostosa no pai.

As primeiras a entrarem na cerimônia são as quatro madrinhas, os convidados levantam-se das cadeiras virando na direção do corredor e as observando passar e se ajeitarem no pequeno altar onde já tem o juiz.

Momo é a primeira a sair da casa e espera por Dahyun na areia, a loira sai parando diante da noiva e ambas tomam alguns segundos para admirar uma à outra.

O vestido da Hirai era de um tecido bem leve e de alças, não era justo ao corpo e tinha detalhes de flores bordados abaixo do busto até a barra que ia até os joelhos, as flores nos cabelos dela era o toque perfeito para representar um casamento na praia assim como os pés descalços enfiados na areia fofinha.

Dahyun usava um modelo tomara-que-caia todo bordado com delicadas pedrinhas que reluziam ao sol, as flores azuis nos cabelos eram o ponto de cor e algo que ambas também tinham em comum, além dos pés descalços. Ela estava linda e tinha válido cada momento de ansiedade e curiosidade para vê-la.

A mais alta estende a mão e a outra não hesita por nenhum segundo em segura-la e caminharem juntas até o altar onde finalmente teriam a sua união oficializada.

Quando as observa caminhando pelo corredor até o altar, Sana prende a respiração completamente surpresa ao ver uma de suas criações sendo vestida por Momo, sequer tinha dado falta do desenho e agora estavam ali, dois de seus vestidos sendo usados e aprovados por suas melhores amigas no casamento. Não existia de fato, maior prova do que aquela que o seu sonho se tornaria realidade. Sente a sua mão ser segurada e vira o rosto encontrando a esposa com um sorriso orgulhoso nos lábios. Aperta a mão de Tzuyu e murmura um obrigada para que só ela possa ouvir.

Ao estar diante do juiz e tendo a mão de Momo junto a sua, todo nervosismo e ansiedade que Dahyun estava sentindo simplesmente evaporou. Era como se aquele simples contato com ela fosse o seu ponto de equilíbrio e só conseguia sentir e pensar no quanto estava feliz em compartilhar aquele momento incrível, único e inesquecível com as pessoas que mais amava e lhe apoiava. Tinha valido a pena esperar todos aqueles anos para casar com Momo, pois aquele era o momento perfeito na vida de ambas para aquilo acontecer.

Hope e Jinyoung foram quem entraram levando as alianças e ao tocar naquele objeto e o colocar no dedo de Momo, o seu coração bateu forte contra o peito, ainda mais quando Momo também colocou o anel em seu dedo.

Agora pertencia inteiramente a Hirai Momo Kim. E sabia que a esposa pertencia a Kim Dahyun Hirai.

- E eu as declaro, casadas! - o juiz por fim proclama encerrando a cerimônia.

Momo vira-se de frente para ela e nos olhos de ambas era possível ver um brilho de felicidade. Se inclinando um pouco sela seus lábios. O primeiro beijo, e a continuidade do felizes para sempre delas!


Notas Finais


Esse claramente é um dos meu capítulos favoritos ❤️

Não sei se ainda atualizo hoje então, até a próxima atualização 👋🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...